Ir para o conteúdo
Entrar para seguir isto  
Visitante catmat (visitante)

Subida de spread a desempregados

Recommended Posts

Visitante catmat (visitante)   
Visitante catmat (visitante)

Boa tarde,

Tenho um crédito à habitação há alguns anos, o qual sempre cumpri escrupulosamente. Fiquei desempregada (infelizmente caso muito comum hoje em dia) e, quando o subsidio de desemprego terminou, o banco agravou-me o spread do crédito à habitação por falta de domiciliação de ordenado. E não foi um agravamento pequeno, foi nada mais, nada menos que um agravamento de 1,825%!!! Isto sem eu nunca ter entrado em incumprimento e mesmo havendo um depósito regular na conta, fruto da ajuda de familiar directo perante a minha precária situação.

A minha questão é: Isto é legal?

Como é que é possível que a lei pareça proteger os clientes desempregados com crédito à habitação de agravamentos de Spreads no caso dos mesmos arrendarem a sua casa a terceiros, e não proteja os clientes desempregados com crédito à habitação de agravamentos de Spreads quando estes não arrendam a sua casa, para irem viver sabe-se lá Deus para onde?

Como me posso proteger desta situação? Agradeço a atenção dispensada.

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
pauloaguia    638
pauloaguia

Se está no teu contrato como condição para uma redução do spread a domiciliação do ordenado, o banco pode fazê-lo - tu aceitaste que o fizesse ao assinar o contrato. Apenas é ilegal se tiver deixado arrastar-se a situação durante mais de um ano - aí perde o direito a exigir o cumprimento dessa cláusula. 

Até ao fim do ano passado esteve em vigor um regime especial segundo o qual o banco era obrigado a dar início a um processo especial de recuperação de situações de sobreendividamento quando o cliente o interpelava nesse sentido. Entretanto isso já acabou. Mas não quer dizer que não vás ainda a tempo de tentar renegociar (que, aliás, era o que devias ter feito assim que ficaste desempregada e viste que essa cláusula estava em risco de não ser cumprida).

Por exemplo, não sei quantas ou quais as condições que tinhas mas parece-me desproporcionado que, apesar de cumprires as demais condições, a falha de apenas uma delas dê direito a um aumento desse nível. Vai ao banco, tenta fazer-lhes ver isto, chama a atenção para o tal depósito regular e tenta, no mínimo, ver se consegues uma adenda ao contrato que especifique qual a penalização pelo incumprimento de cada uma das condições individualmente. Pode ser que assim, em vez de um aumento de quase 2%, seja de apenas umas décimas... O ideal seria mesmo se conseguisses alterar essa cláusula para, em vez de domiciliação de ordenado, dizer apenas a entrada mensal de um valor superior a X.

Se não conseguires renegociar nada, podes sempre tentar meter uma reclamação e o Banco de Portugal irá apreciar o caso. Mas, mais uma vez, eu diria que o banco está a agir dentro da lei.

(a menos, claro, que o contrato não preveja explicitamente nada disso - aí o aumento é ilegal).

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
elbmurcs    5
elbmurcs

Qual o banco? Infelizmente é normal, acontece muito a quem não usa o cartão de crédito como estipulado.

Editado por elbmurcs

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoticons maximum are allowed.

×   Foi criada uma pré-visualização automática a partir da ligação que colocou.   Mostrar apenas como ligação

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Entrar para seguir isto  

×
FinancasPessoais.pt

Subscreva a newsletter e tenha acesso a todas as novidades do grupo de sites FinancasPessoais.pt e a conteúdos exclusivos.

Os sites FinancasPessoais.pt respeitam a sua privacidade e vontade:

Não mostrar mais esta caixa