alex4950

Obrigações FC PORTO SAD - 2014-2017

116 publicações neste tópico

Boa Tarde,

Venho de ver a minha caixa email e apercebi me duma oferta enviada pelo Invest sobre a subscrição de obrigações do FC PORTO SAD 2014-2017.

Descarreguei um ficheiro Excel no site da Deco, onda da pra simular o rendimento deste produto em parceria com o BCP, que propoe uma taxa de 6.75%, o que viria a 4,11 % limpinho limpinho.

Mesmo não sendo do FCP nao teria problema nenhum em ser acionista deste clube, desde que me deia a taxa presentada que neste momento é dificil encontar.

O que vocês acham ? Seria um bom produto ?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Não serias accionista mas sim obrigacionista, é diferente  :D

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois obrigacionista.... Mas veem algum problema maior ?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois obrigacionista.... Mas veem algum problema maior ?

Boas!

Não se trata de "um problema maior"... o que te querem dizer é que este é um produto diferente. Cores do arco-íris à parte, corres o sério risco de não subscreveres a quantia que pretendes, porque, vai a rateio...eu pessoalmente já tive este tipo de produto e não fiquei fã... :(  a carga fiscal é elevada... ele é IRS/IRC, ele é comissão de transação...e, lá está, sujeitas-te a ficar com uma pequena quantia. Quanto ao risco, acreditas que a entidade FCP/Pinto da Costa, deixa de existir?  ;D ;D ;D

Abraço!

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Nao, e se sabe que sou adepto do rival até me come a mim e ao meu dinheirinho !

Obrigado pela vossas analises !

Nao esta facil investir neste momento ..... :(

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Um dos problemas destas aplicações são as comissões do teu banco. Se ficares com poucas obrigações, grande parte dos juros podem ser "levados" pelas comissões bancárias.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O banco é o Invest e as comissoes sao :

Compra : 0.02 %

Venda : 2 %

E pretendo comprar 600 obrigações que equivale a 3K€

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O banco é o Invest e as comissoes sao :

Compra : 0.02 %

Venda : 2 %

E pretendo comprar 600 obrigações que equivale a 3K€

O problema é o rateio:

Se o total de obrigações solicitadas for superior ao número máximo de obrigações disponível, proceder-se-á a rateio das mesmas, de acordo com a aplicação sucessiva, enquanto existirem obrigações por atribuir, dos seguintes critérios:

  • atribuição de 200 obrigações a cada ordem de subscrição (ou do número de obrigações solicitadas, no caso de este ser inferior a 200). No caso de o número de obrigações disponível ser insuficiente para garantir esta atribuição serão satisfeitas as ordens que primeiro tiverem dado entrada no sistema de centralização de ordens da Euronext Lisbon (estando, para este efeito, em igualdade de circunstâncias todas as ordens que entrarem num mesmo dia útil). Relativamente às ordens de subscrição que entrarem em sistema no dia útil em que for atingido e ultrapassado o Montante Máximo da Emissão, serão sorteadas as ordens a serem satisfeitas;
  • atribuição das restantes obrigações solicitadas em cada ordem de subscrição de acordo com a respetiva data em que deram entrada no sistema de centralização de ordens da Euronext Lisbon, sendo dada preferência às que primeiro tenham entrado (estando, para este efeito, em igualdade de circunstâncias todas as ordens que entrarem num mesmo dia útil). Relativamente às ordens de subscrição que entrarem em sistema no dia útil em que for atingido e ultrapassado o Montante Máximo da Emissão, será atribuído um número de obrigações adicional proporcional à quantidade solicitada na respetiva ordem de subscrição, e não satisfeita pela aplicação do critério anterior, em lotes de 1 obrigação, com arredondamento por defeito.
  • atribuição sucessiva de mais 1 obrigação às ordens de subscrição que, após a aplicação dos critérios anteriores mais próximo ficarem da atribuição de 1 lote adicional de obrigações. No caso de o número de obrigações disponível ser insuficiente para garantir esta atribuição, serão sorteadas as ordens a serem satisfeitas.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pelo que parece, após estar satisfeito o 1º critério de rateio - 200 O a cada subscrição, o restante é por ordem de chegada dia a dia, ou seja, não é como antigamente, se a procura fosse 10 vezes mais, eram atribuídas 10%.

aqui, se fôr no 1º dia e houver obrigações suficientes, pode-se ficar com a totalidade do pedido.

será assim?

então é preciso cuidado, não pedir 5.000, à espera que calhe 1.000, pois se for no 1º dia, pode mesmo ficar com perto das 5.000.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

                                          É IMPORTANTE TER EM CONTA ESTA INFORMAÇÃO:

deco.proteste Escreveu:

A FC Porto SAD irá emitir obrigações no montante de 15 milhões de euros, com maturidade a junho de 2017. A taxa de juro anual das obrigações é de 6,75% ao ano e os cupões serão pagos de forma semestral. Esta emissão surge numa altura em que uma emissão de 10 milhões de euros irá vencer (6 de junho). A nova emissão terá um valor nominal de 5 euros e o investimento mínimo é de 20 títulos (total de 100 euros investidos). O período de subscrição decorre entre 21 de maio e 3 de junho e as ordens entretanto dadas poderão ser revogadas até 30 de maio.

Mais uma SAD deficitária

À imagem de outras sociedades anónimas desportivas (SAD), também as contas da FC Porto SAD não estão famosas: prejuízos recorrentes, pontualmente compensados por vendas de passes de jogadores de futebol a valores muito elevados, e capitais próprios negativos. O que significa que se trata de uma empresa em situação de falência técnica: o valor contabilístico dos ativos não chega para cobrir todas as dívidas (atualmente situadas nos 213 milhões de euros). E a não se vislumbram melhorias, pois os custos operacionais recorrentes (ou seja, excluindo passes de jogadores) superam os proveitos operacionais recorrentes.

Risco enorme

A rentabilidade anual oferecida não é negligenciável (TAEL de 4,4%), mas o risco financeiro destas obrigações é muito elevado. Ainda que o peso social dos clubes de futebol seja, para muitos, uma garantia que não irão entrar em incumprimento, para nós tal não é suficiente.

Ainda que o peso social dos clubes possa ser visto com um aspeto positivo e que não sejam considerados como uma empresa tradicional, que não suportariam manter-se muito tempo com capitais próprios negativos, preferimos focarmo-nos nos aspetos fundamentais por uma situação destas não é sustentável a longo prazo. Daí não recomendarmos investir nestas obrigações.

O nosso conselho é que invista em Certificados do Tesouro Poupança Mais, que tem um rendimento líquido anual mínimo de 3,03% (TAEL) a cinco anos. Com a possibilidade de ser superior, se o PIB de Portugal progredir: acréscimo à taxa de juro base de 80% da percentagem de subida do PIB nos dois últimos anos de vigência dos CTPM.

Se aceita mais risco e um rendimento variável, pode ainda investir no fundo ETF iShares Euro Corporate Bond Large Cap UCITS ETF, que investe em obrigações de empresas com boa qualidade creditícia

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

        SÓ QUERO DIZER  QUE PARA ESTE RISCO A TAXA DE JURO NÃO PODIA SER MENOS DE 8 A 10%

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Tem risco, óbvio, mas parece-me que a DECO deve ter feito um acordo qualquer com o Estado Português  ;D para eles só se devia investir em produtos do Estado e da Optimize  ::)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para mim o Estado é idêntico ao Porto a divida é ponto assente que nunca se vai pagar na totalidade e também não invisto no estado, agora que é uma taxa pequena para o risco não há duvida......................

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Para mim o Estado é idêntico ao Porto a divida é ponto assente que nunca se vai pagar na totalidade e também não invisto no estado, agora que é uma taxa pequena para o risco não há duvida......................

Há 2 anos foi de 8,25%, é a diferença da percepção de risco geral, o risco é igual, só que há dois anos parece que tudo ia abrir falência, hoje em dia tudo isso desapareceu, porque achas que houve o tal CLN EDP a 8%? :)

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

pelo que parece, após estar satisfeito o 1º critério de rateio - 200 O a cada subscrição, o restante é por ordem de chegada dia a dia, ou seja, não é como antigamente, se a procura fosse 10 vezes mais, eram atribuídas 10%.

aqui, se fôr no 1º dia e houver obrigações suficientes, pode-se ficar com a totalidade do pedido.

será assim?

então é preciso cuidado, não pedir 5.000, à espera que calhe 1.000, pois se for no 1º dia, pode mesmo ficar com perto das 5.000.

isto é mesmo assim?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pois eu pedi 55K e vou rezar que me atribuam tudo. Risco de incumprimento? Quem não se sente confortável ponha debaixo do colchão. Mas algum dia o FCP vai à falência? Eu tive as anteriores do FCP 8.25% e só tenho pena de não ter comprado mais.

Para mim as obrigações continuam a ser o melhor investimento principalmente estas com cupões de 6.75%.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Até porque não houve casos recentes de vários clubes a falirem.

O AEK de atenas, glasgow rangers, Portsmouth, CSKA Sofia, e o panathinaikos foi a rasca que se livrou, que ate passou a jogar de dia por nao ter dinheiro para a luz.

Aliás, ate o barcelona ja teve dificuldades no acesso ao credito. Mais dia menos dia, rebenta a bolha, resta saber quando.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Mesmo não sendo do FCP nao teria problema nenhum em ser acionista deste clube

Se são obrigações nao é accionista, mas sim credor.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Lá está, a perceção de risco não é igual para todos.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

isto é mesmo assim?

Pelo que li no prospecto, fiquei com a ideia de que quem pediu no primeiro dia tem uma grande probabilidade de ficar com a totalidade do pedido.

Sendo assim, acho que quem queria 1 e pediu 5 a pensar no rateio, poderá ter feito um erro e acabar por ficar com muito mais do que queria.

Alguém com a mesma interpretação?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Pelo que li no prospecto, fiquei com a ideia de que quem pediu no primeiro dia tem uma grande probabilidade de ficar com a totalidade do pedido.

Sendo assim, acho que quem queria 1 e pediu 5 a pensar no rateio, poderá ter feito um erro e acabar por ficar com muito mais do que queria.

Alguém com a mesma interpretação?

parece-me que é mesmo assim.

exemplo:

15.000.000

se pelo 1º critério for atribuído (200 obrig a cada subscr.) 20% - 3.000.000

sobram para o 2º critério de rateio 12.000.000

se no 1º dia só houve 9.000.000 € de subscrição, parece que essas pessoas ficam com a totalidade.

os restantes 3.000.000 serão para atribuir a quem subscreveu no 2º dia e assim sucessivamente até haver plafon.

se alguém tiver a certeza diga, pois ainda há tempo, para quem subscreveu mais do que queria, anular a ordem.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Se a procura de Obrigações for superior ao número de Obrigações disponíveis, proceder-se-á a rateio das mesmas, de acordo com a aplicação sucessiva, enquanto existirem Obrigações por atribuir, dos seguintes critérios:

1.      Atribuição de 200 Obrigações (ou do número de Obrigações solicitadas, no caso deste ser inferior a 200) a cada ordem de subscrição. No caso do número de Obrigações disponíveis ser insuficiente para garantir esta atribuição, serão satisfeitas as ordens que primeiro tiverem dado  entrada no sistema de centralização de ordens da Euronext Lisbon (estando, para este efeito, em igualdade de circunstâncias todas as ordens que entrarem num mesmo dia). Relativamente às ordens de subscrição que entrarem em sistema no dia em que for atingido e ultrapassado o montante máximo da Emissão, serão sorteadas as ordens a serem satisfeitas;

2.      Atribuição das restantes Obrigações solicitadas em cada ordem de subscrição de acordo com a respectiva data em que deram entrada no sistema de centralização de ordens da Euronext Lisbon, sendo dada preferência às que primeiro tenham entrado (estando, para este efeito, em igualdade de circunstâncias todas as ordens que entrarem num mesmo dia). Relativamente às ordens de subscrição que entrarem em sistema no dia em que for atingido e ultrapassado o montante máximo da Emissão, será atribuído um número de Obrigações adicional proporcional à quantidade solicitada na respectiva ordem de subscrição, e não satisfeita pela aplicação do critério anterior, em lotes de 1 Obrigação, com arredondamento por defeito;

3.      Atribuição sucessiva de mais 1 Obrigação às ordens de subscrição que, após a aplicação dos critérios anteriores, mais próximo ficarem da atribuição de um lote adicional de Obrigações. No caso do número de Obrigações disponíveis ser insuficiente para garantir esta atribuição, serão sorteadas as ordens a serem satisfeitas.

·        Cada ordenante poderá transmitir uma só ordem de subscrição, sem prejuízo dos casos de cancelamento de ordem de subscrição (caso em que o ordenante poderá decidir, posteriormente ao cancelamento, dar nova ordem de subscrição, se o período de subscrição ainda estiver a decorrer).

Caso sejam dadas várias ordens, apenas será considerada válida aquela que tiver sido apresentada em primeiro lugar e, em caso de ordens apresentadas no mesmo dia, a de maior quantidade.

·        Para efeitos de aplicação dos critérios de rateio, a alteração efectuada a uma ordem de subscrição é equiparada à revogação da mesma e à transmissão de uma nova ordem (ou seja, a ordem inicialmente transmitida, por via da sua alteração, perderá a respectiva antiguidade, passando a relevar, para efeitos de aplicação dos critérios de rateio, a data da sua alteração).

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Um dia destes o estado anuncia que não pode pagar tudo (132.5%) logo a seguir vão os maiores clubes de futebol de Portugal, é tudo uma questão de tempo.........................................

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

O Afer anda a ler as leis de Murphy. Se isso acontecer nada escapará, nem clubes, nem empresas, nem bancos, nem nada.

Sempre que aparecem boas aplicações financeiras aqui no forum, surgem os profetas da desgraça. Já estou como o outro: Porque será?

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead