ViMaGo

Dedução no IRS encargos com rendas para habitação própria

4 publicações neste tópico

Boa noite

Declarei sempre no IRS, para dedução à coleta, os encargos com as rendas para habitação própria e permanente. Em janeiro de 2012 mudei de casa e em 2013, quando entreguei a declaração respeitante ao ano 2012 foi-me informado que só era permitido aos contratos celebrados até 31-12-2011 e por esse motivo não declarei 2012, 2013 e 2014.

Agora após submeter 2014 foi-me dito nada existia nesse sentido desde que o contrato seja ao abrigo do RAU ou NRAU.

Alguém me pode elucidar se é realmente assim e se ainda posso declarar as rendas dos anos 2012, 2013 e 2014.

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Artigo 85.º

Encargos com imóveis 

1 - São dedutíveis à colecta 15% dos encargos a seguir mencionados relacionados com imóveis situados em território português ou no território de outro Estado membro da União Europeia ou no espaço económico europeu desde que, neste último caso, exista intercâmbio de informações:(Redacção dada pela Lei 64-B/2011, de 30 de Dezembro)

a) Juros de dívidas, por contratos celebrados até 31 de dezembro de 2011, contraídas com a aquisição, construção ou beneficiação de imóveis para habitação própria e permanente ou arrendamento devidamente comprovado para habitação permanente do arrendatário, até ao limite de (euro) 296;(Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

B) Prestações devidas em resultado de contratos celebrados até 31 de dezembro de 2011 com cooperativas de habitação ou no âmbito do regime de compras em grupo, para a aquisição de imóveis destinados a habitação própria e permanente ou arrendamento para habitação permanente do arrendatário, devidamente comprovadas, na parte que respeitem a juros das correspondentes dívidas, até ao limite de (euro) 296;(Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

c) Importâncias pagas a título de rendas por contrato de locação financeira celebrado até 31 de dezembro de 2011 relativo a imóveis para habitação própria e permanente efetuadas ao abrigo deste regime, na parte que não constituam amortização de capital, até ao limite de (euro) 296;(Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

d) Importâncias, líquidas de subsídios ou comparticipações oficiais, suportadas a título de renda pelo arrendatário de prédio urbano ou da sua fração autónoma para fins de habitação permanente, quando referentes a contratos de arrendamento celebrados a coberto do Regime do Arrendamento Urbano, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 321-B/90, de 15 de outubro, ou do Novo Regime do Arrendamento Urbano, aprovado pela Lei n.º 6/2006, de 27 de fevereiro, até ao limite de (euro) 502. (Redacção dada pela Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Já agora, este ano ainda vais provavelmente a mais do que tempo de meter uma declaração de substituição (tem-se 30 dias para o fazer). Quanto aos anos anteriores terás de ponderar se a coima pelo atraso da entrega na declaração compensa ou não o que possas vir a receber a mais...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Muito obrigado fiquei sem duvidas do dinheiro que estou a perder

Um abraço

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead