JO CARLOS

o banco vai me aumentar o spread é possivel ?

30 publicações neste tópico

No meu extrato bancario vinha a informaçao que o spread ia aumentar 0.5 % (de 0.8 para 1.3 e a outra de 1.3 para 1.8 )

Fiquei doido não queria acreditar.

Dirigi-me ao meu balcão e perguntei se era possivel tal situação. no balcao não tinham meios para esclarecer nem solucionar a situação de imediato. Disseram para aguardar uns dias. Passado uma semana telefonaram-me a dizer que nao tinham resposta mas que não estava esquecido. passado 2 semanas informaram que era pelo facto de nao ter conta ordenado. Informei a senhora que tinha sido o banco a alterar o nome da contas sem me informar. Fiquei sem resposta até hoje e já passaram 18 dias. A prestação é no dia 25 e não existe soluçao á vista.  

Isto é legal?

Existe meios para resolver esta situação rapidamente?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vamos por partes:

Se bem percebi, subiram-te o spread por teres deixado de ter conta ordenado. Desde que isso esteja previsto no contrato que assinaste (normalmente sob a obrigatoriedade de ter subscrito um determinado numero de produtos no banco), e´ perfeitamente legal - afinal, tu concordaste com isso ao assinar o contrato. Mas se nada nesse sentido estiver previsto no contrato, entao tens todo o direito a exigir a manutençao do spread tal como esta´.

Agora, o banco invoca que deixaste de ter conta ordenado? Bem, normalmente os motivos para isso sao por culpa do cliente - deixou de depositar o vencimento na conta `a ordem ou deu instruçoes no emprego para deixarem de transferir para la´ o dinheiro. Mais uma vez, se estiver previsto no contrato, e´ perfeitamente legal subir a prestaçao por este motivo.

Nao percebi a tua contra argumentaçao - o banco dificilmente iria mudar os titulares da conta sem o conhecimento dos mesmos. Mais, tendo um credito associado a essa conta, seria mesmo estupidez - em caso de problemas com o pagamento do emprestimo, deixa de ter uma conta donde reter o dinheiro... Esta operaçao de mudança de titulares ja´ pode nao ser legal, depende das circunstancias... mas e´ capaz de haver ai´ qualquer coisa mal esclarecida...

Quanto a soluçoes rapidas... como ja´ percebeste, todas elas levam uma ou duas semanas a obter resposta. Se realmente achas que tens razao, deixa uma reclamaçao no livro de reclamaçoes, referindo tambem a altura em que alertaste o banco para esta situaçao. Aproveita para deixar bem claro que, caso te venha a ser dada razao, pretendes a devoluçao do dinheiro entretanto cobrado indevidamente acrescido de juros.

Se nao te resolverem logo o problema assim que pedires o livro (acontece muitas vezes) pelo menos pode ser que te devolvam mesmo o dinheiro com juros - a partir do momento em que o Banco de Portugal e´ chamado a prestar atençao ao caso, os bancos ficam muito mais cautelosos...

Agora, parece-me que e´ capaz de haver ai qualquer coisa que te esta´ a escapar, por isso tens que estar preparado para nao ter razao, tambem... agora deixar-se levar sem perceber porque e´ que nao ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

    Agradeço desde já toda atenção prestada.

    Tenho mantido a mesma relação desde o inicio do credito habitação que dura há 4 anos. E só agora é que  aumentaram o Spread. É verdade que no contrato que tenho obriga a domiciliação vencimento mas desde sempre fiz o deposito em cheque passado pela empresa onde trabalho e nunca houve problema.

    Mas foi abolido ou não todas essas obrigatoriedades?

    Informaram-me que sim. Será verdade?

    Não sendo verdade basta só adquirir essas obrigatoriedades?

    Sendo esta falta desde o inicio do contrato, o banco tem o dever ou não de informar?

    Já aconteceu enganar-me, Em vez de de fazer um reforço via net na conta poupaça retirei todo o valor para a conta á ordem e logo de manhã cedo telefonaram-me do banco para certificar o pedido.

    É normal ligarem numa situação e noutra não?

    Por fim, fiz uma reclamação no livro de reclamações. Esta reclamação é para ser enviada para o banco de Portugal?

    No meu banco, mesmo depois de ter feito a reclamação, informou-me que a minha situação estava em tratamento e por isso não tinham resposta para me dar.

     

   

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

     Mas foi abolido ou não todas essas obrigatoriedades?

     Informaram-me que sim. Será verdade?

     Não sendo verdade basta só adquirir essas obrigatoriedades?

     Sendo esta falta desde o inicio do contrato, o banco tem o dever ou não de informar?

Se a obrigaçao de ter conta ordenado consta do contrato, continuas a te-la - nao ha lei nenhuma que tenha mexido nisso.

O que saiu recentemente foi um decreto-lei que impede os bancos de invocar essa quebra de contrato quando ja´ passou mais de um ano desde que o cliente deixou de cumprir com essa obrigaçao.

Ora, das duas uma - ou o banco reviu o seu conceito de conta ordenado (e passou a excluir os casos em que o cheque era depositado)  ou esta´ a invocar uma alteraçao com base numa quebra de contrato que, segundo tu dizes, ja´ ocorreria ha´ 4 anos. Neste ultimo cenario o banco nao pode fazer isso; se se tratar de uma revisao do conceito de conta ordenado, de uma forma muito rebuscada, talvez o possa fazer, embora eu acho que e´ um bocado reprovavel...

     Por fim, fiz uma reclamação no livro de reclamações. Esta reclamação é para ser enviada para o banco de Portugal?

     No meu banco, mesmo depois de ter feito a reclamação, informou-me que a minha situação estava em tratamento e por isso não tinham resposta para me dar.

Sim, a reclamaçao segue para o BdP. Podes acompanhar o estado da reclamaçao no Portal do cliente Bancario: http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Reclamacoes/Paginas/Consultadereclamacoes.aspx

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se a obrigaçao de ter conta ordenado consta do contrato, continuas a te-la - nao ha lei nenhuma que tenha mexido nisso.

O que saiu recentemente foi um decreto-lei que impede os bancos de invocar essa quebra de contrato quando ja´ passou mais de um ano desde que o cliente deixou de cumprir com essa obrigaçao.

Ora, das duas uma - ou o banco reviu o seu conceito de conta ordenado (e passou a excluir os casos em que o cheque era depositado)  ou esta´ a invocar uma alteraçao com base numa quebra de contrato que, segundo tu dizes, ja´ ocorreria ha´ 4 anos. Neste ultimo cenario o banco nao pode fazer isso; se se tratar de uma revisao do conceito de conta ordenado, de uma forma muito rebuscada, talvez o possa fazer, embora eu acho que e´ um bocado reprovavel...

Sim, a reclamaçao segue para o BdP. Podes acompanhar o estado da reclamaçao no Portal do cliente Bancario: http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Reclamacoes/Paginas/Consultadereclamacoes.aspx

Tal e qual  Paulo Aguia diz...

Confirma se a tua conta à ordem alguma vez foi ordenado, porque senão podes reclamar com direito e protecção jurídica, caso contrário, e se deixas-te de depositar o ordenado, então o Banco procedeu em conformidade com o estipulado contratualmente...

Já agora este tipo de obrigatoriedade parece-me Banco Santander Totta...?

Para um esclarecimento adicional, sem prejuízo da consulta da legislação pode consultar aqui...

http://www.produtosbancarios.com/dl-1922009-credito-habitacao-mais-transparente-o-que-mudou/

E o decreto aqui..

http://www.bportugal.pt/pt-PT/Legislacaoenormas/Paginas/DL192ano2009.aspx

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

    Boas Jdrbastos e pauloaguia

    Agradeço desde já toda a atenção prestada. Em relação ao banco é o millennium.

    Com a vossa mega ajuda consegui que o banco me deixa se de cobrar mais prestações, até novos desenvolvimentos.

   

    cumprimentos,  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas JO CARLOS.

Tens novidades sobre o teu caso? É que vi hoje no extracto que o Millennium me aumentou o Spread! No meu caso, a escritura menciona redução de 0,1% para 5 produtos, 0,2% para 7 produtos e 0,3% para 9 produtos e quando foi feita a simulação/contrato, apesar de nem 5 produtos ter, o banco me ter dado a redução de 0,3% (para 90 dias) e depois a redução seria consoante o nº de produtos, mas acabei por ter essa redução até Janeiro 2010. Actualmente tenho 6 ou 7 produtos (se bem que o banco só conta 5) que fora subscritos nos 1ºs dias após a escritura (Julho 2008) e agora, mais de 1 ano depois vêm eles e alteram o meu spread!

Ao que vi, e pelo DL 192/2009, já passou mais de 1 ano sem que tenha os 9 produtos e por isso eles não poderão fazer esta alteração.

Agradecia os v/ comentários.

Miguel

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

    Com a vossa mega ajuda consegui que o banco me deixa se de cobrar mais prestações, até novos desenvolvimentos.

Vê lá se não ficas sem pagar agora e pagas tudo junto depois... com juros!

Ao que vi, e pelo DL 192/2009, já passou mais de 1 ano sem que tenha os 9 produtos e por isso eles não poderão fazer esta alteração.

Já expuseste o caso no banco? Confirmaram-te que o motivo para o aumento do spread foi esse?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas.

Já expuseste o caso no banco? Confirmaram-te que o motivo para o aumento do spread foi esse?

Fui a uma agência que tinha aqui perto e disseram que era por ter somente 5 produtos, que poderia reclamar que eles iriam contactar a agência onde a minha conta/crédito está domiciliada mas eu não apresentei nenhuma reclamação pois prefiro ir diractamente à agência e falar com a pessoa com quem tratei do crédito, mas queria confirmar aqui com os "experts" se eles podem ou não fazer este aumento visto não reunir as condições dos 9 produtos desde o inicio do crédito em Julho de 2008.

Miguel

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas.

Fui a uma agência que tinha aqui perto e disseram que era por ter somente 5 produtos, que poderia reclamar que eles iriam contactar a agência onde a minha conta/crédito está domiciliada mas eu não apresentei nenhuma reclamação pois prefiro ir diractamente à agência e falar com a pessoa com quem tratei do crédito, mas queria confirmar aqui com os "experts" se eles podem ou não fazer este aumento visto não reunir as condições dos 9 produtos desde o inicio do crédito em Julho de 2008.

Miguel

Cada caso é um caso...

Mas é preciso ter em conta que actualizações automáticas ao spread só podem ser efectuadas caso seja no cumprimento de condições contratuais, desde que sejam efectuadas durante o ano seguinte a verificação do não cumprimento...

Se bem entendo, desde 2008 são quase dois anos, assim sendo, segundo o decreto lei 192/2009 tais condições não são exigidas caso já possuam mais de um ano...

Esta aqui a parte do texto do decreto:

"Recentemente, os consumidores têm vindo a ser confrontados

com o aumento do spread fundado no incumprimento

das condições de contratação acordadas com o objectivo de

o reduzir. Em muitos destes casos verifica -se que a instituição

de crédito permitiu que o incumprimento perdurasse

largos anos, criando assim no consumidor a expectativa

da sua não exigibilidade. Para evitar este tipo de práticas e

atendendo ao carácter duradouro destes contratos, importa

agora regulamentar, estabelecendo a prescrição daquelas

condições um ano após a sua não verificação."

Assim sendo, se já possui mais de um ano... Prescreveram as condições de exigibilidade.... O seu spread não pode ser alterado..

Agora se assinar um aditamento ao contrato no sentido de regular eventuais condições que tenham prescrito, passa a ter que corresponder Às condições...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas.

Assim sendo, se já possui mais de um ano... Prescreveram as condições de exigibilidade.... O seu spread não pode ser alterado..

Agora se assinar um aditamento ao contrato no sentido de regular eventuais condições que tenham prescrito, passa a ter que corresponder Às condições...

A mim também me parece que as condições já expiraram, mas devem estar a fazer actualizações para ver se apanham um cliente menos informado que não se queixe.

Quanto a aditamentos, não assinei nenhum. Só assinei o que ficou escrito na escritura que data 6 de Julho de 2008 e depois disso nada mais foi assinado no banco.

Amanhã vou à minha agência a ver o que eles dizem e depois fazer a minha reclamação.

Miguel

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boas.

Apresentei a minha reclamação no banco e recebi hoje a resposta deles onde dizem e passo a citar: “A lei que estabelecer para qualquer efeito, um prazo mais curto do que o fixado na lei anterior, é também aplicável aos prazos que estiverem em curso, mas o prazo só se conta a partir da entrada em vigor da nova lei”, ou seja, o prazo de 1 ano começa a contar após promulgação do D.L., ou seja, a partir de Agosto de 2009!

Será mesmo assim ou o banco está errado? Já pedi esclarecimentos ao Banco de Portugal, mas entretanto gostava de saber se alguém aqui já teve o mesmo problema e qual foi o desfecho do mesmo.

Miguel

P.S. - Em último caso, como na escritura mencionam 5, 7 ou 9 produtos e eu tenho 6, retiro de lá a domiciliação de vencimento e assim passam a ter só 5 produtos! Fica no limite, mas entretanto domicilio o vencimento num outro banco e mais tarde quem sabe não conseguirei trocar o crédito e obter melhores condições.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Apresentei a minha reclamação no banco e recebi hoje a resposta deles onde dizem e passo a citar: “A lei que estabelecer para qualquer efeito, um prazo mais curto do que o fixado na lei anterior, é também aplicável aos prazos que estiverem em curso, mas o prazo só se conta a partir da entrada em vigor da nova lei”, ou seja, o prazo de 1 ano começa a contar após promulgação do D.L., ou seja, a partir de Agosto de 2009!

Será mesmo assim ou o banco está errado? Já pedi esclarecimentos ao Banco de Portugal, mas entretanto gostava de saber se alguém aqui já teve o mesmo problema e qual foi o desfecho do mesmo.

Eu cheguei a pensar nisso e acho que faz algum sentido - ao fim e ao cabo, se se mudam as "regras do jogo" a meio, é justo dar tempo aos bancos para se adaptarem.

Mas a verdade é que não encontro referência a esse facto no DL 192/2009, apenas que entra em vigor 60 dias após a publicação (ou seja, a partir de Outubro do ano passado).

A única hipótese é estar algo referido através daquele Artigo 2º que ainda não consegui decifrar muito bem. Ou então alguma disposição numa lei mais geral e que contemple estes casos em que há perda de direitos.

Pergunta ao banco qual a legislação em que se fundamenta para te dar a resposta que te deu. Se não conseguirem, insiste na letra da lei.

Apresentaste a reclamação directamente ao banco ou foi através do livro de reclamações? É que no segundo caso, o BdP terá que se pronunciar se o diferendo persistir... espera-se que com uma resposta mais bem fundamentada.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pergunta ao banco qual a legislação em que se fundamenta para te dar a resposta que te deu. Se não conseguirem, insiste na letra da lei.

Apresentaste a reclamação directamente ao banco ou foi através do livro de reclamações? É que no segundo caso, o BdP terá que se pronunciar se o diferendo persistir... espera-se que com uma resposta mais bem fundamentada.

Não perguntei ao banco mas pesquisei no google e é o artigo 297.º, n.° 1, do Código Civil.

Quanto à reclamação, foi feita ao provedor do banco mas eu tinha contactado o BdP sobre este assunto e os efeitos retroactivos do DL 192/2009 e como resposta o BdP disse "a resposta à questão suscitada poderá ser obtida no Portal do Cliente Bancário, nas áreas temáticas dedicadas a Produtos Bancários / Crédito à Habitação – Principais Elementos - Vendas Associadas; Produtos Bancários / Crédito à Habitação – Perguntas Frequentes, em especial as perguntas 10 e 12;".

Como esta resposta não me esclareceu devidamente, voltei a colocar a questão de uma outra forma e agora mencionando a resposta do banco e estou a aguardar os comentários do BdP.

Entretanto, enviei um novo mail ao provedor do cliente a dizer que não aceitava a resposta dada por eles pois tinha uma completamente diferente do BdP.

Vamos ver o que isto vai dar.

Miguel

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola a todos

Alguem tem mais informacoes sobre este tipo de casos?

Pergunto isto porque tambem estou na mesma situacao: o banco quer-me aumentar o spread por eu ter deixado, ja a 3 anos de ter um destes produtos.No meu caso o aumento era de 0.25 para 2% de spread, e o banco a CGD.

Vou fazer queixa junto do provedor do cliente e junto do banco de Portugal, pois penso que vai completamente contra o espirito da lei 192/2009, que foi exactamente criada para proteger o cliente. Queria no entanto antes de avancar para isso saber de como outras pessoas resolveram estes problemas.

Saudacoes

PS: Este teclado esta em Ingles

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Querem aumentar de 0,25% para 2%  :o

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola a todos

Alguem tem mais informacoes sobre este tipo de casos?

Pergunto isto porque tambem estou na mesma situacao: o banco quer-me aumentar o spread por eu ter deixado, ja a 3 anos de ter um destes produtos.No meu caso o aumento era de 0.25 para 2% de spread, e o banco a CGD.

Vou fazer queixa junto do provedor do cliente e junto do banco de Portugal, pois penso que vai completamente contra o espirito da lei 192/2009, que foi exactamente criada para proteger o cliente. Queria no entanto antes de avancar para isso saber de como outras pessoas resolveram estes problemas.

Saudacoes

PS: Este teclado esta em Ingles

Concordo com a tua opinião. O decreto-lei é bastante claro (artigo 9º, ponto 4): "O direito de exigir o cumprimento de condição relativa à contratação de outros produtos ou serviços financeiros acordada nos termos do n.º 2 prescreve no prazo de um ano após a sua não verificação."

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu tinha lido noutro site uma noticia de aumento spread do Credito Habitação por parte da CGD a clientes (vários anos de credito habitação)

http://economiafinancas.com/2010/07/cgd-esta-a-aumenta-spreads-a-clientes-com-credito-a-habitacao-ha-varios-anos/

Citando as partes mais importantes:

"clientes da Caixa Geral de Depósitos (CGD) vão-se sucedendo as reclamações e a indignação pois estão a receber notificações em casa informando que os spreads dos respectivos créditos à habitação serão aumentados em  alguns casos em 1,6 pontos percentuais, chegando assim a quintuplicar.

A justificação avançada pela CGD é a indicação de que o devedor não está a cumprir com o contratado tipicamente por não ter contratado todos os serviços vendidos em pacote com o crédito, seja o cartão de crédito, algum seguro, etc. Nada disto seria verdadeiramente estranho se não estivessem em causa contratos em vigor há vários anos, sobre os quais não existiram alterações recentes na relação entre o cliente e o banco. Ou seja, estamos a identificar cliente que ou nunca tiveram o cartão de crédito da CGD, ou nunca subscreveram o multi-riscos ou o seguro de vida pela seguradora do banco e que agora, volvidos anos estão a ser informados de que o contrato será alterado"

"Note-se que mesmo que tenham ocorrido alterações (ou nunca tenham sido integralmente cumpridos os termos do contrato realizado aquando da concessão do crédito), se a memória não nos falha, o Banco de Portugal terá estabelecido há alguns meses que as instituições financeiras que concedem crédito teriam um prazo limitado para identificar situações de incumprimento por parte dos clientes  findo o qual deixariam de poder invocar tais irregularidades para reverem o contrato. Assumia-se que na ausência de reclamação por parte do Banco, este estaria a anuir que prescindia de exigir o cumprimento desses deveres. Estará a CGD a esquecer-se de todos estes “detalhes”?"

“os bancos poderem aumentar unilateralmente os spreads de contratos de créditos em curso mas apenas quando há incumprimento de algum dos pressupostos por parte dos devedores e apenas se o incumprimento durar há menos de um ano e se os bancos procuraram activamente junto do devedor que este voltasse a uma situação de cumprimento (e.g.: o devedor mandou cancelar um cartão de crédito que havia sido condição negocial no início do contrato)),  

Com base no Decreto-Lei  192/29009 de 16 de Outubro de 2009

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sobre estas questões de dar legitimidade ao banco de poder aumentar o spread pergunto o seguinte:

Ao ter os produtos contratados sem alterações, e a mesma situação laboral com o mesmo perfil em que base um banco pode querer aumentar o spread?

Eu tenho o seguro com tudo e mais alguma coisa, conta ordenado e os cartões com o de crédito incluído que vou usando conforme preciso.

Não usar o cartão de crédito muitas vezes pode ser motivo para incumprimento? Ou isso não tem nada a ver?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não me parece que tenha muito a ver. A obrigatoriedade é teres o cartão de credito, não indica lá que o tenhas que utilizar, ou que tenhas que todos os meses comprar x euros com o cartão. Pelo menos no meu contrato não aparece isso... aliás, segundo me parece, e tenho que ver melhor, acho que no meu até indica que tenho que ter x produtos de entre os seguintes produtos, e estão enumerados os vários produtos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

@ Globy

Eles aumentaram-lhe o spread com efeitos retroactivos a 2007?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola a todos e obrigado a todos pelas vossas respostas e comentarios.

David: nao, o spread so tem efeitos a partir do proximo mes. Entretanto ja mandei uma carta ao banco a expor as minhas razoes e aguardo uma resposta deles, mas se eles mantiverem a mesma posicao irei avancar com queixa no banco de Portugal, bem como procurarei todas as outras vias, nomeadamente as vias judiciais.

O espirito do dec lei 192/2009 vai claramente no sentido de proteger os clientes desta situacao e o entendimento do codigo civil que os bancos estao a ter sobre os prazos que se aplicam e claramente abusivo, por isso avancarei para  uma accao judicial se tal for necessario (claro que so depois de ter consultado um bom advogado).

Ao mesmo tempo um aumento de 0.25% para 2% deixa-me bastante indignado (alem de dificuladades economicas) por isso nao vou parar.

Enfim... agradeco todas as vossas opinioes e comentarios e aguardo por mais

Abraco

Globy

PS: o computador nao tem teclado portugues

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ola a todos e obrigado a todos pelas vossas respostas e comentarios.

David: nao, o spread so tem efeitos a partir do proximo mes. Entretanto ja mandei uma carta ao banco a expor as minhas razoes e aguardo uma resposta deles, mas se eles mantiverem a mesma posicao irei avancar com queixa no banco de Portugal, bem como procurarei todas as outras vias, nomeadamente as vias judiciais.

O espirito do dec lei 192/2009 vai claramente no sentido de proteger os clientes desta situacao e o entendimento do codigo civil que os bancos estao a ter sobre os prazos que se aplicam e claramente abusivo, por isso avancarei para   uma accao judicial se tal for necessario (claro que so depois de ter consultado um bom advogado).

Ao mesmo tempo um aumento de 0.25% para 2% deixa-me bastante indignado (alem de dificuladades economicas) por isso nao vou parar.

Enfim... agradeco todas as vossas opinioes e comentarios e aguardo por mais

Abraco

Globy

PS: o computador nao tem teclado portugues

Tudo bem quanto à queixa no Banco de Portugal, caso o problema não seja resolvido satisfatoriamente na instituição bancária. Agora queixa nos tribunais é que eu não aconselharia a ninguém. Admira-me sobremaneira as pessoas saberem a justiça que (não)temos e falarem em recorrer a ela, ainda por cima contra um banco...! Fogo, Deus me livre de tal coisa... e de advogados também!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

@ Globy

E porquê a partir do próximo mês? É o mês em que entra em vigor o novo montante referente à revisão da Euribor?

É que eu estive a ler na minha escritura (a propósito do seu caso, deu-me para ir vasculhar) e lá diz que em caso que incumprimento do cliente em relação a algum dos produtos que estiveram na base da atribuição do spread, a CGD pode aumentar spread do empréstimo, mas essa alteração só pode ter efeitos a partir da revisão seguinte. Por exemplo, se me mandassem uma carta hoje a aumentar o spread, só me poderiam cobrar em Novembro, que é quando ocorre a próxima actualização da taxa. Veja isso, é que para além de estar a pagar o que não deve, ainda o poderá estar a fazer antes do tempo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead