sollis

Portugueses defendem que escudo protegia melhor da crise - DN

10 publicações neste tópico

Portugueses defendem que escudo protegia melhor da crise

Quase dois terços dos portugueses defende que o país estaria melhor protegido contra a crise económica e financeira se a antiga moeda nacional, o escudo, ainda existisse, segundo um estudo de opinião divulgado em Bruxelas.

Um Eurobarómetro publicado pelo Parlamento Europeu sobre os "Europeus e as Crises Económica e Financeira" revela que 62 por cento dos mil portugueses inquiridos na sondagem concorda com a afirmação de que "mantendo a anterior moeda nacional teria assegurado uma melhor protecção contra a crise", a percentagem mais elevada dos 15 países da Zona Euro.

O inquérito realizado entre 16 de Janeiro e 22 de Fevereiro último a 26.718 cidadãos da União Europeia mostra que nos países que adoptaram o euro apenas 45 por cento dos inquiridos concorda com aquela afirmação.

Mesmo assim, 43 por cento dos inquiridos portugueses (39 por cento na UE) concorda que "o euro atenuou os efeitos negativos da crise" contra 37 (44) que pensa o contrário.

A maioria dos portugueses, 57 por cento (61 por cento na UE) defende que os 27 devem coordenar as suas políticas na luta contra a crise mas apenas 43 por cento (39) está convencido que essa coordenação se tem verificado efectivamente.

Publicado no DN a 2009-04-21 às 13:04

http://dn.sapo.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1207793

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

É simples.

O escudo per si de nada nos valeria.

No entanto, a uma politica monetária autónoma era bem vinda, pois as politicas monetárias do BCE não me convencem e creio que tendem em proteger as economias base da UE.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Concordo parcialmente contigo. Se bem que termos uma política monetária autónoma poderia ser útil para sermos mais flexíveis também nos deixava mais "isolados" e sujeito a maiores oscilações na inflação (para cima e para baixo).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu acho que os portugueses estão com saudades dos anos 80 onde a moeda era nacional mas havia altíssimas taxas de juro, a banca privada era insipiente e não havia dinheiro para pagar o subsídio de natal e o subsídio de férias. Assim como assim, com o euro, o nosso nível de disciplina financeira não é muito diferente. Se tudo continuar como está, dentro de 5 anos não haverá dinheiro para pagar salários aos funcionários públicos... mas é melhor fazer de conta que está tudo bem... ;D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Concordo parcialmente contigo. Se bem que termos uma política monetária autónoma poderia ser útil para sermos mais flexíveis também nos deixava mais "isolados" e sujeito a maiores oscilações na inflação (para cima e para baixo).

Não concordo com a maioria ;) e o Pedro escolheu a palavra certa para definir a minha escolha " Isolados"

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O problema do euro foi o valor do escudo escolhido pelo Banco de portugal para a transição. Foi culpa do Banco de portugal e é uma condenação para a vida.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Parece é que as pessoas às vezes não pensam muito bem no que dizem. Parece-me estranho que 66% diga que o país estaria MELHOR protegido da crise com o escudo mas 43% considere que o euro atenuou os efeitos da crise. Atenuou relativamente a quê? A termos o escudo? Mas então devia haver menos de 57% dos portugueses a achar que estaríamos melhor com o escudo. E claro que este número seria bem menor porque há sempre uma percentagem de indecisos ou que acha que a moeda seria indiferente...

Eu sei que estes inquéritos de opinião não podem ser analisados de forma puramente matemática, mas lá que às vezes parece haver algumas contradições, parece. Até porque somos os que defendem mais a moeda antiga mas, ao mesmo tempo, defendemos mais que a média europeia que o euro ajudou a atenuar a crise ;D

Pessoalmente não acho que estaríamos melhor com o escudo - aliás, foi por causa do Euro que algumas das tais medidas de correcção começaram antes de se ouvir sequer falar de crise (se bem que, há quanto tempo neste país é que não se houve falar de crise?) o que talvez nos tenha ajudado a não nos enterrarmos mais ainda (mas deixo essas ocnsiderações para os economistas). Também concordo que apanhamos um bocado por tabela das grandes economias, mas pelo menos as ditas medidas anti-crise têm sido aplicadas de forma mais ou menos independente por cada país (se bem que muitas delas sejam o resultado de uma discussão conjunta, o que também é positivo).

De qualquer forma, nem o euro nem o escudo nos vão tirar da crise. A única garantia de sair da crise é este plugin para o Firefox que saiu recentemente: http://www.see-the-opportunity.com/ ;D

(para quem, como eu, não usa o Firefox, este plugin substitui a ocorrência da palavra "crise" pela palavra "oportunidade" - porque é assim que muitos dizem que a crise deve ser encarada ;) - já agora este assunto pode ser desenvolvido noutro tópico: http://www.pedropais.com/forum/index.php?topic=1474.msg0 )

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De repente quando vi as letras pequeninininnhas pensei: o Pauloaguia "aprendeu" umas coisas com os Bancos, Seguradoreas e afins . Aquilo não é para se ler, embora seja importante!

Estou a brincar, evidentemente. Não deixa de ser uma forma inteligente de encarar a crise, como uma oportunidade!

Não é verdade que os médicos defendem que é preciso "bater no fundo" para posteriormente se fazerem terapias de combate à dependência de drogas e álcool, etc?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mas o bater no fundo pode ser muito perigos, especialmente quando se ultrapassou o ponto de não retorno.

De qualquer das formas, não defendo o escudo, muito pelo contrario.

O que não me parece sensato é termos na UE uma politica monetária que não olha ás diferentes realidades dos seus constituintes.

Tenho algumas reticências em aceitar que uma mesma politica monetária poderá ter um efeito positivo em todos os países membros.

No entanto, o BCE vê esta problemática como um todo e espera que a soma dos resultados sejam positivos (mesmo que haja países a reboque).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead