Visitante alice pinto

Notícia do DE - "Erro técnico" impede Continente de comunicar facturas ao Fisco

5 publicações neste tópico

É referido que a empresa conta resolver o "problema" no mais curto espaço de tempo...

A empresa do grupo Sonae confirma que "depois de uma análise técnica" verificou que "o processo de comunicação da facturação com a Autoridade Tributária (AT) apresenta um erro técnico". A falha impossibilita, segundo o Continente, "a correcta integração dos documentos emitidos", embora isto aconteça "num número reduzido de situações". A empresa adianta, no entanto, que a situação será corrigida até ao fim deste mês e garante que "nenhum cliente será lesado", mas não esclareceu, contudo, qual o período em que este erro ocorreu.

1. As empresas passaram a ter de comunicar as facturas ao Fisco até ao dia 25 do mês seguinte em que a despesa foi feita, sendo que depois desse prazo entram em incumprimento. Por exemplo, se o contribuinte for hoje ao supermercado e pedir factura com o seu número de identificação fiscal (NIF), o documento deverá aparecer na página do Portal das Finanças do contribuinte até dia 25 de Maio. Só depois é que é considerado incumprimento por parte da empresa.

1. Importa reter esta informação!...

Esta comunicação assume um carácter ainda mais importante este ano, já que as facturas com NIF são indispensáveis para serem dedutíveis no IRS. Os gastos feitos no supermercado são considerados para a dedução de despesas gerais que vale um máximo de 250 euros no IRS. Para esta dedução, são considerados todos os tipos de despesa, desde vestuário, electricidade, água e gás, por exemplo.

O contribuinte não tem de comunicar os recibos, mas deve acompanhar a comunicação dos seus gastos pelas empresas. E se verificar que a factura não consta do Portal? Cabe ao contribuinte comunicá-la, indicando o número do recibo; mas se o fizer deverá guardar a factura como meio de prova.

No Portal das Finanças há um espaço autónomo - o e-factura - para verificar se as facturas foram introduzidas ou não. Recentemente, o Portal foi renovado e já não constam apenas os sectores que dão direito ao benefício fiscal até de 250 euros (restaurantes, oficinas e cabeleireiros). Os contribuintes podem agora acompanhar todas as deduções do IRS  por sector: saúde, educação, casa, lares, etc. Basta introduzir a palavra-passe para ter acesso a esta informação.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Todavia , muitas pessoas se abrirem o e-fatura já lá tem o valor em 250 euros , o máximo .

Só se for para ganharem um Audi a preocupação de resto é perda de tempo , empatam as caixas nos supermercados e não tem com isso objetivo algum .

Ainda vou advertir para caso comprem bens relacionados com SAÚDE ou EDUCAÇÃO em espaços comerciais  o façam com contas separadas e não misturem lá Mercearias ou outros bens  .

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Ainda vou advertir para caso comprem bens relacionados com SAÚDE ou EDUCAÇÃO em espaços comerciais  o façam com contas separadas e não misturem lá Mercearias ou outros bens  .
Não adianta - a menos que o supermercado tenha CAE da área da saúde (ainda há um ou outro que tem) ou da educação (que eu saiba nenhum tem) essas despesas em supermercados não são dedutíveis nessas categorias.
0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Todavia , muitas pessoas se abrirem o e-fatura já lá tem o valor em 250 euros , o máximo .

Só se for para ganharem um Audi a preocupação de resto é perda de tempo , empatam as caixas nos supermercados e não tem com isso objetivo algum .

Ainda vou advertir para caso comprem bens relacionados com SAÚDE ou EDUCAÇÃO em espaços comerciais  o façam com contas separadas e não misturem lá Mercearias ou outros bens  .

Não interessa se têm objectivo ou não. Todos têm direito e dever de pedir a factura.

Se estas preocupado com as filas dos supermercado critica o sistema e não as pessoas que pedem factura com NIF. Temos cartão de cidadão com chip que podia muito bem ser usado para isso. No continente tens o cartão de fidelização que também poderia ter o NIF tal como acontece na leroy merlin e assim não ser necessário sequer dizer o numero. No caso do continente também poderiam colocar as caixas de self service com a possibilidade de colocar o NIF como acontece em todas as outras superfícies com este tipo de caixas. Enfim poderiam ser melhoradas milhentas coisas em todo o sistema.

Agora criticares as pessoas por pedirem factura parece-me simplesmente para implicar.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead