Entrar para seguir isto  
Seguidores 0
Guilherme Dias

Apareceu uma dívida de pessoa falecida !!!


3 publicações neste tópico

Boa noite, gostaria de ouvir uma opinião acerca de o seguinte caso, minha mãe faleceu em Dezembro 2015 eu e a minha irmã declaramos os bens às finanças e depois fizemos escritura de partilha de bens, fechamos a conta à ordem e tratamos de tudo. Recentemente em Janeiro 2016 apareceu a operadora MEO e PT atrvés de uma carta à familia da falecida, foi uma carta de cada uma, a dirigir-se à família da falecida a dizer que havia uma divida de 9 mil euros por pagar, com código e referência multibanco e de que tinha 15 dias para o fazer. Será que me podem exigir alguma coisa depois da pessoa já cá não estar e nem sequer se poder defender do que quer que seja, sim porque nem sei do que se trata, a acrescentar que a referida carta foi entregue numa casa que já vendi em 2011, ora aparece agora uma carta em 2016 e dirigida à família da vitima.

Podem me exigir do que quer que seja ? podem penhorar-me ?

 

 Obrigado por qualquer dissertação.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Dívidas de telecomunicações supostamente prescrevem ao fim de 6 meses. Deves começar por argumentar isso através dos mecanismos de resposta que estiverem previstos nessa carta...

No entanto, quer a MEO quer a PT sabem disso e talvez não fossem perder tempo a cobrar dívidas que provavelmente não chegarão a conseguir cobrar. Se o processo de execução da dívida deu entrada antes de passados os 6 meses, então o tempo de prescrição fica suspenso - é por isso que deves dar muita atenção à proveniência da carta e ver se evidencia a existência de um processo já em curso... se for o caso, o melhor é pedir a um advogado para dar uma vista de olhos e te aconselhar melhor. Não dás pormenores suficientes para perceber qual é o teu caso concreto...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Publicado (editado)

A 10/04/2016 at 23:04, Guilherme Dias disse:

Boa noite, gostaria de ouvir uma opinião acerca de o seguinte caso, minha mãe faleceu em Dezembro 2015 eu e a minha irmã declaramos os bens às finanças e depois fizemos escritura de partilha de bens, fechamos a conta à ordem e tratamos de tudo. Recentemente em Janeiro 2016 apareceu a operadora MEO e PT atrvés de uma carta à familia da falecida, foi uma carta de cada uma, a dirigir-se à família da falecida a dizer que havia uma divida de 9 mil euros por pagar, com código e referência multibanco e de que tinha 15 dias para o fazer. Será que me podem exigir alguma coisa depois da pessoa já cá não estar e nem sequer se poder defender do que quer que seja, sim porque nem sei do que se trata, a acrescentar que a referida carta foi entregue numa casa que já vendi em 2011, ora aparece agora uma carta em 2016 e dirigida à família da vitima.

Podem me exigir do que quer que seja ? podem penhorar-me ?

 

 Obrigado por qualquer dissertação.

 

A 11/04/2016 at 01:22, pauloaguia disse:

Dívidas de telecomunicações supostamente prescrevem ao fim de 6 meses. Deves começar por argumentar isso através dos mecanismos de resposta que estiverem previstos nessa carta...

Para teres o direito de prescrição que o Paulo fala deves invocar a prescrição via carta registada. De facto são 6 meses para prescrever, mas esta prescrição tem de ser invocada pelo cliente ou não é tida em conta. Por isso, como diz o Paulo, responde indicando isto mesmo.

Editado por Wakka
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

Entrar para seguir isto  
Seguidores 0