Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
José Ribeiro

Bancos fintam consumidores no crédito ao consumo!

3 publicações neste tópico

A DECO visitou 32 agências dos 18 maiores bancos a operar em Portugal em Fevereiro último. Verificou que a maioria dos bancos não fornece o pacote de informação pré contratual no crédito ao consumo, vulgo FIN (Ficha de Informação Normalizada) e algumas fornecem-no mas com graves lacunas!...

A FIN, permite ao consumidor comparar porpostas e optar pela mais vantajosa. Desde Julho de 2009, as instituições financeiras estão obrigadas a entregar aos consumidores interessados em crédito ao consumo um pacote de informação pré contratual (FIN), por forma a que os consumidores obtenham uma informação igual, dos vários bancos com crédito ao consumo, que seja comparável e permita escolher a proposta de crédito mais conveniente e vantajosa.

Com excepção do Banco Best, que remeteu para a página na Internet, a maioria das agências disponibilizou um documento com os dados básicos da simulação: prestação e taxa de juro. Mas só um terço entregou a FIN.

A Deco informa que no Banco Popular, Caixa Galícia, Deutsche Bank e Finibanco todos os balcões visitados facultaram este documento. Já na via online, o resultado é «decepcionante»: 7 em 18 bancos dispõem de um simulador e só o ActivoBank7 permite descarregar a FIN.

Entregar a FIN, mas omitir dados obrigatórios é o mesmo que informar mal. Em dois bancos a Deco detectou falhas no conteúdo do documento.

O Millennium bcp não divulgou os encargos incluídos na TAEG, nem as garantias exigidas. Já o ActivoBank7 não indicou a validade dos dados impressos.

Deixo aqui a indicação de alguns simuladores úteis:

Simuladores de Crédito à Habitação: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,2234.0.html

Simulador: Crédito pessoal - qual o melhor banco? http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,2904.0.html

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bancos voltam a apertar acesso ao crédito

Conseguir crédito junto dos bancos está mais difícil. Nos primeiros três meses do ano, os bancos apertaram as regras e ficaram mais exigentes nos critérios utilizados para emprestar dinheiro tanto às famílias como às empresas, revela esta quarta-feira o Banco de Portugal (BdP).

Os motivos são simples: «a deterioração dos riscos apercebidos por parte dos bancos e, em menor grau, o aumento dos custos de capital e das restrições de balanço dos mesmos».

E as perspectivas não são animadoras. Para o segundo trimestre, os cinco bancos inquiridos pelo BdP apontam, em média, para a manutenção da exigência dos critérios para a concessão de créditos, ao mesmo tempo que alguns bancos indicaram a intenção de aumentar esta exigência nos empréstimos a longo prazo nos créditos às pequenas e médias empresas.

Já para os empréstimos à habitação, os bancos inquiridos apontam para uma «ligeira diminuição da exigência dos critérios de aprovação». Talvez com isso a procura aumente até Junho, como antevêem os bancos, isto depois de, nos três primeiros meses do ano, ter diminuído.

A procura no crédito ao consumo e por parte das empresas, a procura ficou inalterada nos primeiros meses do ano. Enquanto isso, os critérios exigidos pelos bancos devem manter-se no segundo trimestre.

Quanto às condições de acesso ao mercado monetário, os bancos inquiridos esperam a manutenção das condições.

«Relativamente aos mercados de dívida e de titularização de empréstimos é esperada alguma deterioração, especialmente no último caso», lê-se no mesmo documento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Aproveito este tópico para dar conta do actual fundo de garantia da CGD:

Página 3: https://ws.cgd.pt/Precario/Precario.pdf

Fundo de Garantia de Depósitos

Os depósitos constituídos na Caixa Geral de Depósitos beneficiam da garantia de reembolso prestada pelo Fundo de Garantia de Depósitos sempre que ocorra a indisponibilidade dos depósitos por razões directamente relacionadas com a sua situação financeira.

O Fundo de Garantia de Depósitos garante o reembolso até ao valor máximo de 25.000Euros por cada depositante, sejam os depositantes residentes ou não em Portugal e os depósitos expressos em moeda nacional ou estrangeira. Porém, transitoriamente, até 31 de Dezembro de 2011, o limite de garantia é de €100000.

...

Ao ritmo a que sobem as condições para isentar as contas dos clientes, de despesas de manutenção, qualquer dia equiparam-se ao do Fundo de Garantia de Depósitos!...   :o

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0