Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
margarida

Uma opinião, sff

12 publicações neste tópico

Agradecia que me dessem a vossa consideração sobre este assunto:

trabalho como orçamentista numa empresa de hotelaria. Comigo tenho mais 2 colegas, uns com mais e outros com menos trabalhao....

Acontece que esses 2 colegas apresentaram, em alturas diferentes, cartas de despedimento que foram "negociadas" com um premio de produtividade trimestral. Ora, eu que faço o mesmo trabalho que eles os 2, "produzo" para que eles recebam um premio monetario de 500 € de 3 em 3 meses, quando eu, fico a ver "passar navios"... Mais: o aumento foi de 20 euros para os meus colegas homens e de 15 para mim...

Desculpem este desabafo, mas coisa que nao tolero é estas diferenças....

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

estória:

Um agricultor coleccionava cavalos e só lhe faltava uma determinada raça.

Um dia ele descobriu que o seu vizinho tinha esse determinado

cavalo e atazanou-o até conseguir comprá-lo.

Um mês depois o cavalo adoeceu, e ele chamou o veterinário:

- Bem, o seu cavalo está com uma virose, é preciso tomar este

medicamento durante 3 dias, no terceiro dia eu retornarei e, caso ele não esteja melhor, será necessário sacrificá-lo.

Ali perto, o porco escutava a conversa toda...

No dia seguinte deram o medicamento e foram-se embora. O porco

aproximou-se do cavalo e disse:

- Força amigo! Levanta-te daí, senão serás sacrificado!

No segundo dia, deram-lhe o medicamento e foram-se embora. O

porco aproximou-se do cavalo e disse:

- Vamos lá amigo, levanta-te senão vais morrer!

- Vamos lá, eu ajudo-te a levantar... Upa! Um, dois, três.

No terceiro dia deram-lhe o medicamento e o veterinário disse:

- Infelizmente, vamos ter que sacrificá-lo amanhã, pois a

virose pode contaminar os outros cavalos.

- Quando se foram embora, o porco aproximou-se do cavalo e disse:

- É agora ou nunca, levanta-te depressa! Coragem! Upa! Upa!

Isso, devagar! Óptimo, vamos, um, dois, três, agora mais depressa, vá...

Fantástico! Corre, corre mais! Upa! Upa! Upa!!! Tu venceste, Campeão!!!

Então, de repente o dono chegou, viu o cavalo a correr no

campo e gritou:

- Milagre! O cavalo melhorou! Isto merece uma festa... para

comemorar 'Vamos matar o porco!’

Reflexão:

Isto acontece com frequência no ambiente de trabalho e na vida

também.

Dificilmente se percebe quem é o funcionário que tem o mérito

pelo sucesso, por isso saber viver sem ser reconhecido é uma arte.

Se algum dia, alguém lhe disser que o seu trabalho não é de um profissional, lembre-se:

'Amadores construíram a Arca de Noé e os profissionais, construíram o Titanic'.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

São contratos individuais de trabalho, dizes bem eles negociaram.

Onde trabalho que é uma multinacional existe pessoal a fazer o mesmo trabalho que eu, uns ganhar mais e outros a ganhar menos.

Relativamente aos aumentos é falar com a entidade patronal, mas se os aumentos são percentuais como imagino essa situação será normal, assumindo que o vencimento deles é superior também.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se achas que tem a ver com o facto de eles serem homens e tu mulher só tens que escolher uma de duas opções: ou mudas de sexo ou de patrão.

Se achas que tem a ver com o facto de eles se terem mexido e terem renegociado o contrato deles, o melhor que tens a fazer é falar com o teu patrão e renegociar o teu também.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

(antes que o meu comentário anterior seja mal interpretado)

Realmente não é permitida a discriminação no trabalho, seja pelo género seja por uma série de outros motivos. E existe o princípio de igualdade para o mesmo trabalho desempenhado. Portanto, haveria legitimidade para ir à ACT denunciar o caso.

Agora, é dificil argumentar que efectivamente há discriminação por esse motivo (ainda por cima sendo só 3 pessoas torna-se dificil demonstrar que uma é discriminada por um motivo - pode ser apenas uma coincidência que seja o único homem ou a única mulher a ser discriminado, ou que seja o único deficiente ou negro, e pode haver inúmeros outros factores, perfeitamente legítimos). Antes de entrar numa luta que pode ser difícil, demorada e normalmente não deixa ninguém de boas relações dentro da empresa, é muito mais prático, tentar levar as coisas a bem e seguir o exemplo dos outros, que pelos vistos, têm melhores condições simplesmente porque as exigiram...

margarida, fazer uma descrição como a que foi feita no início deste tópico e insinuar que há discriminação, soa-me a quem fala, fala e não quer fazer nada... a quem quer ganhar pela via mais fácil, fazendo-se passar por vítima... ou a quem simplesmente não se explicou em condições.

Se for o último caso, peço desculpa e sugiro que te expliques melhor, ou prestes mais atenção à forma como escreves (por exemplo, porque é que fizeste questão de mencionar que os dois colegas que tiveram o aumento maior são homens? Em que é que isso é relevante?)

Senão, vai à luta e faz como eles - eu nunca acreditei na teoria de que as mulheres são o sexo fraco, por isso não tens porque te deixar ficar ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mencionei que sao homens, porque a minha colega de outro departamento, tb recebeu um aumento inferior ao do colega dela homem....

Mas so passando aqui um dia daria para perceber porque é que eu falo assim...

Estou farta de injustiças, quando na verdade, eu faço trabalho de maior responsabilidade em que o meu cliente é o Estado e os meus cologas apenas têm clientes pequeninos que nao envolve o tipo de documentação que eu tenho de tratar para este fim.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Repara nas diferenças entre as tuas duas mensagens:

- somos só 3. Os meus colegas negociaram melhores condições e foram-lhes concedidas. Eu nem tentei negociar. Fazemos o mesmo trabalho, mas eles são homens e eu sou mulher e, por causa disso(?), recebo menos.

- há vários departamentos. Em mais do que um, as mulheres recebem aumentos inferiores aos dos homens. Eu trabalho mais do que os meus dois colegas e tenho um trabalho mais importante  mas recebo menos.

No primeiro caso soa a uma tentativa de se fazer passar por vítima, no segundo soa a discriminação e por mais do que um motivo.

Não estou aí, por isso não sei qual das duas situações se aproxima mais da verdade (o que quer que isso seja).

Mas, pegando na junção dos dois, o que disse antes continua a ser válido - tens que ter uma conversa franca com o teu patrão e fazer-lhe ver porque não te encontras satisfeita. Agora, sugiro que uses mais os argumentos da segunda versão e menos os da primeira, sobretudo a questão do teu trabalho ser mais exigente (e, talvez, deixar de lado, pelo menos para já, a questão da discriminação das mulheres - trabalhar mais e receber menos é um argumento muito mais sólido). Das duas uma - ou o teu patrão te faz ver porque é que não é bem assim, ou então passas a entrar no clube dos que sabem bater o pé quando é preciso e a quem não basta aumentar meia dúzia de tostões todos os anos para ficar satisfeito.

E nem precisas de apresentar carta de despedimento como fizeram os teus colegas. Basta que sejas convincente ao dizer que, se nada mudar, vais começar a procurar outro emprego onde sejas melhor tratada. Mesmo que não seja verdade (e não há mal nenhum se for), o bluff faz parte da "arte" de negociar ;)

Uma pessoa anda com um peso durante uns dias, enquanto se prepara este tipo de conversas, mas se se concentrar no alívio que vai sentir depois por ter desabafado e posto tudo cá para fora, vai custar menos e valer a pena.

Se realmente quiseres seguir outras vias, então juntem-se todas e vá uma de vocês expor o caso à Autoridade para as Condições do Trabalho. Se tiverem caso sólido, eles encarregam-se de ajudar a fazer a coisa andar para a frente. Mas, como disse, levar a coisa pela via judicial pode ser demorado e não vai contribuir para manter um bom ambiente dentro da empresa... pessoalmente não o recomendo - afinal, apanham-se mais moscas com mel do que com vinagre ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

So para juntar mais uma "situaçãozinha": fui penalizada injustamente ( e so agora admitiram o erro, a entidade patronal) porque supostamente orçamentei um equipamento que nao correspondia na perfeição às caractrisitcas pedidas. Retiraram-me o sub. de ferias e mais 180€ alegando que era para pagar esse "erro". Agora, ja admitiram que nao houve engano, mas continuo ser ver o dinheiro que me foi tirado em agosto de 2009...

Os meus colegas recebem esses "premios", fazem erros iguais e por vezes bem piores e onde é que está a penalização??? Ainda recebem um prémio!!!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Margarida, eu peço desculpa mas não percebo exactamente qual é o teu problema, e, por aquilo que desceves parerece-me perceber que a "organização" do trabalho na empresa onde exerces deve ser um bocado caótica, sem nexo e, até, despótica (na medida em que parece que o chefe faz o que lhe apetece relativamente à remuneração e condições dos empregados - não existe coerência ) . Evidentemente que pode não ser nada disto e seres tu, apenas, que estás a ver mal o problema motivada por questões pessoais - por vezes nós achamos-nos prejudicados relativamente a outros - mas não vemos que os outros são melhores do que nós: isso acontece mais vezes do que aquelas que supomos - fala alguém com 38 anos de experiência laboral e uns 30 de chefia de pessoas. Por favor tenta efectuar os teus comentários numa linguagem que se perceba pois senão estamos aqui todos a dar bitaites e não sai nada coerente. Acho extraordinário que uma empresa deixe de pagar uma quantia que é devida a um trabalhador para compensar um erro - involuntário e não doloso - de um empregado - e eu já tive que despedir uma pessoa por roubo de bens da empresa, mas isso envolveu um processo disciplinar formal através de advogado, uma acusação e uma possibilidade de defesa. Portanto o meu conselho é que tentes descrever em linguagem mais compreensível qual é exactamente o teu problema. Se a tua empresa discrimina as mulheres, como dizes, talvez devas procurar uma alternativa de trabalho mais sério. E, já agora, o que é uma "carta de despedimento negociada com um prémio trimestral" ? Nunca ouvi tal coisa, uma carta de despedimento é uma carta a dizer que a pessoa se vai embora depois de dar o período de pré-aviso a que legalmente é obrigada. Com prémio trimestral ? Desconheço o que seja isso, explica-te melhor.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite.

Conheço uma situação semelhante a esta. Uma pessoa amiga que entrou para uma empresa com um contrato a termo e que após quase dois anos de trabalho, viu 2 colegas que entraram depois passarem a efectivos, com significativos aumentos de ordenado. Pelo que sei, um deles teve um proposta noutra empresa e a entidade patronal, para a segurar, aumentou-lhe o ordenado. O outro, alegou que ia comprar casa e, por isso, "dava-lhe jeito ficar efectivo".

Como não conheço a empresa, nem as pessoas em causa, não posso fazer juízos de valor do seu trabalho. Mas pelo que me diz essa pessoa amiga, "eu trabalho tanto ou mais do que eles e mostro dedicação, competência, etc... e também tenho uma casa para pagar", e eu sei que é verdade.

Aconselhei essa pessoa a procurar um novo emprego... "Lugares como esse não interessam a ninguém", disse-lhe.

Face ao que foi dito aqui fiquei na dúvida se será a atitude mais correcta, ou é melhor falar com a entidade patronal e mostrar o seu descontentamento?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Aconselhei essa pessoa a procurar um novo emprego... "Lugares como esse não interessam a ninguém", disse-lhe.

Face ao que foi dito aqui fiquei na dúvida se será a atitude mais correcta, ou é melhor falar com a entidade patronal e mostrar o seu descontentamento?

Eu estou aqui a puxar pela cabeça e nao consigo conceber como e´que uma pessoa mudava de emprego sem falar com o patrao e mostrar o seu descontentamento 8)

E´ que sair sem dizer nada e´ abandono do posto de trabalho e da´ direito a processo. E sair a dizer que a empresa e´ um sitio optimo para trabalhar, dificilmente vai soar bem quando nao e´ o que se sente.

Agora a serio, o que e´ que se perde em ter uma conversa franca com o patrao? Pior nao se fica... O pior que pode acontecer e´ apanhar-se com o discurso da crise, de que a coisa ta´ ma´, que agora e´ dificil e ficar apenas com uma palmadinha nas costas. Mas ate´ isso pode servir de incentivo para ver que ali nao ha´ futuro e se decidir de uma vez a enveredar pela tua primeira sugestao...

Agora, nao custa nada, deixar claro os motivos que levaram a essa decisao...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Claro que não era sair sem mais nem menos, até porque é necessário dar 30 dias...

Era arranjar um novo emprego e dizer só no final: "arranjei um novo emprego e por isso venho pedir a demissão"

ou

Falar primeiro e procurar depois.

Mas vi que a tua opinião recai na 2.ª hipótese. Obrigado pela opinião.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Para deixar um comentário é necessário estar registado

Criar uma conta

Registe uma conta nova na nossa comunidade. É fácil!


Registar uma conta nova

Entrar

Já está registado? Entre aqui.


Entrar agora
Entrar para seguir isto  
Seguidores 0