Fóruns

  1. Finanças

    1. Créditos

      Créditos habitação, automóvel, pessoal, ao consumo e afins

      13.418
      publicações
    2. 12.558
      publicações
    3. Seguros

      Seguros de saúde, automóvel, vida, multi-riscos, acidentes pessoais e todos os outros

      1.161
      publicações
    4. 853
      publicações
    5. 4.206
      publicações
    6. 24.614
      publicações
    7. 29.946
      publicações
  2. Fiscalidade e Trabalho

    1. Impostos

      IRS, Segurança social, IMT, IMI e simuladores fiscais

      27.260
      publicações
    2. Segurança Social

      Subsídios, pensões, abonos e outras contribuições de carácter social

      636
      publicações
    3. 1.155
      publicações
    4. Trabalho por conta própria

      Trabalhadores independentes, ENIs e micro e pequenas empresas

      702
      publicações
    5. 2.233
      publicações
  3. Geral

    1. Apresentações

      Quem és, de onde vens e para onde vais?

      705
      publicações
    2. Diversos

      Para falar de tudo o resto

      10.663
      publicações
  4. Fórum

    1. Regras

      Regras do fórum

      2
      publicações
  • Estatísticas de Utilizadores

    21.825
    Total de Utilizadores
    217
    Mais Online
    AMargarida
    Utilizador Mais Recente
    AMargarida
    Registado
  • Estatísticas do Fórum

    13.844
    Total de Tópicos
    133.654
    Total de Publicações
  • Tópicos em Destaque

  • Tópicos Recentes

  • Publicações

    • AMargarida
      Bom dia, Agradeço o vosso esclarecimento para a seguinte situação: O meu sogro faleceu e deixou 3 herdeiros (viúva, + 2 filhos). O património traduz-se em bens imóveis e uma conta bancária. No momento de se efectuar as partilhas, os herdeiros chegam a acordo e um dos filhos pretende receber apenas dinheiro, enquanto os restantes ficam com os bens imóveis. A minha questão recai sobre os bens imóveis, que impostos serão devidos? Existem Mais-valias? Como se calculam? quem paga e quando se paga as  mais valias? Agradeço a vossa ajuda. Obrigada.  
    • Visitante lanhoso
      boa noite , eu tenho um seguro de saúde MÉDIS a minha pergunta é , essa despesa ( 65 euros mensais ) entre para despesas ? se sim , em que tipo de despesa se enquadra , saude ou outros ? mais uma pergunta , essa declaração de despesa tenho de pedir a medis ou vão enviar para casa . obrigado um forte abraço
    • Phones
      Desconhecia este cartão da Cofidis, 2% é ótimo, e principalmente não cobrar comissão em compras no estrangeiro. Pena os 200€ de limite por ano... Posso ficar como segundo titular de outros cartões? (assim já sobe para 600€/ano  ) @5coroas já sabes se da para pagar outros cartões e coisas estado?   Assim já ficava bem servido, Cartão Universo para compras no Continente e Galp (14 cent/litro, que no GPL são mais de 20% de desconto) Cartões Cofidis para pagar compras fora da UE, o Universo, IVAs e afins e se sobrar do limite, em compras
    • Visitante anonimo
      Mas isso está errado! Nem sequer se entende a razão pela qual os bancos estão a dar esse tipo de aconselhamento fiscal, induzindo em erro os contribuintes. A própria degiro estava erradamente a mandar declarar os rendimentos no anexo j, até que deixou de o fazer! Qualquer contabilista vai-te perguntar: onde obtiveste o rendimento? Se obtiveste o rendimento em Portugal, anexo g. Anexo J seria o seguinte caso: Imagina que tinhas residencia fiscal ou trabalhavas em Espanha. Abriste conta na degiro com a morada espanhola e obviamente meteste o iban de um banco espanhol. Para efeitos fiscais obtiveste uma mais-valia fora de Portugal, logo tem que ser declarada no anexo j, bem como o iban da conta no banco espanhol. Anexo G seria o seguinte caso: Abriste conta na degiro e tens residencia fiscal em Portugal. Introduziste como é obvio um iban de um banco nacional e morada nacional. Tiveste uma mais-valia de 1000 euros. Apenas tens que declarar no anexo G a mais-valia. Fala com o teu contabilista, os bancos e as corretoras nao percebem nada do assunto.  
    • Benedito dos Santos Diegues
      Boa noite, Residimos (eu e a minha mulher) no estrangeiro e vamos avançar na compra de uma casa em Portugal. O CPCV foi realizado no final de Outubro e foi celebrado o prazo máximo de 90 dias para realizar a escritura. A Remax informou-nos que a escritura tinha de ser adiada para Fevereiro ou Março, ou seja, já vai estar fora desses tais 90 dias. Foi nos dito que o vendedor tem umas obrigações bancarias, que calham no dia 10 de cada mês. Como já estamos a meados de Janeiro, então disseram-nos que já só daria para realizar a escritura em Fevereiro ou se nos desse mais jeito em Março. Contudo estamos um pouco reticentes com este assunto. A escritura pode ser assim adiada sem incorrer a penalizações aos contraentes? No CPCV não está contemplado nenhum tipo de possível adiamento. Muito obrigado desde já pela vossa ajuda. Ben
  • Utilizadores Populares

    1. 1
      Pedro Pais
      Pedro Pais
      6
    2. 2
      5coroas
      5coroas
      4
    3. 3
      D@vid
      D@vid
      2
    4. 4
      JRJordao
      JRJordao
      2
    5. 5
      atlas
      atlas
      2