Pedro Ribeiro

Crédito Habitaçao Deficiente


5 publicações neste tópico

Saudações a todos,

A situação que me faz recorrer a vocês é a seguinte:

  •  Tenho uma incapacidade atestada pela devida certidão de 67%.
  •  Encontrei um apartamento novo, bastante adequado a pessoas de mobilidade reduzida. O empreiteiro pedia inicialmente 165000€ mas consegui negociar até aos 152500€.
  • Dirigi-me ao meu banco que me informa que apenas podem emprestar 90% do total do crédito. Eu li, no site do Banco de Portugal(http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Credito/CreditoaHabitacao/Paginas/CreditoDeficientes.aspx), que os 90% deveriam ser sobre o valor da avaliação. Sugerem-me então que faça um crédito habitação para os 90% e um crédito pessoal para os restantes 10%. Condições estas aprovadas pelo Banco, acabou de me ser comunicado. Insisti ao telefone que o Banco de Portugal diz uma coisa diferente da deles, mas dizem-me que por causa da Troika não o podem fazer.

Conclusão:

        Não me é benéfico contratar um crédito pessoal, aumenta-me os encargos mensais e mesmo tendo o Banco aceite o empréstimo não vou de forma alguma iniciar o processo de empréstimo.

        Necessito da vossa ajuda, pois importa-me saber como proceder, negociar ou que Banco me poderá propor algo melhor. Não sinto que esteja bem informado e que o banco esteja a tentar rentabilizar comigo, visto que no empréstimo habitação se calhar não terá muito lucro.

 

 

Obrigado e bem hajam.

Pedro

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Dirigi-me ao meu banco que me informa que apenas podem emprestar 90% do total do crédito.

O que querias ter dito aqui? Obviamente 100% do que o banco empresta é o total do crédito... será que o banco disse que só empresta até 90% do valor da venda? Ou 90% do valor da avaliação? Porque emprestar só 90% do total do crédito não faz sentido...

Eu li, no site do Banco de Portugal(http://clientebancario.bportugal.pt/pt-PT/Credito/CreditoaHabitacao/Paginas/CreditoDeficientes.aspx), que os 90% deveriam ser sobre o valor da avaliação. Sugerem-me então que faça um crédito habitação para os 90% e um crédito pessoal para os restantes 10%. Condições estas aprovadas pelo Banco, acabou de me ser comunicado. Insisti ao telefone que o Banco de Portugal diz uma coisa diferente da deles, mas dizem-me que por causa da Troika não o podem fazer.

Conclusão:

        Não me é benéfico contratar um crédito pessoal, aumenta-me os encargos mensais e mesmo tendo o Banco aceite o empréstimo não vou de forma alguma iniciar o processo de empréstimo.

        Necessito da vossa ajuda, pois importa-me saber como proceder, negociar ou que Banco me poderá propor algo melhor. Não sinto que esteja bem informado e que o banco esteja a tentar rentabilizar comigo, visto que no empréstimo habitação se calhar não terá muito lucro.

Tal como diz no Portal do Cliente Bancário, nenhum banco é obrigado a aceitar contratar um empréstimo ao abrigo dessas condições.

Uma coisa que ainda não percebi - já foi feita alguma avaliação por parte do banco? Se sim, qual foi o valor? Se não, como é que o banco pode já ter aprovado as condições se ainda nem sequer sabe qual é o valor sobre o qual vai calcular os 90%? (Resposta do tipo "por causa da Troika" ´mais das vezes revelam que quem está do outro lado não sabe o que está a dizer ou que acha que nós não vamos saber ou nos está a tentar despachar). E o tal crédito habitação sobre 90% que eles propõem é pelo menos ao abrigo do regime bonificado? Ou é um empréstimo habitação normal?

Sinceramente, a melhor forma de negociar é pedir propostas noutros bancos para depois poderes dizer "se for ali ao lado fazem-me estas condições... conseguem fazer-me uma proposta melhor?" Se o banco tiver interesse / possibilidade de ficar com esse cliente provavelmente aparecerá uma contra proposta...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que querias ter dito aqui? Obviamente 100% do que o banco empresta é o total do crédito... será que o banco disse que só empresta até 90% do valor da venda? Ou 90% do valor da avaliação? Porque emprestar só 90% do total do crédito não faz sentido...

O Banco informou-me que o valor é 90% do valor da venda: 90%*152500€ = 137250.

Tal como diz no Portal do Cliente Bancário, nenhum banco é obrigado a aceitar contratar um empréstimo ao abrigo dessas condições.

Uma coisa que ainda não percebi - já foi feita alguma avaliação por parte do banco? Se sim, qual foi o valor? Se não, como é que o banco pode já ter aprovado as condições se ainda nem sequer sabe qual é o valor sobre o qual vai calcular os 90%? (Resposta do tipo "por causa da Troika" ´mais das vezes revelam que quem está do outro lado não sabe o que está a dizer ou que acha que nós não vamos saber ou nos está a tentar despachar). E o tal crédito habitação sobre 90% que eles propõem é pelo menos ao abrigo do regime bonificado? Ou é um empréstimo habitação normal?

Eu dirigi-me ao Millennium BCP que é o banco com que trabalho. Indiquei-lhes o negócio que tenho em mãos e os valores. Eles fazem uma análise preliminar antes de formalizar.

Sugestão do banco: O crédito sobre os 90% será bonificado e os restantes 10% fazem-me crédito pessoal.

Pedi que validassem se seria aceite nessas condições e hoje, dois dias depois, ligou-me a gestora a dizer que sim. Só preciso de ir ao banco, pedir a avaliação e dar seguimento às coisas.

Sinceramente, a melhor forma de negociar é pedir propostas noutros bancos para depois poderes dizer "se for ali ao lado fazem-me estas condições... conseguem fazer-me uma proposta melhor?" Se o banco tiver interesse / possibilidade de ficar com esse cliente provavelmente aparecerá uma contra proposta...

Estou a avançar com outros bancos para dispor de mais propostas.

Boa tarde Paulo,

                 Seguem em cima as minhas respostas.

                 O que mais me incomoda nisto tudo, tal como dizes, é não serem obrigados a fazer crédito habitação neste regime especial.

 

Obrigado

 

Pedro

 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Independentemente das considerações apresentadas, avançar para um imóvel com um valor considerável e pedir 100% de crédito (sob que forma for - normal mais crédito pessoal), se não for na instituição A, é na B, ou na C,... não é lá muito aconselhável aos rendimentos mensais.

Se avançar, deverá ter disponível algum capital para fazer face às despesas iniciais (abertura de processo, dossier, avaliação,...).

Se a avaliação, que terá de pagar do seu bolso, não corresponder ao esperado, pode sofrer um agravamento que anula por completo a eventual bonificação que lhe possam conceder...

Convinha ter uma simulação com todas as condições (despesas e previsões de subidas da euribor), antes de delegar ao gestor da instituição para avançar com o que quer que seja...

Mas, não deveria avançar sem ter algum capital de lado (neste caso, seriam 15 a 16000€ mais 2 a 3000€ para as despesas com escritura. Não esquecendo mais algum capital para mudanças e pagamentos de bens essenciais, ou outros...) para evitar ter de pedir um crédito sobre 100% do valor pedido pelo vendedor.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que mais me incomoda nisto tudo, tal como dizes, é não serem obrigados a fazer crédito habitação neste regime especial.

Acho que não era isso que te devia incomodar mais (até porque, segundo relatas, o banco te propôs o regime bonificado).

O que te devia preocupar, e como o ABCD muito bem chamou a atenção, é qual vai ser o valor da avaliação feita pelo banco. Porque se a proposta do banco não te agrada agora, imagina se o valor da avaliação feita por eles for inferior a 152.500€. Aí o financiamento com bonificação será ainda menor.

De qualquer forma o mais seguro parece-me ser não te comprometeres com um valor absoluto para o empréstimo bonificado junto do banco. Antes de decidires avançar com a avaliação certifica-te que as condições que tens aprovadas são algo do género "90% do valor da avaliação em empréstimo bonificado e um montante até à diferença entre esse valor e 152.500€ em crédito pessoal". Isto garante-te que, se a avaliação até for maior do que o esperado, ficas com a máxima bonificação possível (e não apenas com 137.250€ porque tinha sido isso que o banco tinha autorizado).

Embora, como disse o ABCD, o ideal é sempre teres dinheiro já do teu lado que te permita cobrir essa diferença...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor