Nico

Para que servem os cartões de crédito?

13 publicações neste tópico

A pergunta tem um tom meio provocatório, para levantar a discussão. Eu sei para que servem os cartões de crédito, mas na verdade custa-me perceber qual é a utilidade deles.

Ou seja, o que quero dizer é: para que é que se vai fazer uma compra com um cartão de crédito quando não se tem disponibilidade para que o montante saia imediatamente do saldo bancário? Se se tem e se é necessário ou se quer comprar, muito bem, aqui está o cartão de débito, dê cá o produto ou serviço, tome lá o cartão e tire-me já isso da conta. Senão, what's the point?

A minha pergunta advém também do facto de eu não ter nenhum cartão de crédito e não ter muito bem a noção de como funciona na prática, mas na verdade também não vejo utilidade nenhuma em ter um. Com a agravante de se pagarem anuidades e juros.

Para que é que vos serve o cartão de crédito? Não se passa bem apenas com cartão de débito? Que vantagens reais é que o cartão de crédito dá que o cartão de débito não dá?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Alguns cartões de crédito dão pontos ou dinheiro em troca das compras que se vai fazendo. Não é dificil hoje em dia encontrar cartões que devolvam 1% das compras, por exemplo. Se usado frequentemente este valor facilmente ultrapassa o valor da anuidade e ganhas dinheiro.

Noutros casos, usa-se simplesmente o período de crédito gratuito (durante o qual não pagas juros) para ter o dinheiro a render noutro lado enquanto se fazem as compras ao longo do mês. Chegando ao mês seguinte pagas o saldo do cartão na íntegra antes que comecem a cobrar juros.

Os cartões de crédito têm muitas vezes outros produtos associados, alguns dos quais nem sequer surgem associados a cartões de débito. Lembro-me, por exemplo, de seguros, parcerias com empresas onde o cartão dá descontos, etc.

Finalmente, há ainda situações em que só te aceitam um cartão de crédito ou pelo menos a operação é mais fácil nesses casos. No aluguer de um carro, por exemplo; ou em algumas compras online onde um número gerado pelo MBNet nem sempre funciona.

Claro que só dá para tirar partido do cartão de crédito se não alterares os teus hábitos de consumo. Se começas a comprar mais do que podes pagar apenas porque o cartão te permite isso, depressa estarás enterrado em juros até ao pescoço e sem saber como sair do buraco (ok, não é assim tão depressa, mas é preciso um pouco de cuidado, isso sim).

Se não alterares em nada os teus hábitos, pagar com um cartão de crédito ou de débito não vai fazer grande diferença. Se estudares bem o assunto e alterares os teus hábitos no sentido certo podes ganhar algum dinheiro com isso. Se te descuidares e te deixares levar podes perder muito dinheiro.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu tenho um cartão de crédito "imposto" pelo Banco aquando da contratação para o meu crédito habitação, com aquela conversa que todos nós conhecemos... blá, blá, spread, cartão crédito, blá, blá.... posso no entando dizer que nunca o usei e até o último nem fui à agência levantá-lo, limitei-me a pagar a anuidade.

Cartão de crédito? Não, obrigado. Cartão de débito, sim senhor. Como diz o meu paizinho: "não há dinheiro não há palhaços".

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Como Refere o Paulo Guia, uma utilização dentro dos habitos normais de consumo, associado aos possiveis descontos, são uma mais valia.

Se pagares todas as compras que fazes durante um mês com o Visa ( refeiçoes, combustiveis, compras), e por sua vez, te devolverem uma percentagem, consegues pagar a anuidade e ainda encaixares algum extra.

Estou a falar obviamente em que pagas a totalidade da divida no final do período.

Outras vantagens associadas, compras pela web, deslocações ao estrangeiro.

Abraço

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

o cartão de crédito dá muito jeito para quem faz compras online, esse foi aliás o motivo porque aderi a um, porque nem sempre o mbnet funciona e porque para pagamentos via paypal é necessário um cartão de crédito, ou a paciência de estar sempre a alterar os dados do cartão gerado por mbnet.

além disso nem todos os cartões têm anuidade, e os juros só paga quem não faz o pagamento total, a meu ver é sempre util, naturalmente é preciso é saber usa-lo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ok, obrigado pelos vossos esclarecimentos!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Entre outras coisas, servem para investirmos o plafond que o banco nos faculta, em aplicações a curto prazo, mesmo que o rendimento seja mínimo, já é bom.

Há aplicações que se podem fazer a 30 dias, e mesmo que seja para ganhar uns míseros 5€, já valeu a pena.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tenho um cartão de crédito que me foi imposto pelo BPI (Cartão Universo).

É bem certo que pouco uso tenho feito dele! No entanto, nunca se sabe: um mês poderemos ter uma despesa invulgar e nesse caso, qual é o problema do seu uso? Desde que como o pauloaguia disse, os modos de consumo não se modifiquem, desde que não fiquemos em levitação, pelo facto de possuírmos um cartão de crédito, não vejo problema!

Outra coisa bem diferente é o uso indiscriminado do Cartão. Aí, os problemas poderão surgir em espiral!

Respeito quem disse que "sem dinheiro não há palhaços", mas acho isso uma ideia muito conservadora para os dias que correm! Se pudermos apenas usar o de débito, tudo bem! Uma ou outra excepção com o de crédito, não vejo o "pecado"! Isto é como o automóvel: não é a máquina que nos controla, seremos nós que teremos de controlar a máquina!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Respeito quem disse que "sem dinheiro não há palhaços", mas acho isso uma ideia muito conservadora para os dias que correm! Se pudermos apenas usar o de débito, tudo bem! Uma ou outra excepção com o de crédito, não vejo o "pecado"!

Até aceito que seja muito conservadora nesta matéria mas de facto é esta a minha maneira de pensar e agir e ainda não me dei mal; claro que não sou fundamentalista e gosto pouco de "cuspir para o ar"; no entanto enquanto tiver condições dispenso o cartão de crédito.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Óptimo Fátima, respeito em absoluto o teu ponto de vista!

Pessoalmente, desde que tenho cartão de crédito, fiz uso dele numa viagem a Londres, para levantar libras num ATM da zona em que fiquei e alguns dias depois em compras numa grande superfície da cidade!

Procuro não o usar, mas sabe-se lá se um dia, como sugeres, não precisarei!

Agora, uma coisa é bem real! Os Portugueses estão enormemente endividados pelo uso abusivo do cartão. Segundo estudo da DECO, das pessoas que recorrem ao Gabinete de Apoio, a maior percentagem daqueles que estão em sobreendividamento, resulta, nomeadamente do crédito pessoal e do abusivo uso do cartão!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Gaelic,

Concordo em absoluto contigo!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parece que as pessoas não conseguem conter o impulso de puxar o cartão da carteira e comprar uma porcaria qualquer que passa diariamente na televisão ou simplesmente porque lhes apetece comprar qqr coisa que não necessitam mas está barato e é de aproveitar.

Por falar nisso, nao saiu aí qualquer coisa sobre acabar-se com a publicidade nos canais privados?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É, João Barral, o problema é que já existe legislação!

Mais concretamente, o Decreto Lei 57/2008, de 26 de Março (práticas comerciais desleais), vem transpor para Portugal a Directiva Comunitária 2005/29/CE de 11 de Março de 2005, que genericamente proíbe qualquer acção, omissão, conduta ou afirmação de uma empresa, incluindo a publicidade e a promoção comercial, que distorça ou seja susceptível de distorcer, de maneira substancial o comportamento económico do consumidor.

A grande questão é que as pessoas andam narcotizadas com telenovelas, programas televisivos de "chacha" e afins! Quando são enganadas, aqui D´El-Rei que fui burlado(a)!

Se fôssemos cidadãos com verdadeira noção de cidadania, (a norma jurídica está aí), só teríamos que nos queixar da ilegalidade!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead