Cifrao

Caso Particular - Credito para Construção

3 publicações neste tópico

Bom Dia a Todos

Tenho acompanhado este forum muito util, e gostava de colocar algumas questões sobre

qual a melhor abordagem a seguir, na vossa opinião, para a obtenção das melhores condições

na negociação de um Crédito para Construção, e também na gestão do mesmo durante o

tempo em que não for totalmente liquidado.

Estou prestes a iniciar a construção de uma moradia, e tenho um orçamento para

construção de 170.000 €.

Tenho disponivies 50.000 € para iniciar a construção, e tenciono pedir ao banco os 120.000 €

remanescentes, a 35 anos.

1) Qual a melhor abordagem de forma a conseguir negociar a melhor posição ?

Será iniciar a obra com o dinheiro que tenho e quando estiver prestes a acabar pedir então o

crédito ao banco, já com a casa parcialmente construida ?

Ou será melhor pedir logo os 120.000 € dinheiro no inicio da construção ?

2) Ao pedir os 120.000 € a 35 anos, consegue-se actualmente uma prestação a rondar os 500 €

já com seguros, no entanto prefiro assumir que a mesma irá subir para valores a rondar os 600€

uma vez que as taxas agora estão a niveis nunca vistos, e vão aumentar de novo a medio prazo.

Uma prestação de 600€ irá corresponder a uma taxa de esforço de 20% do meu agregado familiar.

Tenciono amortizar anualmente um valor aproximado de 10.000€, e ja estive a fazer umas

simulaçoes aqui nos simuladores do forum, de qualquer forma surgem-me as seguintes duvidas :

Qual a melhor abordagem ?

Manter o prazo e ir reduzindo a prestação com as amortizações ou manter as prestações e ir reduzindo o prazo ?

É possivel jogar com estes dois parametros de forma a atingir um determinado nivel de conforto,

utilizando as amortizações para reduzir o prazo até determinado valor e a partir daí utilizar as

amortizações para ir reduzindo a prestação mantendo o prazo já reduzido anteriormente ?

Desculpem se já ja houve temas semelhantes abordados aqui, pois já li um tópico semelhante, mas

precisava de ter uma ideia mais clara no meu caso particular.

Obrigado pela vossa ajuda.

Cumprimentos!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Em primeiro lugar nao te aconselhava a começares a obra sem consultares os bancos - imagina que nao te dao o dinheiro, que fazias com um esqueleto de casa, sem dinheiro para a acabar? (nao me acredito muito, com os dados que das, mas nunca se sabe). Alem disso, um emprestimo nao e´ aprovado da noite para o dia, e ha compassos de espera que inevitavelmente vais ter que ultrapassar, convem estares a contar com eles. E os bancos tambem te respondem a estas perguntas ;)

1) Nenhum banco te vai emprestar os 120.000€ se nao tiveres nada do mesmo valor para dar como garantia. O que acontece e´ que fazem uma avaliaçao do que ja tens e emprestam-te mais ou menos esse valor. Depois usa-lo para contruir mais um bocado, aumentando o valor da obra - a garantia passa a ser maior e emprestam-te mais um bocado, etc. A cada nova tranche ha uma reavaliaçao (paga por ti), comissoes, etc. Ou seja, quanto menos tranches tiveres que pedir, melhor. Portanto, convem que a primeira tranche tenha que entrar quando ja estiveres proximo do fim da primeira fase da construçao, de forma a que a avaliaçao seja mais alta e te entreguem o maximo possivel de uma vez. Alem disso, quanto mais tarde pedires o dinheiro, mais tarde começas a pagar juros ;)

2) Nao sei como fizeste as contas mas certifica-te que fazes as simulaçoes com taxas mais altas e nao apenas atirando uns valores ao calhas... no inicio da vida do emprestimo, em que so se pagam juros (ou quase), o facto da taxa passar dos 2%-3% em que se encontra hoje para 5%-6% como estava ainda ha apenas meio ano atras, significa que a prestaçao passa para o dobro. De qualquer forma nao e´ provavel que as taxas voltem a estes valores nos proximos tempos e, com essa taxa de esforço, parece-me que poderias absorver bem uma subida brusca como essa, de qualquer forma.

3) Alguns bancos oferecem produtos em que o que varia, com a mudança das taxas e´ o prazo e nao o valor da prestaçao (se as taxas sobem, o prazo alarga). Tipicamente, nestes produtos, havendo uma amortizaçao antecipada, o prazo encurta tambem.

Eu defendo que se tens uma prestaçao com a qual te sentes confortavel, e fazes uma amortizaçao antecipada, deves tentar continuar a pagar o mesmo valor da prestaçao - no curto prazo pode parecer que nao ganhas nada mas a verdade e´ que te vais livrar do emprestimo mais depressa e pagar bem menos de juros ao fim e ao cabo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu aconselho te a pedir 1º os 120000€ e a fica r com os 50000€ até pq depois vai aparecer sempre coisas que vais querer alterar...

Em relação ás amortizações numa 1ª fase deves optar pela redução só do valor até pq a casa vai te trazer mais custos fixos ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead