João Jose

Herança

4 publicações neste tópico

Boa tarde, preciso de ajuda em relação a uma questão de herança.

O meu pai faleceu, deixou uma casa e algum dinheiro, acontece porém que ele era casado em segundas núpcias, (sendo certo que do primeiro casamento ele nunca fez partilhas), e deixou uma cota disponível para minha madrasta, até aqui tudo certo, acontece porém que nem eu nem meu irmão nos pudemos deslocar ao funeral ele por motivos de esta fora do país eu por outros motivos pessoais, no entanto a minha irmã, sem dar cavaco a ninguém fez as contas com a minha madrasta e entendeu receber ela a parte que supostamente lhe caberia assim como as duas partes que caberiam aos irmãos, tudo isto feito sem nosso conhecimento (de mim e meu irmão) porque achamos isto muito estranho, eu e meu irmão resolvemos contratar um advogado para tratar e regularizar a situação, acontece porém que a minha irmã fez questão de esbanjar quer a parte dela quer a parte dos irmãos, atendendo a que o mercado está impossível de vender a casa, o advogado da minha madrasta fez a proposta de ficar ela com a casa pelo valor em que está registada nas finanças, dando-nos a mim e ao meu irmão a parte da casa que nos cabe assim como a parte que caberia a minha irmã, que é de valor muito inferior ao dinheiro que a minha irmã levou, aconselhando-nos a depois mover uma acção contra ela para reaver o restante.

Uma vez que já corri o Código Civil e não encontro resposta para a minha questão é a seguinte:

Não era da responsabilidade do cabeça de casal preservar a herança só fazendo partilhas quando todos tivessem presentes?

Não será da responsabilidade do cabeça de casal mover uma acção contra a minha irmã para reaver o que ela ilegalmente levou?

Não será da responsabilidade do advogado que eu e o meu irmão contratamos no âmbito deste processo promover o regresso desse dinheiro a herança?

Será que este advogado se está a fazer a que eu e o meu irmão venha a gastar mais dinheiro em outro processo que deveria ser logo resolvido no primeiro?

Agradeço desde já a ajuda que peço que seja urgente na medida em que o advogado anda-nos a pressionar para aceitar a solução por ele apresentada.

Agradecido

João José

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Boa tarde, preciso de ajuda em relação a uma questão de herança.

O meu pai faleceu, deixou uma casa e algum dinheiro, acontece porém que ele era casado em segundas núpcias, (sendo certo que do primeiro casamento ele nunca fez partilhas), e deixou uma cota disponível para minha madrasta, até aqui tudo certo, acontece porém que nem eu nem meu irmão nos pudemos deslocar ao funeral ele por motivos de esta fora do país eu por outros motivos pessoais, no entanto

1. a minha irmã, sem dar cavaco a ninguém fez as contas com a minha madrasta e entendeu receber ela a parte que supostamente lhe caberia assim como as duas partes que caberiam aos irmãos, tudo isto feito sem nosso conhecimento (de mim e meu irmão)

porque achamos isto muito estranho, eu e meu irmão resolvemos contratar um advogado para tratar e regularizar a situação, acontece porém que

2. a minha irmã fez questão de esbanjar quer a parte dela quer a parte dos irmãos,

3. atendendo a que o mercado está impossível de vender a casa, o advogado da minha madrasta fez a proposta de ficar ela com a casa pelo valor em que está registada nas finanças, dando-nos a mim e ao meu irmão a parte da casa que nos cabe assim como a parte que caberia a minha irmã, que é de valor muito inferior ao dinheiro que a minha irmã levou, aconselhando-nos a depois mover uma acção contra ela para reaver o restante.

Uma vez que já corri o Código Civil e não encontro resposta para a minha questão é a seguinte:

4. Não era da responsabilidade do cabeça de casal preservar a herança só fazendo partilhas quando todos tivessem presentes?

Não será da responsabilidade do cabeça de casal mover uma acção contra a minha irmã para reaver o que ela ilegalmente levou?

Não será da responsabilidade do advogado que eu e o meu irmão contratamos no âmbito deste processo promover o regresso desse dinheiro a herança?

Será que este advogado se está a fazer a que eu e o meu irmão venha a gastar mais dinheiro em outro processo que deveria ser logo resolvido no primeiro?

Agradeço desde já a ajuda que peço que seja urgente na medida em que o advogado anda-nos a pressionar para aceitar a solução por ele apresentada.

Agradecido

João José

1. O cabeça de casal é a vossa irmã?

2. Típico. É muito fácil gastar o dinheiro dos outros... O advogado não deverá ser "meigo" com a atitude da vossa irmã!...

3. Parece-me uma solução correta, caso a "madrasta" esteja receptiva à proposta. Chegaram a falar com ela sobre essa hipótese ou foi o advogado falar com ela em vosso nome?

4. O advogado expôs as soluções possíveis. Ele intenta a acção após a vossa ordem. Parece-me, não tendo vós tomado a proatividade, ele está a agir corretamente!...

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1º. Não, a cabeça de casal é a nossa madrasta.

2º. Acho que sim, o advogado está a ser muito tenrinho porque a minha madrasta foi buscar um advogado que trabalha no mesmo gabinete que o meu advogado e é muito mais experiente.

3º Mais grave, para mim foi o nosso advogado a falar em nome do advogado da minha madrasta.

4º. Peço perdão mas não entendi a 4ª questão.

Agradecido

J.José.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

1º. Não, a cabeça de casal é a nossa madrasta.

2º. Acho que sim, o advogado está a ser muito tenrinho porque a minha madrasta foi buscar um advogado que trabalha no mesmo gabinete que o meu advogado e é muito mais experiente.

3º Mais grave, para mim foi o nosso advogado a falar em nome do advogado da minha madrasta.

4º. Peço perdão mas não entendi a 4ª questão.

Agradecido

J.José.

Parece-me que não há contacto verbal dos irmãos para a irmã e dos irmãos para a madrasta, ao ponto de ser preciso um advogado intermediar o diálogo entre ambos!

Caso verifique que o vosso advogado não representa os vossos interesses, devido ao conflito de interesses, deveriam seguir um dos seguintes caminhos:

- tomar a iniciativa de dialogar com a vossa irmã e a vossa madrasta por forma a chegar a um acordo/entendimento, sem que haja "delapidação" da herança em honorários

- dirigir-se a outro escritório e consultar um advogado especialista na área de heranças.

0

Partilhar esta publicação


Link para a publicação
Partilhar noutros sites

Este conteúdo terá de ser aprovador por um moderador

Visitante
Está a comentar como Visitante. Se já se registou, por favor entre com o seu Nome de Utilizador.
Responder a este tópico

×   Colou conteúdo com formatação.   Remove formatting

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead