RFFF

#estratégia #investimento Estratégia de Investimento - RFFF

7 publicações neste tópico

Boa noite,

Em primeiro lugar queria dar os parabéns ao criador do site/fórum e a todos os participantes que o enriquecessem. Tenho seguido com atenção alguns dos tópicos mais frequentados e tenho absorvido algum do conhecimento partilhado. Busco algum conhecimento acerca do "mundo do investimento" visto que só me iniciei com alguma seriedade há bem pouco tempo e como a leitura dos tópicos só me têm incentivado a pesquisar cada vez mais, gostaria de pedir a vossa opinião acerca do estado actual da distribuição das minhas economias. Assim:

  • Dinheiro: 4,35%
  • Empréstimos a Familiares: 60,67%
  • Activos Financeiros: 34,98%
    • Carteira de Acções: 7.64%
    • PPR: 7,54%
    • Conta Rendimento: 9,45%
    • Seguros de Capitalização: 37,68% * 2

Os activos financeiros são bastante recentes pois só em Março de 2015 comecei a pensar em investir em vez de estacionar o dinheiro numa conta a ordem/poupança.

Grato pela atenção,

RFFF

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Essa distribuição dos ativos financeiros aponta para um perfil bastante conservador, com aversão ao risco, correto? Quanto a esse PPR, pode ser ou não adequado, dependendo da idade, mas olhando para o resto da carteira imagino que já não estejas nos 20s, talvez nem mesmo nos 30s... por isso é capaz de fazer algum sentido, sim.

Eu diria que o mais invulgar é essa percentagem tão elevada de dinheiro emprestado... Mas, ao fim e ao cabo, é mesmo para isso que o dinheiro serve - para ser usado quando é preciso. Por curiosidade, esse dinheiro está a render alguma coisa ou foi emprestado a custo zero?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

@pauloaguia desde já agradeço a sua mensagem!

Numa primeira análise também diria ser conservador mas penso ser mais desconhecimento e não querer dar o peito às balas sem conhecer e compreender como realmente funciona tudo. Como disse na primeira intervenção só entrei nisto há pouco tempo logo estou a dar "baby steps" no que aos investimentos diz respeito.

Engraçado dizer que não esteja nos 20s ou 30s pela distribuição da carteira. Tenho 26 anos e apenas tenho trabalho desde os 25 daí a disponibilidade para entrar nestas aventuras só tenha surgido este ano. Neste sentido também lhe respondo à última pergunta que me fez acerca do dinheiro emprestado.

Esse dinheiro estava numa conta poupança com alguns anos (o famoso "folar", prendas natalícias, "pequenos trabalhos", poupanças durante faculdade) que tive necessidade de emprestar ao meu pai e que agora se encontra investido (pelo meu pai) num depósito a prazo constituído em 2013 com uma TANB de 2.6% que julgo não ser má para os dias que hoje correm. No fundo encaro este dinheiro emprestado como o meu fundo de emergência pois posso resgatar a qualquer momento.

Os objectivos dos restantes activos:

  • Conta Rendimento - constituída com o único objectivo de não pagar as belas taxas que manutenção de conta;
  • PPR - penso reforçar todos os meses (será a melhor opção?) com algum dinheiro para aos poucos constituir um montante para a "velhice". Este PPR investe até 55% em acções.
  • Ações  - aqui admito que foi mais para perceber como funcionava e sentir a "adrenalina" de ver as cotações a subir e descer. Sempre tive curiosidade em como a especulação, noticias e outros influenciam as cotações. Já percebi pelas leituras do forum que convém constituir uma carteira variada para equilibrar a balança mas como o dinheiro disponível não é muito, penso que será uma aventura "única" mas nunca se sabe. Comprei acções do BCP.
  • Seguros de Capitalização - tenho um rácio de 50/50 pois pareceu-me a estratégia mais adequada no inicio visto não conhecer o comportamento dos mesmos. Os fundos de que falo são o BPI Multi Soluções Moderado e Dinâmico.

Estou a pensar fazer reforços, constituir novos activos à medida das possibilidades e espero aprender a melhor maneira de o fazer aqui no fórum com a vasta experiência dos utilizadores.

 

 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

A grande vantagem dos PPR é o benefício fiscal, mas que nos dias que correm é bem pequeno. Se é para estar 55% investido em ações, às vezes mais vale subscrever alguns fundos de investimento para a reforma, nomeadamente sob a forma de ETFs (ver tópico Super PPR). Ações podem ser boas para a adrenalina, mas para um investidor comum mais vale investir através de fundos. Consegue diversificar por várias ações por pouco dinheiro.

Para a escolha de fundos de investimento, para o caso de ainda não conhecer recomendo a leitura deste tópico, pois é muito provável que os fundos que escolheu não sejam por aí além. Normalmente é raro fundos de gestoras portuguesas estarem no TOP dos fundos (com algumas exceções, claro).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Caro @ruicarlov o tópico que me refere é um dos que me despertou mais curiosidade mas por manifesta falta de tempo ainda não consegui ler tudo e perceber exactamente o que são e como funcionam os ETFs. Irei tentar ler o tópico em questão para assim repensar a aplicação do dinheiro no PPR que possuo. O PPR que tenho subscrito de momento é o BPI Reforma Acções PPR.

Nem mais, cheguei a essa conclusão pois o dinheiro disponível não dá para constituir um boa carteira ao contrário dos fundos que no fundo é o que "fazem". O tópico que sugeriu é dos que sigo diariamente. Tenho apenas de criar condições para aceder a alguns dos fundos que referem como sendo indicados para investir (abrir conta em "bancos online" o que ainda me causa alguma estranheza ou até mesmo recorrer a uma casa como a DeGiro)

O ponto anterior entrar em colisão com o que referi.. Na altura subscrevi os fundos a que tinha acesso e que me pareciam um melhor investimento não tenho acesso a mais nenhum. Já agora, os fundos em questão são como referi anteriormente o BPI Multi Soluções Moderado e Dinâmico.

Acham que tantos os fundos como o PPR foram "maus" investimentos?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se ganhou dinheiro com eles não foram "maus";)

Mas confesso que me é um pouco complicado arranjar termos de comparação desses investimentos Multi-soluções do BPI, pois não são fundos de investimento "normais". São produtos financeiros complexos, também conhecidos como ICAE, logo não são produtos que apareçam nos motores de busca de fundos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se ganhou dinheiro com eles não foram "maus";)

Mas confesso que me é um pouco complicado arranjar termos de comparação desses investimentos Multi-soluções do BPI, pois não são fundos de investimento "normais". São produtos financeiros complexos, também conhecidos como ICAE, logo não são produtos que apareçam nos motores de busca de fundos.

Ainda não ganhei porque os vejo como investimentos a "longo prazo". Visto que o horizonte temporal é curto, o momento de ganhar dinheiro ainda não chegou (até porque não são famosos os resultados dos fundos)

Estive a investigar um pouco sobre produtos financeiros complexos e de facto a designação não lhes foi atribuída por mero acaso! Na altura fui aconselhado por um familiar que trabalha no BPI a investir nessa solução mas vejo que provavelmente não terá sido a melhor opção.

Irei prestar atenção aos tópicos dos fundos de investimento e ETFs pois parece-me uma solução mais adequada para investir quando existir disponibilidade monetária comparando com os investimentos que fiz até ao momento.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor