MASR

Problemas no crédito habitação

39 publicações neste tópico

Olá, boa tarde!

Sou "fresquinha" aqui no fórum, mas já venho com algumas questões que espero, alguém me saiba e possa responder.

Eu e o meu namorado estamos a pensar pedir crédito habitação.Estavamos a contar poder propor o crédito a 2 (ou seja, dois proponentes), mas, por razões que agora não interessam muito, soubemos que só poderá ser ele a propor o crédito. Ora, assim, a casa só poderá ficar em nome dele, uma vez que somos solteiros e só ele irá pedir o crédito (foi o que nos disseram...não podemos escriturar em nome dos dois sendo só ele o proponente).

Como queremos casar pelo civil em breve, a minha questão é: se até à escritura casarmos em regime de adquiridos, ainda que seja só ele a propor o crédito(e ainda como solteiro), ao escriturar já como "casado" a casa tb já é minha 50%???É que é essa a nossa intenção já que vamos pagá-la os dois...Mas se não formos casados no acto da escritura, só por doação é que podemos ficar com 50% da casa cada...o que é uma despesa bem maior do que pagar o casamento no civil...

P.S - casar em comunhão geral de bens tb seria solução, mas como ele já tem uma filha, não é permitido!

A questão essencial é: poderá ele pedir o crédito em solteiro (sozinho) e escriturar já casado? E podendo, a casa passa a ser dos dois (uma vez que é um bem "adquirido" após o casamento?) ou o que conta é o crédito q adquiriu ainda em solteiro???

Por favor...ajudem-me com as vossas opiniões!!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se a casa for comprada depois do casamento e´ dos dois.

Agora, se sera´ preciso fazer novo pedido de emprestimo ou nao isso e´ melhor perguntar ao banco. Eu diria que as condiçoes dele se alteram, pelo que o banco pode querer rever as condiçoes de atribuiçao do emprestimo.

Outra coisa - estando os dois casados, provavelmente o banco ja´ nao se vai opor a que sejam os dois proponentes do emprestimo... alias, ate´ pode ser que o recomende...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois...eu percebo!Mas o que me impede de ser proponente é o facto de, há cerca de dois anos, o meu irmão, que tinha conta com a minha mãe ter criado uma situação de "mau uso de cheques" o que se repercutiu nas contas da minha mãe e nas minhas (nas quais ela era titular), consequentemente. A minha mãe andou por todo o lado a resolver a questão e o banco de portugal já disse que estava td resolvido.

De qq modo, apesar de termos um comprovativo em q o banco de portugal diz estar td resolvido, ainda aparece essa designação de "uso indevido de cheques" na minha conta!!!:-( só descobri qd fui fazer a simulação para o crédito! Ou seja, rapidamente o banco de portugal comunica as infracções, mas lentamente as clarifica!!!A "ficha" por assim dizer, não está limpa e passaram quase 2 anos!

O meu medo é que, mm sendo só o meu namorado a propor crédito, primeiro: casado não o possa fazer como único proponente; segundo: o facto de estar casado o prejudique qd virem que a pessoa com quem casou tem esta situação pendente!!!

Porque o que queríamos mm era que ele pudesse pedir o crédito e, casando antes da escritura, a casa ficasse a ser dos dois...sem termos que gastar balúrdios em "doações"!

É incrível como podemos ser arrastados em situações que terceiros praticam e que a nossa vida fique presa por estas situações!!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

olá bom dia

posso deixar aqui o meu testemunho podendo desta forma elucidar te

eu comprei casa ainda em solteira, entretanto quando casei, por lei, tens de avisar o banco que o teu agregado familiar foi alterado..de uma pessoa passou para 2.

Em caso de divórcio e em termos de lei...o apartamento continua a ser meu e não dele, o que ele me pode exigir é metade do valor das rendas desde o dia que nos casamos alegando que contribui para essa despesa....mas a casa continua a ser minha e não dele....fiz me entender?! ;)

jinhus

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim, percebi! Mas o que queríamos realmente era que a casa fosse dos dois, mas como não posso ser proponente e não queremos gastar balúrdios na doação...queríamos saber se, casando agora, a casa passaria automaticamente a ser dos dois...melhor, se ele pode continuar a ser o único proponente, ainda que seja casado! (a minha dúvida é essencialmente essa: se casarmos agora, ele pode pedir crédito sozinho???é que devido à situação que referi em cima,o banco aconselha-me a não ser proponente pq só vai prejudicar)!!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Bom dia,

Aquilo que te posso garantir é que o banco não vai fazer um credito de um só proponente quando ele é casado, por uma questão de analise de risco. Tive um caso de separação geral de bens em que o marido queria pedir um credito pessoal e determinados bancos opuseram-se porque queriam que o cônjuge entrasse no credito.

O melhor é mesmo casar depois de pedir o credito e casar em comunhão de adquiridos! Agora o que é preciso avaliar é se o seu namorado tem condições para pedir o credito sozinho.

Cumps.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De qq modo, apesar de termos um comprovativo em q o banco de portugal diz estar td resolvido, ainda aparece essa designação de "uso indevido de cheques" na minha conta!!!:-( só descobri qd fui fazer a simulação para o crédito! Ou seja, rapidamente o banco de portugal comunica as infracções, mas lentamente as clarifica!!!A "ficha" por assim dizer, não está limpa e passaram quase 2 anos!

Penso que se trata de algo ligeiramente diferente - acho que é suposto a ficha só ser limpa ao fim de uns anos. O que provavelmente lá diz é que tu já estiveste envolvida numa questão de incumprimento de pagamento de cheques, não que ela ainda está por resolver. E essa informação é importante para um banco decidir se te dá acesso a esse serviço ou não...

O meu medo é que, mm sendo só o meu namorado a propor crédito, primeiro: casado não o possa fazer como único proponente; segundo: o facto de estar casado o prejudique qd virem que a pessoa com quem casou tem esta situação pendente!!!

Ok, mas já perguntaste ao banco se é ou não possível, ou de que forma podem sair prejudicados por causa disso? É que uma coisa é ter medo que um cenário venha a acontecer, outra coisa é saber que não é possível e que tens mesmo que encontrar outra solução. Se o banco vos fizer o empréstimo como casados, não precisas de andar a descobrir a legalidade de outros esquemas...

Como diz o outro - não compliques, minimiza ;)

Dá um passo de cada vez...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

olá novamente...

o teu agora namorado poderá sempre fazer uma "declaração" autenticada em notário a dar te metade da casa....informa te com um solicitador ou advogado...ou liga mm para um notário a informar te....penso que poderão fazer isso e em caso de divórcio terás sempre direito a metade da casa....

dp do casamento duvido que algum banco vos ceda um credito só com um titular.....

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

o teu agora namorado poderá sempre fazer uma "declaração" autenticada em notário a dar te metade da casa....informa te com um solicitador ou advogado...ou liga mm para um notário a informar te....penso que poderão fazer isso e em caso de divórcio terás sempre direito a metade da casa....

Quanto ao divórcio acho que não é assim tão exacto - depende se há outras possibilidades de rendimentos e de habitação. Penso que ela teria direito a ficar na casa, se fosse necessário, mas mediante o pagamento de uma renda, a casa não seria metade dela...

Certo é que quanto à doação terá que pagar 0,8% de imposto de selo sobre o valor doado, uma vez que se trata de doações de imóveis entre cônjuges.Numa casa de 100.000€, por exemplo, em que o marido lhe desse metade, teria que pagar 400€ de IS (mais os custos notariais, custos de registo, etc).

Ou seja, só se o banco agravar a prestação por causa da situação com os cheques, é que vale a pena ponderar esta via...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada a todos pelas vossas opiniões e sugestões...Na verdade, nunca pensei estar a passar por isto...vou esgotar todas as hipóteses de "conversação" com o banco e ver se é melhor esperar que a "ficha" fique limpa para fazer o crédito!É que não gosto de situações dúbias e se a compra de casa já é uma dor de cabeça...ter que andar com doações/testamentos...depois da compra ainda seria pior...

Penso que a melhor solução é mesmo esperar e comprarmos a casa os dois qd td estiver resolvido!

Obrigada de qq modo, pelo vosso contributo.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se o namorado der entrada do processo como solteiro, e entretanto casarem, quando chegarem ao dia da escritura, não a fazem (pois a conservatória vai ver que no registo civil ele está registado como casado - e se levar BI como solteiro ainda se arrisca a uma multa por falsas declarações). Apenas era possível se casassem em separação de bens.. e assim a casa seria na mesma só dele.

A solução mais simples é ele fazer o crédito, casarem em comunhão de adquiridos com convenção ante-nupcial que defina que o imóvel é dos dois (é como se casassem em comunhão geral apenas no que se refere à casa). Evitam assim a doação.

Passa a casa a ser dos dois e poderão posteriormente solicitar ao banco a inclusão do seu nome como proponente do crédito. Nessa altura, estando já o "dinheiro" do vosso lado, o banco não perde nada em incluí-la a si como proponente.. mal não faz e sempre tem mais uma pessoa a responder pelo crédito.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Penso que a melhor solução é mesmo esperar e comprarmos a casa os dois qd td estiver resolvido!

É melhor contrair o empréstimo para o CH estando já casada do que ter de fazer contratos, contratar advogado, solicitador,...

Com tantos afazeres vai ver que o tempo passa depressa e entretanto podem ir analisando propostas e fazer simulações até encontrar a entidade que vos oferece melhores condições, na situação de já estarem casados!...  ;)

Boa sorte!  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que está a atrapalhar tudo é que, o Banco de Portugal diz que eu e a minha mãe (co-titulares) do meu irmão (que arrumou esta confusão toda) já saímos da "listagem" em 23-05-2008 (tenho comigo um documento em que diz isso)!!!Mas pelos vistos as entidades onde temos conta não foram avisadas...

Quando nos dirigimos aos bancos a história é que já mandaram 3 vezes o pedido de saída da listagem (uma vez que foi feita prova de que nada temos a ver com esta história, directamente) e que o BdP ainda não repôs a situação...

Ora, andamos de um lado para o outro sem saber o que fazer! >:(

Resumindo e concluindo: estou feita!Casada ou solteira parece que não posso andar para a frente...pelo menos em conjunto com o meu namorado!

Quanto ao acordo pré-nupcial, não sei se ele, tendo uma filha, pode dizer que a casa tb é minha?!

Amanhã vou uma vez mais ao BdP e aos bancos onde tenho conta!Última tentativa!!!A ver vamos...é que eu ainda sou daquelas que acredita que a falar é que as pessoas se entendem...Provavelmente, amanhã mudo de ideias:-(

Bjs

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Fui hoje bem cedinho ao BdP e o que me disseram foi que em meu nome não há nenhuma "restrição ao uso de cheque".Deram-me um documento em que provam isso e dizem que, caso o Banco continue a insistir na situação, têm que me dizer qual o número do processo em que consta o meu nome...(que na realidade não existe)!!!Existiu em nome da minha mãe na altura em que lhe inibiram o uso de cheques devido à questão com o meu irmão (num outro banco que não aquele onde eu quero propor crédito)!

Deste modo, vou dirigir-me ao banco onde pretendo contrair crédito e apresentar-lhes o documento do BdP. Caso não me resolvam a situação e insistam na impossibilidade de contrair crédito, encerrarei as contas nesse banco e abrirei conta noutra entidade bancária!Porque, o que me diziam era que, em qq entidade que eu tentasse abrir conta, me apareceria a "inibição de uso de cheque"..Ora, não é bem assim:pq nada consta em meu nome no BdP, logo, nada poderá ser comunicado a essa instituição!!!

Penso que nada melhor do que tentarmos as vias legais e esclarecermos as coisas!Esgotarmos tds as possibilidades e defendermos sempre o nosso nome...custe o que custar!

Queriam a todo o custo que eu avançasse com o pedido de crédito só em nome do meu namorado...o que me traria tds aqueles problemas de que falei com doações e acordos ante-nupciais...

Espero poder andar para a frente com o nome dos dois,neste banco!Caso contrário, sigo outro rumo!!!

Bom dia a todos! :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tal como digo no post anterior..."remédio santo"!!!Mal começei a apresentar as respostas do Banco de Portugal ao meu caso e a dizer que agora estou consciente de que, noutra instituição bancária o meu nome estará "limpo", puseram-se logo a fazer as simulações comigo, como proponente!!!Deixei ficar cópias dos documentos sucedidos pelo BdP e vão dar seguimento ao processo...

Ou seja, neste momento sei que, caso o meu crédito não seja aprovado, será por outras razões e não por questões dúbias com os bancos...

De qq modo, agora estou segura de que, caso não aceitem o meu pedido de crédito,terei possibilidades de o contrair pela vida fora...noutro banco, com outra casa, com outros custos...mas mais importante que tudo:com a situação esclarecida legalmente!!!

Espero que esta experiência ajude pessoas que passam ou venham a passar pelo mesmo que estou a passar e que, acima de tudo, lhes dê forças para esclarecerem o que tem que ser esclarecido...

Bom dia a todos!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

@MASR

Sim senhor!

Gostaria de a felicitar pela coragem e desempenho na causa, pois não mereciam outra forma de mostrar o seu desagrado.

Vá em frente e não se deixe enganar com o palavreado técnico.

Felicidades e vá dando noticias ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada... :)

A luta ainda não está terminada, mas para a frente é que é caminho...

P.S - Corrijo um erro de um post anterior: os documentos não foram "sucedidos" pl BdP, mas sim "cedidos":-)...a pressa...ai a pressa...:-)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A luta ainda não está terminada, mas para a frente é que é caminho...

É assim mesmo! Nada como um pouco de pressão do lado deles para que o processo comece a andar. E depois se as condições não forem satisfatórias tem sempre a concorrência para lhes acenar!...  ;)

Boa sorte!  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ficha limpinha!!!Fui hoje ao banco e o meu nome já está claro como água na banca...menos uma preocupação!!!Nem nova convenção de cheques (custo de 100euros) precisei de fazer pq a minha mãe disse que o melhor era tirar o nome dela da minha conta...fará ela nova convenção de cheques nas contas que tem com o meu pai...

Agora já posso avançar sem receios...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá a todos!

As propostas que me têm apresentado nos bancos não têm sido muito animadoras...

O millenium não exige fiadores mas pratica um spread de 2.7 :-(...irreal...

De entre todos os que vi, o BPI é quem me oferece as melhores condições, mas há um senão: exigem fiadores pq eu não sou efectiva, só o meu namorado! Temos esses fiadores, mas como é nos rendimentos deles que estão a basear a aceitação ou não do CH (pq o meu namorado ainda tem carro para pagar durante 2 anos), exigem que façamos um seguro de vida para o fiador...Em caso de morte ou invalidez total, a nossa casa fica paga!

Ora, esse seguro é de 85 euros mensais, passível de ser retirado mal a nossa situação financeira melhore (acabemos de pagar o carro e o meu namorado seja aumentado, o que vai acontecer no máximo de dois meses, uma vez que foi promovido, mas a situação salarial ainda não aparece rectificada no salário)!

O que pergunto é: se dentro de dois anos conseguimos acabar com esse seguro de 85 euros (uma vez que o carro estará pago e o salário do meu namorado actualizado), será preferível fazermos CH com taxa fixa durante estes dois anos???

Porque, sabemos que as taxas vão aumentar dentro em breve, mas não estavamos a contar com estes 85 euros a mais... Assim sendo, com todos os seguros incluídos passo a pagar 498 euros por mês!!!

Já agora, em que se baseia a taxa fixa? Será uma opção para este caso???

O meu empréstimo será de 125mil euros, a 40 anos.

Para já a simulação é a seguinte:

Prestação: 375,38

Taxa Nominal - 1.942

Taxa Efectiva - 1.959

TAE - 2.873

Com euribor a 6 meses e spread de 0.9

Seguros: Multirriscos:8.46 euros mensais

Vida: 25.78 mensais

Seguro fiador: 85 euros mensais

Dizem que sem este seguro o crédito não é proponível por causa da minha situação profissional!!!

Espero que alguém me possa ajudar.

Beijinhos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Acabei de fazer as simulações no BPI pela net, tanto a Taxa fixa como a Taxa variável com prestação fixa, mas o cenário é um bocadinho assustador...por isso está fora de questão!

De qq modo, gostava que me dessem o vosso parecer quanto à situação do seguro para o fiador...se alguém já teve que o fazer e se, quando falou com o banco para acabar com esse seguro (apresentando melhorias na situação financeira) se o banco acedeu rapidamente a retirá-lo ou não...

Bjs

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De entre todos os que vi, o BPI é quem me oferece as melhores condições, mas há um senão: exigem fiadores pq eu não sou efectiva, só o meu namorado! Temos esses fiadores, mas como é nos rendimentos deles que estão a basear a aceitação ou não do CH (pq o meu namorado ainda tem carro para pagar durante 2 anos), exigem que façamos um seguro de vida para o fiador...Em caso de morte ou invalidez total, a nossa casa fica paga!

Ora, esse seguro é de 85 euros mensais, passível de ser retirado mal a nossa situação financeira melhore (acabemos de pagar o carro e o meu namorado seja aumentado, o que vai acontecer no máximo de dois meses, uma vez que foi promovido, mas a situação salarial ainda não aparece rectificada no salário)!

O que pergunto é: se dentro de dois anos conseguimos acabar com esse seguro de 85 euros (uma vez que o carro estará pago e o salário do meu namorado actualizado), será preferível fazermos CH com taxa fixa durante estes dois anos???

Porque, sabemos que as taxas vão aumentar dentro em breve, mas não estavamos a contar com estes 85 euros a mais... Assim sendo, com todos os seguros incluídos passo a pagar 498 euros por mês!!!

Já agora, em que se baseia a taxa fixa? Será uma opção para este caso???

O meu empréstimo será de 125mil euros, a 40 anos.

Para já a simulação é a seguinte:

Prestação: 375,38

Taxa Nominal - 1.942

Taxa Efectiva - 1.959

TAE - 2.873

Com euribor a 6 meses e spread de 0.9

Seguros: Multirriscos:8.46 euros mensais

Vida: 25.78 mensais

Seguro fiador: 85 euros mensais

Nos empréstimos contraídos a taxa de juro fixa, a prestação mantém-se constante durante o prazo estabelecido para esta taxa no contrato. O período de taxa fixa pode não corresponder ao prazo total do empréstimo. Se for contratado um empréstimo a 30 anos com taxa fixa a 5 anos, no final deste período esta taxa será revista.

Em geral, as taxas fixas aplicadas pelas instituições de crédito tomam como referência as taxas swap, adicionando a esta um spread. A taxa de juro resulta, assim, da soma da taxa de juro de referência e do respectivo spread.

A taxa de juro swap apresenta diferentes valores para os vários prazos, designadamente, 1 ano a 10, 12, 15, 20, 25 e 30 anos.

Assim, para um crédito com taxa fixa a 2 anos, a taxa de referência estará relacionada com o valor da taxa swap a 2 anos e a prestação manter-se-á fixa durante esse mesmo período.

Nada como pedir mais uma simulação para este caso e se houver dúvidas apresentar aqui com todos os dados!  ;)

Cumps  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Acabei de fazer as simulações no BPI pela net, tanto a Taxa fixa como a Taxa variável com prestação fixa, mas o cenário é um bocadinho assustador...por isso está fora de questão!

De qq modo, gostava que me dessem o vosso parecer quanto à situação do seguro para o fiador...se alguém já teve que o fazer e se, quando falou com o banco para acabar com esse seguro (apresentando melhorias na situação financeira) se o banco acedeu rapidamente a retirá-lo ou não...

Experimenta seguir as intruções deste tópico: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,2070.0.html

Ficas com uma idéia geral das possibilidades actuais.  ;)

Da última vez que lá fui a informação tinha sido actualizada em 07/09/2009.

Cumps  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigada! :)

É que não há nada como ver todas as hipóteses, para se fazer uma escolha acertada!

Vou dar uma vista de olhos no link e fazer umas simulações!

bjs

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá a todos,

Dirigi-me esta manhã à Caixa Galícia onde já tinha feito uma simulação para CH. Falei da situação que o BPI nos exige para que o crédito seja aprovável (seguro de vida para o fiador).

O que me dizem na Caixa Galícia é que, vão analisar, mas no máximo o que me pedem é um seguro contra o desemprego, que, apesar de ser caro, não chega aos 85 euros que o BPI pede pelo seguro de vida do fiador...

A nível de taxas e spreads, tanto a CG, como o BPI, são idênticos. A vantagem da CG é que não exige subscrição de produtos para negociar o spread e nem a própria avaliação pode interferir...

Vou pedir 125 mil euros (valor exacto do imóvel) e como na CG financiam até 90%, a avaliação tem de ser de 138.888 euros e no BPI de 147.060 euros, uma vez que financiam até 85%. O spread de ambos é de 0.95, mas no BPI é por causa da subscrição de produtos e na CG é por causa do protocolo com a DECO (até este valor financiado, o spread é este).

Ou deja, parece-me que no geral, as condições da CG são melhores, até pq as avaliações andam mt em baixo e eles exigem menos!!!Para além de não nos pedirem seguro para fiador e o spread não andar ao sabor do vento...

O que pergunto é: será que por não ser cliente da CG há mais tempo, me vão dificultar o acesso ao crédito (se o pedir lá) ainda que passe a ser cliente agora?

O que acham melhor, nesta situação: BPI ou Caixa Galícia?

Porque o que está aqui em causa é realmente este seguro de vida para fiador que o BPI pede, o valor da avaliação exigido por cada um e as "andanças" que o spread ainda pode vir a sofrer no BPI caso a avaliação fique aquém!!!

Agradeço as vossas opiniões!

BJS

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor