Pesquisar na Comunidade

A apresentar resultados para as etiquetas 'ajuda'.



Mais opções de pesquisa

  • Procurar por Etiquetas

    Escrever etiquetas separadas por vírgulas, que representam o tema específico do tópico. Exemplos: "irs", "acções", "descontos", "férias".
  • Procurar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Finanças
    • Créditos
    • Bancos
    • Seguros
    • Imóveis
    • Incumprimento e Penhoras
    • Poupar dinheiro
    • Investimentos
  • Fiscalidade e Trabalho
    • Impostos
    • Segurança Social
    • Direitos do trabalhador
    • Trabalho por conta própria
    • Heranças
  • Geral
    • Apresentações
    • Diversos
  • Fórum
    • Regras

5 resultados encontrados

  1. Olá, Depois de pesquisar bastante vim parar a este forum, espero estar a pedir informaçoes no sitio certo. Tenho 26 anos e vivo com os meus pais e 2 irmãos. Sou o único membro do agregado que trabalha. Ganho 700e. Trabalho bastante longe de casa, perdendo à volta de 4h em transportes publicos todos os dias. A minha mãe tem tido trabalhos esporadicos nos ultimos anos mas a condição de saúde dela debilitou-a bastante, pelo que agora está a receber apenas o subsídio de desemprego e fica por casa para ajudar os meus avós que também estão a precisar de apoio. O meu pai é desempregado de longo termo, consegue apenas alguns trabalhos tambem esporadicos a recibos verdes que de vez em quando la dão para equilibrar as contas. Os meus irmãos são mais novos e ambos estao a estudar. Nao nos qualificamos para RSE, mas a nossa situação é bastante apertada. Vivemos mes a mês e às vezes nem isso conseguimos (estamos, por exemplo, com 2 rendas em atraso de momento). Estou muito cansado da minha vida, que passa de trabalhar 10h por dia e 4h em viagem. O resto do tempo que me sobra é para comer, dormir, e preparar as coisas para o horario de trabalho. Gostava bastante de sair de casa, e ha uns meses, como as coisas estavam mais equilibradas, estava a pensar candidatar-me à porta 65 e mudar-me para mais perto do meu trabalho, mas basta haver algum imprevisto e as nossas contas ficam outra vez desequilibradas. Nao sou capaz de abandonar a minha familia e tratar apenas da minha vida, pelo que nao me passa tomar nenhuma decisao enquanto as coisas nao estiverem estaveis - mas ainda falta bastante ate os meus irmaos terem idade para arranjar um emprego ou para os meus pais terem idade para a reforma. Nao consigo imaginar-me viver assim por mais 10 anos. Tambem nao acho que va arranjar um emprego melhor mais perto de casa. Quero muito equilibrar a minha situaçao financeira de qualquer forma, mas nao sei como o fazer. Estou cansado de viver constantemente no limite, sem saber quando é que as coisas vao correr mesmo mal. Encontrei este forum por ter chegado a altura de fazer o IRS (Tenho feito o meu irs separado dos meus pais, mas nem sequer sei se isto foi a melhor opçao? Vi que podemos declarar ascendentes a cargo, mas nao sei se eles se qualificam por ainda nao estarem em idade de reforma.) Ha algum outro apoio a que eu possa recorrer na minha situação? Algum sítio onde me possa dirigir para falar com alguem que perceba de contabilidade para tentar estabelecer um plano que me permita resolver a minha vida? Peço desculpa pelo texto longo. Obrigado
  2. Boas, Possuo um crédito automóvel com o montante total de 10.139,95€ o qual inclui 9.500,00€ respeitante ao montante de credito solicitado pelo consumidor e o montante de 639,95€ relativos a encargos financeiros. Tem a duração de 48 meses e a TAN é de 7.500000% e a taxa é fixa. Sendo o valor detalhado de cada mensalidade o seguinte: Capital: 196.56€ Juros: 48.11€ Comissões de processamento: 3,00€ Imposto Selo : 1.92€ Total 249.59€ Já efectuei o pagamento de 13 mensalidades e o capital em dívida é de 7500.71€. A minha questão é: Se amortizar neste momento 5.000€, com que mensalidade ficarei, e dessa mensalidade, quanto amortizo de capital e pagarei de juros? E já agora pagando o valor total em dívida, ou seja os 7500.71€ terei de pagar algo extra ou consigo poupar algo? Desde já muito obrigado, é que ando um bocado confuso com tanto que já li. Com os melhores cumprimentos
  3. Cheguei ao Porto no final de Novembro, e fui morar em um quarto que encontrei no site easyquarto. Não assinei qualquer contrato e todo o processo se deu por e-mails (pois vim do Brasil e não queria chegar aqui sem já ter uma morada garantida). Já nos primeiros dias, vi que se tratava de uma cilada, e que o casal de senhorios eram pessoas bastante instáveis; portanto avisei a eles - que também moram na casa - que sairia no final deste mês (dezembro), e solicitei que me fosse devolvido o caução de €180, para que eu pudesse pagar por outra habitação (isso depois de já ter pago €200 no dia 5 de dezembro, relativo ao aluguel deste mês). No dia seguinte ao aviso, a senhoria veio me dizer que o caução só seria devolvido no final do mês e que, caso eu tivesse quebrado qualquer coisa que fosse, não o devolveria. Perguntei a ela sobre um prato que se rachou quando o coloquei no microondas na minha primeira semana, e se isso seria justificativa para não me devolver o caução. Ela simplesmente perdeu a cabeça e me mandou "ler as regras", que são um sem fim de papeis afixados pela casa, com tópicos que falam até sobre inspeções na arrumação dos quartos (que, caso não estejam arrumados segundo os padrões da senhoria, também seriam usados como justificativa para não devolver o caução); ou seja, não quis me dizer com todas as letras que me roubaria o dinheiro do depósito por conta de um prato partido (que quando foi partido, mostrei prontamente ao senhorio, que no momento disse-me que "tudo bem, isso acontece"), mas está somente esperando eu entregar as chaves para me avisar da burla. O nível de desequilíbrio é tanto, que a senhoria chegou a mencionar que haviam "câmeras" espalhadas pela casa que nos vigiavam. Mesmo quase certo que se tratava de uma grande mentira, disse a ela que tal ato era crime. Diante disso ela me disse que eu estava "faltando ao respeito com ela", o que, segundo um dos papeis afixados, TAMBÉM era justificativa para não devolver o caução. No momento estou sentindo-me como um refém nesta casa, até com medo de ter meus pertences confiscados como "pagamento" de alguma "regra". O que posso fazer para conseguir devolta este dinheiro, para que possa sair daqui o quanto antes? PS: tenho como prova somente os e-mails que troquei com o senhorio, nos quais se falam sobre valores, conta de banco e endereço da morada; mas não sei se o senhorio pode simplesmente dizer que aquele endereço de e-mail não é dele.
  4. Boas a todos, eu fiz 18 ainda a uns meses e já tenho feito um bom dinheiro na net, mas nunca paguei nada ás finanças nem IRS nem nada dessa treta (nem sei como se faz), mas agora que já fiz 18 tenho passado uns 500 aqui, outros 500 acolá para a minha conta do banco e daqui a pouco as finanças vão dar por ela. Eu faço serviços de Freelance, traduções, recebo de anúncios no meu website, mas não faço A MÍNIMA de como começar a ficar "legal" com as finanças e pagar tudo em ordem para não ter problemas, uma ajudazita e umas dicas dava cá um jeitaço Tenho também mandado umas faturas online pelo PayPal e não tenho cobrado IVA nem impostos nem taxas nem nada, uma ajuda nesse lado também dava-me grande jeito Obrigado desde já!
  5. Bom dia a todos. Possuo uma moradia em construção (2 pisos), com boa exposição solar, poço de água no terreno, junto a estrada. Após situação de divorcio continuei com o projecto pensando que iria conseguir realiza-lo, no entanto, neste momento creio ser um objectivo demasiado impossível, custa-me imenso desfazer-me deste imóvel uma vez que o terreno já estava na família à muitos anos.Tenho em ideia vender e comprar um apartamento. No entanto não faço a mínima ideia de que procedimento devo tomar. Qual o valor que o terreno com a moradia em fase de construção poderá valer. obrigada