Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
rubenfreire

Segurança Social - Pagar duas vezes

7 publicações neste tópico

Olá a todos; eu trabalhei durante 6 anos por conta de outrem fazendo os devidos descontos para a SS. Depois saí da empresa e colectei-me como trabalhador independente passando a descontar como trabalhador independente. Recentemente voltei a trabalhar numa empresa e permaneci com a minha actividade independente, sendo que nos últimos meses tenho descontado para os dois lados.

Eu sei que a legislação prevê isenção para este caso e sei o procedimento (está explicado neste fórum), mas a minha questão é a seguinte: e se eu optar por descontar duas vezes? Infelizmente comecei a trabalhar tarde e passei por muitos intervalos de desemprego - estarei deste modo a assegurar uma melhor reforma ou estou a cometer um erro e a perder dinheiro desnecessáriamente?

Agradecia que me esclarecessem da melhor forma possível,

Obrigado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que descontares a mais hoje contara´ efectivamente para o calculo da reforma no amanha.

Agora, se ficas melhor assim ou a investir o dinheiro por tua conta, isso ja´ nao tenho argumentos para comentar...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que descontares a mais hoje contara´ efectivamente para o calculo da reforma no amanha.

Agora, se ficas melhor assim ou a investir o dinheiro por tua conta, isso ja´ nao tenho argumentos para comentar...

Eu diria que bem poderias requerer a insenção junto da seg. social da actividade independente e aplicar esse montante extra que vinhas descontando para lá, por ex, nos certificados de reforma, da própria segurança social, que têm tido uma boa rendibilidade e ainda por cima são dedutíveis no IRS, no final do ano.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá Ruben,

Em matéria de reforma temos que pensar no longo prazo. Se descontares mais, vais certamente ter uma reforma melhor. Este é o princípio fundamental! Podes, de facto, optar por descontar menos e aplicar o dinheiro em certificados de reforma ou noutras aplicações financeiras de maior rentabilidade.Porém, se existirem "abanões" nos mercados financeiros como o que houve em 2008, quem te garante que no momento da reforma terás o rendimento sonhado. Podes até perder muito dinheiro! E depois como será? Estarás velho demais para nova aventura. Não sei se sabes mas na velhice começa a faltar-nos o factor tempo.

Se descontares duas vezes para a Segurança Social estarás, digamos, a jogar pelo seguro, ou pelo menos a reduzir o risco, isto é, poderás ter um rendimento menor, mas é certo. Se depois destas contribuições obrigatórias te sobrarem alguns trocos poderás adquirir, como complemento, certificados de reforma ou unidades de participação de um PPR, junto de uma instituição bancária.

Esta é a minha opinião.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ruben, eu concordo com quase tudo o que foi dito pelos restantes comentadores mas gostava só de te chamar a atenção para o seguinte: sejam quais forem os partidos políticos que estejam / vierem a estar no poder, em Portugal (e na Europa) nos anos mais próximos a tendência dos sistemas de Segurança Social relativamente às pensões de reforma será a diminuição das mesmas para patamares que não coloquem em causa a sustentabilidade do sistema. É o que já se vem passando, nomeadamente com a última reforma feita no nosso País, e é inexoravelmente o que continuará a passar-se: nós só podemos esperar que as nossas reformas venham a ser penalizadas, no futuro, relativamente às fórmulas de cálculo actuais (fala-te alguém com 35 anos de descontos, e a seis anos de poder ser pensionado pela Seg. Social), pois o sistema que construímos, na Europa, no domínio da protecção social não é sustentável nos seus níveis actuais e num panorama de concorrência global entre países / regiões, a menos que os impostos subam para patamares que ninguém estaria disposto a aceitar em democracia. Isto para te dizer que, na minha opinião, efectuar descontos "duplos" para a Segurança Social, pode ser o mesmo que estar a "entregar o ouro ao bandido". SE tu tiveres disciplina e força de vontade suficientes para teres um "mealheiro" onde de forma nenhuma vás mexer até aos 65 anos eu diria que deverias ponderar muito bem essa situação: deverás efectuar os tais descontos "duplos" ou deverás pensar cuidadosamente numa alternativa de colocar a parte não obrigatória numa conta exclusivamente tua e sob teu total controlo ? Desconheço a quantos anos estás de te pensionar, mas eu ponderaria isso muito bem antes de...entregar o ouro ao bandido !  Um abraço e boa ponderação...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Também concordo com quase tudo o que foi dito atrás, isto é, fazer um pé de meia é absolutamente necessário. A melhor forma é discutível. Só vejo vantagem em constituíres um PPR se tiveres mais que 50 anos e como forma de te obrigar a poupar. Portanto, depende de cada um, mas em qualquer dos casos tem que haver muita disciplina e se o dinheirinho está ali à mão sem qualquer penalização, às vezes não resulta.

Ah....esqueci-me que o "bandido" ainda dá benefícios fiscais  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

... gostava só de te chamar a atenção para o seguinte: sejam quais forem os partidos políticos que estejam / vierem a estar no poder, em Portugal (e na Europa) nos anos mais próximos a tendência dos sistemas de Segurança Social relativamente às pensões de reforma será a diminuição das mesmas para patamares que não coloquem em causa a sustentabilidade do sistema. É o que já se vem passando, nomeadamente com a última reforma feita no nosso País, e é inexoravelmente o que continuará a passar-se: nós só podemos esperar que as nossas reformas venham a ser penalizadas, no futuro, relativamente às fórmulas de cálculo actuais (fala-te alguém com 35 anos de descontos, e a seis anos de poder ser pensionado pela Seg. Social), pois o sistema que construímos, na Europa, no domínio da protecção social não é sustentável nos seus níveis actuais e num panorama de concorrência global entre países / regiões, a menos que os impostos subam para patamares que ninguém estaria disposto a aceitar em democracia. Isto para te dizer que, na minha opinião, efectuar descontos "duplos" para a Segurança Social, pode ser o mesmo que estar a "entregar o ouro ao bandido". SE tu tiveres disciplina e força de vontade suficientes para teres um "mealheiro" onde de forma nenhuma vás mexer até aos 65 anos eu diria que deverias ponderar muito bem essa situação: deverás efectuar os tais descontos "duplos" ou deverás pensar cuidadosamente numa alternativa de colocar a parte não obrigatória numa conta exclusivamente tua e sob teu total controlo ? Desconheço a quantos anos estás de te pensionar, mas eu ponderaria isso muito bem antes de...entregar o ouro ao bandido !  Um abraço e boa ponderação...

Em complemento do que foi dito pelo carlos2008, fica a última informação que adicionei aqui: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,1742.36.html

E já se fala em aumentar a idade de reforma para os 67 anos e em simultâneo também a fórmula de calculo das pensões que deveria começar apenas em 2015 vai começar a ser aplicada já este ano!...  :o

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0