Fóruns

  1. Finanças

    1. Créditos

      Créditos habitação, automóvel, pessoal, ao consumo e afins

      13.351
      publicações
    2. 12.501
      publicações
    3. Seguros

      Seguros de saúde, automóvel, vida, multi-riscos, acidentes pessoais e todos os outros

      1.160
      publicações
    4. 835
      publicações
    5. 4.192
      publicações
    6. 24.561
      publicações
    7. 29.468
      publicações
  2. Fiscalidade e Trabalho

    1. Impostos

      IRS, Segurança social, IMT, IMI e simuladores fiscais

      27.168
      publicações
    2. Segurança Social

      Subsídios, pensões, abonos e outras contribuições de carácter social

      621
      publicações
    3. 1.125
      publicações
    4. Trabalho por conta própria

      Trabalhadores independentes, ENIs e micro e pequenas empresas

      711
      publicações
    5. 2.193
      publicações
  3. Geral

    1. Apresentações

      Quem és, de onde vens e para onde vais?

      703
      publicações
    2. Diversos

      Para falar de tudo o resto

      10.631
      publicações
  4. Fórum

    1. Regras

      Regras do fórum

      2
      publicações
  • Estatísticas de Utilizadores

    23.056
    Total de Utilizadores
    217
    Mais Online
    Serhiy Voloshyn
    Utilizador Mais Recente
    Serhiy Voloshyn
    Registado
  • Estatísticas do Fórum

    13.758
    Total de Tópicos
    132.751
    Total de Publicações
  • Tópicos em Destaque

  • Tópicos Recentes

  • Publicações

    • Mouro Emprestado
      Suponhamos. Tens mais-valias realizadas de 1000 euros, que vão pagar IRS. Agora podes abater essas mais-valias realizadas com menos-valias realizadas. Assim, se tiveres alguns fundos com menos-valias potenciais de 1000 euros (mas que ainda assim queiras manter na tua conta), resgatas o suficiente para obter menos-valias. Depois, voltas a comprar as mesmas UP's nesses fundos que resgataste com menos-valias.   (Atenção que ainda que isto não seja proibido pelo Código Fiscal Português (mas é-o nos Estados Unidos, só para dar um exemplo), existe sempre a cláusula anti-abuso no Código Geral Tributário. Na prática, para valores pequenos, não estou a ver o Fisco Português a chatear-se para invocar essa regra. Se ainda assim tiveres receio, quando voltas a comprar os fundos perdedores, compra um fundo diferente, nem que seja na mesma classe de activos, que então aplicar a norma anti-abuso torna-se muito mais difícil para o Fisco).
    • Eurico, o presbítero
      Porque é um assunto que não tenho visto aqui debatido, gostaria de colocar aqui a questão da "optimização fiscal" dos fundos de investimento estrangeiros. Quando chega esta altura do ano, como procedem para anularem as mais-valias? Como fazem? Que critérios utilizam? Eu preciso de ter essa preocupação, porque habitualmente vendo/"sangro" alguns fundos ao longo do ano e, chegado a dezembro, preciso de "aliavar" as mais-valias para o "tombo" no IRS não ser muito forte, Como fazem?  
    • Visitante ThelemaJ
      Olá. Entretanto, ao ler o CCT entre AHRESP e FETESE, surge esta cláusula:   Cláusula 40ª (Alimentação)
       
      1. Todos os trabalhadores têm direito a alimentação que será prestada, segundo opção da entidade empregadora, em espécie ou através de um subsídio pecuniário mensal.
       
      14
       
      2. O subsídio referido no número anterior, ou o respectivo contravalor em senhas de refeição, não será inferior aos seguintes montantes: a) € 56,00, nos estabelecimentos em que não se confeccionem refeições;  € 62,00, nos restantes estabelecimentos.
       
       Este mês, por exemplo, recebi o equivalente a 21 dias (49,56€) de subsídio de alimentação. Continua a haver o problema de estar a receber menos dias de subsídio do que aqueles que de facto trabalho, e a ACT demora a responder. O hotel onde trabalho serve apenas pequeno-almoço, e o pagamento do subsídio é feito em dinheiro para todos os funcionários.   Preciso de feedback de quem me souber elucidar. Obrigado!
    • YARA
      De qualquer forma, mesmo em off-topic obrigado pelas dicas.
    • JRJordao
      Mobilização antecipada, parcial ou total, permitida a qualquer momento com penalização de 50% de juros corridos. Juros pagos na maturidade. FIN: https://bnieuropa.pt/wp-content/themes/responsive/fins/FIN_DP_5anos_EUROS.pdf Para mais questões, utiliza o tópico do BNI Europa.
  • Utilizadores Populares

    1. 1
      Pedro Pais
      Pedro Pais
      5
    2. 2
      D@vid
      D@vid
      4
    3. 3
      nunosbpereira
      nunosbpereira
      2
    4. 4
      Patanisca
      Patanisca
      2
    5. 5
      Jaymz
      Jaymz
      2