Leaderboard

  1. gustaferra

    gustaferra

    Utilizador


    • Pontos

      34

    • Contagem de conteúdo

      146


  2. Pedro Pais

    Pedro Pais

    Administrador


    • Pontos

      27

    • Contagem de conteúdo

      2.120


  3. Greedy

    Greedy

    Utilizador


    • Pontos

      21

    • Contagem de conteúdo

      45


  4. 5coroas

    5coroas

    Utilizador


    • Pontos

      19

    • Contagem de conteúdo

      690



Conteúdo Popular

A apresentar conteúdo com maior reputação desde 23-06-2017 em todas as áreas

  1. 6 points
    Pessoal já tinha deixado noutro fórum, aproveito para colocar aqui. Descobri umas apis abertas da morningstar, que fazem uns pdfs e gráficos todos bonitos. Portfolio X-Ray (Funciona para fundos e ETF) Bonus: Inclui mapa de correlações Comparar carteiras (Funciona para fundos e ETF) Relatório de fundos/composição das carteiras completa (Funciona para fundos e ETF) [Novo] Gráfico de crescimento (Funciona para fundos e ETF) Matriz para cruzamento de métricas (Funciona para fundos)http://fundosdeinvestimento.ptSe encontrarem algum bug avisem PS: Não se usa o ISIN, mas sim o ID que aparece no url, que é o identificador interno no morningstar. Cumps
  2. 6 points
    Há várias variáveis a ter em consideração, se é uma pessoa solteira a viver sozinha, se é um casal, se é um casal com 1, 2 ou mais filhos ... se o casal pretende deixar de trabalhar ou se apenas 1 dos cônjuges pretende deixar de trabalhar .. Ou seja, há variáveis que facilmente influenciam o "resultado" final de se "reformar" mais cedo .. Nada que uma folha de Excel bem preenchida não consiga extrapolar .. Por exemplo: Casal com 1 filho, ambos trabalham, ele recebe 1500€ líquidos / mês, ela recebe outros 1500€ líquidos / mês ( total 3000€ líquidos / mês ) Crédito Habitação a 40 anos de um T3 com mensalidade entre 400 a 600€ consoante a Euribor, coloca-se 500€ / mês em média Condomínio >30€ / mês IMI >350€ / ano Despesas escolares ( Privada ) do filho ( +300€ / mês no mínimo ) Alimentação em casa >300€ / mês Alimentação ao almoço fora do escritório / messe / cantina, [ 5 - 10€ ] x [ 18 - 23 dias ] x 2 pessoas = ( [ 90€ - 180€ ] ou [ 180€ - 230€ ] x 2 ) = entre 180€ a 460€ no caso + extremo, faz-se 320€ em média Água, luz / gás, Pacote TV/Internet/Móvel > 200€ 2 automóveis já pagos com consumos combustível mensais de 150€ ( 75€ x 2 ) IUC seguros e afins > 500€ / ano Jantar fora 2 vez por semana ( 50€ x 2 = 100€ ) Férias 2 vezes ano dependendo do destino ( 1000 x 2 = 2000€ ) Idas ao médico > 250€ ( pode ser menos, ou pode ser mais dependendo das pessoas ) ( podem haver outras despesas mas que agora não me recordo ) Neste cenário, esta família gasta sensivelmente o correspondente a 1858€ / mês e pouparia na teoria pouparia 38% do rendimento disponível. As últimas notícias dão conta que as famílias portuguesas apenas conseguem poupar 3.8% do rendimento disponível, ou seja, esse cenário que coloquei em cima parece ser uma utopia .. o que leva à hipótese da malta andar a gastar mais do que tem ... e andar sempre na corda bamba .. Para 1 destes cônjuges viver apenas de juros, teria que no mínimo garantir rendimentos / juros mensais líquidos de 1500€ para manter este nível de vida em cima exemplificado .. Mas atenção porque tem de ser 1500€ certinhos todos os meses .. não pode ser um rendimento volátil ... não pode ser um mês 800€ e no seguinte 1800€ ... porque aquelas despesas fixas não mexem ... a não ser que a família consoante o rendimento variável opte não jantar fora e andar menos no carro no mês que entre menos €€€€ .. se é que me faço entender .. Se ambos quiserem deixar de trabalhar, tem de garantir 3000€ líquidos / mês para manter esse estilo de vida em cima .. Repara que mesmo com 1% TANB em DP a 1 ano ( anda tudo pelos 0% ou <0.X% ), mesmo que este casal tivesse 1 milhão de € no banco "só" dava 7200€ líquido ano ( 600€ / mês ) Para conseguir depender de 1 milhão de € a render num DP, a TANB teria que ser 5% para render 36 000€ líquidos / ano ( 3000€ / mês ), mas mesmo as taxas dos DP's variam em relativo pouco tempo .. ou seja, voltamos outra vez à questão da estabilidade de income passivo necessário .. ( 3000€ líquido / mês no caso do casal deixar de trabalhar ) Se for o caso de uma pessoa solteira sem filhos, as despesas serão menores ( não há custos com filhos, apenas 1 automóvel etc ), mas as outras variáveis podem disparar facilmente se o solteiro for " boémio " e gostar muito de fazer 4 viagens / ano para destinos exóticos, morar num T1 a pagar arrendamento de 500€ / mês e andar sempre em jantaradas e copos ( > 300€ / mês ) .. Ou seja, cabe a cada um fazer este tipo de contas e extrapolar que investimentos actualmente existentes é que permitiriam um cash-flow estável necessário para manter um determinado padrão de vida .. mas em Portugal é um pouco complicado, mesmo quem investe em Imobiliário alavancado por Crédito tem sempre ali a faca apontada caso os inquilinos falhem rendas e depois o proprietário é que tem de entrar com capital próprio / comer poupanças para pagar a(s) prestações ao banco senão fica sem a(s) casa(s) .. Este é um tema muito interessante e penso que em Portugal muito pouca gente se debruça sobre o mesmo, infelizmente é triste porque há bastantes estudos que apontam para um decréscimo acentuado nos valores das reformas aliado à baixa taxa de natalidade e ao aumento da esperança média de vida e quando a malta se reformar vai cair o queixo quando virem que vão receber um "cagagésimo" do que ganhavam ... mas as despesas fixas / padrão de vida mantém-se inalterado ... por outro lado a taxa de poupança é quase nula .. é preocupante, sei que há muita gente que ganha pouco, mas também há malta que tinha margem para poupar e não o faz conscientemente .. prefere o Carpe Diem .. mas depois não chorem um dia mais tarde eh eh
  3. 5 points
    Depende da perspectiva; há pessoas que passam privações para deixarem uma boa herança para os filhos, o que também não faz muito sentido. No que a mim me diz respeito, não tenho intenções de propositadamente deixar dinheiro para os filhos, mas se continuar como espero a ter sempre algum poupado (para as minhas eventuais necessidades enquanto estiver vivo) é natural que quando a morte me apanhar os meus filhos fiquem com o dinheiro, o que não é uma coisa má para eles se tiverem juizo. A falha da filosofia do "não levas o dinheiro para o caixão" é que o caixão pode tardar a chegar e nesse entretanto pode muita coisa de ruim surgir de imprevisto e com as quais podem os "hedonistas" passar maus bocados por falta de dinheiro.
  4. 5 points
    Sem me querer intrometer na conversa.... A maneira mais simples para um Português comum que tenha de trabalhar todos os dias e apenas queira aplicar as suas poupanças de uma forma mais rentável será através de fundos/Etf's tal como o salvador no seu tópico expôs. Para por exemplo 100k deixar em DP/CTPM uns 20% e o restante numa carteira desse género (ou como a do Mouro que replica o PP europeu) e aceitar que terá alguns DD mais acentuados. Quem não sabe escolher ações individuais deixe-se estar quieto e vá por um fundo para não correr o risco de entrar num BES ou BANIF. Se calhar através de fundos não se vai obter as melhores rentabilidades mas penso que a longo prazo não ficará mal servido. Pelo menos é disso que me convenço. Os fundos/ETF são propriedade do titular a não ser que haja grande marosca, por isso ter fundos da vanguard ou da pimco no BCP ou BES era indiferente em caso de falência destes IF. Acho que quando se anda à procura de rentabilidades muito grandes e a complicar as carteiras acabamos por não as conseguir. Já tentei fazer daytrading porque achava que ter 8% ao ano era pouco..... RESULTADO? Queimei duas contas Só me riu hoje pk aprendi com os erros
  5. 4 points
    A coroa e todas as moedas praticamente... E não é a coroa que está subvalorizada, é o euro que está sobrevalorizado. Por cada vez que vêm aqui meter recomendações da DECO, morre um gatinho, só vos digo isto. Por favor, pensem nos gatinhos.
  6. 4 points
    Que raio de pergunta. Com 213 posts já devias saber evitar fazer esse tipo de perguntas de malta que acaba de cair neste tópico de para-quedas. Mas como até tenho tempo livre, vou escrever o que já escrevi várias vezes, para quem vier depois, poder perceber porque é uma pergunta parva. Então como queres que te digam se é melhor esperar uns dias (dias, lol) ou reforçar já, quando não sabemos, por exemplo: 1 - o teu perfil de investidor. És um 100% stocks ou um blend (40/60) ou um conservador que andas numa bond ladder? És novo, ou já caminhas para a reforma? 2 - a composição da tua carteira. Em que tipo de activos? Em que moedas? Em que geografias? Com que graus de risco? 3 - reforçar em quê? Obrigações? Corporativas ou de dívida pública, Acções? De que tipo? Em que geografias? Com que peso na carteira? Em que sectores? 4 - a tua literacia financeira. És um curioso dos fundos de investimento? Entraste nos fundos porque o teu gestor te sugeriu como alternativa a DPs? Ou és um geek do mundo dos negócios e até sabes umas coisas? Acompanhas regularmente as movimentações geopolíticas e financeiras mundiais, caso tenhas os teus investimentos alocados a várias geografias e sectores? Podia meter mais, mas estes 4 pontos já servem de exemplo. Respondendo à tua questão, eu a ti fazia o seguinte: esperava mais uns dias, ou avançava já amanhã, conforme chova hoje ou não. É que vir fazer essa pergunta sem nexo e sem qualquer suporte que permita à malta poder tecer uma opinião, é equivalente a fazeres as tuas decisões de investimento baseado na meteorologia. Não me leves a mal o "raspanete". É mais um alerta à navegação, para que todos possamos ser melhores investidores.
  7. 4 points
    Eu não trocava os meus filhos + esposa pela independência financeira, mas tenho a certeza que sem eles neste momento eu já estaria independente; como os tenho resta-me esperar pela reforma. O que me parece abusivo é que alguém que considera que os seus filhos são a coisa melhor do mundo se ponha a partir dai a extrapolar para todos essa ideia que ter filhos é a coisa melhor do mundo, pois certamente não é uma verdade absoluta; nem todos as pessoas gostam dos seus filhos, nem todas as pessoas acham que os proveitos de ter filhos se sobrepõem aos inconvenientes que estes trazem, etc. Cada um deve escolher para si o que quer em conformidade com a sua natureza/vontade, mesmo que essas escolhas sejam consideradas como egoístas (no mau sentido) ou socialmente criticadas. Há uma certa pressão social que incita ao casamento ou a ter-se filhos, e que leva muita gente sem qualquer apetência para ser pai/mãe ou marido/esposa a meterem-se nessas armadilhas das quais só resulta infelicidade para todos os envolvidos.
  8. 3 points
    Visitante

    CGD

    Não posso estar mais de acordo com o seu comentário...simplesmente a realidade para quem a quiser ver...brilhante.... Não fosse a década de 90 em que todos os dias à mesa lá em casa tinha 8 pratos, após 10 anos estava a dona de casa a comer sozinha...na mesma mesa....Falecendo unicamente os meus avós maternos, ou seja, todos saíram para fora (por imposição) para os ditos 3x e 4x mais rendimentos...mas ninguém fala do envelhecimento prematura associado à própria poluição das grandes cidades, o stress dos metros carregados de "vultos" que pouco ou nada se conhecem, uma carga horária de 10-12 horas diárias..., os bens 3x mais caros, o conceito família...a distância, o afastamento, será que a esposa e os filhos chegam como família...? Não, de longe.... Desculpem mas não quero ver mais o meu pai e irmãos entrar como estranhos após 6 meses ou mesmo 8 meses pela casa dentro...sei o antes, o durante e o depois...uma grande treta a emigração, todos querem voltar no final das carreiras porque será? Não é assim tão bom ao final?.... O meu falecido avô dizia_"O homem vai desenvolver? Vai! O homem vai progredir? Vai! Mas um dia quando partir vai perceber que o de mais belo da vida, era a sua família e os seus amigos..." Se cada ser humano ao nascer tivesse um relógio em contagem decrescente...iria ver de que forma era o mais correto viver a vida.... Não irei responder a mais nenhum tópico, dado ser estritamente de assuntos relacionados com a CGD, o moderador que me perdoe, mas a realidade é esta e por vezes à que a contar como ela é e não fazer de conta que está tudo bem...pois não está...
  9. 3 points
    É uma carteira "clássica" de 70% de acções + 30% de obrigações. A tua escolha dos ETF parece-me correcta. Para pensares no assunto sugiro, como alternativa ao MTX, o MTC Lyxor EUROMTS 5-7Y Investment Grade (DR) UCITS (EUR). O MTC, segundo o Morningstar tem uma maturidade efectiva (Effective Maturity) de 5,70 anos. Segundo o William J Bernstein, no livro "The Four Pillars of Investing" é a maturidade ideal (5 anos), pois é a que tem a melhor relação retorno / risco. No caso de subida de juros (que faz baixar o valor das obrigações), a recuperação do valor das obrigações faz-se sem perdas para o investidor de longo prazo. Citando o Bernstein: "To be considered riskless, their maturity [bonds] should be less than 5 years, so that their value is not unduly affected by inflation and interest rates" Infelizmente o Morningstar não tem a maturidade efectiva para o MTX, mas penso que deve ser inferior à do MTC. O risco da tua carteira, de acordo com o artigo "Risk Tolerance" da bogleheads é de 30%. Analiza a tabela que está em "5. Notes". Sugeria ainda que fizesses uma simulação histórica, para te dar uma ideia do comportamente dessa carteira no passado.
  10. 3 points
    Pela minha experiência é realmente difícil fazer uma poupança programada. Houve alturas em que tive de tirar das poupanças para as despesas que não podiam ser evitadas. O Robert T. Kiyosaki, no seu livro "Pai Rico Pai Pobre", diz para tirarmos a nossa parte (para a poupança) assim que recebermos o ordenado. Isso é um bom príncipio. O Tonny Robbins, no seu livro "O Jogo do Dinheiro", aceita que é difícil fazermos as nossas poupanças, pois faz parte da natureza humana olhar mais para o presente do que para o longo prazo, mas diz que devemos ser disciplinados, e dá a seguinte ideia, para quem quer iniciar a sua poupança mas o dinheiro "não chega": começar por poupar 3%, uma meta realizável e, quando houver aumento de ordenado, ir aumentando a poupança até à percentagem que se pretende (10% no mínimo). Devemos pensar na poupança como um imposto, isto é, como algo que não pode ser evitado.
  11. 3 points
  12. 2 points
    Eu pensei em fazer uma carteira em fundos USD na altura em que o EUR/USD estava nos 1,38 em meados de 2014, achei que talvez não subisse mais, mas atendendo que o mesmo chegou aos quase 1,60 em 2008 achei melhor nem arriscar, claro que depois a 1,05 tinha rendido bastante atendendo também á subida da própria performance dos fundos, mas também não me arrependo, olho muito para o risco, tento retirar o máximo de risco e abdicar da rentabilidade, o factor cambial é algo muito volátil.
  13. 2 points
    Eu não faria nada, o "mal" está feito ( essa vossa mania de se porem a acrescentar "risco" ás carteiras ) 75% é muita fruta.
  14. 2 points
    O fundo deixou de ter o foco na distribuição de ativos por classes, para se focar na distribuição de ativos face aos ciclos de mercado. Ele estava constrangido a uma regra de +-33% distribuído por Stock Risk, Bond Risk e Commodities Risk, que estava a limitar as opções dos gestores. E agora passa a distribuir essas alocações por recession, non-inflationary growth and inflationary growth sem restrição de classes de ativos.
  15. 2 points
    @gustaferra, continuo a dizer que continuas a misturar coisas diferentes e a fazer contas falaciosas. Num DP o teu dinheiro está parado durante todo o prazo do mesmo e só recebes o capital mais os juros no fim. Nas P2P recebes juros + capital todos os meses. Da forma que tu fazes as contas, e se não reinvestires, as contas estão certas, mas não me parece que quem investe em P2P só invista uma vez e depois espere pelo fim do prazo para voltar a investir novamente. O usual é logo que está capital disponível, voltar a utilizá-lo em novos empréstimos, juntando novos juros. Faz as contas aos juros compostos e vê lá se não ganhas mais nos P2P! Deixo também aqui um excel: P2P-Amortização com Reinvestimento.xlsx
  16. 2 points
    Não faço empréstimos manualmente. É tudo com o auto invest. @gustaferra, tu estás a somar os juros de cada empréstimo e não te dá a taxa anunciada. É natural que não dê pois o empréstimo vai sendo pago em prestações e, com o passar do tempo, o capital em dívida vai sendo menor. Logo, juros inferiores. Dando o exemplo de um empréstimo a um ano. Se no primeiro mês a taxa de juro incide sob o valor total, no sexto mês já só vai incidir sobre aproximadamente metade do valor, ou seja, metade dos juros. É como num crédito habitação onde, no início pagas tanto ou mais de juros quanto de capital em dívida e, mais para o fim, já pagas sobretudo capital e poucos juros. No entanto, na Raize, esse dinheiro que vai sendo pago pode ser reinvestido noutros empréstimos, tornando a taxa de juro que é apresentada no teu perfil da Raize relativamente próxima do real, como pudeste ver o meu exemplo. A não ser que tenhas uma percentagem significativa do teu dinheiro sem estar investido durante bastante tempo também deves ter um resultado semelhante.
  17. 2 points
    Os utilizadores do Tapatalk foram definitivamente esquecidos...
  18. 2 points
    Finalmente já desbloqueou, já aparece como "Declaração com reembolso". Imagino que agora seja rápido a passar à liquidação, but you never know...
  19. 2 points
    Boa noite. Este è o meu primeiro post no forum pelo que antes de mais gostaria de agradecer ao salvador e a todos os participantes neste tópico por terem mudado a minha perspectiva sobre o investimento a longo prazo. Tenho dedicado bastante tempo a interiorizar os conceitos aqui explanados e, apesar de ter muito ainda que aprender, penso ter adquirido as bases necessárias para avançar com a criação da minha carteira. Tenho 44 anos e no meu caso o investimento terá um horizonte temporal de aproximadamente 20 anos. O montante inicial é propositadamente modesto mas o objetivo será o de chegar aos 20.000€ em aproximadamente dois anos e prosseguir com reforços anuais de aproximadamente 5.000€. Assim sendo a carteira terá inicialmente dois ETF's, a saber: 70% IWDA - iShares Core MSCI World UCITS ETF 30% MTX - Lyxor EuroMTS All-Maturity Investment Grade (DR) UCITS ETF EUR O Total Expense Ratio medio é de 0,19%. Ambos os fundos são ACC e os bonds são em euros (e da zona euro). A medida que for reforçando a carteira irei também diversificar revendo a exposição as ações. A corretora escolhida é a DeGiro e a conta a custody, pelo que o custo da carteira inicial/ano será de 2.5€x2 (Bolsa de Amsterdão e Paris). Agradeço desde já os vossos comentários.
  20. 2 points
    @gustaferra obrigado por esse gráfico (Já tive a ler os vossos comentários mais à frente, em que concordo com a vossa perspectiva mas parece-me que está a escapar algo...) 950€ bruto (vou assumir que são 2 titulares, 1 filho). Eu quero acreditar que não sou muito forreta, e que a realidade mostra que alguém com estes rendimentos terá 0% de hipóteses de se reformar antes dos 66 (na altura deve andar pelos 70 xD). Líquidos: 754,30€ x 2 = 1.508,60€ Poupança: 452,58€ (30%) Gastos: 1.056,02€ (renda, carro - combustível e seguro, alimentação, água, luz, internet, gás, seguro de saúde) só assim por alto vejo 1.200€. Não considerei o colégio, saída (ou jantar), nem nenhuma despesa extraordinária como o carro, por exemplo. Portanto vejo um casal com estes rendimentos e um estilo frugal, não consiga poupar mais de 250€. Estou a fazer contas por alto, mas que demonstram bem a dificuldade que será alguém nestas condições reformar-se antecipadamente. Está a escapar-me algo? PS- Tive que voltar a escrever este comentário (com menos paciência xD) Vou ler esses livros!
  21. 2 points
    Eu ainda não sou pai (não excluo essa hipótese) mas vamos ser sinceros, independentemente da maior alegria que um filho traga, esse é automaticamente um factor que irá excluir a maioria dos Portugueses de reformarem-se antecipadamente. Luxos e conforto à parte, provavelmente o dinheiro "será" gasto na mesma sem ser com os filhos, noutros vícios (viagens, carros, etc). Agora duvido que alguém que seja Pai, com salário médio em PT, sem heranças, euromilhoes possa aqui afirmar que poderá reformar-se antecipadamente.
  22. 2 points
    Aqui só se está a discutir se a vida de uma pessoa (e de um casal) ficará muito (ou não) dificultada em termos de atingir a independência financeira. E o que eu defendo é que decidir ter 1, 2 ou 3 filhos, torna difícil (a impossível) ter independência financeira para portugueses com rendimentos médios. Ou dito de outra maneira, se decidires ter independência financeira cedo, tens que abdicar de ter filhos. Isto se estiveres dentro do grupo de portugueses com rendimentos médios claro. Por muita roupa ou brinquedos que te dêem é sempre preciso um incremento sério de recursos em todas as áreas que falei atrás, quando se decide ter 1 único filhos. Imagina mais um ou dois. Tem aqui alguns links que demonstram bem isto: 1- https://www.economias.pt/quanto-custa-ter-um-filho-as-despesas-com-que-tem-de-contar/ ( "Os seguintes valores podem servir para uma referência geral, apresentando valores médios para o primeiro ano do bebé." ) 2- http://visao.sapo.pt/actualidade/economia/quanto-custa-criar-um-filho=f520254 Estudo de 2007 que aponta para 230 mil euros de custos para ter um filho dos 0 aos 25 anos. 3- http://saldopositivo.cgd.pt/quanto-pesa-um-filho-orcamento-familiar/ Lá se foi a independência financeira. Qualidade de vida esquece. Vida descansada é mentira. Pelo menos para os portugueses com rendimentos médios. (estamos aqui a excluir malta mais rica, heranças, casais com pais ricos que possam dar uma casa ou apartamento, etc..)
  23. 2 points
    Não respondi ao Post de poupar nos filhos, não tem como comentar nem vou estar aqui a defender o sexo dos anjos!!! Sou Pai, muda-nos a vida, passei a ter mais paciência pois os choros e gritos, obriga a ter mais calma para não entrar em tilte, se for falar pela a parte financeira o estado pelo menos até 1 anos apoia, a familia e amigos insistem em doar roupas e brinquedos, vou este ano fazer ferias a 3 andei a ver a logística se disponibilizam berço no quarto, comprei uma geladeira eléctrica para não faltar conforto a bébé..... Se calhar poupam nos filhos mas andam cheios de vícios por isso não vou discutir o sexo dos anjos!!! Pensamos com tempo ter mais.... Por isso, poupança para não ter filhos é um não assunto para min...
  24. 2 points
    É a minha opinião. Mas tinha curiosidade em saber a opinião dos pais que participam aqui no Forum se também não concordam com o que disse .. É óbvio que a opinião de quem ainda não é pai não conta, visto que ainda não sentiram isso. PS: não é preciso ficar ofendido, não disse nada de ultrajante ou ofensivo, ainda para mais num tema como filhos
  25. 2 points
    A questão dos filhos não pode ser só vista do ponto de vista racional / financeiro, ter filhos é a melhor coisa do Mundo. Sim, acarretam gastos, mas não é com 50 anos de idade que uma pessoa decide ter filhos só porque " ah, já tenho dinheiro suficiente e agora apetece-me ter 1 filho " ... A partir dos 30 e tal anos de idade já se sabe que as mulheres não tem a mesma propensão para engravidar, há mais riscos etc ... é um tema sensível e acho que não se deve misturar com dinheiro e não ser em casos de situações de famílias muito precárias, aí sim tem de ponderar se tem condições financeiras para ter um filho ... agora quem fala em ordens de grandeza de investimentos etc isso já não se coloca, pelo menos 1 filho podem ter, não juntam tanto dinheiro mas tem a maior "riqueza" do Mundo com eles Na alimentação, pode-se poupar na questão de se fazer / comer mais comida em casa / levar para o trabalho e rentabilizar o número de refeições por prato confeccionado, agora não é para passar fome obviamente .. Saúde, se uma pessoa tiver um estilo de vida saudável e tiver uma alimentação correcta a propensão para necessitar de medicamentos é menor, mas quando há algum problema e for necessário ir ao médico ou comprar medicamento X mais caro, uma pessoa não pode deixar de o fazer .. Habitação própria sim, poderá eventualmente ser uma mais pequena / barata Carro, consoante se é solteiro, se é casado, se tem filhos ou não é que se toma a decisão se basta 1 comercial ou se é preciso uma carrinha ..
  26. 2 points
    Não deixa de ser uma filosofia de vida válida; cada um deve decidir por si e aceitar as eventuais consequências que resultem dessas decisões. Não me venham é depois as cigarras pedir para que eu, a formiga, lhes deite a mão.
  27. 2 points
    A mim parece-me que as despesas mensais desse exemplo são superiores aos 1858 euros, se incluirmos também as despesas como as férias, IMI, seguros, etc, divididas por 12 meses. Se juntarmos ainda o vestuário, cosmética, sapatos e carteiras, cabeleireiro, substituição de electrodomésticos que avariam, despesas com os automoveis (Inspeção, revisões, pneus, avarias, etc), material escolar, hobbies, prendas, etc, com esse estilo de vida, esse casal muito dificilmente conseguiria poupar alguma coisa de substancial. Um casal como esse, ganhando 3000 euros por mês, para conseguir poupar entre 500 a 1000euros por mês, já têm que injectar muita frugalidade em diversas vertentes.
  28. 2 points
    Em que sectores? Em que geografias? Em que trimestre em concreto? Antes ou após publicação de earnings nos EUA? Baseado em que argumentos ela apresenta essa afirmação? Qual a exposição da sua carteira aos mercados que ela alega que irão tornar-se instáveis? Porque sugere obrigações? Porque sugere um fundo que tem uma performance relativamente à média da categoria que mais parece uma bola de ping pong, com uns anos bons e logo no ano seguinte um ano péssimo? Porque lhe sugere um fundo com um mix de bonds corporativas e bonds governamentais, espalhadas um pouco por todo o mundo? Porque lhe sugere um fundo que nos últimos 5 anos rendeu -0,84% que a média da categoria e nos últimos 3 rendeu -1,25% que a mesma média? Porque lhe sugere um fundo onde 55% das bonds em carteira corresponde a dívida com rating BBB? Fez estas perguntas à sua PFA? Se não fez, aproveite para lhe dar uma apitadela amanhã. E sim, eu sei que o senhor já não caminha para novo e que já não tem grandes ambições de muita exposição a acções, pelo menos pelo que já teve oportunidade de partilhar connosco aqui no passado, mas eu pessoalmente não vejo razão para "instabilidade/riscos acrescidos para o que falta de 2017". Se aqui alguém achar o contrário, por favor que nos elucide.
  29. 2 points
    Há sempre quem ganhe com o arrendamento.. 1º o inquilino, 2º o advogado 3º o tribunal.
  30. 2 points
    Não! O risco varia consoante o banco/correctora e os instrumentos financeiros que vais negociar! E quanto melhor o conhecimento próprio sobre aquilo em que vais investir menor o risco. Não é boa ideia deixar isso para gestores de conta pois só querem saber de cobrar comissões e taxas e praticamente não têm qualquer conhecimento e experiência comprovada em obter lucros negociando nos mercados. A grande maioria são apenas intermediários que apenas repetem aquilo que a grande maioria já sabe sobre os mercados, mas não são traders profissionais.
  31. 2 points
    Boas, Não me querendo repetir... O que era uma "realidade" há 10-15 atrás, deixou de o ser. Existe muita transformação na sociedade a todos os níveis. No fundo tudo se resume a 2 factores: Aversão ao risco Diversificação Não vale a pena investir em algo que não se está confortável. Mr. Buffet também não investia na Apple (tecnológicas) porque dizia ele, que não conseguia perceber o negócio. No entanto em 2016 a sua empresa, investiu na Apple. Isto tudo para dizer que a evolução faz com que empresas de sucesso há 10-15 anos, hoje não existam, e outras se tenham adaptado à nova realidade. PS- A expressão sites "manhosos" é que não faz sentido no teu texto. Aquilo não é HYIP
  32. 2 points
    Quem não arrisca não petista..... meta um valor minimo que não lhe faça difereça por exemplo na Raize P2P portuguesa e teste a plataforma. Muita gente arrisca em negócios pessoas tipo café , restaurantes e também tem o risco de negocio.... Se é averso ao risco de negócio ; Acções ; Fundos de Investimento etc.... Não saia dos D.P ou certificados de aforro....
  33. 2 points
    Quem investiu em CTPMs até fevereiro de 2015 vai benefeciar dessas taxas até 2020. Atualmente DPS e CTPMs dão taxas muito pouco acima da inflação e para se viver de juros não dá. É melhor pegar nesse dinheiro e investir em imoveis para arrendar ou qualquer outra coisa. As taxas de juros que atualmente oferecem são de fugir, mas pode ser que de futuro voltem a subir.
  34. 2 points
    Atenção nas P2P as taxas de 10 ou 12% não é a mesma coisa tiverem um cartão de crédito a 12% ou um crédito Habitação... Quem se financia nas P2P a taxa de 6% pagas muito menos do que na Banca..... As taxas parecem especulativas mas não são.... Quem investe por ex: a 12% a 12 meses teoricamente deveria receber 1000€ * 12% = 120€ de juro Mas como o capital é amortizado o calculo é na base mensal sobre o capital em divida, ou seja, 1000/12= 83,33 amortização juro mensal 1%... 1 mes = 1000 x 1% = 10 juros 2 mes = 916.667 ( 1000-83,333) x 1% = 9.1666 3 mes = 832 ( 916 -83.333 ) x 1% = 8.32667 4 mes = 749 x 1% = 7.49 5 mes = 665 x 1% = 6.65 6 mes = 581.67 x 1% = 5.8167 7 mes = 498 x 1% = 4.98 8 mes = 414 x 1% = 4.14 9 mes = 330 x 1% = 3.30 10 mes = 246x1% = 2.46 11 mes 162 x 1% = 1.62 12 mes 83 x 1% = 0.83 Se somarem os juros dá = 64,77 para os 120€ vai uma diferença, ou seja a taxa efectiva é de 64,77/1000 = 6.47% é especulação ? A única vantagem neste método podemos ir indo reinvestindo todos os meses, mas uma taxa teórica de 12% é razoável e vai em conta alguns investimentos por exemplo fundos de investimento. Quando vejo malta a defender investimentos em P2P a 2 anos e a empresa x tem ranking A e dá 5,5% eu fujo, porque a taxa efectiva é muito menor e o risco da empresa falhar pode acontecer e recuperar o capital é muito mais difícil....
  35. 2 points
    Duracellpt

    CGD

    Exatamente como eu, mas uso o Banco CTT. Na prática, o cartão de débito do Banco CTT funciona como um cartão pré-pago. Faço tudo com a conta do Banco Best e vou fazendo transferências (gratuitas) para o Banco CTT para carregar o cartão de débito .
  36. 2 points
    Na Viventor tenho consigo investir a taxas entre os 11% e 12%. No entanto tenho de estar acordado a partir das 6:00 (8:00 EET) que é quando eles começam a pôr os empréstimos no mercado primário. E desaparecem com grande facilidade que nem dá tempo para o autoinvest entrar em ação, às 6:45 já há muito pouco para investir. Na Twino, tal como na Viventor é uma questão de lá estar online às horas certas. Eles pagam os empréstimos a partir das 22:00 (0:00 EET) e logo a seguir começam a colocá-los no mercado primário. Pessoalmente, vou ao site entre as 23:00 e 23:30 e aplico sempre o que me pagaram e sem problemas.
  37. 2 points
    Não tem mal nenhum, é um tipo de conta diferente da custody. Do documento da Degiro "ISI - Webtrader", podemos ler: "Custody Se escolher o perfil “Custody”, pode utilizar os Serviços de Investimento da DEGIRO, à exceção do serviço de Derivados. Ao contrário dos outros tipos de perfis, no perfil “Custody” os artigos 4.5 "Utilização por terceiros" e no artigo 9 "Empréstimo de Títulos" das Condições de Serviços de Investimento são de aplicação apenas nos casos em que utilize os serviços de Crédito ou Títulos a Descoberto. No Perfil “Custody”, os Títulos são detidos para si em separado, em contas combinadas de corretoras primárias e depositantes. A DEGIRO exigiu que tais corretoras primárias e depositantes não tivessem direito de utilizar essas contas. A DEGIRO não efetua empréstimos de Títulos provenientes de tais contas. Os Títulos detidos desta forma no Perfil “Custody” são protegidos contra falhas das corretoras primárias e depositantes ao serviço da DEGIRO. O Perfil “Custody” tem no entanto uma taxa superior."
  38. 2 points
    Sem prejuízo de que pode ser interessante consultar um advogado, para ele ser funcionário da empresa existem duas opções: 1 - É contratado pela gerência, como qualquer outro funcionário. 2 - É nomeado gerente, em assembleia-geral dos sócios (ser gerente não é bem a mesma coisa que ser funcionário...)
  39. 2 points
    Abri recentemente empresa mas era ENI e tinha conta no Activobank, pelo que no que toca a essa questão não deverão encontrar problemas se lá quiserem abrir conta. Para mim funciona muito bem. Porém, à data, abri uma Sociedade Unipessoal por Quotas e em todos os bancos me apresentam propostas bastante onerosas. No NB pediram-me 6-7€/mês No BIC 50€/trimestralmente No Millenium 12€/Mês Pessoalmente gostaria de trabalhar com o Novo Banco pela plataforma online e onde sempre tive o ordenado, porém acabei por abrir conta na Caixa de Crédito de Leiria que apenas me cobra 7,5€ de emissão de cartão de débito e 5€ de anuidade. Não cobram transferências, porém o Netbanking é simples e necessitamos de um Token(que parece uma calculadora) para gerar códigos sempre que fazemos um movimento. Tive pouco tempo para avaliar o que havia no mercado mas seria interessante realizar uma comparação entre condições praticadas. Lanço a bola para alguém que queira ter a bondade de fazer esse trabalho.
  40. 1 point
    De 1000€ a 5000€ pagam (montante - 1000€) x 1%. Com montante >= 5000€ , pagam 4000€ x 1% = 5000€ x 0,8%. Eu abri conta na sede, no Marquês de Pombal (Lisboa). [Off-topic] Para remuneração sobre capital disponível, isto também pode interessar: https://www.bancoctt.pt/as-suas-poupancas/conta-poupanca-livre.html
  41. 1 point
    O TWINO agora por volta das 22:00 também está cheio de ofertas... e durante o dia não tem nada. Isto é mesmo das horas a que os disponibilizam como já foi dito aqui também.
  42. 1 point
    Penso que o que o Pedro Pais quis dizer foi, tendo em conta que são namorados e não casados ( com ou sem separação de bens ), estar a colocar a mãe pensionista como fiadora é um risco caso a vossa relação eventualmente "dê para o torto" no futuro ... porque a bomboca vai sobrar para ti e para a tua mãe e nunca para o teu namorado .. Se já casados é um risco, quanto mais só em união de facto.
  43. 1 point
    Bom artigo sobre estado atual das coisas: https://bloom.bg/2srWAIv
  44. 1 point
    Subscrevo e digo que é a melhor coisa do mundo. Fui pai há seis meses. Tem os seus gastos ter um filho mas não é o fim do mundo. Tudo se cria. Antigamente segundo o que dizem os meus pais era pior e e eles ainda cá andam. Hoje é que há muitas modernices e as pessoas adiam para mais tarde ter um filho com medo. Não podes dar novo, dás usado. Só o facto de ver aquele sorriso ao fim de um dia de trabalho enche nos o coração.
  45. 1 point
    Eu vou deixar aqui a minha visão acerca e investimentos: Por um período alargado fazer um registo de todas as receitas e todas as despesas; Fazer um orçamento familiar; Ver onde se pode ajustar, de modo a que haja folga para uma taxa de poupança acima de 15%. Aqui sim, pode-se tentar ajustar também do lado da receita, apostando a fundo e maximizando a carreira profissional / emprego. Constituir 1 conta-ordenado para as despesas do dia-a-dia; Constituir 1 conta para despesas de emergência, à volta de 6 meses de despesas familiares (com as actuais taxas de juro, pode ser a mesma conta ordenado); Constituir 1 conta de aplicações sem risco - DP, CTPM eu diria no montante equivalente a uns 2 anos de despesas familiares ou cerca de 20% do património pessoal. Fazer um teste de perfil de risco; Constituir 1 conta para investimentos; Fazer a alocação em acções/obrigações tendo em conta a fórmula de 100 (ou 110) menos a idade. investir de forma diversificada usando Fundos de Investimento ou ETF's Buy and Hold, deixar a capitalização actuar, esperar, e não pretender ganhar tudo no curto prazo. Isto pode levar umas décadas, e pode ir flutuando um bocado. Periodicamente avaliar a carteira e fazer pequenos ajustes. Fazer aplicações periódicas, de modo a que no longo prazo a conta tenha uma alocação de cerca de 70% do património pessoal. Só assim se poderá conseguir ter um montante para viver dos juros/dividendos.
  46. 1 point
    Sendo não residente, a tributação é sobre 100% das mais-valias. Nº 2, artigo 43.º do CIRC, a contrario.
  47. 1 point
    A lei refere expressamente os gerentes, pelo que não estou a ver o contabilista disponibilizar qualquer informação aos sócios sem autorização da gerência ou ordem judicial.
  48. 1 point
    Acho que é mesmo melhor consultar o seu advogado, que essa situação é muito sensível.
  49. 1 point
    Obrigado pelo comentário. A mudança nunca é fácil de assimilar, mas temos de manter o dinamismo da coisa, o que envolve necessariamente tentarmos "melhorar" (é sempre discutível o que é de facto melhor, mas não há como experimentar). Além disso, mas mudanças não são assim tão profundas, é quase só uma reorganização, com mais algumas ideias adicionais.
  50. 1 point
    Podia ser um quadro chamado Carteira de Investimentos, subquadro do Investimentos, em que cada user criaria um tópico, do género: "Investimentos Pedro Pais"? Alguma sugestão melhor?