jpmf1

Alteração Spread

15 publicações neste tópico

>:(

Boa Noite,

Venho por este meio solicitar a vossa ajuda para a seguinte questão;

- Em 2001 adquiri uma habitação através de dois empréstimos, normal e bonificado e outro multi-opções taxa de juro normal.

Acontece que na altura subscrevi alguns produtos para conseguir uma taxa de spread mais baixa, seguros e outros.

O ano passado foi-me proposto pela Administração do Condominio a aquisição do seguro Multiriscos, o qual era mais barato e adquiri de imediato.

Este ano procedi ao anulamento do mesmo seguro, mas da entidade bancária, para o efeito enviei documento da Companhia de Seguros para a entidade bancária com as clausulas suficientes que garantissem o cumprimento do mesmo.

Recebi hoje duas cartas da CGD, em que no empréstimo multi-opções argumentam que anulei o dito Seguro para agora alterarem a taxa de spread em mais 1,625%, no outro emprestimo, argumentam que nunca fiz uso do cartão de crédito e domiciliação do ordenado.

Informo que nunca tive cartão de Crédito, nem nunca domiciliei o meu ordenado neste banco.

Agradeço o favor que informem dentro do possivel, o que acham que devo fazer perante este problema.

Com os melhores cumprimentos,

Jacinto Fontes

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa Noite,

A escritura foi feita no ano de 2001, mesmo no limite do bonificado.

Cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

SE no contrato está escrito que a atribuição daquele spread está condicionada à existência desses produtos, ao cancelares o seguro o banco tem todo o direito de alterar o spread, uma vez que quebraste o contrato.

No entanto, o ano passado saiu legislação que diz que o banco só tem 1 ano para reagir a essas alterações. Portanto, quanto ao cartão de crédito e ao ordenado domiciliado, se o banco não fez nada logo na altura, não te pode exigir isso agora... Reclama.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

SE no contrato está escrito que a atribuição daquele spread está condicionada à existência desses produtos, ao cancelares o seguro o banco tem todo o direito de alterar o spread, uma vez que quebraste o contrato.

No entanto, o ano passado saiu legislação que diz que o banco só tem 1 ano para reagir a essas alterações. Portanto, quanto ao cartão de crédito e ao ordenado domiciliado, se o banco não fez nada logo na altura, não te pode exigir isso agora... Reclama.

E mesmo em relação ao seguro verifica qual é a penalização estou achar muito alta!
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

SE no contrato está escrito que a atribuição daquele spread está condicionada à existência desses produtos, ao cancelares o seguro o banco tem todo o direito de alterar o spread, uma vez que quebraste o contrato.

No entanto, o ano passado saiu legislação que diz que o banco só tem 1 ano para reagir a essas alterações. Portanto, quanto ao cartão de crédito e ao ordenado domiciliado, se o banco não fez nada logo na altura, não te pode exigir isso agora... Reclama.

Boas,

tenho uma duvida, o prazo de um ano conta a partir da data de publicação do diploma ou desde a data de incumprimento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

tenho uma duvida, o prazo de um ano conta a partir da data de publicação do diploma ou desde a data de incumprimento.

Segundo o diploma, desde a data do incumprimento.

Segundo os bancos, e como nao havia legislaçao neste sentido anteriormente, no primeiro ano desde a data do diploma podem faze-lo. Mas o que e' um facto e' que la' nao esta previsto nenhum periodo transitorio...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Seria bom que o Banco de Portugal esclarecesse de uma forma bem clara, uma vez que a nossa banca anda a cometer ilegalidades, usando de pessoas menos informadas.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Seria bom que o Banco de Portugal esclarecesse de uma forma bem clara, uma vez que a nossa banca anda a cometer ilegalidades, usando de pessoas menos informadas.

Para isso só é preciso que as pessoas não se deixem ficar e reclamem... Por isso é que eu sugiro sempre a utilização do livro de reclamações nestes casos mais "ambíguos" ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa Tarde,

Informo que quando coloquei esta questão aqui no vosso sitio, procedi ao mesmo tempo ao envio de documentação e já aceite pelo BP.

Em tempo oportuno vos informarei qual será a solução a dar a este problema e a outros.

Com os melhores cumprimentos,

jpmf1 >:(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa Tarde,

Informo que quando coloquei esta questão aqui no vosso sitio, procedi ao mesmo tempo ao envio de documentação e já aceite pelo BP.

Em tempo oportuno vos informarei qual será a solução a dar a este problema e a outros.

Com os melhores cumprimentos,

jpmf1 >:(

Então jpmf1 o Banco de Portugal já te disse alguma coisa.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Aproveitando isto...

Segundo notícias de hoje a CGD pretende vender as seguradoras do grupo. Ora o que acontece aos créditos habitação cujo spread foi atribuído desde que o consumidor contratasse um seguro do grupo?

Não vai poder cumprir o contrato por culpa da CGD. Devia existir uma clásula que diminuisse o spread se as condições pelo Banco não fossem cumpridas.

Será que é motivo para resolver o contrato? O que tb não interessa pois teria que devolver o dinheiro todo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Segundo notícias de hoje a CGD pretende vender as seguradoras do grupo. Ora o que acontece aos créditos habitação cujo spread foi atribuído desde que o consumidor contratasse um seguro do grupo?

Não vai poder cumprir o contrato por culpa da CGD. Devia existir uma clásula que diminuisse o spread se as condições pelo Banco não fossem cumpridas.

Obviamente não vai acontecer nada. O cliente continua a cumprir pois não é por culpa sua que a seguradora deixa de pertencer ao grupo CGD. No limite até talvez pudesse mudar de seguradora sem penalização no spread, dependendo de como o contrato foi escrito e de haver ou não outras seguradoras no grupo CGD :) (mas isto já é um bocado rebuscado).

Se realmente a CGD quiser enveredar por essa via (de denunciar os contratos por esse motivo) vai encontrar oposição forte pela frente, certamente...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

"Obviamente não vai acontecer nada. O cliente continua a cumprir pois não é por culpa sua que a seguradora deixa de pertencer ao grupo CGD."

Não o que o Finibanco fez. Vejam este relato escrito aqui no forum há 11 meses:

"Ola a todos,

Agredeço desde ja toda a ajuda que me poderem dar, aqui à uns  anos atras comprei um apartamento e para conseguir um spread mais baixo a entidade bancaria propos-me fazer la o seguro de vida e o multiriscos habitaçao e como é logico eu acedi ficava com a prestaçao mais baixa, ficando uma clausula no contrato que em caso de incumprimento o spread ia de 0.6 para 1.1%, o que aconteceu entretanto foi o seguinte, eles venderam a companhia de seguros que neste caso era deles e agora alegam que nao possuo o seguro na companhia de seguros eles exigem.

Neste caso eu nao cai em qualquer incumprimento será legal o que eles fazem? ainda por cima nem uma simples carta me mandaram a avisar dessa alteraçao, vi simplesmente no  extrato mensal e tive de ir perguntar o porquê.

agardeço mais uma vez todos os exclarecimentos que me possam dar.

Nuno Santos"

http://www.pedropais.com/forum/index.php?topic=2394.0

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para isso só é preciso que as pessoas não se deixem ficar e reclamem... Por isso é que eu sugiro sempre a utilização do livro de reclamações nestes casos mais "ambíguos" ;)

Oficial após reclamação ao BP:

SE no contrato está escrito que a atribuição daquele spread está condicionada à existência desses produtos, ao cancelares o seguro o banco tem todo o direito de alterar o spread, uma vez que quebraste o contrato.

No entanto, o ano passado saiu legislação que diz que o banco só tem 1 ano para reagir a essas alterações. Portanto, quanto ao cartão de crédito e ao ordenado domiciliado, se o banco não fez nada logo na altura, não te pode exigir isso agora... Reclama.

Informação oficial do BP: Não existe incumprimento por parte das instituições de crédito que alterem o sread nessas condições. O BP considera que o referido ano não inclui retroactivos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor