Visitante hugofes

certificados do tesouro serão seguros?

23 publicações neste tópico

Boas a todos o meu nome é Hugo Simões estou a pensar em investir 25.000€ em certificados do tessouro, mas estou um bocado receoso pois vou investir as poupanças de alguns  anos de trabalho e tou com medo do risco que corro devido a crise que o nosso pais esta a passar, Gostaria de saber  opiniões, terei eu a fazer uma tempestade num copo de agua? devido a crise

Muito obrigado pela atenção Hugo Simões.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Encontra muita informação sobre os certificados de tesouro aqui: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,3104.0.html

Obviamente que tem de "esquecer" as suas poupanças durante pelo menos 5 anos para que estas rendam algum, caso contrário, pode sempre resgatar ao fim de 6 meses só que nesse caso não ganha praticamente nada!...

Se quer jogar pelo seguro, invista em depósitos a prazo!...  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Se quer jogar pelo seguro, invista em depósitos a prazo!... 
;)

Olá J Ribeiro:

Uma vez que também investi quase todas as minhas poupanças em certificados do tesouro, gostaria de saber porque achas que os DP são mais seguros que os CT?

Um abraço

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se o estado for á falencia não são seguros. Se não for á falencia são um optimo investimento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se o estado for á falencia não são seguros. Se não for á falencia são um optimo investimento.

estamos proximos da falencia nao? :(
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

se o estado for à falencia também não dinheiro em banco nenhum que nos valha, se formos a pensar nisso mais vale te-lo debaixo do colchão

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
estamos proximos da falencia nao? :(

Essa informação está na posse do Governo, mas todo este burburinho em torno da venda de dívida do estado indica que as Finanças não estão bem!...

E respondendo à questão anterior lançado pelo Quim, isso passa sempre por uma decisão pessoal. Se o capital investido não faz falta, então pode ser um bom investimento. Atendendo a que as taxas de juro estão a subir de forma gradual, em breve os depósito a prazo irão tornar-se atractivos e nesse caso, se não tiver mais capital para investir, porque estão nos certificados, terá de aguentar!...

Mas entre a teoria do que pode vir a contecer e a prática real do que está neste momento em vigor, os certificados de tesouro são sempre um bom investimento, no caso em que deixe lá o capital no mínimo por 5 anos... e depois se o estado for à falência, a não ser que tenhamos o dinheiro debaixo do colchão (a apanhar mofo), vamos todos atrás!...  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

ao fim de 6 meses pode sempre ir buscar o dinheiro.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Significa isto que os bancos merecem maior confiança que o estado??

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não sei se os Bancos merecem mais confiança, mas a maior parte deles tem muitos negócios no estrangeiro e a dependência da economia nacional pode variar muito de banco para banco.

Agora com a taxa de juro a disparar de dia para dia estou a ficar apreensivo. Já não sei onde podemos por o dinheiro com alguma segurança. Por este andar, daqui a duas semanas já a taxa vai rondar os 12%, como as taxa de juro das obrigações da Grécia.

Quem comprou obrigações da divida grega como ficou? Perdeu o dinheiro?

O que acontecerá se o FMI entrar por aqui a dentro??

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Quem comprou obrigações da divida grega como ficou? Perdeu o dinheiro?

Para já a Grécia ainda não fez default da dívida (deixar de pagar). Aliás, um dos objectivos do fundo europeu foi mesmo esse - garantir que a Grécia tinha dinheiro para continuar a pagar as suas obrigações quando elas atingissem a maturidade. Entretanto põe as contas em ordem e, quando o dinheiro que a UE e o FMI lhe emprestaram vencer, supostamente já haverá dinheiro para o reembolsar (ou os mercados já estarão mais calmos para a Grécia voltar a pedir parte desse dinheiro emprestado novamente).

Portanto, quem tem Obrigações de dívida grega, continua a receber juros e com a esperança de reaver o dinheiro quando atingirem a maturidade. Quem não acredita que elas sejam pagas quando atingem a maturidade tenta vendê-las a outros (aliás, é essa venda no mercado secundário que acaba por determinar o nível em que andam os juros).

O que acontecerá se o FMI entrar por aqui a dentro??

Acho que ninguém sabe, nem mesmo o próprio FMI... :-\

Tendo em conta que já não há muita margem para subir impostos, e supostamente as despesas mais fáceis de cortar já foram cortadas, deve ser a doer (despedimento de funcionários públicos; revisão das regras da Seg. Social com diminuição de subsídios e pensões e/ou aumento das receitas; etc).

Mas o que quer que se diga é pura especulação neste momento. Tudo depende da altura em que o FMI chegue cá...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para já a Grécia ainda não fez default da dívida (deixar de pagar). Aliás, um dos objectivos do fundo europeu foi mesmo esse - garantir que a Grécia tinha dinheiro para continuar a pagar as suas obrigações quando elas atingissem a maturidade. Entretanto põe as contas em ordem e, quando o dinheiro que a UE e o FMI lhe emprestaram vencer, supostamente já haverá dinheiro para o reembolsar (ou os mercados já estarão mais calmos para a Grécia voltar a pedir parte desse dinheiro emprestado novamente).

Portanto, quem tem Obrigações de dívida grega, continua a receber juros e com a esperança de reaver o dinheiro quando atingirem a maturidade. Quem não acredita que elas sejam pagas quando atingem a maturidade tenta vendê-las a outros (aliás, é essa venda no mercado secundário que acaba por determinar o nível em que andam os juros).

Acho que ninguém sabe, nem mesmo o próprio FMI... :-\

Tendo em conta que já não há muita margem para subir impostos, e supostamente as despesas mais fáceis de cortar já foram cortadas, deve ser a doer (despedimento de funcionários públicos; revisão das regras da Seg. Social com diminuição de subsídios e pensões e/ou aumento das receitas; etc).

Mas o que quer que se diga é pura especulação neste momento. Tudo depende da altura em que o FMI chegue cá...

Eu sou admitidamente leigo neste assunto mas pela pressão que a Angela Merkel está a fazer para os credores comparticiparem as percas já em 2011 parece me que o governo só está a tentar aguentar o barco até aí!
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Eu sou admitidamente leigo neste assunto mas pela pressão que a Angela Merkel está a fazer para os credores comparticiparem as percas já em 2011 parece me que o governo só está a tentar aguentar o barco até aí!

Eu também ainda não percebi bem o que está em cima da mesa quando falam disso (será que querem que o Fundo de estabilidade seja um credor preferencial em detrimento dos outros? Ou é outra coisa?) mas acho que a data que tem sido veiculada sobre esse assunto é 2013.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu também ainda não percebi bem o que está em cima da mesa quando falam disso (será que querem que o Fundo de estabilidade seja um credor preferencial em detrimento dos outros? Ou é outra coisa?) mas acho que a data que tem sido veiculada sobre esse assunto é 2013.

A Merkel quer penalizar quem emprestou dinheiro aos PIGS, mesmo sabendo que os PIGS não teriam condições para pagar essa divida sem recorrerem ao auxilio dos paises ricos da UE ou do FMI. A teoria é que sem essa "ajuda" os PIGS não se teriam afundado tão gravemente e a situação não teria chegado onde chegou.

A tal penalização viria na forma de um calote parcial dos PIGS, ou seja, os emprestimos a esses investidores não seriam pagos na totalidade.

Em conclusão, não seriam só os contribuintes dos paises ricos da UE a suportar as dividas excessivas mas tb quem, na opinião da merkel, andou a "regar o fogo com gasolina".

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Gostaria de colocar uma questão.

Será que o governo poderá vir a alterar as taxas de juro anunciadas para os certificados do tesouro? Pode baixa-las? (6.5% é uma excelente TANB para 10 anos)

Tal como fez com a fórmula dos certificados de aforro serie B, à cerca de 2 anos.

Desde já, muito Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nos termos do n.º 5 do artigo 11.º da Lei n.º 7/98 , de 3 de Fevereiro, alterada pela Lei n.º 87-B/98 , de 31 de Dezembro, e da alínea g) do artigo 199.º da Constituição, o Conselho de Ministros resolve:

(...)

15 - Garantir que as condições de remuneração dos CT vigentes à data da respectiva subscrição não podem ser alteradas em sentido desfavorável ao aforrador durante o prazo de 10 anos contado a partir da data de subscrição das respectivas unidades.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Muito Obrigado JPereira.

:)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Os certificados do tesouro não são abrangidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos, contudo, eles gozam de uma natureza estatal, sendo divida pública portuguesa. Existe risco de crédito da dívida pública em caso da Republica Portuguesa entrar em incumprimento.

Contudo, mesmo que isso acontece-se o Estado dificilmente iria penalizar a poupança dos seus cidadãos. Penso que apesar do IGCP ter trancado as taxas na última emissão, 7,10% ao final de 10 anos, é uma taxa muito interessante para quem quer(e pode) poupar a longo prazo.

Rui Costa

http://espacopoupanca.blogspot.com/

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Os certificados do tesouro não são abrangidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos, contudo, eles gozam de uma natureza estatal, sendo divida pública portuguesa. Existe risco de crédito da dívida pública em caso da Republica Portuguesa entrar em incumprimento.

Contudo, mesmo que isso acontece-se o Estado dificilmente iria penalizar a poupança dos seus cidadãos. Penso que apesar do IGCP ter trancado as taxas na última emissão, 7,10% ao final de 10 anos, é uma taxa muito interessante para quem quer(e pode) poupar a longo prazo.

Rui Costa

http://espacopoupanca.blogspot.com/

Talvez, seja de considerar o cenário descrito aqui, algo semelhante ao que descreve: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,3104.msg35829.html#msg35829

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Andava na dúvida se comprava ou não certificados do tesouro, este artigo esclareceu as minhas dúvidas. Que arrisque quem tem muito, tenho uma família em que pensar...

Mesmo que o artigo espelha repleto de laivos de pessimismo, há uma frase que permite moderar esse tom e sob a qual devemos reflectir com frieza e esquecendo o nosso posicionamento político:

Portugal está numa situação financeira periclitante mas a última vez em que entrou em incumprimento foi há mais de cem anos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead