NECAS

Trabalhadores Independentes: Dúvidas IVA, IRS e Segurança Social

880 publicações neste tópico

Boa Noite

A minha filha está na seguinte situação:

•  Está a receber o Subsídio de Desemprego

•  Está a prestar serviços de explicadora, aguardando aceitação de Estágio Profissional.

•  Como a proposta de estágio foi entregue há 3 meses e ainda não houve o OK  propuseram que ela em vez do estágio passasse Recibos Verdes.

A dúvida prende-se pelo seguinte: este trabalho tem a duração do ano lectivo ou seja até Junho, recomeçando em Setembro. Em Julho e Agosto não receberia nada.

Ela pode ter subsidio de desemprego e simultâneamente passar recibos verdes?

Penso que não, mas gostaria de ser mais esclarecido

Cumprimentos

Jorge Feio

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Jorge, os trabalhadores independentes (a recibos verdes ou empresários em nome individual) não têm direito a subsídio de desemprego. Se a sua filha passar recibos verdes torna-se trabalhadora independente e deixa de poder usufruir do subsídio de desemprego.

Pode ver mais informação sobre os critérios de acesso ao subsídio de desemprego em http://www2.seg-social.pt/preview_documentos.asp?r=23663&m=PDF

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Jorge, os trabalhadores independentes (a recibos verdes ou empresários em nome individual) não têm direito a subsídio de desemprego. Se a sua filha passar recibos verdes torna-se trabalhadora independente e deixa de poder usufruir do subsídio de desemprego.

Pode ver mais informação sobre os critérios de acesso ao subsídio de desemprego em http://www2.seg-social.pt/preview_documentos.asp?r=23663&m=PDF

é verdade..

há quem o faça... receber dos dois lados

mas no dia em que os dados se cruzarem, têm de devolver tudo.. e não há perdão.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esperemos que esse dia esteja para breve.

Esse cruzamento de dados já é feito actualmente...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom Dia

Fiquei esclarecido e é o que eu pensava.

Agradeço ao Pedro Pais, ao Paulo Guia e ic3boy_17.

OBrigado

Jorge Feio

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esse cruzamento de dados já é feito actualmente...

Paulo, só se for de forma muito precária. Bem sei que a S.S. tem acesso (em parte) aos dados das Finanças, mas a realidade é que não os cruza.

Conheço vários casos de pessoas que passaram para trabalhador independente nas finanças mas que aparentemente a Seg. Social nada sabia, de forma automática.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Paulo, só se for de forma muito precária. Bem sei que a S.S. tem acesso (em parte) aos dados das Finanças, mas a realidade é que não os cruza.

Conheço vários casos de pessoas que passaram para trabalhador independente nas finanças mas que aparentemente a Seg. Social nada sabia, de forma automática.

é verdade..

em Fevereiro ultimo, abri conta para trabalhador independente, mas devido ao 20FEV, foi-me impossível alterar a data da formação para conseguir o tal part-time.

Dias depois voltei a fechar, so dia 29Nov, é que me chegou uma carta da SS a dizer que tinham tido conhecimento da abertura de conta de trabalhador independente, e como já fazia descontos, não precisava fazer e mais blablabla..

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

já à muito tempo que andava à procura de um site assim, finalmente encontrei.  :D

A minha questão é a seguinte:

Reiniciei a minha actividade em recibos verdes, nas finanças o papel comprovativo indica que estou isenta de acordo com o artg 53º, vou passar recibos no máximo de 600€ mensais, que descontos tenho que fazer?

Nomeadamente, IRS, IVA e segurança social.

Pelo que tenho lido, IRS e IVA é só se atingir os 10 000€ / ano, certo?

Quanto à Seg. Social, como é feito?

Se me ajudarem vou vos ficar imensamente grata, pois não consigo encontrar respostas concretas e simples.

Obrigada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Quando abre actividade, pela 1ª vez, está isenta durante um ano. Após isso, está sujeita aos respectivos descontos.

Se descontar por outro lado, ou no ano N-1 auferir, pela categoria B, até 6 vezes o IAS, ou seja, 6 x 419,22, poderá pedir isenção de segurança social.

A nivel de iva, ou se nao atingir os 10 mil euros, ou caso a sua actividade seja isenta, está dispensada de tributação em IVA.

Bem realmente não percebo mesmo nada disto, afinal o que tenho que descontar?

Não vou estar a receber por mais lado nenhum, só nos recibos, iva já sei que é só se atingir os 10 000€, mas e a segurança social, tem uma percentagem mensal certo?

:-\

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Então tem de descontar sobre 1,5 vezes o salario minimo, podendo estar ou no regime alargado, ou no regime minimo. Ou paga 159,22, ou 201,xx.(valores mt aproximados)

Então quer dizer que mensalmente do valor que recebo e passo no recibo tenho que descontar um desses valores, certo?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas.

Sou estudante e estou a ponderar começar um part-time a recibos verdes em que vou receber cerca de 350€/mês (4160€ ilíquidos por ano). Não tenho qualquer outra actividade ou rendimento e já completei os 12 meses de isenção iniciais.

Relativamente aos descontos para a SS, ouvi dizer que para além dos escalões normais havia um escalão zero para quem recebesse entre 6 IAS e 18 IAS (pelas minhas contas vou receber cerca de 10 IAS por ano). A minha questão é se este escalão zero existe realmente e, a existir, se alguém me pode dizer aproximadamente quanto irei descontar por mês para a SS.

Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Sou estudante e estou a ponderar começar um part-time a recibos verdes em que vou receber cerca de 350€/mês (4160€ ilíquidos por ano). Não tenho qualquer outra actividade ou rendimento e já completei os 12 meses de isenção iniciais.

Relativamente aos descontos para a SS, ouvi dizer que para além dos escalões normais havia um escalão zero para quem recebesse entre 6 IAS e 18 IAS (pelas minhas contas vou receber cerca de 10 IAS por ano). A minha questão é se este escalão zero existe realmente e, a existir, se alguém me pode dizer aproximadamente quanto irei descontar por mês para a SS.

Diz o Guia Prático da Actividade de Trabalhador Independente, publicado pela SS:

Exceptuando o caso dos trabalhadores independentes abrangidos pelo regime de contabilidade organizada, nos casos em que o rendimento relevante de um trabalhador independente seja igual ou inferior a 12 vezes o IAS, o trabalhador pode pedir que lhe seja considerado como base de incidência o valor do duodécimo do rendimento relevante, com o limite mínimo de 50% do IAS (€ 209,61). Esta possibilidade apenas é possível no início ou no reinício de actividade e tem a duração máxima de três anos civis seguidos ou interpolados.
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite!

Sou trabalhadora independente em regime simplificado e em Dezembro de 2010 atingi os dez mil euros anuais. Quanto à retenção na fonte o que tenho de fazer neste novo ano?

O meu muito obrigada!! :)

Lúcia C.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Passar a assinalar a opção correspondente, indicando a taxa de retenção na fonte a que está sujeita (tipicamente 21,5% - consultar o Artigo 101º do Código do IRS para confirmar)

Naturalmente vais começar a receber menos do que até aqui, uma vez que a entidade a quem prestas o serviço tem obrigação de entregar esse dinheiro ao Estado.

Para além da retenção na fonte tens também de começar a cobrar IVA (tipicamente à taxa de 23% - consultar o Código do IVA para confirmar). Isto significa que a empresa te vai entregar mais dinheiro, mas essa parcela tens que ser tu a entregá-la ao Estado. Dá uma vista de olhos no Portal das Finanças, julgo que consegues fazer tudo a partir de lá.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite,

Não sei se alguem me saberá responder, mas neste momento estou a receber do fundo de desemprego e ando a fazer varias formações. Na ultima formação foi me dito que esta seria remonerada, para ajuda nas refeicões,etc, mas teria que ser feito atraves de recibos verdes.

Nesta situação, rejeitei a formacao para não perder o Fundo de desemprego, mas estando eu em formação isso não será permitido?????

Obrigado,

Carla

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Muito Obrigada pelo rápido esclarecimento!

Cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Nesta situação, rejeitei a formacao para não perder o Fundo de desemprego, mas estando eu em formação isso não será permitido?????

Isso foi tolice, porque formação é sempre útil - que mais não seja como forma de ocupar o tempo, estando desempregada.

Diz no site da SS a respeito do Subsídio de Desemprego:

SUSPENSÃO

O pagamento dos subsídios é suspenso nas situações de:

...

- Exercício de actividade profissional que determine a atribuição do subsídio de desemprego parcial, quando o rendimento relevante da actividade profissional independente ou a retribuição do trabalho por conta de outrem for igual ou superior ao valor do subsídio de desemprego, consoante o caso.

- Frequência de curso de formação profissional com atribuição de compensação remuneratória. Sempre que o valor da compensação remuneratória for inferior ao montante da prestação a que o beneficiário tinha direito, a suspensão só abrange o valor da compensação;

Ou seja, se o subsídio de desemprego for de 1000€ e a formação pagar 200€ / mês, continua a ser paga 800€ do subsídio de desemprego.

Por via das dúvidas, no fim da página diz ainda:

As prestações de desemprego são acumuláveis com:

- Rendimentos de trabalho independente

- Rendimentos de trabalho por conta de outrem.

(suponho eu, que nos casos em que estes fiquem abaixo do valor do subsídio...)

Sugiro aos interessados que leiam a página em causa, bem como todas as outras relacionadas e cujos links se encontram no topo

(Condições de atribuição

Montantes

Duração/Suspensão/Cessação/Acumulação

Requerimentos/Meios de prova

Deveres e Sanções

Articulação/Velhice)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não entendi bem...

Hoje vem no Jornal de Notícias o valor a pagar de IRS para trabalhadores independentes...

Informação confusa...

Como se calcula o valor a pagar de IRS...

4989€ de rendimento anual - Taxa: 11,5% sobre 4989€

7410€ de rendimento anual - Taxa: 11,5% sobre 4989€

+ 14% sobre 2421€

18375€ de Rendimento Anual - Taxa: 11,5% sobre 4989€

+ 14% sobre 2421€

+ 24,5% sobe 10965€

Fonte: Jornal de Noticias 23 de Janeiro de 2011

????

A taxa de IRS é a retenção na fonte...

Como fazem estes cálculos se os recibos verdes estão a descontar 21,5%?

Há mudanças?????

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Aquilo que estás a referir do Jornal de Negocios são as taxas de IRS dos diferentes escalões.

1.º Escalão - TAXA 11,5% (ATÉ 4989 €)

2.º Escalão - TAXA 14% (DE 4989 € A 7410 €)

3.º Escalão - TAXA 24,5% (7410 € A 18375 €)

Estás são taxas do imposto do IRS.

---------------------------------------

As retenções não são um imposto. Em vez de receberes a totalidade do teu rendimento, existe uma parte que é retida e entrega ao Estado.

Quando fizeres a tua declaração IRS vais utilizar essa parcela de valores retidos para teres menos valor a pagar de imposto IRS ou até seres reembolsado na diferença de valores retidos a mais.

Volto a frisar: RETENÇÃO NÃO É IMPOSTO.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Então qual é a relação dos descontos que vêm de IRS com os trabalhadores independentes?

Onde é que os trabalhadores independentes vão ver essas alterações?

Nos recibos na parte da Retenção diz assim "Retenção na Fonte de IRS"

Como se processam essas mudanças que vêem no Jornal de Noticias nos recibos verdes dos trabalhadores independentes?

Não estou a compreender...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Há paraa aí um mal entendido qualquer (não me admirava que fosse do JN)

Nos recibos verdes, quem faz retenção na fonte, continua a fazê-la à taxa de 21,5%.

É como disse o david - retenções não são imposto, são adiantamento de imposto.

No ano seguinte, ao meter a declaração de IRS é que o imposto é efectivamente calculado (aí sim, com base nesses escalões como, aliás, já o era também até agora diga-se de passagem). E tipicamente as contas nem costumam ser feitas de forma assim tão complicada - normalmente multiplica-se apenas pala taxa mais alta, do escalão em que se fica, e subtrai-se a parcela a abater que corresponde a tudo o resto sobre o qual incidem as taxas mais baixas.

Do ponto de vista do IRS pouco ou nada mudou para os trabalhadores independentes. Ou tu percebeste mal a notícia ou o jornalista do JN descobriu como se calcula afinal o IRS e julga que descobriu a pólvora e acabou por meter os pes pelas maos, confundindo o pessoal :P

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelo esclarecimento.

Então se bem entendi continuamos a fazer retenção de 21,5%.

Aquelas taxas são para o cálculo da declaração do IRS, é isso?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Então se bem entendi continuamos a fazer retenção de 21,5%.

Aquelas taxas são para o cálculo da declaração do IRS, é isso?

É isso ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead