vitorfernandes

Coletar-me

9 publicações neste tópico

Estou a estudar a hipótese de me colectar para poder vender o que sei fazer. As minhas competências vão desde o serviço de escritório, administração autárquica até ao desenho artístico passando pela escrita criativa. Será que me posso colectar sem actividade definida? algo do tipo: Serviços diversos?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Olá bom dia,

Já tive a oportunidade de ver que o fórum tem bastantes tópicos e informação, mas mesmo assim gostaria de colocar a seguinte questão: 

Fiquei desempregado e estou a receber subsídio de desemprego, mas agora pretendo coletar-me nas finanças pela primeira vez (como trabalhador independente) para poder reabrir um negócio de família.

Já me disseram que tenho de "tirar o meu cartão" depois de me coletar. E também que quem se coleta, pela primeira vez, fica isento de pagar IVA durante 1 ano.

Será que ainda é assim?

Que benefícios tenho e que deveres tenho?

O que devo fazer para todo este processo?

Obrigado

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
Fiquei desempregado e estou a receber subsídio de desemprego, mas agora pretendo coletar-me nas finanças pela primeira vez (como trabalhador independente) para poder reabrir um negócio de família.

Já me disseram que tenho de "tirar o meu cartão" depois de me coletar. E também que quem se coleta, pela primeira vez, fica isento de pagar IVA durante 1 ano.

Será que ainda é assim?

Que benefícios tenho e que deveres tenho?

O que devo fazer para todo este processo?

Não sei a que cartão se referem - eu abri atividade há já 15 anos e tirando o cartão de contribuinte (que agora é o cartão do cidadão) nunca tive qualquer outro cartão das Finanças...

Relativamente ao IVA, se estimares um volume de negócios inferior a 10.000€ anuais (ou um volume proporcional até ao fim do primeiro ano) ficas fora do regime de IVA. Se/quando ultrapassares esse limite deves comunicar o facto às Finanças para ser enquadrado no regime de IVA, altura em que o deves começar a cobrar aos teus clientes.

A isenção de 1 ano é para a Segurança Social - se nunca estiveste coletado como trabalhador independente terás isenção durante o primeiro ano - depois, em Outubro serás enquadrado no escalão que se aproximar mais dos teus rendimentos.

O processo é relativamente simples - entregas uma declaração de início de atividade nas Finanças (podes fazê-lo online) e depois as Finanças informas a Segurança Social. De cada vez que te pagarem, passas um recibo verde (online). Se estiveres no regime de IVA tens de entregar a declaração de IVA regularmente, mesmo que não tenhas volume de negócios no período correspondente. A Segurança Social entrará em contacto contigo quando for para começares a pagar. E claro, tens de entregar a declaração de IRS, com os rendimentos que fores tendo.

Antes disso deves tomar uma decisão importante - queres ficar no regime simplificado ou no de contabilidade organizada? Há duas diferenças importantes:

- na contabilidade organizada precisas de contratar um contabilista e tudo tem de passar por ele; no regime simplificado és tu que tratas de tudo

- na contabilidade organizada podes deduzir as despesas que efetivamente tenhas com a tua atividade (Seg. Social, materiais, deslocações, o contabilista, etc); no regime simplificado o fisco assume que os teus rendimentos são uma percentagem do teu volume de negócios (dá uma vista de olhos ao art. 31º do CIRS: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/irs/irs31.htm) Se for uma atividade com muitas despesas pode valer a pena estar com contabilidade organizada para seres tributado só pelo teu lucro efetivo.

Digo que tens de tomar esta decisão antes, porque uma vez escolhido o regime simplificado, ficas nele durante 3 anos, antes de poder mudar...

O meu conselho é ires às Finanças colocar todas estas questões (as que tenham a ver com as finanças, bem entendido). Até se pode dar o caso de abrir atividade como trabalhador independente não ser o mais indicado para ti e ser preferível avançar antes como empresário em nome individual, por exemplo.

Algo a esclarecer junto das Finanças, em função do teu caso concreto...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pela informação!

Penso que talvez o meu caso seja mais para o de empresário em nome individual.

Acho que o procedimento deve ser idêntico.

Também me disseram que no caso da criação de um negócio próprio (por parte de quem estava a receber subsídio da segurança social), a segurança social dá a totalidade do valor que o sujeito iria receber durante os meses de desemprego, para poder abrir esse mesmo negócio.

Será que é assim?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Também me disseram que no caso da criação de um negócio próprio (por parte de quem estava a receber subsídio da segurança social), a segurança social dá a totalidade do valor que o sujeito iria receber durante os meses de desemprego, para poder abrir esse mesmo negócio.

Será que é assim?

Informação retirada do site da Segurança Social:
Pagamento do montante único

O montante do subsídio de desemprego pode ser pago por uma só vez, no caso do beneficiário apresentar no centro de emprego projeto de criação do próprio emprego:

Pagamento global - Se o projeto for aprovado.

Neste caso, o beneficiário não pode acumular o exercício dessa atividade com outra remunerada, durante o período em que é obrigado a manter a atividade inerente à criação do seu emprego.

Pagamento parcial - Se tiver as despesas elegíveis do projeto não ultrapassem o montante único. Neste caso, o beneficiário continua a receber o subsídio correspondente ao valor remanescente que não foi pago de uma só vez.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Obrigado pela informação disponibilizada!

Já agora, um bom ano de 2015!

Cumprimentos

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

boa tarde gostaria de saber se se paga para coletar obrigada

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites
há 18 horas, Visitante andre Ferreira disse:

boa tarde gostaria de saber se se paga para coletar obrigada

Não se paga nada por se colectar, no entanto depois de se colectar pode passar a ter custos.

custos com a segurança social:

Se for trabalhador por contra de outrem, pode pedir isenção das contribuições para a seg, social. Se não for, e for a primeira vez que abre a actividade, pode pedir isenção durante um ano. Se facturar pouco, menos que 6x o IAS (cerca de 2.500€), também pode pedir a isenção. For isso, mediante os rendimentos é enquadrado num escalão e paga todos os meses um valor para a seg. social. No escalão mais baixo, paga 124,09€ todos os meses.

 

impostos:

se ganhar mais que 10.000€ por ano, terá que passar a pagar IVA e fazer retenção na fonte. Se não se entender com o IVA e como tem uma declaração periódica para entregar ás finanças, poderá ter ainda que contratar os serviços de um contabilista.

 

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead