Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
José Ribeiro

Como poupar alguns euros - Casar ou Juntar?

21 publicações neste tópico

As regras fiscais de IRS em vigor mostram que, em geral, as pessoas que apresentem declarações separadas conseguem ter uma maior poupança fiscal, quando comparadas com casados ou casais em união de facto. Isso acontece porque beneficiam de maiores deduções de despesas por cada sujeito passivo (em custos como os da casa e pensão de alimentos) e de taxas marginais que podem ser mais baixas.

O casamento é mais vantajoso fiscalmente para situações em que só um dos cônjuges tem rendimentos ou em que há diferenças significativas entre os seus rendimentos.

A escolha entre casamento e união de facto depende sempre dos rendimentos e de outros factores, pelo que não existe uma regra universal.

O regime fiscal dos divorciados é semelhante ao dos solteiros.

Custos de um casamento vs forma de redução de custos

Vestido de noiva: entre 850 a 10000€ (pode adaptar o da mãe ou o de alguêm afectivamente ligado a si);

Bouquet: entre 100 a 250€ (pode ir cuidando de algumas flores no seu quintalzinho para estes momentos);

Cabeleireiro: entre 80 a 300€ (diga que quer lavagem e corte simples);

Maquilhagem: entre 40 a 150€ (não costuma ter a maquilhagem à mão? Peça a uma amiga que lho faça para este dia especial);

Fato de noivo: entre 550 a 8000€ (não comprou já o traje académico? Deixe a capa de lado e compre uma camisa nova);

Alianças: entre 150 e 2500€ (pode sempre ir a uma relogoaria onde comprou o seu relógio e pedir algo mais em conta);

Convites, livro de honra e lembranças: entre 200 a 500€ consoante o número de convidados (e que tal dar uso ao word e fazer uns convites pessoais e personalizados? Lembranças, podem sempre fazer saquinhos com rendinhas ou adquirir num site dedicado a este tipo de lembranças com preços muito em conta);

Alimentação (preço unitário): entre 60 e 200€ (se os seus convidados não são dos que lhe oferecem envelopes, analise a concorrência ou peça a algum profissional da Bimby que lhe faça o banquete);

Música: entre 400 e 3000€ (leve a aparelhagem e coloque os cd’s da sua sua vida);

Fotógrafo: entre 1000 e 3500€ (peça aos seus amigos mais próximos que levem máquinas e camâras de filmar. Vai verificar que a montagem final fica mais engraçada);

Transporte dos noivos: desde 300€ (e que tal dar algum trabalho ao padrinho do casamento e promovê-lo a chauffer naquele dia tão especial?).

Valor médio de um casamento: 20000 a 25000€ consoante a região geográfica (com estas dicas, talvez gaste entre 10 a 15% do valor médio oficial. O restante, ponha-o numa conta a render para os futuros herdeiros!...)

No final, escolha uma “época baixa” para viajar na lua-de-mel, pois há meses em que os preços são mais acessíveis. Afinal, o amor pode quebrar todas as barreiras, inclusive os obstáculos financeiros.

Já escrevia Óscar Wilde, em “O Retrato de Dorian Gray”, “amar é ultrapassarmo-nos”.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

E que tal casar no civil e ir jantar com a familia e pronto, ainda fica mais em conta, sobra muito dinheiro para uma viagem  ;D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois, ia mesmo dizer isso!

Como estão as coisas, casar assim "à grande" só para ricos. Isso só dá para quem tem pais que lhes paguem o casamento. Assim está bem, de outra forma é quase impossível, ou então acontece o que muitos fazem que é pedir crédito para casar!!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Cada um tem a sua opinião e que ninguém se sinta ofendido com o que eu vou dizer , mas estas festas de casamento de 20 e 25000 euros é tudo uma exploração comercial para gente pobre que quer se sentir rico por um dia...

Mas talvez seja eu seja pouco emocional, ou pouco romântico...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

... ou então acontece o que muitos fazem que é pedir crédito para casar!!

... e paguem em suaves prestações...  :D

Concordo com as opiniões aqui manifestadas e secalhar ainda há mais algumas que podiam ser ditas mas que não se manifestam, como por exemplo, a possibilidade de haver "casamentos" para os diferentes (ou iguais, como queiram) da sociedade. Não só aumentaria o número de casamentos, como circulava mais dinheiro e gerava mais empregos na restauração e similares, assim como na economia associada.

A perspectiva deste tópico era o "antes" (casar ou juntar) e não o "depois" (divórcio). Mas, de facto, também é um aspecto a ter em conta atendendo aos dias que correm em que o amor eterno dura consoante a dimensão da conta bancária e depois cada qual segue a sua vida como se nada tivesse acontecido.

Há alguma estimativa de quanto custa um divórcio nos diferentes estados matrimoniais?  ;D

Creio que com o simplex, a coisa deve demorar ainda um bocadinho e tem custos associados!  :D

Parece-me que este tópico pode acabar por ser educativo!

Cumps  8)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Começar um casório já com uma dívida de 20000 euros...e mais a da casa ...e mais... Uma maneira de começar a vida em comum sem amor eterno...A validade depois é calculada em função da capacidade de pagar as dívidas...

Tudo depende do bolso de cada um ou do casal...  :)

Por isso é que é deixado sugestões de poupança entre parenteses, ou será que não reparaste?  ;)

Deixo como sugestão de reflexão, este tópico: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,1901.0.html

Cumps  8)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Creio que com o novo decreto de lei que está prestes a "sair", vai ser indiferente o contribuinte estar casado ou junto.

Pelo que percebi, um casal pode vir a fazer a declaração de IRS em separado se tiver vantagens, isto é, se um dos elementos do casal tiver um vencimento superior ao outro é de todo conveniente fazer a declaração de IRS em separado (mantendo o "casamanto" como é óbvio  :D). No caso em que ambos os membros do casal tenham vencimentos equiparados convem preencher a declaração de IRS em conjunto!  ;)

Cumps  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Creio que com o novo decreto de lei que está prestes a "sair", vai ser indiferente o contribuinte estar casado ou junto.

Pelo que percebi, um casal pode vir a fazer a declaração de IRS em separado se tiver vantagens, isto é, se um dos elementos do casal tiver um vencimento superior ao outro é de todo conveniente fazer a declaração de IRS em separado (mantendo o "casamanto" como é óbvio  :D). No caso em que ambos os membros do casal tenham vencimentos equiparados convem preencher a declaração de IRS em conjunto!  ;)

Não está nada prestes a coisa nenhuma. O que saiu há dias, foi um conjunto de recomendações de um grupo de trabalho que o governo criou para estudar a complexidade do sistema fiscal.

Uma das muitas conclusões desse estudo foi justamente essa de que os casados poderiam escolher meter o IRS em conjunto ou separado (pessoalmente também acho justo). Mas são só isso - recomendações. Se o governo as acata ou não e se legisla sobre isso ainda não se sabe (mas claro, os jornais apresentaram logo o facto como consumado).

Mais um exemplo: outra das recomendações foi a de que os rendimentos em bolsa fossem taxados a 20% (uniformizando as várias taxas liberatórias que actualmente existem), e isso já o governo veio a público dizer que não pensa mexer...

Por isso é esperar para ver...  (o que não quer dizer, claro está, que não venha a ser aprovado semelhante DL ainda este ano)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não está nada prestes a coisa nenhuma. O que saiu há dias, foi um conjunto de recomendações de um grupo de trabalho que o governo criou para estudar a complexidade do sistema fiscal.

Não foi o governo que criou! Foi o secretário de estado dos Assuntos Fiscais que nomeou um grupo de trabalho.

Uma das muitas conclusões desse estudo foi justamente essa de que os casados poderiam escolher meter o IRS em conjunto ou separado (pessoalmente também acho justo). Mas são só isso - recomendações. Se o governo as acata ou não e se legisla sobre isso ainda não se sabe (mas claro, os jornais apresentaram logo o facto como consumado).

...

Por isso é esperar para ver...  (o que não quer dizer, claro está, que não venha a ser aprovado semelhante DL ainda este ano)

Casados vão poder declarar IRS em separado

As pessoas casadas poderão vir a apresentar a declaração de IRS em separado como acontece actualmente com as uniões de facto.

A medida pretende tornar o sistema de IRS mais igualitário entre pessoas casadas e em união de facto.

É que, apresentando os rendimentos em separado, cada cônjuge pode deduzir valores que são, geralmente, mais elevados do que as deduções apresentadas conjuntamente pelo casal, desagravando a factura fiscal a pagar no final ou aumentando o valor a receber do Estado.

A notícia está aqui: http://economico.sapo.pt/noticias/casados-vao-poder-declarar-irs-em-separado_71870.html

Portanto, aquilo que disse na mensagem anterior é o que se espera que venha a sair em decreto de lei. Este ano ou no próximo, isso é uma incógnita para já.

Porque coloquei aquela mensagem se ainda não está em vigor?

Para que as pessoas começassem a reflectir na possíbilidade!

Mais um exemplo: outra das recomendações foi a de que os rendimentos em bolsa fossem taxados a 20% (uniformizando as várias taxas liberatórias que actualmente existem), e isso já o governo veio a público dizer que não pensa mexer...

Creio que era esta a notícia a que te estavas a referir:

http://economico.sapo.pt/noticias/governo-pondera-aumento-do-imposto-sobre-as-maisvalias_71876.html

"O grupo de trabalho, diz que o regime actual é "generoso" para com as mais-valias."

Não me pareceu, na notícia, que o governo viesse a público dizer que não pensa mexer neste sector. Relativamente à tributação das mais-valias em bolsa o que o governo disse foi que esta medida já estava contemplado no seu programa!

O relatório tem mais de 700 páginas, e segundo percebi, onde o governo não quer mexer é na subida ou descida de impostos, tipo o IVA...

Ou seja, o relatório vai servir de ponto de partida para uma discussão mais ampla...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelas chamadas de atençao, JRibeiro (mas, ja´ agora, o governo nao sao so´ os ministros ;))

Se calhar impoe-se mais alguma informaçao, para perceber a minha reacçao "precipitada":

Esta historia dos casados poderem entregar declaraçoes de IRS em separado nao e´ novidade nenhuma. O proprio ministro das finanças ja ha´ 3 anos

que era uma injustiça e que se deveria mudar o sistema fiscal nesse aspecto. Ja´ foram lançadas petiçoes sobre o assunto e, volta e meia, la´ volta o tema `a baila. Ate´ hoje, nada mudou.

Vir agora a publico apresentar a noticia como um facto consumado (como fizeram muitos jornais ou como tu fizeste, ao dizer que estava prestes a sair um DL nesse sentido) e´ gozar com quem anda a lutar por isto ha´ tantos anos...

Sinceramente, espero bem que adoptem a medida mas prefiro esperar para ver.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pelas chamadas de atençao, JRibeiro (mas, ja´ agora, o governo nao sao so´ os ministros ;))

Claro. E os ministros estão à ordem do primeiro que dá ordens mas quem é responsável é o governo!  ;)

Se calhar impoe-se mais alguma informaçao, para perceber a minha reacçao "precipitada":

Esta historia dos casados poderem entregar declaraçoes de IRS em separado nao e´ novidade nenhuma. O proprio ministro das finanças ja ha´ 3 anos

que era uma injustiça e que se deveria mudar o sistema fiscal nesse aspecto. Ja´ foram lançadas petiçoes sobre o assunto e, volta e meia, la´ volta o tema `a baila. Ate´ hoje, nada mudou.

Obrigado pelas referências que fazes. Por acaso também vi o programa. Estou expectável em relação ao eventual "decreto de lei" que referi, até porque me parece ser uma boa medida!

Vir agora a publico apresentar a noticia como um facto consumado (como fizeram muitos jornais ou como tu fizeste, ao dizer que estava prestes a sair um DL nesse sentido) e´ gozar com quem anda a lutar por isto ha´ tantos anos...

Sinceramente, espero bem que adoptem a medida mas prefiro esperar para ver.

Creio que podias ter evitado essa referência cruzada.

Não ando a gozar com as pessoas, não tenho interesses obscuros e os meus reais interesses são os que já referi noutros tópicos, "Eu não sei mas quero saber...". Quando disponibilizei esta informação foi com boas intenções e sobretudo deixá-la aqui como reflexão, pois como já disseste, esta medida a ser aprovada, é uma boa medida para a generalidade dos contribuintes portugueses. Já em oposição, posso-te informar que no sector da energia este pretende fazer aumentos acima dos 2% já em Janeiro que vem. É uma boa medida? Dizem-nos por um lado, para comprarmos lâmpadas economizadoras e que devemos poupar a todo o custo e a paga que temos é o aumento na factura de electricidade e o "governo" vai aceitar candidamente se ninguêm souber ou se ninguêm reclamar!...

Bom fim de semana!  :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eis mais umas dicas de como poupar alguns euros, caso pretenda casar com pompa e circunstância!...  ;)

Casar sai caro.

E se pudesse ter patrocínios na boda?

A ideia é revolucionária e pode resultar. A filha tinha o sonho de casar com pompa e circunstância, mas a crise e o desemprego não permitiam desembolsar a choruda quantia necessária. A mãe decidiu não baixar os braços e meteu mãos ao trabalho. O resultado: um casamento com cerca de cem convidados onde nada faltou e tudo foi oferecido.

Gabriela Almeida, a mãe da noiva, enviou mais de dois mil e-mails a empresas propondo um patrocínio, em produtos das próprias marcas, ao casamento da filha, Sónia. Muitas recusaram mas algumas aceitaram o desafio. Sónia recebeu a viagem de lua-de-mel à Madeira (incluindo voos, estadia e carro) o bolo, o vestido de noiva e o fato do noivo, as alianças, as flores, os vinhos, livros, leitões, charutos e até os convites. Tudo num valor aproximado de mais de cinco mil euros, segundo disse à Lusa Gabriela Almeida.

O casamento realizou-se este sábado na igreja do Cadaval e mostra que os sonhos podem tornar-se realidade com persistência e imaginação.

A noiva, Sónia Almeida, de 20 anos, desempregada, considera que a «ideia é fantástica» e não fica atrapalhada em saber que a maioria das coisas foram oferecidas, reforçando mesmo que «numa altura de crise dá muito jeito».

Um centro de estética ofereceu a maquilhagem porque considerou «uma ideia original e já conhecia a família», sendo uma forma «simples de ajudar o jovem casal», afirmou a esteticista Raquel Leal.

Para as empresas, o casamento, como qualquer evento patrocinado, serviu para darem a conhecer os seus produtos às dezenas de convidados.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Vai casar? Previna-se com um seguro de divórcio

Se casar hoje em dia já é uma despesa avultada, o divórcio vai no mesmo sentido. As estimativas médias sobre o preço de começar a «partilhar» uma vida com alguém andam entre os 5 mil e os 10 mil euros. Não deveríamos, portanto, estar protegidos contra os encargos financeiros de um divórcio?

Segundo o jornal «The Hoffington Post», o SafeGuard Guaranty Corporation, uma entidade internacional especializada neste tipo de seguros, pensa assim. Na Carolina do Norte já está a ser comercializado um seguro de divórcio, cujo nome, é «casamento».

Assim, por cada unidade de custos mensais do casamento, o seguro vai cobrindo as despesas para um divórcio de processo legal, caso venha a acontecer.

Os portadores de seguros podem comprar várias unidades, e para cada ano podem escolher a sua política. Em caso de divórcio, os clientes têm apenas de enviar os papéis para a SafeGuard e recebem logo o seu dinheiro.

Ainda não está convencido de que precisa de um seguro de divórcio? Para o ajudar, a SafeGuard disponibiliza uma calculadora de custos do divórcio e ainda tem em conta algumas variáveis, tais como a sua nacionalidade, renda familiar e história de depressão ou doença mental.

Não comecem com ideias, pois parece-me que este "negócio" ainda não chegou à Europa!...  :D  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Na mesma linha da anterior informação sobre seguros!...  ;)

Casamento «seguro» contra imprevistos

Apólice cobre todos os gastos dos noivos caso haja algum imprevisto

A Bodaclick, multinacional no sector dos casamentos, resolveu criar um seguro - Boda Segura by Bodaclick - para ressarcir os noivos caso haja algum imprevisto e a boda tenha de ser adiada ou cancelada.

A apólice custa 150 euros para casamentos com um orçamento de até 30.000 euros e pode contratar-se desde um ano até um mês antes do evento. A empresa disponibiliza no site um questionário para que os noivos saibam se o casamento é imune aos riscos.

«Que faria se na véspera da cerimónia ficasse sem vestido de noiva? E se a madrinha falha no último momento?» São algumas das situações cobertas por este seguro.

Não lhes escapa nada. É o antes (da cerimónia) e o depois (na separação). Só falta ver o que vem ai para o durante!...  :D  :D  :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nem casar nem juntar.!!!!

A melhor maneira de poupar uns euros é namorar

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nem casar nem juntar.!!!!

A melhor maneira de poupar uns euros é namorar

Será?

Não devem ser assim tantos os euros poupados, pois "namorar" também dá despesas!...  :D  ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá,

Comer também dá , mas a gente precisa. A mulher que temos em casa é sempre a mais cara. È a que bate o teu carro , que vc tem que dar jóias , sapatos ,alimentar, etc...

A menos que vc seja 100% feminista ! Direitos iguais , depesas iguais. Mas aí ela vai te chamar de forreta , miserável,etc

Na prática de uma maneira ou de outra acaba por se resumir a:

Dobro dos gastos com metade do divertimento.

Ai,ai,ai...Se descobrem onde eu moro as feministas de plantão vão fazer uma passeata à minha porta.

Abraço ,

Speedbird

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá,

Comer também dá, mas a gente precisa. A mulher que temos em casa é sempre a mais cara. È a que bate o teu carro, que vc tem que dar jóias, sapatos, alimentar, etc...

A menos que vc seja 100% feminista! Direitos iguais , depesas iguais. Mas aí ela vai te chamar de forreta , miserável,etc

Na prática de uma maneira ou de outra acaba por se resumir a:

Dobro dos gastos com metade do divertimento.

Ai,ai,ai...Se descobrem onde eu moro as feministas de plantão vão fazer uma passeata à minha porta.

Abraço ,

Speedbird

Que grande algaraviada para aqui vai!...  :D  :D  :D

Comer - é o utilizador com esse nome ou é mesmo comer de comidinha? E depois? É para deixar de comer que se poupa uns euros?

È a que bate o teu carro, que vc tem que dar jóias, sapatos, alimentar, etc... - Ena, tanta coisa que ela exige!...  :P

Feminista - A aliança dos homens ao feminismo encontra-se repleta de tensões, ... ( :o) mas olha que hoje em dia, são elas que muitas vezes tomam a iniciativa!...  :D

Dobro dos gastos e metade de divertimento - depende do que se considere divertimento e ai a equação até pode ser dobro do divertimento e metade dos gastos!...  ;D :D

Cumps  8)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Novos preços: casar fica 20% mais caro

A nova tabela de preços dos serviços dos registos e do notariado foi publicada quinta-feira em Diário da República. Muitos dos valores mantêm-se, mas também há alguns que sobem. Por exemplo, se está a pensar em dar o nó, saiba que os registos de casamento ficam 20% mais caros.

O novo preçário, que entra em vigor a 1 de Outubro, vai obrigar os noivos a pagar mais 20 euros pelo registo do enlace, num custo total de 120 euros.

Pelo contrário, quem quiser cortar laços com o cônjuge, paga o mesmo. Os divórcios por mútuo consentimento não sofrem qualquer actualização e continuam a custar 250 euros.

Mas o aumento mais gritante nem é o do casamento, e sim o registo de prédio rústico, cujo preço dispara nada mais nada menos que 400%, passando dos 50 para os 250 euros.

Em comunicado, emitido após a reunião do Conselho de Ministros onde o diploma foi aprovado, o Governo explicava tratar-se de uma actualização «em função da modernização em curso do sistema de registos português e ajustando-o aos custos decorrentes dos serviços efectivamente prestados».

A continuar assim, onde vai parar isto?...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0