annacc

Recibos verdes + Dívidas SS

6 publicações neste tópico

Até 6 vezes o IAS, vc está isenta de pagar á seg. social. Como vc não pediu a isenção, faça uma exposição à seg. social, explicando isso mesmo. Não sei se enventualmente agora, ainda conseguirá inverter essa situação: só averiguando!

Caro forreta, explique-me uma coisa:

Se for uma re-abertura anos depois?

Já sei que no 1º ano estamos isentos, mas mais tarde,  sempre que for uma re-abertura de actividade, mesmo que não tenhamos ultrapassado os tais 6 IAS no 1º ano, e se não perspectivarmos passar esse valor no ano da re-abertura, não temos que pagar se pedirmos isenção?, ou basta reabrir a actividade que por esse facto pagamos sempre?

Já ouvi que pagamos sempre!! se for uma re-abertura e que temos é que fazer um requerimento para "ajustarem" os descontos para a SS em função dos rendimentos que auferimos e assim pagarmos menos que os 160€ (valor mínimo)??? ??? ??? ???

...pois se eu tiver rendimento de 200€/mês e tiver que entregar 160 á SS, masi vale estar quieto  >:(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Os trabalhadores que iniciem uma nova actividade por conta própria, cujos rendimentos anuais ilíquidos sejam superiores ao valor de 6 vezes da IAS, são obrigados a participar o exercício de actividade junto das instituições de Segurança Social da área da residência, para efeitos de enquadramento no Regime Geral da segurança social dos trabalhadores independentes, incluindo aqueles que se encontrem nas condições previstas na lei, para obterem a isenção da obrigação de contribuir.

Os trabalhadores independentes, cujos rendimentos dessa actividade sejam inferiores a 6 vezes da IAS, podem, voluntariamente, enquadrar-se neste regime desde que apresentem o respectivo requerimento, subsistindo, todavia, sempre a obrigação de participarem o início de actividade (apenas desde 2009, salvo erro, essa comunicação é efectuada de forma automática pela DGCI ao abrigo so Simplex).

De acordo com os dados que aqui colocou, no 1º ano de actividade ultrapassou o valor de 6 vezes da IAS, pelo que no 2º ano de actividade teria de ficar enquadrado no Regime Geral, podendo, contudo, ter solicitado a redução de taxa ajustado ao valor real dos rendimentos (sempre tendo um limite mínimo de 50% da IAS).

Como não solicitou qualquer redução de taxa para o 2º ano, teria de pagar mensalmente as contribuições segundo o primeiro escalão.

No 2º ano como não ultrapassou o valor de 6 vezes da IES solicitava no 3º ano a respectiva isenção.

Repare que as contribuições do ano "n" são sempre tendo em consideração o ano "n-1".

Assim, infelizmente, não terá grande margem para anular a suposta dívida.

Cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Agradeço a todos as respostas que me deram.

Realmente são coisas que sempre me passaram ao lado, nunca percebi muito bem o funcionamento da SS e das Finanças, mas não sabia realmente que era necessário comunicar essas factos à SS. Posso dizer que por um lado a culpa é minha pq nunca me informei, mas tb achei que tendo em conta os meus rendimentos, era explicito. Tal como eu pensava, acredito e conheço muita gente que pensa como eu. Agora a minha função tb vai ser alertar essas pessoas para este tipo de situação.

Obrigada e cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Preciso da vossa ajuda no seguinte:

Quando se abre a actividade para recibos verdes, temos direito a 12 meses de isenção, ou seja, podemos receber qualquer valor que não temos que pagar nada à Segurança Social. O modo de verificação deste processo é através do IRS.

Tendo eu aberto a actividade a 11/2004, estaria isento até 11/2005, mas como referi, a SS “atribui” esta isenção no IRS de 2004, incorrectamente, pois só terminaria em 2005.

Logo no ano de 2005 (ainda com 11 meses de isenção), a SS assumiu que eu tinha passado o valor de 6 ordenados mínimos.

Estive a confirmar os valores dos recibos verdes e obtive os valores:

11/2004 a 10/2005 - €5510 (12 meses isento)

11/2005 a 10/2006 - €2100

11/2006 a 10/2007 - €2000

11/2007 a 10/2008 - €840

Fechei activade em 2008.

Nos anos seguintes á isenção, nunca ultrapassei o escalão mínimo, que é de €2250, aproximadamente.

No ano de 2006, fui à segurança social explicar a situação e preenchi uma declaração de insenção.

Já apresentei a minha reclamação na SS mas estou reticente em relação à resposta deles.

Alguem me consegue informar se terei razão na minha reclamação?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sr. Malhones,

Os seus pressupostos estão errados.

Os cálculos para inferir se tem ou não isenção ou possibilidade de redução de taxa, são os anos fiscais (civís).

Pelo que a imputação dos rendimentos de um ano fiscal entre 2 anos, está errada.

Cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor