Toda a actividade

This stream auto-updates   

  1. Hoje
  2. Ontem
  3. Já te perguntei uma vez e vou voltar a perguntar: gastaste esse valores? Sempre aumentou 1000%?
  4. Pode, mas nesse caso só solicitando o reembolso de IVA, o que costuma despoletar uma inspecção, pelo menos nos casos de valores elevados de reembolso.
  5. IRS

    Sim, tem. São considerados rendimentos obtidos em Portugal e não existe de dispensa de apresentação da declaração.
  6. Da forma que apresenta a situação, parece de facto que essas transacções estão ligadas a uma actividade comercial, logo sujeitas a ser consideradas como rendimento da categoria B. Para estar mais convicto, pode solicitar uma informação vinculativa à AT, mas parece-me difícil que sejam considerados rendimentos da categoria G.
  7. Obrigado pelo Post.. Em relação às taxas de juro, eu gostava de saber se por exemplo, eu fizer uma compra de 500 euros (numero redondo) e não pagar dentro do tal prazo sem juros, (o que acontece)?? e quanto mais é que teria de pagar?, seja, teria de pagar os 500 mais (??? euros) de juros, no total?!?, e mensalmente?, por quantos meses?, será TÃO (prejudicial) assim mesmo, ou até se pode (aceitar) se por exemplo for uma compra necessária, para não repetir quando finalmente se conseguir pagar,ou enfim, qualquer coisa que de algum modo possa (justificar) esse gasto, pode acontecer alguma situação mais cara mas que não justifique propriamente um pedido de empréstimo, ( tendo o c. de crédito)!!. O que me podem dizer por favor?!?, Obrigado! E sobre o cartão da cofidis, o que me podem dizer??. Obrigado! E a respeito de uma linha de credito, será melhor ou pior que o cartão, entre estas duas cetelem e cofidis??!?... Obrigado!
  8. Boa tarde Recentemente recebi uma factura da Endesa para pagar perto de 400 euros referentes a acertos, quando a minha factura habitual roda os 25/30 euros. Um amigo chamou-me a atenção para o seguinte: http://expresso.sapo.pt/economia/economina_energia/2015-05-27-Acertos-na-fatura-da-luz-terao-prestacoes-minimas-de-cinco-euros Sabem se esta lei está em vigor e se se aplica ao meu caso? Ou seja, sendo a minha factura média 25 euros, eu teria apenas que pagar 12 prestações de 25% deste valor médio, ou seja, cerca de 7 euros? Queria estar informado quando ligar para eles amanhã, já que não tenho meio de pagar uma factura deste valor de uma só vez. Desde já obrigado
  9. Não sendo talvez a resposta que procuras, as taxas de juro apenas se aplicam quando no final do mês não pagas a totalidade das compras efetuadas com o cartão. Pessoalmente, e penso que no caso da maioria dos utilizadores mais ativos neste tópico, nunca deixo valores por pagar. Penso que a grande vantagem de um cartão de crédito é o adiar para uma data após recebimento do salário o real pagamento (em dinheiro) das despesas do mês. Durante o mês pago praticamente tudo com o cartão e mantenho um saldo muito reduzido na conta à ordem. No final do mês pago o extrato do cartão e coloco o restante a render. Com o Cetelem, tens a vantagem adicional de um desconto de 3% nas compras em super/hipermercados e restaurantes, e um desconto na ordem dos 2% em combustíveis. Descontos limitados a 100€ por ano. A única potencial desvantagem que me ocorre é se tiveres problemas de auto-controlo acabares por comprar mais com o cartão do que podes pagar no final do mês. Se for o caso, desaconselho-te desde já a adesão a qualquer cartão de crédito.
  10. Bom dia, se eu for uma ENI posso ser funcionária com contrato de trabalho e recibo de vencimento com ordenado minimo?
  11. olá, uso pouco o cartão de crédito, mas o que tenho pago anuidade (8€ ou algo assim), logo estava a pensar mudar para um dos que tem anuidade gratuita. para aproveitar os que dao cashback, estou a pensar num cartao novo, e mudar um pouco os habitos de compra (pagar com CC, mas liquidar a 100%). qual o que tem melhor cashback? vi que os barclaycards estao com campanha de oferta de tv ou cartao prenda de 75€ pingo doce/fnac... nem que seja para a aproveitar a campanha, estou a pensar aderir porque nao tem custos. é muito mau se aderir para obter o cartao da campanha, e depois usar como cartao de backup quando viajo?
  12. Última semana
  13. Olá a todos, sou novo aqui. Estou a pensar aderir a um cartão de credito mas confesso que tenho muitas duvidas apesar de já ter lido muita informação na net. e em papel. Confesso que ainda não entendi muito bem essas coisas de taxas de juros e como funcionam na prática, eu deixo aqui um pedido a quem conhece de facto pormenorizadamente o (mais possível) o C.C. Cetelem e/ou talvez o da Cofidis, ( estou a pensar em tentar o Cetelem), o favor de postar aqui a informação que puder, em especial essa parte das taxas, como funcionam, vantagens e desvantagens, e já agora a facilidade ou dificuldade em aderir. Desde já muito obrigado a todos e até já...
  14. Por falar em "bola de cristal", recebi ontem uma newsletter do Activo Bank com o seguinte título: O que diz a “bola de cristal” do ActivoBank para 2017 O essencial está AQUI. Vale a pena uma olhadela. (principalmente, a partir 24':10'')
  15. Boa tarde, Fiz no passado mês de Dezembro o acordo com as finanças prestacional, para para pagar uma divida que tinha e não conseguia pagar. Acontece que pouco mais de 30 dias depois de pagar as primeiras prestações penhoraram-me a conta. Alguém me sabe dizer se tal é normal? como poderei pagar as prestações se não poderei usar a conta bancária? Agradeço a ajuda
  16. Repare só neste gráfico dos últimos 5 anos da Bolsa de São Paulo (Brasil). Agora analise com calma e perceberá porque os fundos BR, em 2016 tiveram um ano anormalmente bom. Num país em recessão em 2016 (-3.5% PIB) o principal índice bolsista valoriza cerca de 70%, faço-lhe uma pergunta simples: Q: Você acha que esse crescimento de 70% foi sustentável? Acha que 2017, ano em que o Brasil é quase certo crescer pouco ou nada, haverá a possibilidade de se continuar a sustentar tamanha bolha? http://www.reuters.com/article/us-brazil-economy-forecast-idUSKBN13G28D Eu dou-lhe a minha opinião, acredito que, se no 1º trimestre de 2017, houverem indícios positivos do PIB, haverá ainda crescimento, mas daí em diante, acredito que seja cada vez mais arriscado manter-se naquele mercado. Parece-me ainda uma boa oportunidade para fazer uma espécie de Short no Brasil. Mas eu a fazê-lo faria sempre com algum cuidado. Mas gostava de ouvir outras opiniões de outros investidores.
  17. Boa tarde. Gostaria se possível que me ajudassem no esclarecimento de uma situação que pode ajudar e muito possíveis investidores no ramo imobiliário. Em 2016 adquiri uma habitação secundaria em Lisboa para Alojamento Local. Fiz algumas obras, quando estava prestes a terminar as obras surge alguém através de um consultor imobiliário que me foi bater à porta, que me ofereceu cerca de 40% a mais do que paguei pela casa. Naturalmente que a vendi, tratava-se de uma proposta irrecusável. Uns dias antes da venda um casal vizinho do lado perguntou-me se eu pretendia ficar com a casa deles, pediram-me um valor muito abaixo do valor de mercado( a casa estava a cair de podre). Após vender a minha, adquiri a casa dos vizinhos, era uma excelente oportunidade de negócio, passado 1 mês o mesmo consultor telefonou a perguntar se eu precisava de ajuda para a aquisição de nova habitação. Disse-lhe que já tinha adquirido. Em conversa, disse-me que tinha cliente para ficar já de imediato com a casa. Sem compromisso levou lá o cliente que me acabou por ficar com a casa. Resumindo, vendi 2 habitações secundárias num ano. Isto pode ser considerado um acto isolado de comércio, ou seja integrarem os ganhos duma actividade comercial? Não serem tributadas segundo o ANEXO G mas sim o ANEXO C? Porque uma coisa é as mais valias serem tributadas a 50% outra a 100%. Desconhecia que havia decisões em tribunais neste sentido. Tenho um amigo que comprou um grande terreno por 50 mil euros. Subdividiu em 4 lotes, vendeu cada por 50 mil. Vendeu os 4 por 200 mil, gerou 150 mil euros em mais valias, a AT veio dizer que foi com o propósito de revenda, considerando que se encaixavam no anexo C. Resultado: Os 150 mil foram taxados a 48%. Agradecia que me esclarecessem nesta dúvida.
  18. Boa tarde Estive a tentar perceber como declarar as rendas no IRS e encontrei esta página onde é referido que os recibos de renda aparecem no Portal do Arrendamento e não no e-fatura. No meu caso parece que o contrário está a acontecer. As faturas da renda aparecem-me no efatura, mas no Portal do Arrendamento não me aparece nada na secção de "Consultar Recibos" (mas o contrato aparece no "Consultar Contratos"). Devo marcar as faturas no e-fatura como despesas de habitação? Ou devo esperar que os recibos apareçam no Portal do Arrendamento? Cumprimentos jAmorim
  19. IRS

    Boa tarde, trabalho na suiça e tenho rendimentos prediais em portugal, pretendia saber se tenho que declarar as finanças na suiça os rendimentos que tenho em portugal? Obrigado Gil
  20. Não existem bolas de cristal mas existem tendências e histórico, apesar de eu não investir nesse tipo de mercado, a verdade é que tanto a Rússia como o Brasil ainda não estão em saturação, são mesmo os mercados emergentes mais baratos juntamente com Taiwan, portanto ainda pode haver aqui subidas, nos mercados desenvolvidos é a Itália e Espanha com melhores outlooks, falando em mercados de acções obviamente.
  21. Se esses fundos subiram tanto recentemente (1 ano), dificilmente manterão essa mesma dinâmica de crescimento em 2017. Ou não estarei a pensar bem? Para além disso... " Rentabilidades passadas não são garantia de rentabilidades futuras ". O verdadeiro "tiro na mouche" seria, a meu ver, descobrir agora fundos/sectores "baratos", que perspectivassem um elevado potencial de crescimento para 2017. Mas isso é, reconheço, o que todos nós andamos à procura... Parece que vou ter mesmo de adiar a compra do Mercedes...
  22. Eu uso o "autoinvest" no Mintos e Twino com as seguintes definições: - Prazo máximo 12 meses; - Taxa min: 12% - Só com Buyback - Todas as origens e todos os tipos de crédito
  23. Apesar da selecção ser uma decisão pessoal, que varia com o perfil de cada um, o meu é este: no site mintos -> vou ao Buyback Guarantee -> coloco 'YES' ou seja prefiro abdicar um pouco da taxa de juro, e ter mais essa camada de segurança.
  24. Viva Cardoso24! Sim, sou um "user" de 2008 que gosta dos temas abordados aqui no fórum e tenta acompanhar ao máximo o que se diz por aqui. No entanto, a vida às vezes não nos permite ter o tempo livre para simplesmente "surfar" pela web, pelos cantinhos que cada um mais gosta... e este, para mim é um deles. Neste momento - desde a uns anos para cá - trabalho mais do que 8... 9... 10... horas por dia e ainda tenho um segundo projecto que me tira quase o restante tempo livre. Onde trabalho, não tem acesso livre às páginas/fóruns e este é um dos que não consigo aceder. Ainda tentei acompanhar pelo tapatalk através do smartphone, mas o fórum aparece como offline. Assim, sempre que venho aqui é sempre tanto para ler... não consigo acompanhar tudo. Gostava de ter mais tempo como se calhar outros users tem para tal. Quanto à escolha da Vivento e Mintos, sim, procurei! Aliás, tb abri conta na TWINO, Bondora e na EstateGuru. E pelo que li aqui e em outros sites, pareceu-me que os dois que escolhi seriam os melhores (pelo menos pelas criticas que li e a maioria da opinião de todos). A título de curiosidade, estou desde Setembro do ano passado para abrir conta neste tipo de sites... e apenas consegui "escolher" estes dois à dias... Admiti que se fosse tivesse mais tempo (seguido) teria sido mais rápido... Ainda dei ao "trabalho" de ler este tópico mas não me apercebi de qualquer referencia à escolha de empréstimos. Se algum user me puder ajudar a atalhar, agradeço... se não, agradeço na mesma. Sem stress.
  25. Eu até gosto de ajudar...mas um "User" de 2008, mais que habituado a estes assuntos de "finanças" (financeiros), não se dar sequer ao trabalho de ler algumas destas páginas/procurar no google é no mínimo caricato. A troca de ideias e ajuda nos fóruns, não deve dispensar da nossa parte, leitura e trabalho de casa. Dúvidas todos temos, mas não nos dar-mos minimamente ao trabalho. Porque motivos é que escolheste a Viventor e a Mintos? Porque se falou aqui ou foste ler sobre essas plataformas?...Existem mais de 50 deste género. @maj.lraep deixa algum na Viventor, eu acredito que vai valer a pena! E se não valer, podemos sempre procurar outras alternativas. Eu já reparei numa coisa diferente (infelizmente) alguns empréstimos com taxas mais baixas...
  26. Boa noite a todos. Abri conta na Viventor e no Mintos. Como a Viventor está "parada" resolvi apenas depositar no Mintos. Aquilo que gostaria de saber é qual a selecção que fazem para investir lá? Que tipo de critérios... se é que existem... ou é apenas "ir ao calhas"... definindo prazo e taxas e diversificar ao máximo os empréstimos? Obrigado desde já pelas respostas!
  27. Sou novato e não pretendo responder, pelo contrário, quero perguntar e pedir o especial favor de alguém mais entidendido me dê uma resposta. A minha questão é a seguinte: Estou em vias de pedir a minha pensão por velhice, já que completo 66 anos e 3 meses em 20 de Março próximo. Tenho contribuições registadas no regime geral entre Março de 1973 e Fevereiro de 1985 , entre Março de 1985 a Dezembro de 1987, em regime de cooperação (com um país Africano) e depois tenho um registo de 30 dias, isolado em 1989 e, finalmente, aderi ao Seguro Social Voluntário, com imício em Novembro de 2004 e ininterruptamente até à data. Ou seja, além dos anos com registos de 360 dias, excepto o ano inicial de 1973, que tenho 270 dias, tenho os tasi 30 dias em 1989 e os 60 dias em 2004. Como maximizar o meu período contributivo? Já vi que em 2017 tenho que ter pelo menos 4 meses de descontos, mas se descontar mais 1, servirá para completar os 120 dias mínimos (já que tenho 90 dias anteriores), para perfazer mais um ano de carreira contributiva? Em resumo 5 meses de contribuições em 2017 (pediria a reforma a partir de 01/06/2017), permitir-me-ia adicionar 2 anos à carreira contributiva? Espero que para tentar ser mais claro, não confundisse demais. Agradeço v/ colaboração. A. Rocha
  28. hahaha se eu soubesse que isto subia 50% em 2017...
  1. Carregar mais actividade