Leaderboard

  1. Pedro Pais

    Pedro Pais

    Administrador


    • Pontos

      35

    • Contagem de conteúdo

      2.108


  2. D@vid

    D@vid

    Utilizador


    • Pontos

      27

    • Contagem de conteúdo

      7.798


  3. pfonseca

    pfonseca

    Utilizador


    • Pontos

      17

    • Contagem de conteúdo

      149


  4. Virtua

    Virtua

    Utilizador


    • Pontos

      12

    • Contagem de conteúdo

      23



Conteúdo Popular

A apresentar conteúdo com maior reputação desde 23-05-2017 em Publicações

  1. 6 points
    Como os fundos de investimento não são instrumentos de trading, a muita, pouca, ou falta de volatilidade pouco interessa, se eu tenho um fundo de risco 1, haja muita ou pouca volatilidade sei que o meu capital no máximo desvaloriza -0,5% ou valoriza praticamente na mesma proporção, se tenho um fundo risco 4 sei que o meu capital não deverá desvalorizar mais do que -10% e poderá subir nas mesmas proporções, se aplico 10.000€ neste fundo, o máximo de uma perda será na ordem dos 1.000€, isso vai me afectar? muito? pouco? nada? Quem tem de se preocupar com os mercados são os gestores dos fundos, eles é que têm que fazer as escolhas acertadas para que um fundo risco 4 não caia mais que 10%, para isso têm os mandatos de investimento, todos podem colocar tudo em liquidez se for necessário, a nós, basta-nos escolher os fundos, sentarmos no sofá e ver o capital crescer, é apenas isto, acho que há um stress demasiado nos fundos, eu vejo pessoas stressadas sem saberem bem quando entrar, quando sair, quando cai, quando sobe, isto é o trabalho do gestor e é para isso que lhes "pagamos" a comissão de gestão. Situações ideais para fazer fundos, ou reforçar, é tal coisa que não existe, vamos sempre procurar ( sim vamos mesmo procurar, o ser humano tem uma capacidade enorme de ver coisas onde ela não estão, tipo pareidolia ) qualquer coisa para darmos uma "desculpa" pelo não investimento, e isso deve-se ao facto de psicologicamente não termos um factor nos fundos que temos noutros tipos de aplicação, "CAPITAL GARANTIDO", mas se é para ter capital garantido, então temos de nos sujeitar a taxas ridículas de mercado e a não ganhar dinheiro. Em Outubro fazemos 5 anos de tópico, e vamos chegar á conclusão que quem fez os fundos, ou vários dos fundos, da 1ª página, que admito, até há melhores, ganhou efectivamente dinheiro, tanto em acções como obrigações, a importância da diversificação e ajustarmos o risco ao nosso perfil, é algo de importantíssimo. Se até estes sabem como investir... http://www.jornaldenegocios.pt/trading/detalhe/fundo-da-igreja-de-inglaterra-foi-um-dos-mais-rentaveis-do-mundo
  2. 5 points
    Boas Ontem mesmo publiquei o meu livro sobre a estratégia para me reformar nos 30s, tal como tinha dito aqui no fórum que ia fazer: https://www.amazon.com/dp/B06XJ86PTR Para quem não está habituado ao Kindle, podem sacar uma app do Kindle no site da Amazon e depois ler os livros num computador ou iPad normal. Importante: o preço até segunda feira está a 99 cêntimos porque eu quis oferecê-lo aos subscribers do meu blog e aos followers no facebook. Estou a estender a oferta aos users aqui do fórum mas só consigo garantir este preço até segunda. Depois o preço será entre 3.99 e 7.99€. Obrigado! Já agora, quem comprar pode postar aqui e depois dar-me feedback? Tenho lá muitos dados sobre Portugal e como viver em Portugal, gostava de ter feedback vosso sobre isso - se a vossa experiência é a mesma. Espero que gostem! Fight on! Abraço
  3. 4 points
    O fundo Pionner foi apenas um exemplo, mas posso dar outro exemplo ( só dou exemplos da 1ª página, não vou buscar outros ), de um fundo de emergentes Asia que é o JPM ASEAN, que aposta na Indonesia, Singapura, Tailândia etc, em 7 anos está com uma rentabilidade de 95%, mais de 13,5%/ano portanto, não estamos a falar em nenhum fundo EUA, estamos a falar num fundo com uma volatilidade de 13% a 3 anos, risco 6 ( portanto fundo com variações de 25% ) acham mesmo que para este fundo o melhor seria ter uma estratégia de market timming? consegue-ria-se melhor do que 13% ao ano em 7 anos a tentar "adivinhar" quando acabavam os dips ou os tops? Nelson Mandela disse uma vez: "Tudo é considerado impossível até acontecer", eu não direi nunca que seja impossível, óbvio que é possível, mas digamos, ou é uma grande dose de sorte... Este tipo de discussão, o pessoal que me desculpe, se há quem chame arrogantes a uns, ou velhos outros , é discussão que irá permanecer sempre, não é só nós que somos meros mortais e que tentamos ganhar alguma coisa com o pouco que temos, é mesmo a nível de grandes investidores, eles próprios cada um tem a sua opinião, portanto não se sintam "ofendidos" quando eu ou alguém diz que para nós o ideal é sentar no sofá, espero que esta minha expressão seja entendida como ela deve de ser, uma expressão de exagero, aprendemos com os erros, já alguém em tempos também dizia: " só quem não experimentou o erro, nunca experimentou nada novo", e como já fui sangue na guelra, e andava todas a noites a ver o mercado, e a ler noticias, e a ver se adivinhava como se ia comportar o mercado, acabei por experimentar o erro da pior forma, talvez tenha tido azar, inexperiência, numa altura em que não havia blogs sobre estas temáticas, decidi enveredar por outro tipo de abordagem nos fundos, estava a tentar fazer nos fundos o que talvez devesse fazer nas acções, mas porque hei-de eu estar a fazer isso se estou a "pagar" uma comissão ao gestor de fundo para fazer isso por mim? em boa hora tive esse pensamento, estou mais tranquilo, ainda levei uma bela dose de água fria em cima ( ano de 2008 que muitos aqui nem sonham o que foi ), mas percebi que, um 2008 acontece de décadas em décadas, que no futuro já estaríamos melhor preparados para quedas deste tipo, a não ser que fossem novamente grandes falências de bancos, e mantenho essa opinião. Não quero mudar mentalidades, quero aprender mas também deixar claro o que fui como investidor e o que sou, a 1ª página com alguns fundos não foi inocente, e Outubro será uma data marcante do tópico, faz 5 anos, para mim o horizonte chave, e vamos ver quanto se ganhou, ou se ganharia, em 5 anos com estes fundos, numa perspectiva claro de buy and hold, nunca saberemos se poderíamos ganhar mais em fazer market timming, mas se querem saber, nem me interessa .
  4. 4 points
    Estou quase certo que me daria muito que pensar. Há 6/7 anos mudei para a opinião que tenho. Estou certo que poderei mudar de volta para a opinião original, com que vivi tanto tempo como esta. Concordo plenamente. E se eu fosse perito de alguma coisa não duvido que continuasse com a mesma opinião. Já me apercebi que estou excessivamente agressivo. Infelizmente dou-me bastante mal com stress (com que vivo actualmente na minha vida). Quem me conhece sabe que não é por mal que às vezes saio assim agressivo e a internet ainda piora, pois ainda é mais complicado perceber as intenções de outrem devido a ser só escrito. Peço desculpa se acharam que faltei ao respeito a alguém. Por favor continuem como se nada se tivesse passado. Mas com a vossa permissão gostaria de um dia mais tarde (2 a 3 meses, e quando a minha vida tiver normal) voltar a este tema, mas desta vez sem animosidades. Acho que se alguém tem capacidade de prever recuperações e ganhar $ devíamos explorar isso. Terei todo o gosto em seguir várias carteiras que farei em excel/R (ou que for) e se de facto ao longo dos anos alguém provar por a+b que tem vindo a conseguir ter bom timing aproveitarmos todos as "dicas" dessa pessoa. Já sabem que sou da opinião que ng vai conseguir, mas não sou dono da verdade e a minha opinião é inconsequente para o facto de alguém conseguir isso ou não. De novo peço desculpa se saí demasiado agressivo. Acho que toda a gente merece respeito, independentemente da idade.
  5. 3 points
    A quantidade de coisas acertadas que o 5 coroas tem dito face à falta de likes dá-me impressão que a maioria das pessoas está mesmo a leste do paraíso no que diz respeito a investimento em fundos [e nem se apercebem das coisas acertadas que ele tem dito]. Contudo, deixa-me discordar parcialmente de ti quando dizes Ter BGF EUROPEAN FOCUS E2 EUR em vez de MFS Meridian European Value A1 EUR não faz sentido por exemplo. A qualidade dos fundos importa. Não são ETFs passivos em que a escolha entre os da vanguard e os ishares pouco importa ao fim do dia. A performance de determinados fundos são significativamente diferentes. A fase de entrada por acaso foi bastante boa, mas entre maus fundos e má alocação geográfica (na minha opinião) a rentabilidade lá se foi (quer dizer tb não foi assim tão má mas podia ser muito melhor). @futsal78 Assumo que querias exposição mundial a acções. Penso que as pessoas complicam demasiado. Testei no Portfolioanalyser essa carteira vs o MFS Meridian Global Equity A1 EUR LU0094560744 desde 10/08/2015 e o resultado... é uma diferença de 4.69% de rentabilidade anualizada da tua carteira vs 12.04% anualizado para o MFS (ainda por cima com menos desvio padrão). Fonte: Portfolio Analyser P.S. O que nos leva a outra questão. Se as datas que dizes ter investido estiverem certas devias estar a ganhar quase 10% com essa carteira, não 1% (como dizes estar a ganhar). Fizeste reforços ou assim? Entraste em fundos em alturas diferentes?
  6. 3 points
    Espera espera. Eu não mexia mas o António mexia. Hã? Nada? OK...
  7. 2 points
    Boa noite a todos Existe uma questão que me deixa sempre a pensar. Estando eu neste momento ainda a coleccionar dinheiro e a obter rendimentos extra através dos juros, qual será o montante necessário para uma pessoa, se assim quiser, despedir-se do emprego e vir para casa ressonar a viver à pala dos juros dos depósitos a prazo? Tendo em conta um juro limpo de 3,75%, tem-se que uma pessoa com 300 mil euros em depositos consegue viver com 937,5 euros/mês. Uma pessoa com 500 mil euros vive com 1562,5 euros/mês. Será que compensa por exemplo vender uma casa de 500 mil euros e despedir-se do emprego de seguida, ou seja, deixa-se de receber remuneracao mas também liberta-se dos impostos relativos a essa casa. Mete-se o dinheiro a render, aluga-se uma boa casa por 800 euros e ainda se tem 700 e tal euros para o resto das despesas...isto sem se levantar do colchão. Alguém já pensou neste tipo de estratégia? Qual será o montante minimo necessário em depositos para se ter uma vida normal (alugar casa 3 assoalhadas + carro e despesas normais) vivendo apenas dos juros dos depositos a prazo?
  8. 2 points
    Pagando o 1€ mensal, poupas 2% nas compras até 10000EUR, poupança máxima anual de 200EUR 1% nos pagamentos de serviços (e ao Estado) até 10000EUR, poupança máxima anual de 100EUR Nos pagamentos de serviços podes inclusivé pagar outros cartões de crédito. Daí que eu tenha sugerido o "cenário ideal" de usar o Cetelem em supermercados para poupar 3% e depois pagá-lo com o Cofidis poupando 1%.
  9. 2 points
    Este Tópico vai-se tornar um clássico no tempo, só consegui ler as 1ºs paginas mas o essencial já foi dito. Por acaso, já tinha pensado nesta ideia e ando a fazer por isso..... Eu faria um pouco diferente as coisas, com os 500mil vendia a casa para ter liquidez mas tentava comprar um apartamento deacrodo com o tamanho do agregado famíliar, procuraria uma oportunidade até 100mil euros se possível. Deste modo, evitava pagar rendas e utilizava a sobra desse dinheiro do mes para reinvestir, para "combater" o problema da inflação, uma vez, este irá ao longo do tempo "comer" a rentabilidade para não falar da taxa média, tem estado a decair nos dias de hoje, temos por ex: taxas de 1% em DP ou em divida soberana anda nos 4%. Com essa capacidade de ir indo reinvestindo todos os meses; a idade , a inflação; tx média de lucro decaindo é irrelvante... O objectivo, como é óbvio seria viver mediante os juros gerados por mès.... isto é, 400 mil á taxa anual de 4% = 16000 ano / 12 = 1333 mês sem impostos = 960 mes após impostos... daria para 1 pessoa do agregado familiar trabalhar para o bronze e parte desse valor daria para reinvestir. Deste modo, daqui uns anos mais elementos do agregado familiar poderiam também trabalhar para o bronze.... Para min, o reinvestir e continuar aumentar as poupança é a variável chave.....
  10. 2 points
    Sentar no sofá e ver o capital crescer? 😂 http://pt.fundspeople.com/news/nao-faca-nada-com-a-sua-carteira-correra-melhor
  11. 2 points
    Concordo contigo. A qualidade dos fundos importa e muito. O meu comentário ia no sentido de primeiro se determinar qual o destino a que queremos chegar, depois escolher o rumo que se pretende seguir e só depois seleccionar meticulosamente qual o melhor instrumento (Fundos ou outros instrumentos de qualidade) para lá se chegar com sucesso.
  12. 2 points
    Não é sobre os FI em si que deve recair a sua atenção mas sim sobre quais são os seus objectivos, duração do investimento e a sua estratégia que definiu. A partir daí é que escolhe os melhores instrumentos de investimento tendentes a atingir os seus objectivos. Diga-nos mais sobre o que pretende fazer.
  13. 2 points
    Na parte da decisão, olho bastante para o histórico e para os rácios, tens um exemplo, um dos maiores fundos do mundo, Nordea Stable Return, é um fundo que tenho há bastante tempo e custa-me algum dia sair dele, porque é um fundo que vai ao encontro do que pretendo e tem um histórico que me satisfaz, o fundo teve uma performance mediocre em 2015 e 2016, houve algumas decisões internas da gestora em 2016 que também o levaram a isso, o que levou muita gente a vender, eu não vendi, não posso esquecer o que foi para trás, e o que foi para trás? um fundo com uma média a rondar os 7% ao ano, que não teve performance negativa nos últimos 8 anos, estável, risco 3, uma gestora conceituada. Mais ou menos dentro do que disseste nas alineas sim, também temos de ter consciencia que a classe de risco mede as variações ( volatilidade ) e não propriamente uam rentabilidade.. Fica aqui uma boa explicação sobre isto e ficas a perceber o porquê de eu dizer que um fundo risco 2 pode ter variações para baixo até 2%: http://fundglossary.erste-am.com/srri/
  14. 2 points
    Relativamente às questões dos ascedentes, pode ser que tivesse vantagem em incluí-los na sua declaração de IRS, mas também pode ser que não fosse possível. Deve ler o que indica o artigo 78ºA do Código do IRS para confirmar se cumprem todos os requisitos: http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/informacao_fiscal/codigos_tributarios/cirs_rep/irs78a.htm Obviamente que a informação que dá é limitada para ajuizar convenientemente o caso mas, a menos que conseguisse poupar em transportes o que iria gastar na renda de outra casa (ou quarto?), desaconselho essa opção pois só iria diminuir ainda mais a sua capacidade de liquidez (admitindo que ia continuar a contribuir para as despesas dos seus pais e irmãos). Por outro lado, isso poderia contribuir para eles terem acesso a mais apoios, dado que o rendimento do seu agregado familiar iria diminuir bastante. Para ganhar alguma qualidade de vida a primeira sugestão que me ocorreu foi a de arranjar uma motoreta - certamente iria poupar algumas das 4h que gasta em deslocações por dia e que poderia usar de outra forma. Precisa é de avaliar bem se a diferença entre a poupança no passe mensal e as despesas acrescidas com o combustível, seguros e manutenção da mesma compensam ou não o valor que representa para si a(s) hora(s) que ganha a mais. Quanto a apoios para essas situações, sugiro dar uma vista de olhos pelo website da Segurança Social, nomeadamente às páginas sobre Encargos com as Crianças e Jovens, Desemprego, Carência Sócio-Económica e verem se há alguma coisa que se aplica ao vosso caso em concreto e se cumprem os requisitos para os mesmos. Em qualquer caso, e dado que, pelo que percebi, os seus pais estão em casa sem trabalho, devem dirigir-se à Segurança Social e expor os detalhes da vossa situação e os vários cenários possíveis (por exemplo, podem mencionar que o David está a pensar sair de casa e por isso precisam de novas simulações) - os funcionários que prestam atendimento devem conhecer os apoios que estão disponíveis e só face a dados concretos é possível indicar o que pode ou não ser atribuído. Antes de irem à Segurança Social, façam o trabalho de casa e escreva todos os cenários possíveis (pelo que me parece, até já devem ter uma boa parte deste trabalho feito). Se os seus pais não estiverem à vontade com a terminologia ou os requisitos, e não os puder acompanhar, eles que peçam aos funcionários para escrever tudo num papel ou imprimir a informação ou ainda se há algum panfleto que possam trazer para depois poderem estudar em casa com mais detalhe. Quanto a conselhos para si, creio que compreende que é difícil dar grandes sugestões sem muita informação. Algumas coisas que lhe poderiam sugerir, como sair de casa, deixar tudo para trás e começar do zero, parece-me que vão contra os seus valores (não é uma crítica, muito pelo contrário - o dinheiro raramente é o mais importante). Acho que o melhor que tem a fazer no imediato é num dos próximos fins de semana convocar um conselho de família e desabafar com os seus pais e irmãos. Imagino que vá soltando alguns desabafos, de vez em quando, mas às vezes andamos tão concentrados nos nossos problemas que os sinais dos outros nos passam ao lado. Obrigar todos a parar para analisar a situação e pensar um pouco no caso às vezes ajuda. Discutir o problema entre todos também ajuda a criar ideias que ainda não tinham passado pela cabeça a ninguém (técnica de brainstorming). E sistematizar tudo também - por exemplo, quanto dinheiro é que entrou nos últimos meses e quanto é que saiu? De onde veio, para onde foi? Precisava mesmo de ser gasto? Há ou não margem para algumas mudanças? Se calhar vão descobrir que afinal até ainda podem poupar mais em algum lado; se calhar até vão descobrir que afinal há umas dívidas que os vossos pais ainda nem sequer vos tinham contado; se calhar os mais novos passam a preocupar-se mais com a forma como gastam o dinheiro; se calhar vão-se chatear uns com os outros. Mas, mesmo quando há chatices, as coisas podem correr bem desde que haja boa vontade de pelo menos uma das partes. E, se conseguir levar essa discussão em frente e levá-los a adoptar os seus objectivos, tipicamente vai conseguir atingi-los mais depressa - seja porque tentam fazer um plano para lá chegar, seja simplesmente porque estão a recolher a informação necessária para elaborar esse plano. A sua rede de contactos também pode ajudar - tem pessoas em quem confie para vos adiantarem dinheiro caso alguma coisa corra mal? Não que lhes vá a correr pedir dinheiro, mas é sempre bom saber qual o tamanho da rede de segurança antes de pensar sequer em saltar. Conhece alguém que lide com contabilistas ou com pessoas na área da segurança social e que o possam pôr em contacto com essas pessoas de forma a pedir alguns conselhos? Tem alguém com quem possa começar um trabalho, a partir de casa, talvez até mais rentável que o que tem agora? Mantém o contacto com os seus amigos do tempo da escola, ou antigos colegas de trabalho, sobretudo aqueles que têm uma profissão na sua área? Será que eles sabem que anda à procura de algo melhor ou que o avisariam caso essa oportunidade aparecesse? Às vezes há empregos parecidos ou melhores à nossa porta e nós é que simplesmente não o sabemos... E às vezes há pessoas que têm problemas parecidos com os nossos e que, quando os discutem em conjunto, descobrem que a meia solução que cada um tem, pode ser afinal combinada numa solução melhor. Se não tem essa rede de contactos, comece a construí-la desde já... E se é verdade que há muita gente que gasta inutilmente o tempo nas redes sociais, também é verdade que elas têm o poder para lhe mudar a vida. Literalmente. Como disse, sem números é difícil dar respostas concretas. E não bastam apenas os números, há outros factores, como a vontade que os seus pais tenham em encontrar um trabalho ou a idade dos seus irmãos ou muitas outras coisas - cada caso é um caso, e só quem vos conhecer pessoalmente pode dar conselhos certeiros (e mesmo assim...). É verdade que fiz mais perguntas que respostas, mas espero que descobrir as respostas a estas perguntas o possam pôr no caminho certo para descobrir as respostas às suas. Deixo apenas a sugestão adicional de que veja qual o melhor momento para se lançar neste projecto (não largue essa bomba quando os seus irmãos andarem a estudar para os exames, por exemplo). Espero que consiga a ajuda que procura. Mas sobretudo, com ou sem ajuda, espero que consiga dar à sua vida o rumo que pretende. Boa sorte.
  15. 2 points
    Costumam ter á volta de 15 dias para se subscrever com as condições de mercado primário, com a vantagem de poderes subscrever mesmo sem o capital na conta, só é preciso ter o capital na data de liquidação, no entanto os bancos geralmente não deixam que se subscreva valores substancialmente acima do património actual do cliente, se tens 5.000€ de património e dás ordem de 15.000€ provavelmente não deixam, no caso das OPS convém sempre subscrever no 1º dia por causa dos rateios.
  16. 2 points
    Na minha opinião é preferível manter uma conta custody, pela salvaguarda adicional que proporciona aos activos.
  17. 2 points
    Não uma acção, mas uma obrigação. Na data de maturidade sabes quanto vais receber, é o valor nominal (menos comissões). Até lá é que pode valer mais ou menos no mercado. Portanto se mantiveres até ao fim não terás surpresas, salvo o pior cenário de uma reestruturação da dívida que em teoria também poderia afetar os certificados (CA, CT, CTPM).
  18. 2 points
    Só é necessário declarar alguma coisa quando há vendas.
  19. 2 points
    Realmente por essa forma de falar e com essa escrita, vê-se mesmo que é daquelas pessoas que acham que todos lhe estão a dever alguma coisa e que qualquer desculpa serve para deixar de pagar. Se pediu tem de pagar! Ponto final parágrafo. Acho muito bem que vão para tribunal.
  20. 2 points
    Só para baralhar um pouco mais esta conversa... Na minha ignorancia, eu uso ambas as estratégias (buy&hold e buy the dip) e passo a explicar: tento fazer reforços periodicamente (por vezes de 2 em 2 meses e noutras vezes de ano a ano); se observo um dip e não tenho capital para investir, uso uma parte do fundo de reserva (10% a 25%) para reforçar; depois tenho uma de duas situações: ou consigo repor num curto prazo o fundo de reserva ou vendo quando subir. Por enquanto, ainda não tive que vender para repor o fundo de reserva. Acredito que não há apenas uma estratégia certa mas sim uma estratégia certa para cada tipo de situação. Seja qual for a estratégia, desejo a todos que os lucros aumentem.
  21. 2 points
    Exactamente, no caso do ETF de acções, ficas com um portfólio mais diversificado se escolheres um ETF global em vez de um ETF da Europa (só de países da zona euro). O risco cambial é pequeno. Neste tópico também já foi referido que os ETF de obrigações devem ser em euros (a moeda base do ETF), pelo que ficamos só pela Europa. Neste caso, penso que também é válido optar por um ETF de obrigações global com hedge cambial. Deixo aqui uma lista com links do que já foi dito aqui neste tópico, que é muito esclarecedor: Pag. 6 Pag. 24 Pag. 46 Pag. 57 Pag. 66 Pag. 70 Pag. 75 Pag. 79 Ainda sobre a diversificação, a distribuição geográfica do ETF "IUSQ iShares MSCI ACWI UCITS ETF ISIN IE00B6R52259, WKN A1JMDF", é: USA = 52,43%; Eurozone = 10,59%; Japan = 7,7%; UK = 5,85%; Asia - Emerging = 5,31%. Um ETF da Eurozone aposta em apenas 10,59% do mercado do ACWI (All Country World Index - Large Cap)
  22. 2 points
    Mas nem vou entrar nesses pormenores, falei de uma forma genérica e para tentar compreender porque se anda neste stress constante de entrar, sair, e ai ai está tudo a cair não vou fazer fundos, e ai ai está tudo a subir não vou fazer fundos porque está tudo nos "máximos", e ai ai isto está calmo de mais, vejam lá que até o VIX mal se mexe este ano é porque vem aí coisa... De forma genérica cada fundo tem o seu mandato de gestão e classe de risco, é para o risco que eu sempre olho, mais do que a rentabilidade, e é preciso se compreender que estamos a nos substituir ao gestor do fundo, andamos a tentar adivinhar o mercado. Como disse a trás, temos de fazer o nosso trabalho que é escolher os fundos dentro da nossa perspectivade de risco e tempo de investimento, zonas geográficas, a diversificação, etc, o resto é deixar andar, a não ser que não estejamos convictos que este ou aquele fundo seja um bom fundo ou fundos que sejam alvo de fusão ou liquidação, mas isso já temos de estar atentos, eu passo dias sem ver o que se passa no mercado, se não entro aqui e vejo os comentários nem sei se as bolsas subiram ou desceram!!
  23. 2 points
  24. 1 point
    O valer a pena depende de cada um; para mim receber 300 euros por ano de cash-back vale a pena (com esses 300 euros, compro lenha suficiente para todo o Inverno). Depois do preenchimento da papelada inicial e que não dá assim tanto trabalho, não é necessária grande ginástica, pois tudo se pode fazer rápida e facilmente online. Já à vários anos que alguns destes cartões oferecem estas boas condições pelo que não se têm tratado de campanhas temporárias em todos os casos; obviamente "eles" desejariam que os aderentes pagassem juros pelo não pagamento a 100% do crédito, mas quanto a isso só cai quem quer.
  25. 1 point
    Bom dia, Para ETF's utilizo o Best e o Invest, mas confesso que não sei se há bancos/correctoras mais indicados. O meu objectivo passa por passar uma grande parte para a IB. Quanto ao documento (UBO), desconheço se o fornecem. Nunca me informei sobre o assunto, mas reconheço que é pertinente. Quanto ao site procuro descrever e dar a conhecer com total transparência a evolução da carteira. No entanto, por se tratar de uma unidade de tempo longa (normalmente Weekly), o processo evolutivo é lento. Eu acredito na rentabilidade e consistência desse tipo de estratégias, agora falta prová-lo ;).
  26. 1 point
    Na Viventor tenho consigo investir a taxas entre os 11% e 12%. No entanto tenho de estar acordado a partir das 6:00 (8:00 EET) que é quando eles começam a pôr os empréstimos no mercado primário. E desaparecem com grande facilidade que nem dá tempo para o autoinvest entrar em ação, às 6:45 já há muito pouco para investir. Na Twino, tal como na Viventor é uma questão de lá estar online às horas certas. Eles pagam os empréstimos a partir das 22:00 (0:00 EET) e logo a seguir começam a colocá-los no mercado primário. Pessoalmente, vou ao site entre as 23:00 e 23:30 e aplico sempre o que me pagaram e sem problemas.
  27. 1 point
    Exacto, já não me recordava que o IBAN para o qual fiz a transferência pertence à IB UK. A plataforma (Trader Workstation (TWS)) também é a mesma. Deixo aqui o site. Em termos de estabilidade emocional e segundo o conhecimento que tenho a IB oferece as melhores garantias de segurança assim como preços bastante competitivos. Com um portfólio consequente o melhor será sempre diversificar geograficamente.
  28. 1 point
    Bom dia, Para um investimento a longo prazo eu privilegiaria sem dúvida a Interactive Brokers. Um broker com garantias enormes (utilizado por institucionais) e com taxas que considero baixas. Confesso que psicologicamente me sentiria mais seguro do que utilizar a DeGiro (isto para um portfólio longo prazo). Na europa existe a Lynx que não é mais do que uma extensão da IB com custos menos atractivos, mais ainda assim com a garantia IB.
  29. 1 point
    O pessoal refere-se a fundos "caros" quando em poucos dias/ semanas um fundo subiu bastante, ou um fundo mais estavel quando este esta a bater maximos historicos. Ha ate um género de "regras" para ajudar a decidir se um fundo esta "caro"/"barato", qualquer coisa como o valor actual estar x% acima ou abaixo da media das ultimas X semanas/meses.
  30. 1 point
    Grátis, conheço o JustETF (só um portfólio), e o morningstar (até 5 portfólios). Em ambos tens de inserir manualmente as transacções (no morningstar chamam a isso um portfolio "transaction type"). Para o justetf, lê aqui a dica do Mouro, em resposta ao comentário anterior.
  31. 1 point
    Eu já estou é mais aliviado por estarmos todos neste situação... pensei que fosse por haver algum problema com a declaração mas assim há esperança que seja mesmo só o status quo. Foi o 1º ano que tive de submeter mais valias de fundos e apesar de achar que fiz tudo bem ainda sou um bocado inexperiente.
  32. 1 point
    Veja aqui: http://www.gpa-sroc.pt/adicional-ao-imposto-municipal-sobre-imoveis-aimi/
  33. 1 point
    Fiz uma adaptação para euros, mas com ETF globais de acções e REIT. A minha carteira está aqui. O broker que escolhi é a Degiro.
  34. 1 point
    Abri recentemente empresa mas era ENI e tinha conta no Activobank, pelo que no que toca a essa questão não deverão encontrar problemas se lá quiserem abrir conta. Para mim funciona muito bem. Porém, à data, abri uma Sociedade Unipessoal por Quotas e em todos os bancos me apresentam propostas bastante onerosas. No NB pediram-me 6-7€/mês No BIC 50€/trimestralmente No Millenium 12€/Mês Pessoalmente gostaria de trabalhar com o Novo Banco pela plataforma online e onde sempre tive o ordenado, porém acabei por abrir conta na Caixa de Crédito de Leiria que apenas me cobra 7,5€ de emissão de cartão de débito e 5€ de anuidade. Não cobram transferências, porém o Netbanking é simples e necessitamos de um Token(que parece uma calculadora) para gerar códigos sempre que fazemos um movimento. Tive pouco tempo para avaliar o que havia no mercado mas seria interessante realizar uma comparação entre condições praticadas. Lanço a bola para alguém que queira ter a bondade de fazer esse trabalho.
  35. 1 point
    Taxas mínimas, houveram até agora 4 emissões, Maio de 2016 ( 2,2% ), Agosto de 2016 ( 2,05% ) Novembro de 2016 ( 2% ) e Abril de 2017 ( 1,9% ). Quem comprou nas emissões, pagou uma comissão de subscrição de 5€, agora se as quiseres comprar já tens comissões mais altas ( preçários dos bancos ) isto pode ser um entrave ás pessoas, é mais cómodo comprar CTPM nos CTT porque não há comissões, mas as OTRVs têm a vantagem de se vender com futuras mais valias. Outra coisa importante é, como todas as emissões estão acima dos 100%, é necessário mais capital para as comprar, se tinhas 5.000€ por exemplo para comprar esta 1º emissão a cotar nos 104,5%, já seriam necessários 5.225€... Provávelmente irão haver mais emissões, quem sabe lá para Julho, é preferivel aproveitar e comprar na emissão, é mais barato e compra-se a 100%, actualmente as taxas das CTPM são no 1º ano 1,25%, as OTRVs como já se viu têm tido taxas superiores.
  36. 1 point
    Posso dizer-te que faz 2 semanas Fui retirar uns trocos de um banco, daqueles com poucas sucursais A pessoa tentou demover-me ainda ah e coiso e tal conhece os nossos fundos? Eu sim.. conheço mas nao me interessa ter 2 contas bancarias bla bla bla Mas sabe que os fundos tambem sao perigosos, eu nunca iria por o meu dinheiro em fundos pois nao totalmente seguro e pronto, lá sai, fechei a conta e pronto ahahah que vontade de rir na cara da pessoa, afinal tentou vender ainda uns fundos desse banco e depois diz aquela frase bombastica? dasssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss Alguém esclarece isto?!
  37. 1 point
    Esta mais que estudado que no LP a % de investidores que batem o mercado de forma consistente e tao pequena que uma pessoa acreditar que faz parte dessa elite e enganar-se a si proprio em 99% dos casos.
  38. 1 point
    Ás vezes também posso parecer um pouco radical, não é por mal, mas vocês sabem a quantidade de vezes que oiço dizerem ao longo destes tempos coisas do tipo: "fundos? nem vê-los, ainda me meti nisso perdi montes de guito", " tenho azar nessas coisas, meti-me nisso só perdi dinheiro, apostava aqui, começava a cair, apostava ali, começava aqui, não recomendo a ninguém fundos.." isto é discurso de quem não soube o que andava a fazer, que não aguentou quedas, que andou a tentar adivinhar o mercado, que seguiu a cabeça dos outros, é contra isto que me debato. Um amigo meu diz que market timming é igual a Martingale, podemos até ter sorte durante algum tempo mas um dia dá barraca, acho que tenho tendência em concordar.
  39. 1 point
    E se ao invés de um ETF que segue o S&P 500, investires num ETF que siga o MSCI World? Por exemplo o iShares Core MSCI World, que se encontra na lista de ETFs gratuítos da Degiro? Mas atenção, estás confortável ver a tua carteira ter um drawdown de 50% na próxima crise? É que foi isso que aconteceu ao índice MSCI World (ou ao S&P 500 valorizado em euros) na crise de 2007-2009.
  40. 1 point
    Vá, não vamos aumentar as animosidades. Estou a preparar umas coisas que deverá dar para seguir as carteiras. É assim que as pessoas aprendem, independentemente de quem. Só com números e provas. Neste momento pode ser uma pessoa ou outra, no futuro serão outras. Se tivermos uma base de dados com as "apostas" ou "dicas" vamos criando algo que fica para a posterioridade. Um possível jogo de "bater o índice", por exemplo. O objectivo será educar e tentar moldar mentes vindouras, com base no que pessoas do "presente" acham, sentem e conseguirão ou não fazer. E quem sabe não teremos até entre nós alguém que aos longo dos anos mostre ao menos alguma capacidade de comprar no dips. @Cardoso24, quanto mais estudo mais aprendo que mais vale questionarmos o pensamento vigente, só assim é que se evolui. Muitas vezes até se fazem coisas aparentemente estúpidas mas... já saí várias vezes surpreendido na vida quando tinha a certeza que tinha a razão até ... me aperceber que estava errado. Acho que um jogo deste tipo acabará eventualmente por dar um local para as pessoas mostrarem o passivo vs activo, em vez de andarmos aqui a discutir o sexo dos anjos, e não convencer ng de nada. Com palavras não se vai lá. Alguém terá razão. Eu tenho a minha opinião mas não é necessariamente a verdade. P.S. Da minha parte eu também entrarei, porque a sensação que conseguimos fazer bons trades tb vive em mim. Como disse, vivi 7 anos com essa opinião e às vezes o bichinho ainda lá está
  41. 1 point
    Se bem percebi, entregou uma declaração em Novembro relativamente ao 06T/2016 em que tinha imposto a favor do sujeito passivo. O que fez nas restantes declarações subsequentes?
  42. 1 point
    Veja aqui: http://www.financaspessoais.pt/seguranca-social/calculadora-seguranca-social-trabalhadores-independentes
  43. 1 point
    Não sei o que lhe diga... O que recomendo é que preencha o anexo devidamente. Se for preciso prestar algum esclarecimento, lá terá de ir à AT.
  44. 1 point
    A liquidação é uma espécie de venda forçada, visto assim de forma muito liberal. A mais ou menos valia será apurada entre o valor da aquisição e os valores recebidos aquando da liquidação.
  45. 1 point
    Frugal, a informação está toda aí, no gráfico da morningstar (linha verde) e respectivas tabelas (Total Return). O padrão (benchmark) é o EUR Aggressive Allocation EUR, (linha azul). Isto não tem significado, pois a carteira foi constituída apenas há 7 meses.
  46. 1 point
    Alguém tem novidades sobre a DeGiro? Que tal têm corrido as experiências?
  47. 1 point
    Por favor depois publica aqui a tua experiência, para todos conhecermos um pouco melhor como funcionam.
  48. 1 point
    Acho que tem muito potencial, parece ter uma abordagem simplificada e preços muito interessantes, além de que vem responder a algumas questões pertinentes, como a titularidade dos investimentos e a dupla tributação, dois temas que me preocupam significativamente como investidor de muito longo prazo. Mas ainda que tentador parece-me que é melhor ver como as coisas correm estes primeiros tempos. Os mais destemidos que façam o favor de ir reportando Já agora, na CMVM não estão inscritos, pelo menos não aparecem na lista dos intermediários financeiros autorizados. Mas estão registados na Holanda (http://www.afm.nl/en/professionals/registers/alle-huidige-registers/beleggingsonderneming.aspx?id=3708F58C-68A1-E011-A203-005056BE6692 e http://www.afm.nl/en/professionals/registers/alle-huidige-registers/financieel-dienstverlener.aspx?id=3708F58C-68A1-E011-A203-005056BE6692), daí os €20.000 do Investor Protection Scheme. Vou separar estas mensagens sobre a corretora noutro tópico, parece-me que tem interesse futuro.
  49. 1 point
    De certeza? Qual é o impedimento legal? E se, por exemplo, tiver uma procuração?
  50. 1 point
    Bem-vinda Sara, Espero que de facto tenhas oportunidade de aprender e ensinar.