Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
acabralx

o recibo verde.... again

3 publicações neste tópico

Bem sei que este topico ja foi aqui abordado inuuumeras vezes.

A minha questão é a seguinte: sou estudante universitaria e tenho 2 proprostas de colaboração em projectos que me podem render uns bons trocos.

Estas empresas (uma de distribuição de panfletos, a outra de inqueritos a turistas) pedem o recibo verde, mas eu nao quero colectar-me nas finanças. Contudo, o meu pai é empresario (tem um snack bar), já faz descontos, faz o IRS e tudo... queria saber quais os "encargos" que ele teria se o recibo fosse passado no  nome dele... Como ficaria o IRS dele? sairia prejudicado?

Na actividade dos panfletos não farei mais de 200 euros mensais mas o dos inqueritos, os ganhos sao, por assim dizer, ilimitados.

Será essa uma boa ideia? a de ser o meu pai a pessoa que supostamente terá os ganhos?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se nao tiveres mais de 25 anos ate ao fim do ano, e nao fizeres mais que o salario minimo, esses rendimentos acabarao porvavelmente por ser declarados no IRS do teu pai, uma vez que podes continuar a ser considerada sua dependente.

Se deixares de preencher essas condiçoes tens que preencher o IRS em separado do deles. Isso tem vantagens e desvantagens - por um lado o IRS a pagar no conjunto das duas declaraçoes sera menor que se estivesse tudo numa (o escalao e´ mais baixo, as deduçoes especificas sao aplicadas duas vezes, etc). Por outro, e a menos que tenhas um excelente rendimento, nao deveras conseguir deduzir quase nada das despesas com a faculdade e outras coisas do genero.

Isto tudo, claro, partindo do principio que os rendimentos estao em teu nome. Nao percebi - porque nao queres colectar-te nas Finanças?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se nao tiveres mais de 25 anos ate ao fim do ano, e nao fizeres mais que o salario minimo, esses rendimentos acabarao porvavelmente por ser declarados no IRS do teu pai, uma vez que podes continuar a ser considerada sua dependente.

Se deixares de preencher essas condiçoes tens que preencher o IRS em separado do deles. Isso tem vantagens e desvantagens - por um lado o IRS a pagar no conjunto das duas declaraçoes sera menor que se estivesse tudo numa (o escalao e´ mais baixo, as deduçoes especificas sao aplicadas duas vezes, etc). Por outro, e a menos que tenhas um excelente rendimento, nao deveras conseguir deduzir quase nada das despesas com a faculdade e outras coisas do genero.

Isto tudo, claro, partindo do principio que os rendimentos estao em teu nome. Nao percebi - porque nao queres colectar-te nas Finanças?

Provavelmente pelos mesmos motivos que têm levado até agora, pessoalmente, a enveredar sempre pelo acto isolado! perder o ano de isenção para a seg. social e, até, a possibilidade de algum estágio profissional (se se trabalhar mais de 6 meses...) são factores de risco quando assim nem se iniciou uma carreira profissional....

Por falar nisto, em nenhum dos 2 trabalhos seria possível pagarem-te por acto isolado?!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0