Leaderboard

  1. Pedro Pais

    Pedro Pais

    Administrador


    • Pontos

      35

    • Contagem de conteúdo

      2.108


  2. gustaferra

    gustaferra

    Utilizador


    • Pontos

      20

    • Contagem de conteúdo

      75


  3. pfonseca

    pfonseca

    Utilizador


    • Pontos

      19

    • Contagem de conteúdo

      154


  4. D@vid

    D@vid

    Utilizador


    • Pontos

      17

    • Contagem de conteúdo

      7.800



Conteúdo Popular

A apresentar conteúdo com maior reputação desde 27-05-2017 em todas as áreas

  1. 6 points
    Como os fundos de investimento não são instrumentos de trading, a muita, pouca, ou falta de volatilidade pouco interessa, se eu tenho um fundo de risco 1, haja muita ou pouca volatilidade sei que o meu capital no máximo desvaloriza -0,5% ou valoriza praticamente na mesma proporção, se tenho um fundo risco 4 sei que o meu capital não deverá desvalorizar mais do que -10% e poderá subir nas mesmas proporções, se aplico 10.000€ neste fundo, o máximo de uma perda será na ordem dos 1.000€, isso vai me afectar? muito? pouco? nada? Quem tem de se preocupar com os mercados são os gestores dos fundos, eles é que têm que fazer as escolhas acertadas para que um fundo risco 4 não caia mais que 10%, para isso têm os mandatos de investimento, todos podem colocar tudo em liquidez se for necessário, a nós, basta-nos escolher os fundos, sentarmos no sofá e ver o capital crescer, é apenas isto, acho que há um stress demasiado nos fundos, eu vejo pessoas stressadas sem saberem bem quando entrar, quando sair, quando cai, quando sobe, isto é o trabalho do gestor e é para isso que lhes "pagamos" a comissão de gestão. Situações ideais para fazer fundos, ou reforçar, é tal coisa que não existe, vamos sempre procurar ( sim vamos mesmo procurar, o ser humano tem uma capacidade enorme de ver coisas onde ela não estão, tipo pareidolia ) qualquer coisa para darmos uma "desculpa" pelo não investimento, e isso deve-se ao facto de psicologicamente não termos um factor nos fundos que temos noutros tipos de aplicação, "CAPITAL GARANTIDO", mas se é para ter capital garantido, então temos de nos sujeitar a taxas ridículas de mercado e a não ganhar dinheiro. Em Outubro fazemos 5 anos de tópico, e vamos chegar á conclusão que quem fez os fundos, ou vários dos fundos, da 1ª página, que admito, até há melhores, ganhou efectivamente dinheiro, tanto em acções como obrigações, a importância da diversificação e ajustarmos o risco ao nosso perfil, é algo de importantíssimo. Se até estes sabem como investir... http://www.jornaldenegocios.pt/trading/detalhe/fundo-da-igreja-de-inglaterra-foi-um-dos-mais-rentaveis-do-mundo
  2. 5 points
    Sem me querer intrometer na conversa.... A maneira mais simples para um Português comum que tenha de trabalhar todos os dias e apenas queira aplicar as suas poupanças de uma forma mais rentável será através de fundos/Etf's tal como o salvador no seu tópico expôs. Para por exemplo 100k deixar em DP/CTPM uns 20% e o restante numa carteira desse género (ou como a do Mouro que replica o PP europeu) e aceitar que terá alguns DD mais acentuados. Quem não sabe escolher ações individuais deixe-se estar quieto e vá por um fundo para não correr o risco de entrar num BES ou BANIF. Se calhar através de fundos não se vai obter as melhores rentabilidades mas penso que a longo prazo não ficará mal servido. Pelo menos é disso que me convenço. Os fundos/ETF são propriedade do titular a não ser que haja grande marosca, por isso ter fundos da vanguard ou da pimco no BCP ou BES era indiferente em caso de falência destes IF. Acho que quando se anda à procura de rentabilidades muito grandes e a complicar as carteiras acabamos por não as conseguir. Já tentei fazer daytrading porque achava que ter 8% ao ano era pouco..... RESULTADO? Queimei duas contas Só me riu hoje pk aprendi com os erros
  3. 5 points
    Boas Ontem mesmo publiquei o meu livro sobre a estratégia para me reformar nos 30s, tal como tinha dito aqui no fórum que ia fazer: https://www.amazon.com/dp/B06XJ86PTR Para quem não está habituado ao Kindle, podem sacar uma app do Kindle no site da Amazon e depois ler os livros num computador ou iPad normal. Importante: o preço até segunda feira está a 99 cêntimos porque eu quis oferecê-lo aos subscribers do meu blog e aos followers no facebook. Estou a estender a oferta aos users aqui do fórum mas só consigo garantir este preço até segunda. Depois o preço será entre 3.99 e 7.99€. Obrigado! Já agora, quem comprar pode postar aqui e depois dar-me feedback? Tenho lá muitos dados sobre Portugal e como viver em Portugal, gostava de ter feedback vosso sobre isso - se a vossa experiência é a mesma. Espero que gostem! Fight on! Abraço
  4. 4 points
    Há várias variáveis a ter em consideração, se é uma pessoa solteira a viver sozinha, se é um casal, se é um casal com 1, 2 ou mais filhos ... se o casal pretende deixar de trabalhar ou se apenas 1 dos cônjuges pretende deixar de trabalhar .. Ou seja, há variáveis que facilmente influenciam o "resultado" final de se "reformar" mais cedo .. Nada que uma folha de Excel bem preenchida não consiga extrapolar .. Por exemplo: Casal com 1 filho, ambos trabalham, ele recebe 1500€ líquidos / mês, ela recebe outros 1500€ líquidos / mês ( total 3000€ líquidos / mês ) Crédito Habitação a 40 anos de um T3 com mensalidade entre 400 a 600€ consoante a Euribor, coloca-se 500€ / mês em média Condomínio >30€ / mês IMI >350€ / ano Despesas escolares ( Privada ) do filho ( +300€ / mês no mínimo ) Alimentação em casa >300€ / mês Alimentação ao almoço fora do escritório / messe / cantina, [ 5 - 10€ ] x [ 18 - 23 dias ] x 2 pessoas = ( [ 90€ - 180€ ] ou [ 180€ - 230€ ] x 2 ) = entre 180€ a 460€ no caso + extremo, faz-se 320€ em média Água, luz / gás, Pacote TV/Internet/Móvel > 200€ 2 automóveis já pagos com consumos combustível mensais de 150€ ( 75€ x 2 ) IUC seguros e afins > 500€ / ano Jantar fora 2 vez por semana ( 50€ x 2 = 100€ ) Férias 2 vezes ano dependendo do destino ( 1000 x 2 = 2000€ ) Idas ao médico > 250€ ( pode ser menos, ou pode ser mais dependendo das pessoas ) ( podem haver outras despesas mas que agora não me recordo ) Neste cenário, esta família gasta sensivelmente o correspondente a 1858€ / mês e pouparia na teoria pouparia 38% do rendimento disponível. As últimas notícias dão conta que as famílias portuguesas apenas conseguem poupar 3.8% do rendimento disponível, ou seja, esse cenário que coloquei em cima parece ser uma utopia .. o que leva à hipótese da malta andar a gastar mais do que tem ... e andar sempre na corda bamba .. Para 1 destes cônjuges viver apenas de juros, teria que no mínimo garantir rendimentos / juros mensais líquidos de 1500€ para manter este nível de vida em cima exemplificado .. Mas atenção porque tem de ser 1500€ certinhos todos os meses .. não pode ser um rendimento volátil ... não pode ser um mês 800€ e no seguinte 1800€ ... porque aquelas despesas fixas não mexem ... a não ser que a família consoante o rendimento variável opte não jantar fora e andar menos no carro no mês que entre menos €€€€ .. se é que me faço entender .. Se ambos quiserem deixar de trabalhar, tem de garantir 3000€ líquidos / mês para manter esse estilo de vida em cima .. Repara que mesmo com 1% TANB em DP a 1 ano ( anda tudo pelos 0% ou <0.X% ), mesmo que este casal tivesse 1 milhão de € no banco "só" dava 7200€ líquido ano ( 600€ / mês ) Para conseguir depender de 1 milhão de € a render num DP, a TANB teria que ser 5% para render 36 000€ líquidos / ano ( 3000€ / mês ), mas mesmo as taxas dos DP's variam em relativo pouco tempo .. ou seja, voltamos outra vez à questão da estabilidade de income passivo necessário .. ( 3000€ líquido / mês no caso do casal deixar de trabalhar ) Se for o caso de uma pessoa solteira sem filhos, as despesas serão menores ( não há custos com filhos, apenas 1 automóvel etc ), mas as outras variáveis podem disparar facilmente se o solteiro for " boémio " e gostar muito de fazer 4 viagens / ano para destinos exóticos, morar num T1 a pagar arrendamento de 500€ / mês e andar sempre em jantaradas e copos ( > 300€ / mês ) .. Ou seja, cabe a cada um fazer este tipo de contas e extrapolar que investimentos actualmente existentes é que permitiriam um cash-flow estável necessário para manter um determinado padrão de vida .. mas em Portugal é um pouco complicado, mesmo quem investe em Imobiliário alavancado por Crédito tem sempre ali a faca apontada caso os inquilinos falhem rendas e depois o proprietário é que tem de entrar com capital próprio / comer poupanças para pagar a(s) prestações ao banco senão fica sem a(s) casa(s) .. Este é um tema muito interessante e penso que em Portugal muito pouca gente se debruça sobre o mesmo, infelizmente é triste porque há bastantes estudos que apontam para um decréscimo acentuado nos valores das reformas aliado à baixa taxa de natalidade e ao aumento da esperança média de vida e quando a malta se reformar vai cair o queixo quando virem que vão receber um "cagagésimo" do que ganhavam ... mas as despesas fixas / padrão de vida mantém-se inalterado ... por outro lado a taxa de poupança é quase nula .. é preocupante, sei que há muita gente que ganha pouco, mas também há malta que tinha margem para poupar e não o faz conscientemente .. prefere o Carpe Diem .. mas depois não chorem um dia mais tarde eh eh
  5. 4 points
    O fundo Pionner foi apenas um exemplo, mas posso dar outro exemplo ( só dou exemplos da 1ª página, não vou buscar outros ), de um fundo de emergentes Asia que é o JPM ASEAN, que aposta na Indonesia, Singapura, Tailândia etc, em 7 anos está com uma rentabilidade de 95%, mais de 13,5%/ano portanto, não estamos a falar em nenhum fundo EUA, estamos a falar num fundo com uma volatilidade de 13% a 3 anos, risco 6 ( portanto fundo com variações de 25% ) acham mesmo que para este fundo o melhor seria ter uma estratégia de market timming? consegue-ria-se melhor do que 13% ao ano em 7 anos a tentar "adivinhar" quando acabavam os dips ou os tops? Nelson Mandela disse uma vez: "Tudo é considerado impossível até acontecer", eu não direi nunca que seja impossível, óbvio que é possível, mas digamos, ou é uma grande dose de sorte... Este tipo de discussão, o pessoal que me desculpe, se há quem chame arrogantes a uns, ou velhos outros , é discussão que irá permanecer sempre, não é só nós que somos meros mortais e que tentamos ganhar alguma coisa com o pouco que temos, é mesmo a nível de grandes investidores, eles próprios cada um tem a sua opinião, portanto não se sintam "ofendidos" quando eu ou alguém diz que para nós o ideal é sentar no sofá, espero que esta minha expressão seja entendida como ela deve de ser, uma expressão de exagero, aprendemos com os erros, já alguém em tempos também dizia: " só quem não experimentou o erro, nunca experimentou nada novo", e como já fui sangue na guelra, e andava todas a noites a ver o mercado, e a ler noticias, e a ver se adivinhava como se ia comportar o mercado, acabei por experimentar o erro da pior forma, talvez tenha tido azar, inexperiência, numa altura em que não havia blogs sobre estas temáticas, decidi enveredar por outro tipo de abordagem nos fundos, estava a tentar fazer nos fundos o que talvez devesse fazer nas acções, mas porque hei-de eu estar a fazer isso se estou a "pagar" uma comissão ao gestor de fundo para fazer isso por mim? em boa hora tive esse pensamento, estou mais tranquilo, ainda levei uma bela dose de água fria em cima ( ano de 2008 que muitos aqui nem sonham o que foi ), mas percebi que, um 2008 acontece de décadas em décadas, que no futuro já estaríamos melhor preparados para quedas deste tipo, a não ser que fossem novamente grandes falências de bancos, e mantenho essa opinião. Não quero mudar mentalidades, quero aprender mas também deixar claro o que fui como investidor e o que sou, a 1ª página com alguns fundos não foi inocente, e Outubro será uma data marcante do tópico, faz 5 anos, para mim o horizonte chave, e vamos ver quanto se ganhou, ou se ganharia, em 5 anos com estes fundos, numa perspectiva claro de buy and hold, nunca saberemos se poderíamos ganhar mais em fazer market timming, mas se querem saber, nem me interessa .
  6. 4 points
    Estou quase certo que me daria muito que pensar. Há 6/7 anos mudei para a opinião que tenho. Estou certo que poderei mudar de volta para a opinião original, com que vivi tanto tempo como esta. Concordo plenamente. E se eu fosse perito de alguma coisa não duvido que continuasse com a mesma opinião. Já me apercebi que estou excessivamente agressivo. Infelizmente dou-me bastante mal com stress (com que vivo actualmente na minha vida). Quem me conhece sabe que não é por mal que às vezes saio assim agressivo e a internet ainda piora, pois ainda é mais complicado perceber as intenções de outrem devido a ser só escrito. Peço desculpa se acharam que faltei ao respeito a alguém. Por favor continuem como se nada se tivesse passado. Mas com a vossa permissão gostaria de um dia mais tarde (2 a 3 meses, e quando a minha vida tiver normal) voltar a este tema, mas desta vez sem animosidades. Acho que se alguém tem capacidade de prever recuperações e ganhar $ devíamos explorar isso. Terei todo o gosto em seguir várias carteiras que farei em excel/R (ou que for) e se de facto ao longo dos anos alguém provar por a+b que tem vindo a conseguir ter bom timing aproveitarmos todos as "dicas" dessa pessoa. Já sabem que sou da opinião que ng vai conseguir, mas não sou dono da verdade e a minha opinião é inconsequente para o facto de alguém conseguir isso ou não. De novo peço desculpa se saí demasiado agressivo. Acho que toda a gente merece respeito, independentemente da idade.
  7. 3 points
    A quantidade de coisas acertadas que o 5 coroas tem dito face à falta de likes dá-me impressão que a maioria das pessoas está mesmo a leste do paraíso no que diz respeito a investimento em fundos [e nem se apercebem das coisas acertadas que ele tem dito]. Contudo, deixa-me discordar parcialmente de ti quando dizes Ter BGF EUROPEAN FOCUS E2 EUR em vez de MFS Meridian European Value A1 EUR não faz sentido por exemplo. A qualidade dos fundos importa. Não são ETFs passivos em que a escolha entre os da vanguard e os ishares pouco importa ao fim do dia. A performance de determinados fundos são significativamente diferentes. A fase de entrada por acaso foi bastante boa, mas entre maus fundos e má alocação geográfica (na minha opinião) a rentabilidade lá se foi (quer dizer tb não foi assim tão má mas podia ser muito melhor). @futsal78 Assumo que querias exposição mundial a acções. Penso que as pessoas complicam demasiado. Testei no Portfolioanalyser essa carteira vs o MFS Meridian Global Equity A1 EUR LU0094560744 desde 10/08/2015 e o resultado... é uma diferença de 4.69% de rentabilidade anualizada da tua carteira vs 12.04% anualizado para o MFS (ainda por cima com menos desvio padrão). Fonte: Portfolio Analyser P.S. O que nos leva a outra questão. Se as datas que dizes ter investido estiverem certas devias estar a ganhar quase 10% com essa carteira, não 1% (como dizes estar a ganhar). Fizeste reforços ou assim? Entraste em fundos em alturas diferentes?
  8. 3 points
    Espera espera. Eu não mexia mas o António mexia. Hã? Nada? OK...
  9. 2 points
    Boa noite a todos Existe uma questão que me deixa sempre a pensar. Estando eu neste momento ainda a coleccionar dinheiro e a obter rendimentos extra através dos juros, qual será o montante necessário para uma pessoa, se assim quiser, despedir-se do emprego e vir para casa ressonar a viver à pala dos juros dos depósitos a prazo? Tendo em conta um juro limpo de 3,75%, tem-se que uma pessoa com 300 mil euros em depositos consegue viver com 937,5 euros/mês. Uma pessoa com 500 mil euros vive com 1562,5 euros/mês. Será que compensa por exemplo vender uma casa de 500 mil euros e despedir-se do emprego de seguida, ou seja, deixa-se de receber remuneracao mas também liberta-se dos impostos relativos a essa casa. Mete-se o dinheiro a render, aluga-se uma boa casa por 800 euros e ainda se tem 700 e tal euros para o resto das despesas...isto sem se levantar do colchão. Alguém já pensou neste tipo de estratégia? Qual será o montante minimo necessário em depositos para se ter uma vida normal (alugar casa 3 assoalhadas + carro e despesas normais) vivendo apenas dos juros dos depositos a prazo?
  10. 2 points
    Há sempre quem ganhe com o arrendamento.. 1º o inquilino, 2º o advogado 3º o tribunal.
  11. 2 points
    Não! O risco varia consoante o banco/correctora e os instrumentos financeiros que vais negociar! E quanto melhor o conhecimento próprio sobre aquilo em que vais investir menor o risco. Não é boa ideia deixar isso para gestores de conta pois só querem saber de cobrar comissões e taxas e praticamente não têm qualquer conhecimento e experiência comprovada em obter lucros negociando nos mercados. A grande maioria são apenas intermediários que apenas repetem aquilo que a grande maioria já sabe sobre os mercados, mas não são traders profissionais.
  12. 2 points
    Boas, Não me querendo repetir... O que era uma "realidade" há 10-15 atrás, deixou de o ser. Existe muita transformação na sociedade a todos os níveis. No fundo tudo se resume a 2 factores: Aversão ao risco Diversificação Não vale a pena investir em algo que não se está confortável. Mr. Buffet também não investia na Apple (tecnológicas) porque dizia ele, que não conseguia perceber o negócio. No entanto em 2016 a sua empresa, investiu na Apple. Isto tudo para dizer que a evolução faz com que empresas de sucesso há 10-15 anos, hoje não existam, e outras se tenham adaptado à nova realidade. PS- A expressão sites "manhosos" é que não faz sentido no teu texto. Aquilo não é HYIP
  13. 2 points
    Quem não arrisca não petista..... meta um valor minimo que não lhe faça difereça por exemplo na Raize P2P portuguesa e teste a plataforma. Muita gente arrisca em negócios pessoas tipo café , restaurantes e também tem o risco de negocio.... Se é averso ao risco de negócio ; Acções ; Fundos de Investimento etc.... Não saia dos D.P ou certificados de aforro....
  14. 2 points
    Quem investiu em CTPMs até fevereiro de 2015 vai benefeciar dessas taxas até 2020. Atualmente DPS e CTPMs dão taxas muito pouco acima da inflação e para se viver de juros não dá. É melhor pegar nesse dinheiro e investir em imoveis para arrendar ou qualquer outra coisa. As taxas de juros que atualmente oferecem são de fugir, mas pode ser que de futuro voltem a subir.
  15. 2 points
    Atenção nas P2P as taxas de 10 ou 12% não é a mesma coisa tiverem um cartão de crédito a 12% ou um crédito Habitação... Quem se financia nas P2P a taxa de 6% pagas muito menos do que na Banca..... As taxas parecem especulativas mas não são.... Quem investe por ex: a 12% a 12 meses teoricamente deveria receber 1000€ * 12% = 120€ de juro Mas como o capital é amortizado o calculo é na base mensal sobre o capital em divida, ou seja, 1000/12= 83,33 amortização juro mensal 1%... 1 mes = 1000 x 1% = 10 juros 2 mes = 916.667 ( 1000-83,333) x 1% = 9.1666 3 mes = 832 ( 916 -83.333 ) x 1% = 8.32667 4 mes = 749 x 1% = 7.49 5 mes = 665 x 1% = 6.65 6 mes = 581.67 x 1% = 5.8167 7 mes = 498 x 1% = 4.98 8 mes = 414 x 1% = 4.14 9 mes = 330 x 1% = 3.30 10 mes = 246x1% = 2.46 11 mes 162 x 1% = 1.62 12 mes 83 x 1% = 0.83 Se somarem os juros dá = 64,77 para os 120€ vai uma diferença, ou seja a taxa efectiva é de 64,77/1000 = 6.47% é especulação ? A única vantagem neste método podemos ir indo reinvestindo todos os meses, mas uma taxa teórica de 12% é razoável e vai em conta alguns investimentos por exemplo fundos de investimento. Quando vejo malta a defender investimentos em P2P a 2 anos e a empresa x tem ranking A e dá 5,5% eu fujo, porque a taxa efectiva é muito menor e o risco da empresa falhar pode acontecer e recuperar o capital é muito mais difícil....
  16. 2 points
    Duracellpt

    CGD

    Exatamente como eu, mas uso o Banco CTT. Na prática, o cartão de débito do Banco CTT funciona como um cartão pré-pago. Faço tudo com a conta do Banco Best e vou fazendo transferências (gratuitas) para o Banco CTT para carregar o cartão de débito .
  17. 2 points
    Pagando o 1€ mensal, poupas 2% nas compras até 10000EUR, poupança máxima anual de 200EUR 1% nos pagamentos de serviços (e ao Estado) até 10000EUR, poupança máxima anual de 100EUR Nos pagamentos de serviços podes inclusivé pagar outros cartões de crédito. Daí que eu tenha sugerido o "cenário ideal" de usar o Cetelem em supermercados para poupar 3% e depois pagá-lo com o Cofidis poupando 1%.
  18. 2 points
    Este Tópico vai-se tornar um clássico no tempo, só consegui ler as 1ºs paginas mas o essencial já foi dito. Por acaso, já tinha pensado nesta ideia e ando a fazer por isso..... Eu faria um pouco diferente as coisas, com os 500mil vendia a casa para ter liquidez mas tentava comprar um apartamento deacrodo com o tamanho do agregado famíliar, procuraria uma oportunidade até 100mil euros se possível. Deste modo, evitava pagar rendas e utilizava a sobra desse dinheiro do mes para reinvestir, para "combater" o problema da inflação, uma vez, este irá ao longo do tempo "comer" a rentabilidade para não falar da taxa média, tem estado a decair nos dias de hoje, temos por ex: taxas de 1% em DP ou em divida soberana anda nos 4%. Com essa capacidade de ir indo reinvestindo todos os meses; a idade , a inflação; tx média de lucro decaindo é irrelvante... O objectivo, como é óbvio seria viver mediante os juros gerados por mès.... isto é, 400 mil á taxa anual de 4% = 16000 ano / 12 = 1333 mês sem impostos = 960 mes após impostos... daria para 1 pessoa do agregado familiar trabalhar para o bronze e parte desse valor daria para reinvestir. Deste modo, daqui uns anos mais elementos do agregado familiar poderiam também trabalhar para o bronze.... Para min, o reinvestir e continuar aumentar as poupança é a variável chave.....
  19. 2 points
    Não tem mal nenhum, é um tipo de conta diferente da custody. Do documento da Degiro "ISI - Webtrader", podemos ler: "Custody Se escolher o perfil “Custody”, pode utilizar os Serviços de Investimento da DEGIRO, à exceção do serviço de Derivados. Ao contrário dos outros tipos de perfis, no perfil “Custody” os artigos 4.5 "Utilização por terceiros" e no artigo 9 "Empréstimo de Títulos" das Condições de Serviços de Investimento são de aplicação apenas nos casos em que utilize os serviços de Crédito ou Títulos a Descoberto. No Perfil “Custody”, os Títulos são detidos para si em separado, em contas combinadas de corretoras primárias e depositantes. A DEGIRO exigiu que tais corretoras primárias e depositantes não tivessem direito de utilizar essas contas. A DEGIRO não efetua empréstimos de Títulos provenientes de tais contas. Os Títulos detidos desta forma no Perfil “Custody” são protegidos contra falhas das corretoras primárias e depositantes ao serviço da DEGIRO. O Perfil “Custody” tem no entanto uma taxa superior."
  20. 2 points
    Sentar no sofá e ver o capital crescer? 😂 http://pt.fundspeople.com/news/nao-faca-nada-com-a-sua-carteira-correra-melhor
  21. 2 points
    Concordo contigo. A qualidade dos fundos importa e muito. O meu comentário ia no sentido de primeiro se determinar qual o destino a que queremos chegar, depois escolher o rumo que se pretende seguir e só depois seleccionar meticulosamente qual o melhor instrumento (Fundos ou outros instrumentos de qualidade) para lá se chegar com sucesso.
  22. 2 points
    Não é sobre os FI em si que deve recair a sua atenção mas sim sobre quais são os seus objectivos, duração do investimento e a sua estratégia que definiu. A partir daí é que escolhe os melhores instrumentos de investimento tendentes a atingir os seus objectivos. Diga-nos mais sobre o que pretende fazer.
  23. 2 points
    Na parte da decisão, olho bastante para o histórico e para os rácios, tens um exemplo, um dos maiores fundos do mundo, Nordea Stable Return, é um fundo que tenho há bastante tempo e custa-me algum dia sair dele, porque é um fundo que vai ao encontro do que pretendo e tem um histórico que me satisfaz, o fundo teve uma performance mediocre em 2015 e 2016, houve algumas decisões internas da gestora em 2016 que também o levaram a isso, o que levou muita gente a vender, eu não vendi, não posso esquecer o que foi para trás, e o que foi para trás? um fundo com uma média a rondar os 7% ao ano, que não teve performance negativa nos últimos 8 anos, estável, risco 3, uma gestora conceituada. Mais ou menos dentro do que disseste nas alineas sim, também temos de ter consciencia que a classe de risco mede as variações ( volatilidade ) e não propriamente uam rentabilidade.. Fica aqui uma boa explicação sobre isto e ficas a perceber o porquê de eu dizer que um fundo risco 2 pode ter variações para baixo até 2%: http://fundglossary.erste-am.com/srri/
  24. 2 points
    Relativamente às questões dos ascedentes, pode ser que tivesse vantagem em incluí-los na sua declaração de IRS, mas também pode ser que não fosse possível. Deve ler o que indica o artigo 78ºA do Código do IRS para confirmar se cumprem todos os requisitos: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/cirs_rep/irs78a.htm Obviamente que a informação que dá é limitada para ajuizar convenientemente o caso mas, a menos que conseguisse poupar em transportes o que iria gastar na renda de outra casa (ou quarto?), desaconselho essa opção pois só iria diminuir ainda mais a sua capacidade de liquidez (admitindo que ia continuar a contribuir para as despesas dos seus pais e irmãos). Por outro lado, isso poderia contribuir para eles terem acesso a mais apoios, dado que o rendimento do seu agregado familiar iria diminuir bastante. Para ganhar alguma qualidade de vida a primeira sugestão que me ocorreu foi a de arranjar uma motoreta - certamente iria poupar algumas das 4h que gasta em deslocações por dia e que poderia usar de outra forma. Precisa é de avaliar bem se a diferença entre a poupança no passe mensal e as despesas acrescidas com o combustível, seguros e manutenção da mesma compensam ou não o valor que representa para si a(s) hora(s) que ganha a mais. Quanto a apoios para essas situações, sugiro dar uma vista de olhos pelo website da Segurança Social, nomeadamente às páginas sobre Encargos com as Crianças e Jovens, Desemprego, Carência Sócio-Económica e verem se há alguma coisa que se aplica ao vosso caso em concreto e se cumprem os requisitos para os mesmos. Em qualquer caso, e dado que, pelo que percebi, os seus pais estão em casa sem trabalho, devem dirigir-se à Segurança Social e expor os detalhes da vossa situação e os vários cenários possíveis (por exemplo, podem mencionar que o David está a pensar sair de casa e por isso precisam de novas simulações) - os funcionários que prestam atendimento devem conhecer os apoios que estão disponíveis e só face a dados concretos é possível indicar o que pode ou não ser atribuído. Antes de irem à Segurança Social, façam o trabalho de casa e escreva todos os cenários possíveis (pelo que me parece, até já devem ter uma boa parte deste trabalho feito). Se os seus pais não estiverem à vontade com a terminologia ou os requisitos, e não os puder acompanhar, eles que peçam aos funcionários para escrever tudo num papel ou imprimir a informação ou ainda se há algum panfleto que possam trazer para depois poderem estudar em casa com mais detalhe. Quanto a conselhos para si, creio que compreende que é difícil dar grandes sugestões sem muita informação. Algumas coisas que lhe poderiam sugerir, como sair de casa, deixar tudo para trás e começar do zero, parece-me que vão contra os seus valores (não é uma crítica, muito pelo contrário - o dinheiro raramente é o mais importante). Acho que o melhor que tem a fazer no imediato é num dos próximos fins de semana convocar um conselho de família e desabafar com os seus pais e irmãos. Imagino que vá soltando alguns desabafos, de vez em quando, mas às vezes andamos tão concentrados nos nossos problemas que os sinais dos outros nos passam ao lado. Obrigar todos a parar para analisar a situação e pensar um pouco no caso às vezes ajuda. Discutir o problema entre todos também ajuda a criar ideias que ainda não tinham passado pela cabeça a ninguém (técnica de brainstorming). E sistematizar tudo também - por exemplo, quanto dinheiro é que entrou nos últimos meses e quanto é que saiu? De onde veio, para onde foi? Precisava mesmo de ser gasto? Há ou não margem para algumas mudanças? Se calhar vão descobrir que afinal até ainda podem poupar mais em algum lado; se calhar até vão descobrir que afinal há umas dívidas que os vossos pais ainda nem sequer vos tinham contado; se calhar os mais novos passam a preocupar-se mais com a forma como gastam o dinheiro; se calhar vão-se chatear uns com os outros. Mas, mesmo quando há chatices, as coisas podem correr bem desde que haja boa vontade de pelo menos uma das partes. E, se conseguir levar essa discussão em frente e levá-los a adoptar os seus objectivos, tipicamente vai conseguir atingi-los mais depressa - seja porque tentam fazer um plano para lá chegar, seja simplesmente porque estão a recolher a informação necessária para elaborar esse plano. A sua rede de contactos também pode ajudar - tem pessoas em quem confie para vos adiantarem dinheiro caso alguma coisa corra mal? Não que lhes vá a correr pedir dinheiro, mas é sempre bom saber qual o tamanho da rede de segurança antes de pensar sequer em saltar. Conhece alguém que lide com contabilistas ou com pessoas na área da segurança social e que o possam pôr em contacto com essas pessoas de forma a pedir alguns conselhos? Tem alguém com quem possa começar um trabalho, a partir de casa, talvez até mais rentável que o que tem agora? Mantém o contacto com os seus amigos do tempo da escola, ou antigos colegas de trabalho, sobretudo aqueles que têm uma profissão na sua área? Será que eles sabem que anda à procura de algo melhor ou que o avisariam caso essa oportunidade aparecesse? Às vezes há empregos parecidos ou melhores à nossa porta e nós é que simplesmente não o sabemos... E às vezes há pessoas que têm problemas parecidos com os nossos e que, quando os discutem em conjunto, descobrem que a meia solução que cada um tem, pode ser afinal combinada numa solução melhor. Se não tem essa rede de contactos, comece a construí-la desde já... E se é verdade que há muita gente que gasta inutilmente o tempo nas redes sociais, também é verdade que elas têm o poder para lhe mudar a vida. Literalmente. Como disse, sem números é difícil dar respostas concretas. E não bastam apenas os números, há outros factores, como a vontade que os seus pais tenham em encontrar um trabalho ou a idade dos seus irmãos ou muitas outras coisas - cada caso é um caso, e só quem vos conhecer pessoalmente pode dar conselhos certeiros (e mesmo assim...). É verdade que fiz mais perguntas que respostas, mas espero que descobrir as respostas a estas perguntas o possam pôr no caminho certo para descobrir as respostas às suas. Deixo apenas a sugestão adicional de que veja qual o melhor momento para se lançar neste projecto (não largue essa bomba quando os seus irmãos andarem a estudar para os exames, por exemplo). Espero que consiga a ajuda que procura. Mas sobretudo, com ou sem ajuda, espero que consiga dar à sua vida o rumo que pretende. Boa sorte.
  25. 2 points
    Costumam ter á volta de 15 dias para se subscrever com as condições de mercado primário, com a vantagem de poderes subscrever mesmo sem o capital na conta, só é preciso ter o capital na data de liquidação, no entanto os bancos geralmente não deixam que se subscreva valores substancialmente acima do património actual do cliente, se tens 5.000€ de património e dás ordem de 15.000€ provavelmente não deixam, no caso das OPS convém sempre subscrever no 1º dia por causa dos rateios.
  26. 2 points
    Na minha opinião é preferível manter uma conta custody, pela salvaguarda adicional que proporciona aos activos.
  27. 2 points
    Não uma acção, mas uma obrigação. Na data de maturidade sabes quanto vais receber, é o valor nominal (menos comissões). Até lá é que pode valer mais ou menos no mercado. Portanto se mantiveres até ao fim não terás surpresas, salvo o pior cenário de uma reestruturação da dívida que em teoria também poderia afetar os certificados (CA, CT, CTPM).
  28. 2 points
    Só é necessário declarar alguma coisa quando há vendas.
  29. 2 points
    Realmente por essa forma de falar e com essa escrita, vê-se mesmo que é daquelas pessoas que acham que todos lhe estão a dever alguma coisa e que qualquer desculpa serve para deixar de pagar. Se pediu tem de pagar! Ponto final parágrafo. Acho muito bem que vão para tribunal.
  30. 2 points
    Exactamente, no caso do ETF de acções, ficas com um portfólio mais diversificado se escolheres um ETF global em vez de um ETF da Europa (só de países da zona euro). O risco cambial é pequeno. Neste tópico também já foi referido que os ETF de obrigações devem ser em euros (a moeda base do ETF), pelo que ficamos só pela Europa. Neste caso, penso que também é válido optar por um ETF de obrigações global com hedge cambial. Deixo aqui uma lista com links do que já foi dito aqui neste tópico, que é muito esclarecedor: Pag. 6 Pag. 24 Pag. 46 Pag. 57 Pag. 66 Pag. 70 Pag. 75 Pag. 79 Ainda sobre a diversificação, a distribuição geográfica do ETF "IUSQ iShares MSCI ACWI UCITS ETF ISIN IE00B6R52259, WKN A1JMDF", é: USA = 52,43%; Eurozone = 10,59%; Japan = 7,7%; UK = 5,85%; Asia - Emerging = 5,31%. Um ETF da Eurozone aposta em apenas 10,59% do mercado do ACWI (All Country World Index - Large Cap)
  31. 2 points
  32. 1 point
    Em que sectores? Em que geografias? Em que trimestre em concreto? Antes ou após publicação de earnings nos EUA? Baseado em que argumentos ela apresenta essa afirmação? Qual a exposição da sua carteira aos mercados que ela alega que irão tornar-se instáveis? Porque sugere obrigações? Porque sugere um fundo que tem uma performance relativamente à média da categoria que mais parece uma bola de ping pong, com uns anos bons e logo no ano seguinte um ano péssimo? Porque lhe sugere um fundo com um mix de bonds corporativas e bonds governamentais, espalhadas um pouco por todo o mundo? Porque lhe sugere um fundo que nos últimos 5 anos rendeu -0,84% que a média da categoria e nos últimos 3 rendeu -1,25% que a mesma média? Porque lhe sugere um fundo onde 55% das bonds em carteira corresponde a dívida com rating BBB? Fez estas perguntas à sua PFA? Se não fez, aproveite para lhe dar uma apitadela amanhã. E sim, eu sei que o senhor já não caminha para novo e que já não tem grandes ambições de muita exposição a acções, pelo menos pelo que já teve oportunidade de partilhar connosco aqui no passado, mas eu pessoalmente não vejo razão para "instabilidade/riscos acrescidos para o que falta de 2017". Se aqui alguém achar o contrário, por favor que nos elucide.
  33. 1 point
    carlos2008

    CGD

    eu recebia o ordenado, e agora a pensão, no BPI e isso dá-me as seguintes vantagens : cartão multibanco + cartão de crédito gratuitos ( não sei se isto é para todos os ordenados, para o meu era ) . Além disso o cartão de crédito do BPI possui um excelente pacote de seguros associado ( viagem, responsabilidade civil, etc ) . O resto das vantagens ( descobertos, etc ) também não estou interessado. depois, no BPI , as transferências online ou pelo telefone sem operador são gratuitas , penso que é dos poucos bancos em que assim é, e as restantes operações em geral são mais baratas do que em outros bancos. como já aqui disse no forum a minha esposa sempre recebeu na CGD e também não temos custos - até à data - devido ao uso do cartão de débito diferido em, pelo menos, 600€ anuais ( há cerca de dois anos atrás nem isto era necessário, os 2 cartões eram gratuitos ) . Como também já aqui disse estou apenas a aguardar um pouco até ir falar no meu balcão: se me começarem a fazer pagar cartões de crédito ou outros custos ficarei sem grande motivação para continuar uma relação de 40 anos, mas isso é com eles, eles é que sabem, se querem isentar de custos os clientes com pensões menores que 1,5 SMN's e penalizar os que têm pensões algo maiores que isso , eles é que sabem, eu só digo que não quero custos para ter o meu dinheiro no banco...aceito pagar pelas operações que faço desde que os custos sejam comparáveis e competitivos com outros bancos, agora pagar cartões que posso ter de borla ou manutenções de conta não contem comigo - e a minha cara metade ainda é pior que eu nisso, portanto se um esfola ou outro diz mata... ! seja como fôr para banco do dia-a-dia eu preferiria sempre um banco de retalho como o BPI , p.ex., que não me cobra nada, do que um AtivoBank , mas isso sou eu que estou a caminho dos 69 anos e ainda gosto de vez em quando ( eu diria 1 ou 2 vezes por ano..) de ir ao meu balcão e falar com a gerente de conta, o resto faço pela net e pelo telefone !
  34. 1 point
    Nesse caso só se tiver muita confiança nessa pessoa de preferência familiar ou amigo, caso contrário o mais provável é sair a arder. Quem tem muito dinheiro geralmente tem tempo e conhecimentos para aplicar. E se não tem é porque não quer. Com centenas de milhares de euros é só usar a cabeça e podes viver com todo o tempo do mundo apenas perdendo algumas horas gerindo o teu património de maneira sábia.
  35. 1 point
    Na minha conta (Custody) sim. Mas é possível ter os preços em tempo real, com outro tipo de conta, ou pagando um valor adicional. Vê no preçário da Degiro os "PREÇOS EM TEMPO REAL".
  36. 1 point
    OB Europa +4.26% NB Rendimento Plus +15.99%
  37. 1 point
    @frugal, Não considero ter qualquer tipo de vantagem intelectual sobre quem quer que seja. Procuro, isso sim, trabalhar, estar focado e perseverar. Parece-me que a perseverança é o factor essencial independentemente da área em que estejamos e independentemente das capacidades inatas de cada indivíduo. Julgo ser possível obter uma performance superior ao índice, etc. O meu objectivo passa por, de uma forma transparente, atingir a meta de ter ganhos consistentes. A ver vamos quanto tempo vai demorar. Mais tarde poderemos aprofundar o tema, mas aqui já estamos um pouco offtopic.
  38. 1 point
    Bom dia, Salvo melhor opinião, o artigo 181 do código das sociedades comerciais dá-lhe esse direito. Isto é, julgo que apresentando-se na qualidade de sócio de plenos direitos ao contabilista, este terá que lhe apresentar as informações. Caso não consiga, terá sempre os tribunais. http://www.pgdlisboa.pt/leis/lei_mostra_articulado.php?artigo_id=524A0181&nid=524&tabela=leis&pagina=1&ficha=1&so_miolo=&nversao=#artigo
  39. 1 point
    O cashback faz parte das condições dos cartões, não são campanha. Uso o Cetelem há quase 2 anos sem surpresas. Se "vale a pena", cabe a cada um determinar. Com base nos teus gastos, podes estimar quanto irás ganhar em cashback. Depois decides se vale a pena o "incómodo".
  40. 1 point
    Mais desconto que o Affinity e Universo (1%), só quando se paga o 1€ mensal (para ter 2%). Penso que o cashback em compras está limitado a 100€ anuais tal como no Cetelem, exceto quando se paga o tal 1€ mensal (para ter 200€). E atenção que nas compras em supermercados/hipermercados e restaurantes o Cetelem dá 3% de cashback "de borla".
  41. 1 point
    Sim é esse, estás com 5% ao ano, e não apanhaste tu o boom de 2012 das obrigações, esse NB rendeu 35% nesse ano.
  42. 1 point
    Desconhecia esses horários dou valor a esse rigor que utilizas a procura das melhores oportunidades. Apesar disso, supostamente o Autoinvest devia ser prioritário, do que manualmente, tb não sei se um investidor tiver saldo disponível e entrar os empréstimos, se o autoinvest não apanha 1º . Porque deve haver um desfazameno entre o pagamento dos juros e a disponibilidade de novos empréstimos. Normalmente 1 dia ou 2 com saldo disponível tem indo tanto na Twino e na Viventor.... Na mintos ainda hoje entrou mais parceiros, é de longe o maior mercado com empréstimos disponíveis. Não esquecer ir ajustando o autoinvest aos novos mercados que vão aparecendo, até hoje não andava a investir nos novos mercados...
  43. 1 point
    Nunca vi o documento e não sei se todas as correctoras o emitem, mas foi a própria DEGIRO que me confirmou que o fariam, caso eu o requisitasse. Já lá tenho conta aberta mas como ainda estou a estudar e a compor o meu portefólio, só daqui a algumas semanas começarei a investir.
  44. 1 point
    Deixem-me agradecer-vos por esta "monopolização" do tópico. Tal como o @gustaferra disse há mais gente a ler, embora não tenha uma participação ativa. Eu também tenho investimentos em algumas P2P (comecei com a Raize e depois também abri conta na Twino e Viventor) e já me ajudaram a investir na Investly e na Swaper, que não conhecia.
  45. 1 point
    É possível, sim. É possível que tenham razão, porque o nº 4 do art. 19º da LGT (http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/lgt/lgt19.htm) diz que: "4 - É ineficaz a mudança de domicílio enquanto não for comunicada à administração tributária. "
  46. 1 point
    Se comprares obrigações já emitidas, elas têm um preço que flutua. Se o risco do emitente é percepcionado como grande (risco de não devolverem o dinheiro), quem as tem e se quer ver livre delas não se importa de perder dinheiro, logo vende-as a, por ex, 90% do valor nominal. Se por outro lado o risco do emitente é visto como mais baixo, quem as vende pede para ganhar algo com a venda, logo pede, por ex, 110% do valor nominal. Isto quer dizer que posso comprar obrigações com um valor nominal de 5000€ e pagar 5500 € (110%) ou pagar 4500 € (90%). Em ambos os casos mais uma batelada de guito em comissões bancárias. O que o David disse, e bem, é que se eu comprar obrigações com um valor de 5000€ mas só pagar 4500 € por elas, quando o risco baixar e elas passarem a valer 100% eu ganhei mais de 10% so pelo facto de o risco ter baixado. Ou se as comprei a 100% e elas valerem 105%, tenho 5% a mais. A única coisa que o David não deixou bem claro, com certeza foi apenas porque se esqueceu, foi que as comissões bancárias "comem" toda e qualquer rentabilidade das OTRV, excepto para valores muito altos. Sendo isto um tópico sobre Depósitos a Prazo, deve ficar bem claro que o único produto do Estado com um risco semelhante aos DPs são os Certificados de Aforro (taxas muito baixas) ou os CTPM (taxas melhores do que as OTRV, menos risco e mais liquidez, ou facilidade em reaver o dinheiro sem perdas). Dito isto, parece-me claro que não há outra recomendação honesta que não seja os CTPM para quem quer um produto do Estado com risco semelhante ao dos DP. Espero ter ajudado.
  47. 1 point
    Depende, quem fez as OTRVs há 1 ano já recebeu 2,2% TANB de juros e se vender em mercado recebe mais 4,54%, são 6,74% de juros em 1 ano...mais do dobro de 2 anos em Certificados do Tesouro.. vale o que vale.
  48. 1 point
    Não foi com o objectivo de chamar nomes a ng no sentido de insultar. Penso que alguém que diz "ser simples" bater um índice é arrogante sim, mesmo que não tenha noção dela. Não ficarias espantado por alguém me chamar arrogante se eu dissesse que conseguiria fazer uma operação, não tendo eu qualquer treino médico. Mais do que tentar fazer alguém mudar ng de opinião (já deixei de fazer isso há muito tempo) mas tento perceber porque é que pessoas "normais" (onde me incluo) acham simples bater um índice quando a maioria dos profissionais não conseguem. Quando alguém diz que pertence a uma elite de pessoas que conseguirão provavelmente fazer market timing (1%? 2%?) acho que estou no meu direito de os achar arrogantes e de novo indo buscar a ideia da operação médico tento perceber porque nas finanças (como em muitas profissões mas finanças é a que me assiste ) o pessoal acha que consegue fazer melhor que profissionais com milhões de $. P.S. Eu nem sei porque ainda fico espantado, estou rodeado de amigos que faziam melhor que os treinadores profissionais de futebol (principalmente se forem do FCP), jogam melhor que os jogadores, a maioria conduz melhor que a média (impossibilidade estatística) e isto só no hobbies... Não sei se meio mundo é sobredotado se sou eu que sou burro como uma porta!! P.S.2 - Fico feliz que te estejam a correr bem. Se daqui a 10 anos me mostrares que conseguiste bater o mercado na secção de trading ficava-te agradecido do coração e provavelmente me farias repensar a minha posição. P.S.3 - Eu gosto que me provem que estou errado, porque assim é que avanço e aprendo coisas (as que estou certo já sei) mas com mais do que palavras. Ide pondo aqui as dicas etc etc que terei muito gosto em as juntar num excel e ver se há alguém assim tão bom. Bem preciso de ganhar $. Não só estou disposto a pagar mas a ajudar em diversos aspectos ($$$) alguém que consiga bater sistematicamente (diria que 10% de alpha deve ser simples para vós) ao ano durante 10 anos com market timming.
  49. 1 point
    Se bem percebi, entregou uma declaração em Novembro relativamente ao 06T/2016 em que tinha imposto a favor do sujeito passivo. O que fez nas restantes declarações subsequentes?
  50. 1 point