nunosbpereira

Beginner - esclarecimento de algumas questões


24 publicações neste tópico

Bom dia a todos,

Vou começar a investir agora mas tenho as seguintes questões que gostaria de esclarecer (espero que não sejam demasiadas!):
 
- Devo investir em varias corretoras ao mesmo tempo para diminuir o risco, mesmo que eventualmente pague no final comissões maiores? Até que ponto devo investir através de uma corretora como a Degiro se estivermos a falar de um investimento a longo prazo (20,30 anos)?
 
- Porque é que o pessoal usa corretoras que estão presentes em Portugal e não outras corretoras como a TD Ameritrade? As comissões que são praticadas em Portugal por corretoras locais são as mesmas que são praticadas nos outros países da União Europeia?
 
- A dupla tributação apenas se refere a dividendos? E se vendermos acções ou bonds por um preço superior àquele que nós comprámos?
 
- Aparte dos 30% de impostos (ou 15% se assinarmos o W8/9-BEN form) ficam retidos nos Estados Unidos sempre que recebemos dividendos, também pagamos 28% de impostos aqui em Portugal? Que outro tipo de investimentos posso fazer para evitar a dupla tributação?
 
- Nos EUA, paga-se um diferente valor dos impostos no capital gain se a venda dos stocks é feita após 1 ano, 5 anos ou mais. O mesmo acontece em Portugal ou noutro país na Uniao Europeia?
 
- Qual é o melhor investimento para um prazo de 1-2 anos para um português, já tendo em conta possíveis impostos? E caso queira que esse investimento tenha uma liquidity praticamente instantânea. Serão os certificados de aforro a melhor opção disponível? Ou será que devo optar por uma via alternativa como P2P Lending - Twino, Minto, Bondora, etc.?
 
- É possível abrir uma conta em que só pago impostos no capital gain quando levanto o respectivo montante - como as contas IRA ou Roth IRA que existem nos EUA?
 
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

- eu invisto através da degiro e a gobulling pro. nunca tive problemas nem com uma nem com outra.

- eu prefiro P2P a certificados, pois posso emprestar a prazos curtíssimos (1mês) e com buyback garantee (que vale o que vale, mas supostamente as empresas garantem a recompra em caso de default..presumo que esta garantia seja forte apenas na medida da solvência da plataforma). Mas também só coloquei uma % relativamente reduzida do meu capital.

Editado por maj.lraep
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 5 horas, nunosbpereira disse:

Devo investir em varias corretoras ao mesmo tempo para diminuir o risco, mesmo que eventualmente pague no final comissões maiores? Até que ponto devo investir através de uma corretora como a Degiro se estivermos a falar de um investimento a longo prazo (20,30 anos)?

O risco associado às corretoras é relativamente reduzido, especialmente se não usarem contas "Jumbo". Acho que esse cuidado, a ter-se, só se justifica em montantes já significativos investidos. 

há 6 horas, nunosbpereira disse:

Porque é que o pessoal usa corretoras que estão presentes em Portugal e não outras corretoras como a TD Ameritrade? As comissões que são praticadas em Portugal por corretoras locais são as mesmas que são praticadas nos outros países da União Europeia?

Porque o processo é complicado ou nem é permitido, porque é teoricamente mais fácil resolver problemas localmente, etc. 

há 6 horas, nunosbpereira disse:
- A dupla tributação apenas se refere a dividendos? E se vendermos acções ou bonds por um preço superior àquele que nós comprámos?
 
- Aparte dos 30% de impostos (ou 15% se assinarmos o W8/9-BEN form) ficam retidos nos Estados Unidos sempre que recebemos dividendos, também pagamos 28% de impostos aqui em Portugal? Que outro tipo de investimentos posso fazer para evitar a dupla tributação?
 
- Nos EUA, paga-se um diferente valor dos impostos no capital gain se a venda dos stocks é feita após 1 ano, 5 anos ou mais. O mesmo acontece em Portugal ou noutro país na Uniao Europeia?
 

- pode aplicar-se também às mais-valias, mas não é comum. 

- se as convenções forem devidamente aplicadas, como residente em PT, na declaração de IRS a tributação ja sofrida é eliminada, pelo que no final não deves ter de pagar mais que 28%. 

- Em pt isso não acontece. Já aconteceu em tempos, contudo. 

há 6 horas, nunosbpereira disse:
- Qual é o melhor investimento para um prazo de 1-2 anos para um português, já tendo em conta possíveis impostos? E caso queira que esse investimento tenha uma liquidity praticamente instantânea. Serão os certificados de aforro a melhor opção disponível? Ou será que devo optar por uma via alternativa como P2P Lending - Twino, Minto, Bondora, etc.?
 
- É possível abrir uma conta em que só pago impostos no capital gain quando levanto o respectivo montante - como as contas IRA ou Roth IRA que existem nos EUA?

-  1 ou 2 anos não é tempo nenhum, pelo que o retorno esperado será sempre baixo ou, se alto, associado a elevado risco. Qual é o teu objectivo?

- As mais-valias em sede de IRS só existem com a liquidação do instrumento financeiro. 

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
4 hours ago, maj.lraep said:

- eu invisto através da degiro e a gobulling pro. nunca tive problemas nem com uma nem com outra.

- eu prefiro P2P a certificados, pois posso emprestar a prazos curtíssimos (1mês) e com buyback garantee (que vale o que vale, mas supostamente as empresas garantem a recompra em caso de default..presumo que esta garantia seja forte apenas na medida da solvência da plataforma). Mas também só coloquei uma % relativamente reduzida do meu capital.

 
3 hours ago, Pedro Pais said:

O risco associado às corretoras é relativamente reduzido, especialmente se não usarem contas "Jumbo". Acho que esse cuidado, a ter-se, só se justifica em montantes já significativos investidos. 

Porque o processo é complicado ou nem é permitido, porque é teoricamente mais fácil resolver problemas localmente, etc. 

- pode aplicar-se também às mais-valias, mas não é comum. 

- se as convenções forem devidamente aplicadas, como residente em PT, na declaração de IRS a tributação ja sofrida é eliminada, pelo que no final não deves ter de pagar mais que 28%. 

- Em pt isso não acontece. Já aconteceu em tempos, contudo. 

-  1 ou 2 anos não é tempo nenhum, pelo que o retorno esperado será sempre baixo ou, se alto, associado a elevado risco. Qual é o teu objectivo?

- As mais-valias em sede de IRS só existem com a liquidação do instrumento financeiro. 

 

Vou ponto a ponto :)

Maj:

1) Porquê a degiro e a gobulling pro? Porque têm as comissões mais baixas?

2) Que plataformas P2P é que recomendas? E como é que lidas com os ganhos derivados dos juros a nível de impostos?

Pedro:

1) Peço desculpa, mas não sei o que é uma conta Jumbo. Normalmente, o que é que acontece aos meus investimentos em fundos/ ETFs se a corretora com quem eu trabalhei for à falência?

2) Eu pergunto porque normalmente as comissões praticadas são bastante elevadas em Portugal. Tendo em conta o tamanho da União Europeia, pensava que havia 2-3 gigantes nesta área neste lado do mundo, tal como há a Vanguard, Fidelity e outros no US.

3) Imaginemos que eu pago 15% sobre os capital gain no US. Quando fizer a declaração do IRS cá em Portugal, em vez de pagar novamente 28%, pago então apenas 13% (28% -15%)?

4) O objectivo é simplesmente obter alguns ganhos, mesmo que relativamente insignificantes, em parte do dinheiro que tenho em mão mas que irei precisar num futuro próximo (carro, casa, casamento, who knows). De qualquer maneira, a maior parte do montante quero investir num ETF/ fundo que replique o US Total Stock Market (e possivelmente REITs e uma pequena parte em emerging markets - vai depender dos fundos que estiverem disponiveis nas corretoras).

5) Neste caso, o que queres dizer com a liquidação do instrumento financeiro? A liquidação será o acto de vender o stock? Neste caso, se os dividendos não forem distribuidos, não terei que me preocupar com declarações do IRS até eventualmente vender o stock que tenho, não é?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1- jumbo é um tipo de conta que a corretora abre junto do depositário em que deposita os títulos dos clientes. Incorpora alguns riscos porque depende da corretora manter registos actualizados sobre de quem é cada coisa, além de que como a conta está em nome na corretora levanta questões sobre a propriedade.

2 - é verdade, cá em Portugal é pouco competitivo. Mas a degiro é atractiva. 

3 - em princípio sim, se for tudo feito como deve de ser. 

4 - acho péssima ideia. Para o tipo de investimentos que elencas, pensar num período de 1 ou 2 anos é muito pouco tempo. 

5 - se não ocorrer distribuição de dividendos, só há tributação quando procederes à alienação dos activos, se houver mais-valias. 

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 1 hora, nunosbpereira disse:

Vou ponto a ponto :)

Maj:

1) Porquê a degiro e a gobulling pro? Porque têm as comissões mais baixas?

2) Que plataformas P2P é que recomendas? E como é que lidas com os ganhos derivados dos juros a nível de impostos?

1) Sim. E porque a Gobulling Pro é uma maneira de diversificar da degiro. Além disso gosto muito da ajuda que a gobulling dá ao mandar para o email o pdf a explicar muito bem explicado como coloco as transacções na declaração do IRS. é um pormenor, mas um pormenor que dou muita importância. A degiro não te manda nada. Só um resumo das transacções. Mas é muito mais barata.

2) Eu utilizo a Twino, Mintos e Viventor. Também utilizo a Bondora mas não gosto muito - muito risco. Os impostos vou declarar só para o ano pela primeira vez, mas processa-se como outra coisa qualquer, declaro no anexo J (proveniente do estrangeiro). Presumo eu.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
12 hours ago, Pedro Pais said:

 

12 hours ago, Pedro Pais said:

 

1- jumbo é um tipo de conta que a corretora abre junto do depositário em que deposita os títulos dos clientes. Incorpora alguns riscos porque depende da corretora manter registos actualizados sobre de quem é cada coisa, além de que como a conta está em nome na corretora levanta questões sobre a propriedade.

2 - é verdade, cá em Portugal é pouco competitivo. Mas a degiro é atractiva. 

3 - em princípio sim, se for tudo feito como deve de ser. 

4 - acho péssima ideia. Para o tipo de investimentos que elencas, pensar num período de 1 ou 2 anos é muito pouco tempo. 

5 - se não ocorrer distribuição de dividendos, só há tributação quando procederes à alienação dos activos, se houver mais-valias. 

 

 
 

1 - Qual é o tipo de conta que deve ser aberta por parte da corretora? Ou qual é aquela que recomendarias?

2 - Esclarecido. :)

3 - Se tudo for feito como deve ser -> o que é que pode correr mal? :)

4 - Não me expliquei bem. 1-2 anos é para investimentos de curto prazo (daí ter feito uma pergunta sobre as plataformas P2P). Investimentos em ETFs, REITs e por aí fora é com um objectivo de 20-30 anos. Daí também ter perguntado se é seguro investir numa corretora apenas ou se devo diversificar o risco.

5 - Compreendo. Penso que essa questão tenha sido esclarecida então.

11 hours ago, maj.lraep said:

1) Sim. E porque a Gobulling Pro é uma maneira de diversificar da degiro. Além disso gosto muito da ajuda que a gobulling dá ao mandar para o email o pdf a explicar muito bem explicado como coloco as transacções na declaração do IRS. é um pormenor, mas um pormenor que dou muita importância. A degiro não te manda nada. Só um resumo das transacções. Mas é muito mais barata.

2) Eu utilizo a Twino, Mintos e Viventor. Também utilizo a Bondora mas não gosto muito - muito risco. Os impostos vou declarar só para o ano pela primeira vez, mas processa-se como outra coisa qualquer, declaro no anexo J (proveniente do estrangeiro). Presumo eu.

 
 

1 - Parece-me bem.

2 - Porque é que a Bondora apresenta muitos mais riscos para ti? E qual é a tua opinião em relação a plataformas P2P que são baseadas em bitcon - como a Bitbond, a Bitlendingclub, etc.

Editado por nunosbpereira
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

na bondora não tens um mecanismo de buyback garantee. que garante a recompra do empréstimo se entrar em default

por outro lado as tx de retorno são muito superiores. para quem gosta muito de risco/altos retornos possíveis, pode ser o ideal.

eu prefiro algo mais previsível.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1-Algo do género da conta custody do DeGiro. Mas se investigares vais verificar que a generalidade da oferta em Portugal utiliza as tais contas Jumbo. Deves ler nas condições os pontos relacionados com a segregação de activos. 

3-Essencialmente quem processar a distribuição de dividendos não aplicar a taxa da convenção (ou aplicar a taxa errada), ser difícil arranjar comprovativo da retenção sofrida no estrangeiro e um correcto preenchimento da declaração de IRS. 

 4-Acho que não é uma prioridade. Com o tempo e tendo mais capital investido é algo a que deves olhar. 

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 16 horas, maj.lraep disse:

1) Sim. E porque a Gobulling Pro é uma maneira de diversificar da degiro. Além disso gosto muito da ajuda que a gobulling dá ao mandar para o email o pdf a explicar muito bem explicado como coloco as transacções na declaração do IRS. é um pormenor, mas um pormenor que dou muita importância. A degiro não te manda nada. Só um resumo das transacções. Mas é muito mais barata.

 

Uma questão: A Gobulling cobra taxa de custódia em relação às ações?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 3 horas, Xeque disse:

Uma questão: A Gobulling cobra taxa de custódia em relação às ações?

Na plataforma Gobulling Pro não cobra nada. já utilizo há 3 anos, e só cobram mesmo o custo da transacção. que na euronext é 5 euros.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
6 hours ago, maj.lraep said:

na bondora não tens um mecanismo de buyback garantee. que garante a recompra do empréstimo se entrar em default

por outro lado as tx de retorno são muito superiores. para quem gosta muito de risco/altos retornos possíveis, pode ser o ideal.

eu prefiro algo mais previsível.

 

Compreendo. Obrigado pela informação. Outra questão aqui: quantos empréstimos é que estás a providenciar por plataforma, para diversificar o risco?

6 hours ago, Pedro Pais said:

1-Algo do género da conta custody do DeGiro. Mas se investigares vais verificar que a generalidade da oferta em Portugal utiliza as tais contas Jumbo. Deves ler nas condições os pontos relacionados com a segregação de activos. 

3-Essencialmente quem processar a distribuição de dividendos não aplicar a taxa da convenção (ou aplicar a taxa errada), ser difícil arranjar comprovativo da retenção sofrida no estrangeiro e um correcto preenchimento da declaração de IRS. 

 4-Acho que não é uma prioridade. Com o tempo e tendo mais capital investido é algo a que deves olhar. 

 

1 - Mesmo os bancos usam contas jumbo? De qualquer maneira, eu esta semana vou ligar à maioria das corretoras em Portugal e vou-lhes fazer esta pergunta e pedir mais esclarecimentos. Obrigado pelo input.

2 - Ok, é algo que terei que tomar a atenção. De qualquer maneira, se estivermos a falar do US e eu tiver preenchido os formulários correctos (creio que seja o W8-BEN) esse tipo de problemas são então evitados, correcto? 

3 - Prioridade a nível de investimentos a curto ou a longo prazo? É que tenho uns 5k EUR (e com tendência a crescer a cada mês) que estão basicamente parados, mas que não quero investir num prazo a 20-30 anos porque sei que irei precisar deles num futuro próximo, e.g., é possível que eu mude para o UK no próximo ano, casamento em 2-3 anos (se tudo correr bem), possível compra de casa em 5 anos, e por aí fora. É verdade que a vida muda muito rapidamente e que este tipo de eventos possam não vir a acontecer, mas é algo para o qual quero estar precavido.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 1 hora, nunosbpereira disse:

Compreendo. Obrigado pela informação. Outra questão aqui: quantos empréstimos é que estás a providenciar por plataforma, para diversificar o risco?

eu pessoalmente tento diversificar aos 10 de cada vez. mas isso depende do capital que tens presumo eu.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 4 horas, nunosbpereira disse:

1 - Mesmo os bancos usam contas jumbo? De qualquer maneira, eu esta semana vou ligar à maioria das corretoras em Portugal e vou-lhes fazer esta pergunta e pedir mais esclarecimentos. Obrigado pelo input.

Para a maior parte das contas de valores mobiliários, sim. Além de falar convém pedir uma minuta do contrato.

há 4 horas, nunosbpereira disse:

2 - Ok, é algo que terei que tomar a atenção. De qualquer maneira, se estivermos a falar do US e eu tiver preenchido os formulários correctos (creio que seja o W8-BEN) esse tipo de problemas são então evitados, correcto? 

a priori, não deve haver problema.

há 4 horas, nunosbpereira disse:

3 - Prioridade a nível de investimentos a curto ou a longo prazo? É que tenho uns 5k EUR (e com tendência a crescer a cada mês) que estão basicamente parados, mas que não quero investir num prazo a 20-30 anos porque sei que irei precisar deles num futuro próximo, e.g., é possível que eu mude para o UK no próximo ano, casamento em 2-3 anos (se tudo correr bem), possível compra de casa em 5 anos, e por aí fora. É verdade que a vida muda muito rapidamente e que este tipo de eventos possam não vir a acontecer, mas é algo para o qual quero estar precavido.

Se não te podes comprometer a longo prazo, ficas limitado nas opções de investimento, mas é mesmo assim. A meu ver seria de investir em ETF com objectivos de curto prazo, nomeadamente de depósitos, de obrigações governamentais perto da maturidade (investment grade), e coisas do género.

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Peço desculpa por não ter dito nada, mas tive-me que me ausentar nas últimas 2 semanas.

Obrigado pelos vossos esclarecimentos, ajudaram bastante. :) Eu já entrei em contacto com as corretoras em Portugal para então ver quais os produtos nos quais eu vou investir.

Apenas um último comentário - Pedro, realmente a minha situação é um bocado complicada para os próximos anos. Provavelmente terei que me focar mais em obrigações governamentais / high-grade corporate (1-5 anos) e não fugir muito disso infelizmente. Aproveito para perguntar uma outra questão - a partir de Portugal, que obrigações é que recomendarias neste momento?

Aparte de obrigações, também estou a pensar em investir através de P2P lending platforms, mas não quero alocar grande parte do meu portfolio aí até porque normalmente as coisas tendem a correr mal quando começamos a arriscar mais apenas para ter um returno um pouco mais elevado.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 15 horas, nunosbpereira disse:

a partir de Portugal, que obrigações é que recomendarias neste momento?

db x-trackers Global Sovereign

iShares Global Government Bond

iShares Global Corporate Bond 

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado uma vez mais pelos inputs, Pedro. Outras duas questões:

1 - Eu reparei que as iShares Global Bonds são bastante populares aqui no fórum. Alguma razão para isso? E por qual broker é que o pessoal compra essas iShares normalmente?

2 - Eu li recentemente vários livros que defendem um rebalancing constante do portfolio. Mas para tal, é preciso que eu venda parte dos assets, o que faria com que eu tivesse que declarar esses ganhos e pagar os respectivos impostos. Isto é uma recomendação que faz sentido para um português?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Aproveito e faço outras questões:
- Também é preciso pagar dupla tributação quando se investe em ETFs globais / regionais? Ou tal só acontece quando investimos em ETFs de países em específico fora da União Europeia?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 11 horas, nunosbpereira disse:

1 - Eu reparei que as iShares Global Bonds são bastante populares aqui no fórum. Alguma razão para isso? E por qual broker é que o pessoal compra essas iShares normalmente?

É um produto simples, com baixas comissões, com muito volume. 

há 11 horas, nunosbpereira disse:

2 - Eu li recentemente vários livros que defendem um rebalancing constante do portfolio. Mas para tal, é preciso que eu venda parte dos assets, o que faria com que eu tivesse que declarar esses ganhos e pagar os respectivos impostos. Isto é uma recomendação que faz sentido para um português?

Não necessariamente, podes fazer o rebalanceamento comprando mais. Mas sim, se não tiveres capital para investir terias de vender e assumir os lucros, pagando impostos. É preferível do que ficar com um portfolio desiquilibrado face ao nível de risco que se define. 

há 9 horas, nunosbpereira disse:

Também é preciso pagar dupla tributação quando se investe em ETFs globais / regionais? Ou tal só acontece quando investimos em ETFs de países em específico fora da União Europeia

Aqui o que interessa é a domiciliação do ETF, não os activos subjacentes (aí também pode haver esquemas de dupla tributação, mas são resolvidos dentro do fundo). 

1

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1 - E esses produtos são domiciliados na União Europeia daí que nós não sofremos com a dupla tributação?

2 - Obrigado pelo esclarecimento. Realmente não é a situação ideal.

3 - Eu recebi agora este email escrito por uma das instituições que dão acesso ao mercado americano em Portugal - "No seguimento do seu e-mail e conforme indicado anteriormente, o serviço de redução da retenção na fonte nos Estados Unidos passa de 30% para 15% nos dividendos e de 30% para 10% nos juros de obrigações, sendo que em Portugal continuará a ser aplicada a taxa liberatória de 28%."

Parece que a taxa liberatória de 28% é acrescida aos 15% e aos 10% que são inicialmente retidos nos EU? Ou estarei incorrecto?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 16 horas, nunosbpereira disse:

1 - E esses produtos são domiciliados na União Europeia daí que nós não sofremos com a dupla tributação?

Em princípio, quando existe acordo para evitar dupla tributação com um país da UE, os dividendos só serão tributados cá em PT. Mesmo que o sejam fora, se for tudo devidamente aplicado é possível recuperar cá o excesso acima dos 28%.

há 16 horas, nunosbpereira disse:

3 - Eu recebi agora este email escrito por uma das instituições que dão acesso ao mercado americano em Portugal - "No seguimento do seu e-mail e conforme indicado anteriormente, o serviço de redução da retenção na fonte nos Estados Unidos passa de 30% para 15% nos dividendos e de 30% para 10% nos juros de obrigações, sendo que em Portugal continuará a ser aplicada a taxa liberatória de 28%."

Parece que a taxa liberatória de 28% é acrescida aos 15% e aos 10% que são inicialmente retidos nos EU? Ou estarei incorrecto?

Estás correcto, mas podes recuperar esse excesso dos 15% ou 10% na declaração de rendimentos de IRS.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para quem tenha conta na Twino como é que deve declarar os juros? É que se a Twino n comunicar como é que se vai declarar algo sem as finanças terem sido informadas?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado uma vez mais pelos esclarecimentos, Pedro! :)

De qualquer maneira, vou voltar a colocar outra:

'Relativamente às suas questões, a conta Jumbo oferece exatamente o mesmo tipo de segurança que uma conta privada. A única diferença será de que esta é partilhada entre todos os clientes.'

Isto foi escrito por uma das corretas presentes em Portugal. Como já escreveste, eu devo ter um cuidado especial com as contas jumbos. Aparte dos riscos que já referiste anteriormente, no caso da corretora for à bancarrota, eu estarei salvarguadado da mesma forma do que se usar uma conta à ordem, correcto?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
A 01/12/2016 at 14:50, Visitante Abc disse:

Para quem tenha conta na Twino como é que deve declarar os juros? É que se a Twino n comunicar como é que se vai declarar algo sem as finanças terem sido informadas?

Fui eu que escrevi isto...

Se alguém puder responder ;)

Tenho vindo a aumentar a minha exposição na Twino, ainda não fiz o upload do documento de identificação (por falta de tempo), mas estou curioso relativo ao facto de termos de enviar para eles um documento pessoal, tendo em conta que a lei agora, proíbe as "fotocópias" deste tipo de documento, sendo assim não faz sentido enviar para eles uma digitalização! Ainda que eu vá "ocultar" alguns campos e traçar o documento.

@nunosbpereirasó tens conta na Twino? Estive a ver a Mintos e pareceu-me muito boa também. Devo ter no máximo 3 contas neste tipo de "aplicações", a terceira ainda estou a procurar...

Editado por Cardoso24
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead