Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
Ariana

Nestes tempos: Comprar ou arrendar?

8 publicações neste tópico

Boas!

Iniciei este tópico pelo seguinte: Já vou na minha 3ª casa (de compra) e a minha 2ª casa não deixou de ser minha para comprar a 3ª. Tanto eu como o meu marido vemos com bons olhos o projecto de se comprar para ampliar património, mesmo que isso signifique alguns sacrifícios pelo caminho... :P

No entanto, somo alvo de bastantes (E BASTANTES!!!) debates entre os amigos, que na sua maioria defende que arrendar é mais em conta, etc, etc...

Como explicar (em palavras) algo que para mim é bastante instintivo e básico? Estaremos nós a ver mal a figura?

Gostava de ouvir o que acha a maioria acerca disto.

Ariana

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu sou da opinião que até não se constituir família o arrendamento é a solução mais viável. É normal esta fase da vida ser aquela em que estamos mais propensos a mudar de emprego, de família e até de país. Posto isto, no caso de uma situação repentina ocorrer, será muito mais fácil e muito menos burocrático acabar com um contrato de arrendamento que nos desfazermos de uma casa pelo preço que nós achamos mais justo.

Em termos económicos, eu vejo o imobiliário como o mercado accionista: tanto sobe como cai. A questão é que, até hoje, o nosso mercado imobiliário nunca teve um tombo equiparado a de uma crise financeira. Além disso, é reconhecido por todos o há muito enraizado na nossa educação que "quem casa, quer casa", transparecendo bem a mentalidade de posse.

Olhando com distância para este cenário, percebe-se que ao comprar acções o investidor fica com uma pequena fatia da empresa, ganhando o direito a receber os lucros do negócio como também a ter de assumir as perdas em caso de prejuízos da companhia de que se tornou accionista. No mercado imobiliário, acontece o mesmo. Ao comprar casa, o investidor, poderá até efectuar uma mais-valia do imóvel com uma futura venda. Todavia, também pode acabar por nunca ter qualquer lucro. Basta pensar que o imóvel também poderá apresentar uma desvalorização (como acontece hoje a quem comprou casa há 3 e 5 anos, em algumas zonas do país) ou até que o pagamento dos juros ao longo de 20/30 e 40 anos acabem por eliminar a totalidade dos eventuais lucros que se poderia realizar. Por estas razões não vejo qualquer diferença entre o mercado imobiliário e accionista.

Mas, para mim, os grandes entraves à compra de casa são os custos com aberturas de processo de crédito, comissões bancárias e os tão odiados seguros. Já para não falar no condomínio. No arrendamento, pelo contrário, estas despesas não existem. Paga-se a prestação e pronto. Todavia, dir-me-ão que pouco diferença existe no valor da prestação e da renda. É verdade. Mas isso deve-se sobretudo a um débil mercado de arrendamento no nosso país. Todavia, deverá ficar cada vez mais em conta arrendar em vez de comprar à medida que a taxa de juro vá aumentando. Simplesmente porque a renda é fixa enquanto que a prestação da casa move-se ao sabor da taxa de juro.

Resumindo

Considero que em termos de riqueza não encaro a casa como um activo de rendimento garantido, seguro e rentável como é muitas vezes frisado. Por isso, não entendo que o sentimento de posse possa ser uma vantagem face ao arrendamento em termos económicos, pelo contrário: no arrendamento não há seguros, condomínio nem comissões bancárias. A única vantagem da compra face ao arrendamento, que para muitas pessoas é um grande factor, é a sensação de liberdade de se poder, a qualquer momento partir uma parede, mudar a canalização, pintar as paredes quando nos der na "realgana", enquanto que numa casa arrendada teremos sempre que pedir autorização do senhorio para efectuarmos qualquer obra.

Ariana: espero ter sido explicito e, apesar de não estar de acordo com a tua opinião, possa ter-te elucidado um pouco do meu ponto de vista.

;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Todavia, deverá ficar cada vez mais em conta arrendar em vez de comprar à medida que a taxa de juro vá aumentando. Simplesmente porque a renda é fixa enquanto que a prestação da casa move-se ao sabor da taxa de juro.

Apenas um pormenor - as rendas são actualizadas de acordo com a inflação. As prestações do crédito daqui por 10 ou 20 anos, caso a taxa de juro seja igual ao que é hoje, custarão o mesmo... as rendas poderão ser bem mais altas.

Isto não abala em quase nada tudo o resto que disseste, com que aliás, concordo.

Voltando à Ariana, a discussão entre arrendar e comprar neste caso parece ser um pouco diferente de outras que já por aqui passaram. Não sei se percebi bem, mas compras as casas para morar com ideia de as arrendar um dia no futuro?

Mas a verdadeira questão é: compras a casa por ser a tua casa para o futuro ou já na expectativa de a trocares um dia por uma melhor, arrendando a velha para tirar lucro?

Se compras a casa para trocar para outra mais tarde então concordo com os teus amigos - mais valia que arrendasses uma casa para morar e investisses logo nas compras com a ideia de arrendar.

Primeiro, porque pões logo a casa a arrendar com menor desgaste (tu não chegaste a morar lá), podendo eventualmente conseguir uma renda melhor dos teus inquilinos.

Depois porque, como o alcagoitas refere, quando realmente encontrares a casa dos teus sonhos, aquela a que queiras chamar tua (ou construir) será muito mais fácil deixares a casa actual para ir para a definitiva. Em vez de teres que andar a encontrar alguém que te arrende primeiro a casa antiga.

Mais um pormenor - em todos os investimentos que fizeres (neste caso compra de casas) tenta entrar ao máximo com dinheiro teu e ao mínimo com crédito. Assim começas a tirar rendimentos da casa mais cedo - é muito mais rápido amortizar o investimento quando o dinheiro era maioritariamente nosso do que quando temos que andar a pagar juros em cima desse dinheiro...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se percebi bem, mas compras as casas para morar com ideia de as arrendar um dia no futuro?

Pois... não foi bem assim que intencionamos no princípio... ::) Foi mais um acaso que foi criando uma ideia: a minha 1ª casa foi vendida pelo dobro da dívida que tinha ao banco. Assim, pude comprar a 2ª com empréstimo bancário, uma casa pequena, da qual tinha perfeita noção que um dia sairia de lá para outra, mas por menos 22.250,00 do que o valor da compra. Assim, quando encontrei a casa actual, que aliás é muito do nosso agrado, (não se pode chamar de sonho, mas tem tudo o que precisava), surgiu-nos a ideia que a 2ª casa fosse arrendada em vez de vendida, pois o montante em dívida ao banco era, na altura menos de metade do total da compra, e como o mercado imobiliário tinha desvalorizado bastante, não achámos justo vendê-la pelo mesmo preço que a comprámos... E pronto! Mal abrimos os olhos, éramos senhorios!... Agora, já tenho as contas dos meus inquilinos em ordem, e resumindo, penso que, feitas as contas (não falo contabilisticamente, falo no geral) se se souber escolher bem as casas, é um bom negócio comprar, independentemente do objectivo. É nessa direcção que tento dirigir os nossos debates, embora, pelos vistos, eu pertença a uma minoria bem pequena que pensa assim... Será?... ???

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Agora, já tenho as contas dos meus inquilinos em ordem, e resumindo, penso que, feitas as contas (não falo contabilisticamente, falo no geral) se se souber escolher bem as casas, é um bom negócio comprar, independentemente do objectivo.

É só com esta afirmação que discordo - o facto de ser um bom negócio ou não depende justamente do objectivo.

Comprar uma casa para arrandar é claramente melhor negócio que comprar para morar. Tiras maior rendimento no primeiro caso que no segundo. E claro, ficas com o activo à disposição para vender, se quiseres. A casa onde moras dá-te pouco ou nenhum rendimento (quer dizer, podes sempre vender os legumes da horta, se for caso disso :)) para além do usufruto da própria casa. E isto, também tens se fores inquilino e com um investimento inicial bem menor.

Agora, não quer dizer que comprar casa seja um mau negócio. E, como sempre digo, há outros motivos para além do dinheiro, nem todos eles facilmente quantificáveis.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu também comprei há pouco tempo uma segunda casa, sem me desfazer da primeira. Comprar é sempre uma melhor opção, é algo nosso... O nosso objectivo é antes dos 50 anos, ter duas casas pagas... uma para viver e outra para rendimentos (para alugarmos). Apesar da taxa de juro estar mais alta, o preço das casas descer imenso... e as rendas subiram! Assim. concordo com a tua opção!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este tópico já não tem actividade há algum tempo mas como ando a ponderar a compra de uma cada tenho feito algumas pesquisas sobre a opção compra v.s. arrendamento e encontrei esta folha excel brasileira http://dinheirama.com/blog/wp-content/uploads/2007/05/simulacao-casa-propria-ou-aluguel.xls que permite fazer uma simulação (obviamente é apenas uma previsão mas pode ser útil)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0