paula96

Euribor vai começar a subir vertiginosamente?

10 publicações neste tópico

olá a todos, tenho um credito habitaçãode 196.000€ a 35 anos com um spread de 0,4%, indexado à taxa euribor a 3 meses, quando as taxas estiveram mais altas, fiz um periodo de carencia de capital por 3 anos e que está a terminar agora.

Precisava dum conselho: se a euribor vai começar a subir será melhor fixar as taxas? ou chego acordo com o banco para passar 30% de residual para final do contrato, é que a nivel de anos de crédito habitação já não posso fazer por mais anos, porque tenho 39 anos e o meu marido 40 anos.

Gostava que me aconselhassem o que devo fazer.

Obrigada.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu acho que descobrir a resposta a essa questão é quase tão difícil como acertar no Euromilhões!!! Mas pelo que parece é certo que irá aumentar, pese embora, que deveremos ter ainda mais alguns meses de Euribor relativamente baixa, enquanto a crise estiver sobre a Europa. Quando o BCE aumentar a taxa de referência estamos feitos...será ver a Euribor a disparar!!! Será o prolongamento da nossa crise!!! ai ai ai...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu acho que descobrir a resposta a essa questão é quase tão difícil como acertar no Euromilhões!!! Mas pelo que parece é certo que irá aumentar, pese embora, que deveremos ter ainda mais alguns meses de Euribor relativamente baixa, enquanto a crise estiver sobre a Europa. Quando o BCE aumentar a taxa de referência estamos feitos...será ver a Euribor a disparar!!! Será o prolongamento da nossa crise!!! ai ai ai...

Paula96 a sua situação não é muito favorável,uma vez que não pode alargar o prazo. A minha opinião acerca do período de carência não é a melhor, uma vez que aumenta os encargos totais com juros. Quanto a deixar um valor residual de 30% para o final do crédito a situação é semelhante à carência, com a agravante de estar a sobrecarregar a economia pessoal uma vez que na altura já terá mais de 70 anos e possivelmente a condição económica não será melhor que actualmente.    " reformas em Portugal são baixas".

Deixo uma pequena simulação para o seu caso:

Se período de carência terminasse agora.

Capital em divida: 196000 €

Prazo de amortização: 384 meses ( exclui 3 anos de carência)

Euribor 3 meses Setembro 2010: 0,880 %

Spread: 0,4 %

Prestação a pagar :  589,43 €

Se a sua prestação fosse revista agora com os valores máximos da euribor a 3 meses atingidos em Outubro de 2008:

Capital em divida: 196000 €

Prazo de amortização: 384 meses ( exclui 3 anos de carência)

Euribor 3 meses Outubro 2008 : 5,113 %

Spread: 0,4 %

Prestação a pagar :    1087,54€ :o

Como pode ver a situação não é lá muito famosa, a não ser que tenha rendimentos que lhe façam ter optimismo em relação ao futuro.

Se optar por taxa fixa, o valor da simulação com base na euribor a 3 meses revista em Setembro último, é muito baixo. Passará a pagar muito mais mensalmente, mas durante o período contratado o valor da prestação não se altera.

De salientar que tem um excelente spread.

A minha sugestão: Tentar fazer liquidações parciais de capital por forma a reduzir os encargos mensais " se tiver recursos claro " A essas liquidações tem que ter em conta que estão sujeitas a 0,5 % "máximo" de comissão de reembolso antecipado e 4 % de imposto de selo sobre esse mesmo valor.

Cumprimentos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Esse período de carência devia ter sido suspenso assim que as taxas começaram a baixar e deixado para tempos mais difíceis.

É certo que a prestação teria subido mas boa parte desse dinheiro tinha servido para ir amortizando à dívida em vez de estar a dever o mesmo ao banco (tanto dinheiro já pago e a dívida ainda está na mesma).

Assim, quando as taxas começassem a subir, se houvesse algum sufoco, activava-se novamente o período de carência durante uns tempos...

Fixar as taxas pode não ser a melhor solução - os bancos aproveitam logo para rever as condições do empréstimo e dificilmente conseguirá um spread desses nos dias de hoje. Para além de que as taxas fixas são normalmente bem mais altas que a Euribor dos dias de hoje: provavelmente só compensaria se a Euribor disparasse de repente, o que ainda não parece ser o caso. Mas como disse  RCDM1984, saber isso ao certo é quase o mesmo que ganhar o Euromilhões ;)

Quanto ao capital residual também não recomendo - a única forma de evitar chegar ao fim do empréstimo e ter que pagar os 30% de uma vez (só para frisar bem - quase 60.000€) é ir amortizando ao longo do empréstimo; mas para isso mais vale ir pagando desde uma prestação que nos obrigue a isso, sem capital residual. além disso, acho que é preferível deixar esta opção para o caso de uma emergência a sério, o que também não parece ainda ser o caso.

O meu conselho: vão amortizando à dívida e pondo algum dinheiro de lado para dias difíceis. Assim, caso eles cheguem, estarão preparados para os enfrentar e terão tempo para tomar a melhor decisão, sem precipitações...

Para já, a única coisa que mexia no empréstimo era suspender de imediato o período de carência e começar a amortizar enquanto as taxas andam baixas, em vez de andar a pagar só juros...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

obrigada a todos pelo conselho, sim acho que ja deveria ter suspendido o periodo de carencia. É o que vou fazer!

tentar ir amortizando o mais possivel por forma conseguir um melhor equilibrio financeiro!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada Miguel Reis, inlcusive pela simulação que fez! e claro que pelo conselho.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não me parece viavel que a euribor suba, desmesuradamente até ao nivel record anterior.acho que seria um sinal muito negativo por parte das entidades responsáveis, nomeadamente o BCE. A não ser, e em politica todos os cenários são possiveis, que haja um looby bastante poderoso, (não acredito em bruxas, mas que as há... há...),que tenha muito interresse em alterar a estrutura  da UE como a conhecemos.

Penso que num hipotético cenário como esse, seriam primeiro as familias a abrir falencia seguidas das empresas e os próprios paises.

Penso que ninguem está interessado nisso, de maneira que eu, nos anos mais próximos, acredito que a euribor se mantenha baixa. :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não deve subir aos máximos , mas que vai subir , isso vai ...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

As recentes campanhas de bancos estrangeiros (Barclays lançou um crédito à habitação com uma taxa fixa de 2,25%durante dois anos) sugerem que os analistas prevêm que a Euribor não atinja estes valores nos próximos dois anos. Caso contrário, vão perder muito dinheiro. Coisa que os bancos não têm muito jeito. mas claro que se podem enganar. O meu palpite é que as Euribor se fixem à volta de 1 a 1,5.  :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Todas as semanas tenho palpites no euromilhões e raramente acerto alguma coisa.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead