dream30

Credito habitação e Fiadores

12 publicações neste tópico

Viva,

   Queria pedir a vossa ajuda para tentar entender algo que é incompreensível para mim neste momento. O meu pai é reformado e aufere de reforma cerca de 2000€ mensais. Decidiu a pouco tempo deixar uma casa alugada e comprar uma nova. Pelo facto de eu ter o meu crédito na CGD fui da opinião que ele devia pedir o empréstimo tb na CGD e assim foi, tendo sido aberto o pedido de crédito a mais de dois meses.

   O apartamento é um T2, avaliado em 73000€, em que o valor de empréstimo é de 65000€ e o valor da escritura é 65000€. Todos os custos com o processo, escritura e impostos serão pagos pelo meu pai e já foi dado um sinal de 2000€. O empréstimo é de 21 anos e a mensalidade ronda os 370€ + seguros, fica no total perto dos 450€.

   Inicialmente tudo pareceu simples e pacífico, tendo sido criada uma conta para ele na CGD, com cartões de crédito e debito, assim como seguros de vida e saúde para melhorar o spread.

   Passados quase dois meses ainda não havia qualquer resposta final por parte da CGD, após alguma pressão foi comunicado que era necessário um fiador para o crédito ser aprovado, como a taxa de esforço é mínima, penso que anda a volta dos 20%, tal exigência pareceu-me muito pouco razoável.

    Decidi por isso verificar o que se passava e marquei uma reunião no banco onde fui informado que pelo facto de o meu pai ser meu fiador do meu empréstimo a habitação a 10 anos atrás a taxa de esforço é calculada somando o meu empréstimo ao dele.

  Acontece que eu a três anos atrás reduzi o prazo do empréstimo que tinha de 20 anos para apenas 3,5 anos.  Tal operação provocou um aumento para quase o triplo da minha mensalidade, estando a pagar agora 1330€. O meu empréstimo é de uma moradia com 380 m2 e três pisos e que falta pagar apenas um ano,  o valor em divida do meu empréstimo é de 17900€.

Assim, o que foi feito para ele foi somar a minha prestação 1330€ + 450€ para efeitos do cálculo de esforço. Sem ter em consideração o valor do imóvel e do tempo que falta para terminar e o empréstimo.

Não ponho em causa o facto de a CGD ter em atenção todos estes problemas e até concordo, apesar de achar que passaram do 8 para o 80. Mas o facto de demorarem dois meses a darem resposta é que considero que ultrapassaram todos os limites, e mesmo agora, indo a caminho dos três meses, ainda não tenho uma resposta por escrita se o credito foi aceite ou não e quais as condições oferecidas e exigidas para tal credito, estando apenas comunicado verbalmente sem qualquer garantia que não voltem a mudar.

Nenhum dos dois tem quaisquer problemas com o Banco de Portugal, nem qualquer pagamento em falta quer de cheques ou cartões.

Assim, gostava de saber a vossa opinião e o que fariam no nosso lugar?

De igual modo, tem conhecimento de outros casos em que o valor do empréstimo dos fiadores entrou para efeitos de cálculo do esforço?

Desde já agradeço as vossas opiniões e que este caso sirva de exemplo para terceiros …

Abraço

Dream30

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Infelizmente és apenas mais um caso da completa anarquia e incompetência que reina naquela instituição.

Quanto ao teu caso infelizmente não te posso ajudar, mas posso dizer que no início de Janeiro (quase 3 meses atrás) pedi o fim do período de carência que tinha inicialmente no meu crédito (era de 9 anos e só usei 2) e passado este tempo todo ainda não estou a amortizar capital, com a desculpa que o pessoal é pouco e o meu processo apesar de deferido ainda não tinha sido processado informaticamente.

Com este conveniente atraso, a CGD está há 2 meses a roubar-me em juros...

Se outro banco me oferecesse as mesmas condições e eu não tivesse de pagar nada para mudar, mudaria na hora. CGD é simplesmente para esquecer de tão incompetentes que são. Basta dizer que é um Banco Público...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Há uma coisa que eu não entendo. Se o teu pai sozinho tem um rendimento de quase 30mil euros anuais, porque motivo foi fazer um empréstimo de 65mil euros a pagar em 21 anos? ??? Estarei a fazer mal as contas? ;D

E quem é que consegue suportar uma prestação mensal de 1330 euros, apenas para reduzir o prazo de 20 para 4 anos? Não era melhor pagar o empréstimo da casa de vez? ???

Eu acho que está tudo ao contrário. Ele por ser pensionista devia ficar com as obrigações mais leves e não com um empréstimo de 21 anos. Tú por seres novo, devias ficar com as mais pesadas, incluindo a tal moradia a prestações razoáveis e a pagar durante os 20 anos em vez dos 4. Assim o teu pai tem de pagar a casa nova dele e ser fiador da tua... :P

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim normalmente o ser fiador causa esse tipo de problemas e muitas vezes quem fica como fiador ñ tem em atenção essas coisas embora o que normalmente acontece é o contrario os filhos é que ficam fiadores dos pais, depois qd precisam fazer o credito próprio é que tem problemas ;). Olha uma coisa em que banco tens o teu crédito? Qual é a tua taxa de esforço?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Há uma coisa que eu não entendo. Se o teu pai sozinho tem um rendimento de quase 30mil euros anuais, porque motivo foi fazer um empréstimo de 65mil euros a pagar em 21 anos? ??? Estarei a fazer mal as contas? ;D

Não, mas pelo facto de querer ter o minimo de esforço possível, assim pode gozar a vida sem grandes problemas.

E quem é que consegue suportar uma prestação mensal de 1330 euros, apenas para reduzir o prazo de 20 para 4 anos? Não era melhor pagar o empréstimo da casa de vez? ???

Eu consigo, tenho o dobro do rendimento anual do meu pai, mas não tenho o dinheiro todo para terminar o emprestimo de vez.

Eu acho que está tudo ao contrário. Ele por ser pensionista devia ficar com as obrigações mais leves e não com um empréstimo de 21 anos. Tú por seres novo, devias ficar com as mais pesadas, incluindo a tal moradia a prestações razoáveis e a pagar durante os 20 anos em vez dos 4. Assim o teu pai tem de pagar a casa nova dele e ser fiador da tua... :P

O que estas a escrever era correcto se estiveres a pensar que eu ainda moro com o meu pai. O meu emprestimo é meu e o emprestimo dele é dele. São vidas separadas, rendimentos separados e creditos separados, apenas ficamos fiadores um do outro.

Se quiseres entender o que eu fiz lê o meu post em: http://www.pedropais.com/forum/index.php/topic,844.0/topicseen.html

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim normalmente o ser fiador causa esse tipo de problemas e muitas vezes quem fica como fiador ñ tem em atenção essas coisas embora o que normalmente acontece é o contrario os filhos é que ficam fiadores dos pais, depois qd precisam fazer o credito próprio é que tem problemas ;). Olha uma coisa em que banco tens o teu crédito? Qual é a tua taxa de esforço?

Apesar de estar com uma mensalidade grande a minha taxa de esforço deve andar nos 30%, logo eu aguento com o empréstimo do meu pai. O que me chateia é o tempo que a CGD demorou a dizer o que se passava. Este problema é facilmente contornado se tivessem avisado com tempo. Agora passado quase dois meses e meio é que se lembram disto. Estou seriemente a pensar enviar uma reclamação para o Banco de Portugal a reclamar. Eles podem até negar o credito, mas não podem demorar dois meses e meio a dar uma resposta.

Cpts

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Sim tens razão mas já tentas te tirar o teu pai de teu fiador, se a tua taxa de esforço é assim baixa ñ deve ser problema e fica cada 1 com o seu crédito. ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que eu não entendo é com rendimentos tão elevados haver necessidade de pedir dinheiro emprestado ao banco... :P

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O que eu não entendo é com rendimentos tão elevados haver necessidade de pedir dinheiro emprestado ao banco... :P

Sim tens razão mas já tentas te tirar o teu pai de teu fiador, se a tua taxa de esforço é assim baixa ñ deve ser problema e fica cada 1 com o seu crédito. ;)

Apesar de estar com uma mensalidade grande a minha taxa de esforço deve andar nos 30%, logo eu aguento com o empréstimo do meu pai. O que me chateia é o tempo que a CGD demorou a dizer o que se passava. Este problema é facilmente contornado se tivessem avisado com tempo. Agora passado quase dois meses e meio é que se lembram disto. Estou seriemente a pensar enviar uma reclamação para o Banco de Portugal a reclamar. Eles podem até negar o credito, mas não podem demorar dois meses e meio a dar uma resposta.

Cpts

Ora bem, cada um conta o que quer. Está visto que o que chateia o dream30 é a Caixa demorar tanto tempo! Partilho das opiniões anteriores. Confuso este post  ??? ???

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De igual modo, tem conhecimento de outros casos em que o valor do empréstimo dos fiadores entrou para efeitos de cálculo do esforço?

Não é só o tempo que o preocupa ;)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não é só o tempo que o preocupa ;)

Ok, ok  ???

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se tiveres já o teu problema resolvido, ainda bem mas podes entrar em contacto comigo que eu faço uma avaliação desse processo e talvez te poderei ajudar.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead