Dragon1500

Repúdio de herança

13 publicações neste tópico

Boas.

estou com um problema e preocupado com o mesmo gostava de uma ajuda em ponto de esclarecimento.

O meu problema é o seguinte o meu pai faleceu à coisa de dois anos. Dai ficou com dividas tanto às finanças como empretimos ao banco.

apos o falecimento contactei um advogado que me tratou dos procedimentos a nivel de bens que n sei explicar o nome. E o mesmo me disse para nao me preocupar com as dividas pois se não queria saber da herança tambem nao ficava com as dívidas. E tambem me disse que nunca viriam buscar nada a mim mas sim à herança.

Na altura fui saber como renegar a herança, acho que seja esse o termo mas foi-me dito que por ter filhos passaria para eles. E isso eu n quero.

passado este tempo tem vindo cartas das finanças sobre selos em atraso dos carros que ele tinha eu nao tenho ligado a te hoje. Umas das cartas ate ja falava na penhora de um dos carros.

Hoje fui contactado por parte do banco a dizer se queria pagar a divida eu disse que nao pois tenho duas filhas para criar e nao tenho posses para tal. Disseram para lhes enviar o quanto antes a certidão de óbito e o apanhado da herança para que nao tenham de me ficar com o ordenado.

Estou preocupado com isso o que posso fazer? Ou o que devo eu fazer?

a herança pertence a mim e à minha tia. Um predio com uma vivenda.

alguem me pode ajudar sff...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tal como relata a situação, não há muito a fazer. De facto, a solução pratica seria efetuar uma escritura de repúdio, mas como disse a herança (e as dividas) passariam para os restantes herdeiros, o que não é prático...

Tente negociar um pagamento faseado da dívida. Averigue o seu valor e verifique as possibilidades de pagamento.

Caso nada faça, é bem provável que lhe penhorem parte do seu vencimento!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Só o património da herança responde pelas dívidas. Se a herança valer, por exemplo, 50.000€ e as dívidas forem de 100.000€, então pagam-se 50.000€ e o credor fica a arder com o resto. Isso é ponto assente.

Agora, se as partilhas ainda não foram feitas, o credor também não tem de ficar indefinidamente à espera. Aí pode começar a agir sobre o cabeça de casal (mas limitado sempre pelo património da herança).

Dizes que a herança é um prédio com uma vivenda. Mas deve incluir também os carros, não? Senão como é que as finanças estão a pedir os pagamentos do IUC dos carros que estavam em nome dele?

As notificações estão a chegar na qualidade de cabeça de casal ou na qualidade de herdeiro? Fiquei sem perceber se já houve partilhas ou não? E, em caso negativo, quem é o cabeça de casal? Se és tu, porque é que estás a ignorar as notificações sobre o património da herança que tens que gerir?

Se as filhas forem menores, realmente só podem repudiar a herança com ordem do tribunal. Mas se não valer a pena aceitá-la (por exemplo, porque as dívidas valem mais que a herança), o tribunal não terá problema nenhum em repudiá-la também.

Se a herança vale mais do que as dívidas, então porque não aceitá-la?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

As cartas que me teem chegado das finanças sao como cabeça de casal. Carros existem 2.

As partilhas ainda nao foram feitas.

a minha preocupação é se me veem penhorar o meu ordenado? Entao as dividas nao vao sempre à herança. ?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não encontrei no Código Civil nada que diga que o património do cabeça de casal responde pelas dívidas da herança (mas eu também não sou jurista - podem haver outras disposições que desconheço).

Mas isso não quer dizer que não possam intentar contra ti uma ação por administração danosa ou algo do género.

Se há bens na herança que não estão a ser usados, vendam-nos e usem o dinheiro para pagar essas dívidas. Ou então, um dos herdeiros entra com dinheiro próprio e depois acertam-se as contas quando forem feitas as partilhas (pode ser nesta prespectiva que os credores avançam sobre o património do cabeça de casal - porque depois ele pode compensar essa perda na altura das partilhas; só não sei até que ponto isso é legal ou não).

Esses empréstimos ao banco, por acaso não eram empréstimos habitação com um seguro de vida associado, não? É que, se for o caso, pode dar-se o caso de o seguro pagar a dívida...

É que as dívidas não desaparecem se não forem pagas e quanto mais tempo deixares arrastar o problema, mais haverá depois a pagar em juros, por exemplo.

Se a herança permitir pagar as dívidas, tanto melhor. Senão, avança logo de uma vez para partilhas e desfaz-te desse problema de uma vez por todas...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu n quero herança nenhuma. So quero que nao me venham buscar o que é meu isto à parte da herança.

Entao para acabar com este problema o que devo fazer? É as partilhas e deixarer os credores levaram as heranças?

o emprestimo pelo que eu sei era pessoal e seguro n tinha pois ainda em vida deixou de o pagar...

entao o que me indicas eu fazer para acabar com isto de uma vez por todas e n ter problemas com as minhas coisas pessoais. ?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu n quero herança nenhuma. So quero que nao me venham buscar o que é meu isto à parte da herança.

Se não queres a herança, porque não pediste à tua tia para ser ela a cabeça de casal?

E ela, quer a herança?

entao o que me indicas eu fazer para acabar com isto de uma vez por todas e n ter problemas com as minhas coisas pessoais. ?

Talvez começar por ler as respostas que já foram dadas... já há lá uma série de "próximos" passos possíveis, porque é que nenhuma serve? ::)

Tu é que conheces os pormenores do caso... isto de andar a dar propostas com base em informação que só é passada nas entrelinhas tem muito que se lhe diga...

Tente negociar um pagamento faseado da dívida. Averigue o seu valor e verifique as possibilidades de pagamento.

Se as filhas forem menores, realmente só podem repudiar a herança com ordem do tribunal. Mas se não valer a pena aceitá-la (por exemplo, porque as dívidas valem mais que a herança), o tribunal não terá problema nenhum em repudiá-la também.

Se há bens na herança que não estão a ser usados, vendam-nos e usem o dinheiro para pagar essas dívidas. Ou então, um dos herdeiros entra com dinheiro próprio e depois acertam-se as contas quando forem feitas as partilhas

...

Se a herança permitir pagar as dívidas, tanto melhor. Senão, avança logo de uma vez para partilhas e desfaz-te desse problema de uma vez por todas...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu fiquei como cabeça de casal nem sei bem porque penso que é por ser homem e ela mulher. Mas n sei.

eu so tenho ignorado este problema ate aqui porque sou militar nestes dois anos tenho estado fora tanto em missões esteriores como em quartéis longe de casa. Neste momento é que o banco do emprestimo que ficou em divida me ligaram para eu pagar a divida que anda nos 12000e. E se n pagar podem penhorar parte do ordenado isto dito por eles. pediram-me que lhes envia-se o quanto antes a certidao de obito e o apanhado da herança.  Desculpe a minha ignorância sobre este assunto eque nao entendo meamo nada de nada sobre isto.. so quero resolver o meu problema sem que venha interferir com as minhas coisas pessoais , nada mais que isso.. por isso eque estou a pedir ajuda no que eu devo fazer?... mais uma vez desculpe a minha ignorância

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu fiquei como cabeça de casal nem sei bem porque penso que é por ser homem e ela mulher.

O mais provável é que tenha sido por seres filho e ela não (suponho que ela é herdeira por testamento?) e, portanto, tens prioridade para atribuição do lugar de cabeça de casal.

De qualquer forma, se não tens disponibilidade (nem sequer, pelos vistos, responsabilidade) para assumir um cargo de administração da herança, podias (devias) ter-te escusado do cargo.

Neste momento é que o banco do emprestimo que ficou em divida me ligaram para eu pagar a divida que anda nos 12000e. E se n pagar podem penhorar parte do ordenado isto dito por eles. pediram-me que lhes envia-se o quanto antes a certidao de obito e o apanhado da herança.
Já fizeste isso, pelo menos? Pensa que a cada dia que passa a dívida cresce em juros porque não estás a fazer nada (e os juros dos créditos pessoais costumam ser altos)...

Aliás, ainda te arriscas a que a tua tia te venha a exigir a ti o dinheiro dos juros que acumularam por não teres tratado de saldar a dívida ou as coimas dos pagamentos em atraso dos selos do carro - o património da dívida responde pelas dívidas, mas é o cabeça de casal que responde pela administração danosa...

  Desculpe a minha ignorância sobre este assunto eque nao entendo meamo nada de nada sobre isto.. so quero resolver o meu problema sem que venha interferir com as minhas coisas pessoais , nada mais que isso.. por isso eque estou a pedir ajuda no que eu devo fazer?... mais uma vez desculpe a minha ignorância

Ninguém nasce ensinado, há sempre coisas que nos aparecem pela primeira vez.

Agora, se não se percebe pede-se ajuda, não se anda a empurrar com a barriga para a frente as notificações das finanças, por exemplo. Nem se deixa a herança no limbo, sobretudo quando há mais herdeiros... Muito sinceramente - achaste que isso tudo ia desaparecer por obra e graça do Espírito Santo sem fazeres nada por isso? E se morresses numa dessas missões longe de casa? Deixavas esse problema para as tuas filhas resolverem? Era esse o teu plano?

O problema não é a ignorância - o problema é a inação...

Trata de enviar a papelada que o banco pediu.

Paga as dívidas às Finanças (se for com o teu dinheiro, regista quanto saiu do teu bolso para acertar depois as contas nas partilhas - não é difícil. Crias uma folha de Excel e vais registando quanto entra e quanto sai, em que data e porquê)

Fala com a tua tia sobre o destino a dar aos bens.

Vende os bens que não interessam a nenhum dos herdeiros e tenta saldar o resto das dívidas com o dinheiro (mais uma vez, regista todos estes movimentos - é tua responsabilidade enquanto administrador da herança). Se não tens hipótese de tratar disso, pede ajuda à tua tia (que também é parte interessada) ou contrata um solicitador para tratar disso por ti (regista o custo do solicitador).

Se não for possível saldar as dívidas com os bens que nenhum quer, têm que considerar a hipótese de vender os outros bens também ou de meter dinheiro do vosso bolso para pagar a dívida (mais uma vez, todas as entradas e saídas de dinheiro devem ficar registadas).

E faz as partilhas de uma vez por todas - para quem não tem interesse na herança, andas a arrastar esta há muito tempo...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ando a arrastar por ignorancia podes acreditar.

e nu ca devi nada a ninguém. E claro que n tinha nenhum plano dos que falaste. Se o meu trabalho é este tenho de o cumprir entendes? É meu dever.

as partinhas estao feitas entre a mi ha tia e o meu pai enquanto ele ainda era vivo. O que me foi dito foi que a parte dele era directamente minha. N quero de maneira nenhuma que a minha tia seja projudicada com nada disto.

neste momento so quero saber como resolver sem iterferir com ninguém tanto por parte da minha tia como por parte dos meus.

ja pensei até em negociar com o banco da seguinte maneira. Pedir um empréstimo e saldar todas as dividas existentes dele pinhorando a mi ha parte da herança sobre esse emprestimo. Pois n tenho condições para saldar essas dividas. Queria a tua opinião se é uma boa solução ou n? Isto para n projedicar ninguem..

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

De certesa que n entesdes-te a minha situação. .. eu nao sou nenhum irresponsável nem nada do jenero amigo e sou muito sério acredita.

eu vou explicar isto melhor pois entesdes-te mal.

à uns 10 anos o meu avo faleceu. Dai a minha avo não era casada com ele e a herança fico para o meu pai e para a minha tia. Foram feitas todos esses procedimentos que eu desconheço entre eles.

agora à dois anos atrás o meu pai faleceu e dai ficar eu herdeiro dele e cabeça de casal nem sei eu bem porque. Entendes agora? Eu nao estou aqui com alguma coisa maldosa nem nada parecido longe de mim alguma coisa dessas... entendes agora a citação? E na altura da morte dele eu fui eu tentei logo resolver tudo e dai ter ido a um advogado para tratar do que podia e le disse que as d8vidas iao buscar à minha parate da herança nada mais que isso...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Eu entendi o que tu contaste - tu é que disseste que o teu pai morreu e que os herdeiros eram tu e a tua tia e que a herança era um prédio; tu é que disseste que não querias saber da herança para nada, que tens ignorado as cartas das finanças e que só te mexeste agora porque o banco te quer penhorar o ordenado.

Eu ando a ler o resto nas entrelinhas, lembras-te?

Portanto, agora segundo a nova versão da história, tu és o único herdeiro do teu pai - obviamente, o único herdeiro é o cabeça de casal, é quem administra a herança.

Suponho que do tal prédio com a vivenda tenhas herdado a metade que era do teu pai. Isso torna a venda mais difícil, a menos que a tua tia esteja disposta a vender a metade dela também.

A metade do prédio já está registada em teu nome ou não? E os carros? Isto é, já aceitaste a herança? (podes confirmar isso no portal das finanças, vê em nome de quem estão os carros e o terreno - no teu pai ou no teu?)

Vai falar com o banco. Pessoalmente não recomendo que te metas num empréstimo, mas pode ser uma opção se os carros não chegarem para pagar a dívida e não quiserem vender a casa. A outra opção para o banco provavelmente será penhorar a tua metade da casa.

E pede ajuda à tua tia - ela já passou por isso, percebe mais do assunto que tu, se calhar. Senão, depois de falar com o banco fala com um advogado. No mínimo vai à Conservatória saber o que é preciso fazer para mudar os registos, se as coisas ainda estiverem em nome do teu pai...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Ok agora ja vi que entendes-te a citação é isso mesmo eu entendo que a ler e a escrever é sempre complicado tanto a expressar como a entender eu percebo isso.

ok neste momento eu nao modei nada para meu nome esta tudo em nome do meu pai.

as cartas que veem sao em nome dele e por cima diz o meu como cabeça de casal.

os carros nao cobrem a divida nem de perto. Um dos carros eu nem sei dele. Em vida ele ou o envio para a sucata ou n faço ideia. Nem sei o que fazer a essa situação. .

eu falo no emprestimo pois n tenho forma de saldar as dividas e como a tua explicação entendi que a minha tia pode ser projudicada e eu nao quero isso nem ser prejudicado a niel pessoal pois como referi tenho duas filhas para criar e nao tenho pociblidades de pagar essas dividas.

dai pelas tuas explicações entendi que sou responsavel pelas dividas e que me podem prejudicar tanto a nivel pessoal como a nivel da minha tia. Dai preferir então pedir um emprestimo penhorando a minha parte da herança para o mesmo. E saldar tudo de uma vez e ficar livre de problemas a nivel geral . E assim a herança fica intocavel sabe-se la se nao ira ser benefica para as minhas filhas um dia. Para mim n porque eu nao quero isto por motivos pessoais. Porque eu gostava mt do meu pai e so de la ir fico doente. Tras-me lembranças mt mas mesmo.

enfim..

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor