Jorgeaf

Residente no Estrangeiro


8 publicações neste tópico

No ano passado tinha residencia fiscal em Portugal, entao eu apresentava uma folha de rosto, como tenho uma casa alugada em portugal, tinha de apresentar o anexo F com as respectivas rendas, e apresentava as despesas que tenho ai com os meus filhos, como eram as pensoes de alimentos, despesas escolares, e de saude com o anexo H.

No final do ano tirei o cartao de cidadao aqui em madrid, espanha, pais onde eu trabalho, assim que a minha morada fiscal foi alterada para nao residente, embora eu tenha casa ali em portugal e vou ali quase todos os fins de semana.

No preenchimento do IRS de este ano, surge que como sendo eu nao residente nao posso apresentar o anexo H, e portanto nao posso apresentar as despesas.

Na minha situaçao que anexos devo apresentar? onde coloco as despesas de pensao de alimentos, saude e escolares?

o anexo J tambem nao me lo aceita

tenho a dizer que ja fiz o IRS em espanha, nao sei se sou obrigado apresentar o portugues, mas certamente que sim ja que tenho ali algumas receitas de rendas de casas.

alguem me pode explicar como devo fazer?

 

Muito obrigados

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Os não residentes só são tributados sobre os rendimentos obtidos em Portugal (razão pela qual não aceita o anexo J) e não têm direito às deduções à coleta, que são só para os residentes (motivo pelo qual não aceita o anexo H).

Havendo rendimentos prediais, então tem de ser incluído o anexo F.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Publicado (editado)

há 23 horas, pauloaguia disse:

Os não residentes só são tributados sobre os rendimentos obtidos em Portugal (razão pela qual não aceita o anexo J) e não têm direito às deduções à coleta, que são só para os residentes (motivo pelo qual não aceita o anexo H).

Havendo rendimentos prediais, então tem de ser incluído o anexo F.

Quero agradecer a sua amavel resposta a qual me veio retirar todas as duvidas.

o meu muito obrigado

Neste preciso momento me surgiu uma outra questao que e a seguinte:

Se no proximo ano deixo de ter rendimentos, deixo de apresentar o anexo F, entao como faço eu o IRS?

deixa de ser obrigatorio?

Editado por Jorgeaf
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se não há rendimentos tributaveis, não há porque meter a declaração, não...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde,

Mudei-me em Janeiro de 2016 para Inglaterra, onde estou a trabalhar e a descontar mensalmente os impostos e contribiucoes devidas. Em Portugal tenho casa propria em que beneficio de isencao de IMI.

Como nao ia ter rendimentos em Portugal em 2016 e penso voltar para o proximo ano nao alterei a morada do cartao de cidadao.

Como nao alterei a morada sou considerado em 2016 como tendo domicilio fiscal tanto em Portugal como em Inglaterra?

Terei que fazer o IRS em Portugal tambem com os rendimentos auferidos em Inglaterra? Liguei 3 vezes para as financas e das 3 vezes disseram-me coisas diferentes! :(

Obrigado pela vossa ajuda.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa noite,

Tenciono emigrar para a Suíça no decorrer do presente ano. Tendo aplicações em Fundos de Investimento em Portugal, procuro encontrar a forma fiscalmente mais vantajosa de lidar com a situação.

Pela informação que recolhi, é habitual que não se altere a morada fiscal em PT. No entanto, no caso de liquidar um FI teria o problema de ter que efectuar a correspondente declaração em sede de IRS e dessa forma estaria a preencher duas declarações em simultâneo, PT e Suíça.

Julgo que a maneira correcta de lidar com a situação, seria declarar no país de destino os valores mobiliários que detenho em PT. Confesso que não pretendia ser taxado na Suíça, mas sim em PT.

Alguém pode ajudar ou partilhar a experiência?

Mt Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se este ano passar mais de 181 dias em Portugal, penso continua a ser considerado residente cá. Apenas no próximo ano é que poderá ser considerado residente na Suíça. Assim sendo, julgo que o correto este ano é entregar o IRS cá e os rendimentos obtidos na Suíça como rendimentos obtidos no estrangeiro.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 5 horas, ruicarlov disse:

Se este ano passar mais de 181 dias em Portugal, penso continua a ser considerado residente cá. Apenas no próximo ano é que poderá ser considerado residente na Suíça. Assim sendo, julgo que o correto este ano é entregar o IRS cá e os rendimentos obtidos na Suíça como rendimentos obtidos no estrangeiro.

Certo...mas essa é apenas a perspectiva da lei portuguesa. Pode, porém, acontecer que a lei suiça também o considere residente lá (não sei se assim é, não conheço a lei suiça).

Nesse caso, a lei suiça pode exigir que sejam lá declarados certos rendimentos. Caso assim seja, poderá ser aconselhável dar uma vista de olhos na respectiva convenção para evitar a dupla tributação, quer para efeitos de definição do domicílio fiscal, quer para a própria tributação daí decorrente.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor